Car.blog.br

Pesquisar este blog

Avaliação do Honda HR-V 2020 Touring Turbo: o SUV premium mais acessível do mercado

Categorias: , , , 72 Comentários

O Honda HR-V chegou ao mercado brasileiro em 2016 com um motor 1.8 aspirado (suficiente, mas não empolgante), transmissão CVT e um preço que foi crescendo na razão direta das vendas. E agora, na linha 2020, chega a versão mais esperada, a Touring, com motor VTEC Turbo, que o transforma em outro carro. Neste artigo relacionamos nossas impressões.

Honda HR-V 2020 Touring Turbo
 
O HR-V, com 4,33 metros de comprimento é o maior entre os SUV´s ditos "compactos", mas pode ser considerado, também, como o menor dos intermediários, já que ele é apenas 5 cm mais curto que o Audi Q3

Honda HR-V 2020 Touring Turbo

E esse é talvez um dos segredos de seu sucesso, pois nas versões de acesso ele é uma alternativa a T-Cross, Creta, EcoSport e Renegade, enquanto neste topo de gama é uma opção ao Jeep Compass, Audi Q3, Mercedes-Benz GLA 200 e até ao BMW X1.



O sucesso do HR-V é inquestionável. No varejo ele é imbatível, tendo vendido apenas em 2019, e apenas no Brasil, 25.278 unidades, todas para consumidores finais. No varejo é o mais vendido desde o seu lançamento em 2016. Globalmente ele é vendido desde 2013, e desde então já foram comercializados mais de 2,5 milhões de unidades, sendo também um dos carros de maior sucesso da Honda em âmbito mundial.

Honda HR-V 2020 Touring Turbo

Na linha 2020, a versão topo de linha, Touring, ganhou motor turbo, teto solar, faróis de LED, e um acabamento mais luxuoso, e um preço de R$ 139.990 reais, podendo chegar a R$ 141.400 nesta versão do teste pintada em Branco Perolizada.

Honda HR-V 2020 Touring Turbo

É caro? A princípio parece que sim, mas se comparar aos seus concorrentes, o quadro muda de figura. O Jeep Compass Limited 2.0 Flex - R$ 149.990 reais. Audi Q3 1.4 Flex Automático - R$ 159.990 reais. Mercedes-Benz GLA 200 Style - R$ 167 mil. BMW X1 sDrive 20i - R$ 191 mil. 

Honda HR-V 2020 Touring Turbo

Nesse quadro, o preço do HR-V Touring é competitivo, sobretudo em face da lista de equipamentos "quase completa". Ele vem com teto-solar, faróis e lanternas em LED, chave presencial, partida por botão, seis airbags, faróis com acendimento automático, retrovisores rebatíveis eletricamente com função tild-down. O couro dos bancos perfurado transpira qualidade e o cuidado com o acabamento, arremates e ajustes salta aos olhos.

Honda HR-V 2020 Touring Turbo

Mais que isso: o HR-V em geral, e o Touring em particular, transmite uma sensação de solidez estrutural ao rodar. Não há rangidos, nem a percepção de torção da carroceria ao circular por desníveis.

Honda HR-V 2020 Touring Turbo

Alguns vão argumentar que o HR-V não é "premium" para concorrer com Audi Q3, BMW X1 e Mercedes-Benz GLA. Mas o fato é que em termos mecânicos (motor turbo de injeção direta) e de equipamentos ele não deve nada para os três alemães. O acabamento interno é muito requintado, e também deve muito pouco para a trinca alemã. E no Brasil a marca Honda tem tanto prestígio quanto as alemãs premium.

Interior

Honda HR-V 2020 Touring Turbo

O interior desta versão Touring Turbo, o couro preto pode ser substituído pelo cinza claro; os painéis de porta são revestidos em material macio, e a mesma combinação de cores é encontrada no console central.

Honda HR-V 2020 Touring Turbo

O painel de instrumentos é o clássico, com uma tela de computador a bordo preto e branco ligeiramente datada. A alavanca de transmissão é bem curta e esportiva.

Honda HR-V 2020 Touring Turbo

Os controles de ar condicionado sensíveis ao toque são decididamente modernos. Eles estão logo abaixo da tela de 7 polegadas do sistema multimídia (completo com navegador e Android Auto e Apple CarPlay), que também permite que você gerencie entre aplicativos.

Honda HR-V 2020 Touring Turbo

O espaço interno é muito bom, considerando que estamos falando de um crossover com 4,33 cm e 2,61 metros de entre-eixos.

