Car.blog.br

Pesquisar este blog

VW Up! I-Motion: teste de longa duração chega ao fim

Categorias: , , 12 Comentários

O Volkswagen Up! I-Motion chega ao fim de seu teste de longa duração, tendo rodado, nesses cerca de dez meses, pouco mais de 20.000 quilômetros (pegamos o carro usado, com cerca de 900 quilômetros rodados), e deixando uma excelente impressão.

Volkwagen Up! I-Motion

O modelo passou dos 20.000 Km em estado do 0KM, e com apenas um ruído de peças soltas na porta dianteira esquerda (passageiro), que foi resolvido na última revisão, sem custo (mesmo com o carro sem garantia, pois foi comprado em leilão).

Volkwagen Up! I-Motion

Durante o período, o consumo ficou em média de 14 Km/l com gasolina, em percurso 60% cidade, 40% estrada, sempre com o ar-condicionado ligado, e sem preocupações com economia de combustível.

Volkwagen Up! I-Motion

Nesse teste, fizemos percursos dos mais variados, cidade, estrada e até alguns trechos de terra, e o Up! se comportou bem, mas o funcionamento da transmissão não foi unanimidade: alguns gostaram muito, e outros - que não gostam de carros automáticos - detestaram as descontinuidades nas trocas de 1ª para 2ª.

Volkwagen Up! I-Motion

De qualquer forma, para quem gosta e aprecia não trocar marchas, a impressão geral é de grande conforto gerado pela transmissão, ao não ser necessário trocas de marchas, sobretudo em congestionamentos. Mas também ficou a lição de que é necessário saber operá-lo adequadamente, pois, do contrário, pode ficar em posição constrangedora, com o carro parado em rodovia, em função de manipulação equivocada da transmissão I-Motion, evidenciando que é necessária uma adaptação ao uso desse tipo de câmbio.

Volkwagen Up! I-Motion

Mas, quando o proprietário se familiariza com o funcionamento desse câmbio, o conforto proporcionado é grande, mesmo em situações adversas, como subidas ingrimes de serra com um carro com motor 1.0 e transmissão automatizada (veja aqui).

Volkwagen Up! I-Motion

Com relação às manutenções, todas foram cobradas dentro dos valores estabelecidos pela fábrica. As concessionárias mostraram bom conhecimento sobre o carro e resolveram todas as questões apontadas, mas o carro teve que ficar parado um dia em cada uma dessas revisões - e não são poucas, pois a fábrica exige paradas a cada seis meses, ou 10.000 Km. Dessa forma, saímos com uma impressão bastante positiva do pós-venda da Volkswagen.

Pequeno por fora, grande por dentro

Um dos aspectos que chama a atenção do Up! é tanto seu diminuto tamanho externo - que lhe confere agilidade e praticidade incomum - mas também seu ótimo espaço interno, especialmente na dianteira e no porta-malas, onde cabe, até mesmo, um carrinho de bebê dobrado (veja aqui o vídeo do teste do carrinho de bebê).

Volkwagen Up! I-Motion

Ademais, o interior é extremamente bem acabado, com um design objetivo, lógico, claro, com excelente ergonomia, ótima posição de dirigir, e que oferece grande prazer ao conduzir.

Volkwagen Up! I-Motion

O aspecto interessante é que as múltiplas configurações do banco do motorista permite que tanto pessoas de 1,50 metro de altura quanto outras de mais de 1,90 consigam encontrar uma posição de condução perfeita, com ótima visibilidade sem bater a cabeça no teto (questão de segurança da coluna vertebral para os de estatura mais elevada).

Maps and More: não vale o investimento

Ao longo do teste ficou clara também a improducência do sistema Maps and More, o que nos leva recomendar (veja aqui) a compra do carro sem a preparação para tal sistema.

Volkwagen Up! I-Motion


O que falta

Assim, com uma transmissão I-Motion oferecendo conforto em qualquer situação, um item quase obrigatório quando se tem carros automáticos é o controle de cruzeiro (piloto automático), existente no up! vendido na Europa, mas não oferecido no brasileiro.


Outro ponto é a falta de um descansa braço central, como existe nos Skoda Citigo. Caso o Up! I-Motion tivesse tais itens, aumentaria muito seu já elevado conforto interno.

É fácil de vender usado?

Outro ponto que nos impressionou muito positivamente foi a liquidez no mercado de usados. Anunciamos e vendemos o Up! I-Motion por R$ 37.000 reais (valor superior ao que pagamos pelo carro) em menos de uma semana. É importante considerar que nosso carro estava impecável, muito novo e bem cuidado, com todas as revisões feitas em concessionária com os respectivos carimbos - algo que dá extrema segurança ao comprador.

Volkwagen Up! I-Motion

Entretanto, observamos um interesse muito grande das pessoas pelo carro, sobretudo pela disseminação das informações de sua economia. No nosso caso, a primeira pessoa que ligou para ver o carro, o comprou, mas tivemos muitas outras ligações depois, o que indica grande liquidez.

Volkwagen Up! I-Motion

O nosso ouro Up!, o MPI, também foi vendido com extrema facilidade, em menos de uma semana, evidenciando que o Up! é um carro bom de mercado também.

Conclusão

O Volkswagen Up! I-Motion sai aprovado do nosso teste de longa duração. Trata-se de um carro adequado para uso em cidade, especialmente as congestionadas, sendo o carro com esse tipo de transmissão mais barato à venda no mercado.

Volkwagen Up! I-Motion

A transmissão I-Motion funciona muito bem, com um software que entende as circunstâncias pelas quais o carro está passando e se adapta rapidamente a ela. Há descontinuidades em trocas de 1ª para 2ª, e, menos pronunciadas, de 2ª para 3ª. Depois disso, as trocas são suaves, e também não há trancos em reduções.

Volkwagen Up! I-Motion

Em resumo. Um carro que cumpre o que promete: oferecer conforto para uso urbano. Já o seu uso é mais em estrada, o Up! TSI é mais indicado.

Postagens relacionadas:

12 comentários:

  1. O UP!, Golf, Jetta e Amarok tem muita liquidez.

    A Vw deveria ter deixado a versão Take com a opção I-MOTion, seria um ótimo custo-benefício para quem quer uma versão urbana.

    ResponderExcluir
  2. Ainda não tive a oportunidade de dirigir um mono embreagem (imotion e dualogic), uns amam outros odeiam, esta questão que dizem que tem que se adaptar ao carro é que me deixa com um pé atrás, que com o tempo vc se acostuma a tirar o pé quando o carro vai trocar de marcha para não existir tranco, se for assim, isso é péssimo. Não sei também qual a dimensão deste tranco pq tirando um CVT todos os outros podem dar um tranquinho em determinada situação, mas dada que prejudique o conforto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nossa, eu tenho um fox e não faço isso de tirar o pé na hora de trocar a marcha, bom... só se eu tiro e nem percebo..
      já estou acostumado, deve ser
      mas sei que só o fato de dispensar a embreagem já fez valer o investimento

      Excluir
    2. Você deve tirar sim, muito provável.
      Pois se ao desacoplar a embreagem o motor continua girando, e se você deixa o pé no acelerado de forma, que mesmo suavemente, o giro do motor suba, quando o "robo" engatar novamente você sentirá o tranco. Isso é inevitável, seja em moto ou carro.
      Talvez algum dia tenhamos um mono embreagem que funcione igual a um automático e não tenha essa se "você se adapta ao câmbio e não o contrário".

      Excluir
    3. Pra funcionar igual o melhor a um automático, só um dupla embreagem do tipo DSG, mas daí vc vai pagar 3x mais.

      Excluir
  3. O White Up I-motion aqui é só alegrias, 7.000 km rodados e ZERO problemas. O único porém. é que as vezes a 1ra demora demais para passar pra 2da, sobe muito a rotação pra só depois cair a marcha, o resto é show. No tiptoronic, modo semi-automatico funciona perfeitamente bastando dar o tempo entre cada marcha como se fosse embreagem de pedal. Compraria outro, sem duvida alguma.

    ResponderExcluir
  4. Falta mais transparência nos critérios usados nesses testes.

    O up! MPI manual rodou 30 mil km, esse up! I-Motion rodou 20 mil km, o Ka rodou 5 mil km. Longa duração de 5 mil km?? Independente de gostar mais de um ou de outro, não definiram metas que permitam o leitor confiar nos métodos utilizados. A desculpa para vender o Ka foi que já tinham avaliado tudo o que precisava, e rodar mais tempo com ele não ia apresentar mais resultados. Ora, por qual motivo não fizeram o mesmo com os dois Ups? Estaria a Quatro Rodas errada por rodar tanto?

    Quanto tempo vai ficar o CrossFox e quanto ele vai rodar? 1 ano? 5 anos? 10.000 km? 80.000 km?

    ResponderExcluir
  5. Muito boa análise apesar da baixa quilometragem.

    ResponderExcluir
  6. Aquele teste do carrinho de bebê acabou que se tornou uma propaganda negativa do blog para o Up. Usei dois modelos de carrinho, que nem eram dos mais compactos, e que cabem no porta malas do carro sem precisar retirar o tampão. E ainda sobrava espaço para levar bolsas, compras e brinquedos.

    ResponderExcluir
  7. "longa duração" de 20 mil km, é sério ou erraram a numeração? não deu tempo nem de trocar as velas, verificar correias, se bobear ainda tá com cheiro de carro 0km, certamente foi vendido como semi novo, nem tem como vender como usado... queria ver como isso aí vai estar com 80 mil km, isso sim é longa duração... chegar em 20 mil km em "estado de 0km" até o lixoso gol g4 chegava fácil, tem que ser muito cupim pra estragar algo tão rápido

    qual vai ser a próxima pérola, longa duração do A3 nacional em 20 mil metros?

    ResponderExcluir
  8. Pessoal é o seguinte, por anos vendi os VW e em relação ao câmbio I-Motion tinha grande facilidade de vender. A abordagem ao cliente iniciava em dizer que esse cambio é a Terceira forma de direção a ser aprendida. Ele é a junção do melhor benefício do manual (agilidade/economia) com o melhor benefício do automático (conforto). O software entende quando vc quer continuar acelerando ou quer trocar de marcha ao começar a trazer o pé de volta após a aceleração por mais forte que seja. A decisão deve ser do motorista, quem dá tranco não é o sistema e sim o motorista não habituado. Afunde o pé para acelerações mais esportivas e acelere pouco para trocas rápidas e sutis. Por isso podemos encontrar pessoas que dizem não tirar o pé do acelerador (aceleração foi pequena). Excelente câmbio, uma nova forma de dirigir. Se for comprar procure alguém que entenda do câmbio, pois pegar vendedor que não gosta do câmbio porque não sabe utilizá-lo é constante, eu mesmo tinha companheiros de Vendas que não "gostavam" do câmbio, ou melhor, não sabem utilizar ou não conhecem a fundo como é seu funcionamento.
    Jayme Lima Filho - Balneário Camboriú - SC.

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.