Honda HR-V 2020 Touring Turbo

O que sempre impressiona pela praticidade de uso é o Magic Seat de série, no qual os assentos traseiros podem ser levantados verticalmente, para carregar objetos no piso do compartimento de passageiros (como plantas, ou uma bicicleta para a qual a roda da frente foi removida).


Honda HR-V 2020 Touring Turbo
Tanto espaço em altura vem do fato de que o tanque de combustível não está sob o banco traseiro, como é geralmente o caso, mas sob os assentos dianteiros.

O HR-V Turbo

Apesar da discrição das atualizações estéticas, o motor VTEC Turbo, já presente no Civic Touring, transforma o HR-V Touring para muito melhor. A potência máxima de 173 cv e os 220 Nm, associados com a transmissão automática CVT fazem desta versão Touring um carro totalmente diferente dos demais HR-V com motor aspirado.

Honda HR-V 2020 Touring Turbo

Começa que, apesar bem mais potente, ele é muito suave. A curva de torque do motor 1.5 VTEC Turbo, em comparação com a versão naturalmente aspirada, é mais plana. Com isso, a entrega de potência é extremamente progressiva e disponível já a partir dos baixos regimes de rotação.

Honda HR-V 2020 Touring Turbo - teste

Na prática isso significa que o HR-V Touring Turbo, mesmo capaz de acelerar como um esportivo (0 a 100 km/h em 8,9 segundos), é muito suave e previsível em seu manuseio diário. Não há sustos, não há trancos, não há ruídos indesejados, não há vibrações. Ele funciona macio transitando tranquilamente, mas acelera com vigor se provocado.

Honda HR-V 2020 Touring Turbo

Mesmo com tal nível de performance (velocidade máxima de 200 km/h), ele apresenta indicadores de consumo razoáveis. No INMETRO, 11,6 Km/l em cidade, e 14,5 km/l em estrada. Em nosso teste em Brasília DF, obtivemos média de 12,5 km/l.

Honda HR-V 2020 Touring Turbo

O comportamento geral é silencioso, elástico, decisivo, mas nunca brutal em aceleração. A transmissão CVT automática se revelou uma agradável surpresa pela suavidade absoluta de entrega e pela ausência das sensações quase impalpáveis, mas nem sempre agradáveis, típicas de transmissões continuamente variáveis.

Honda HR-V 2020 Touring Turbo

Para dar conta da maior potência, O HR-V Touring tem também uma suspensão aperfeiçoada. Ela ficou mais firme, mas mesmo assim não compromete o conforto, isolando bem a carroceria. Além disso, este modelo ganhou um sistema de vetorização de torque, que o torna ainda mais estável em curva.

Honda HR-V 2020 Touring Turbo

Por falar em curvas, o comportamento deste HR-V Turbo deve pouco ou quase nada para um hatch médio. É excepcionalmente neutro e previsível em tomadas mais agressivas. A carroceria não tomba quase nada, e ele contorna com competência, com ligeira tendência de sobre-esterço perto do limite - sempre corrigida pela atuação decisiva do controle de estabilidade.

Honda HR-V 2020 Touring Turbo

Enfim, é um SUV muito "divertido" de ser conduzido, até porque permite, também, um ajuste de posição de direção como se fosse um hatch: volante reto e baixo, e assento baixo. Mas não se preocupe se você é fã da posição alta de um SUV: o banco sobe muito e o volante idem, e pode te posicionar bem elevado também - o que é possível também graças à enorme amplitude vertical interna.

Segurança

O novo Honda HR-V Touring vem com os recursos básicos de segurança, como controle eletrônico de estabilidade, controle de tração, auxiliar de partida em rampa, e um sistema de vetorização de torque exclusivo desta versão Turbo.

Honda HR-V 2020 Touring Turbo

Ficam faltando os sistemas do Honda Sensing disponíveis nos HR-V vendidos nos EUA e Europa, como frenagem autônoma de emergência, monitor frontal de colisão, piloto automático adaptativo, sistema de reconhecimento de sinais de trânsito e alerta de saída involuntária de faixa.

Honda HR-V 2020 Touring Turbo

Porém, como uma exclusividade desta versão, há o Lane Watch, que, ao se ligar a seta para conversão a direita, ele ativa uma câmera montada no retrovisor direito e projeta a imagem externa ampliada na tela da central multimídia - muito eficaz e conveniente, e amplia significativamente a segurança em manobras deste tipo, eliminando por completo os chamados "pontos cegos".

Conclusão

O HR-V Touring Turbo provou ser uma excelente interpretação de um SUV brilhante e dinâmico, divertido de conduzir mas não extremo, confortável graças a um interior bem acabado e espaçoso que a atenção inquestionável à qualidade dos materiais combina uma decoração austera, e desprovida de qualquer fantasia extravagante.

Honda HR-V 2020 Touring Turbo

A questão é: vale os R$ 140 mil? Frente ao preço dos seus concorrentes, de fato - Q3, X1 e GLA, o HR-V Touring Turbo não deve nada em termos técnicos, é mais equipado e o mais barato de todos. Mas, se você não faz questão do teto solar, dos faróis em LED, do magnifico motor turbo, há o HR-V EXL bem equipado e honesto, R$ 30 mil mais barato. Mas um conselho: não ande no Touring, depois, para não ficar arrependido de ter pego um HR-V aspirado.

72 comentários:

  1. O pecado desses carros como, Jetta Gli e os Hondas turbos é, não são flex!

    ResponderExcluir
  2. Honda suv premium? Achei que a piada só valia com up e golf.

    ResponderExcluir
  3. Honda não é premium.

    Ela é semi premium, ao lado de Toyota, Audi, Jeep e etc.

    ResponderExcluir
  4. Esse SUV aí é um lixo, acabamento em plástico rígido vagabundo, suspensão desconfortável, central multimídia xing ling, sistema de som ridículo.

    Enfim. Quem dá R$ 140.000,00 nesse Fit de salto aí tem que ser internado compulsoriamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse nunca viu um HRv de perto...

      Excluir
    2. Mas o fit de salto nao vale 140 mil nunca

      Excluir
    3. Ou talvez quem fale mal nunca usou o produto ou nao tem poder aquisitivo para adquirir um. Ai isso e uma explicação razoável. 😉

      Excluir
  5. Mas que porcaria de "reportagem". Que mané SUV Premium. Vão lamber sabão!

    ResponderExcluir
  6. Não sei o que é mais insano, pagar 141 mil em um HR-V ou 126 mil em um T-Cross.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pagar 257 mil em subaru imprenza sti

      Excluir
    2. Não, o ápice de insanidade é pagar 270 mil numa SW4. Até agora ninguém conseguiu superar.

      Excluir
    3. ``Não sei o que é mais insano, pagar 141 mil em um HR-V ou 126 mil em um T-Cross.´´

      ``Não, o ápice de insanidade é pagar 270 mil numa SW4.´´

      ...

      Bando de invejoso.
      Quem trabalha tem dinheiro.
      Quem quer o produto e pode pagar por ele, paga.

      Simples assim.

      Excluir
  7. O carro pode ser bem acabado e ter um excelente motor, mas não vale 140 mil reais cobrado pela Honda por um Suv de entrada. Tiguan e 3008 são muito mais negócio e são superiores a esses Suv s de entrada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tiguan, estamos falando de custo benefício, compra o tiguan com todos esses acessórios e vai vender daqui a 3 anos. Kkk ai a gente conversar sobre custo benefício e 141 mil vale ou nao apena.

      Excluir
  8. Esse Fitão 1.5 de plástico por R$ 140.000,00 é o maior símbolo do deboche da Honda com os brasileiros. Mais caro que o já caríssimo Civic Touring. Preço de Audi A4 Attraction 2.0T.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A4 Prestige (Attraction) = R$ 169.000

      Excluir
    2. Fitão? Realmente vc nunca teve um honda. Va em uma loja e tente adquirir um talvez e o que vc esteja precisando pra sair dessa bolha.

      Excluir
    3. Fitão sim!!! É ótimo carro, já andei, mas não passa de um FIT com salto alto...
      Não vale tudo isso.

      Excluir
  9. E inegável que o HRV Touring é um bom carro!!! O absurdo e considerar um SUV de shopping baseado no FIT como SUV PREMIUN. No Brasil estamos indo de mal a pior em cultura automotiva. Subvertendo todos os conceitos. Aqui o carro é valorizado não pelos seus atributos mecânicos ou técnicos mas sim , pura e simplesmente, por atributos subjetivos elevando ainda mais o preço que se paga nesses carros. E que me perdoe a imprensa automotiva, muitos desses pretensos jornalistas são cooptados e não expõem esses absurdos. Enquanto isso as montadoras surfam na onda e o consumidor brasileiro perde opções de compra e ainda pagam preços estratosféricos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Mal a pior na cultura automotiva": Excelente, Leitor Capixaba!
      Acrescento ao seu comentário que o que influencia compra do consumidor mal informado, hoje em dia, é a altura do carro. O que é um absurdo e demonstra, realmente, uma ignorância completa daqueles que desembolsam valores altos para comprar carros que nascem a partir de projetos baratos.

      Excluir
    2. Concordo em partes. Mas vejamos, a 10 anos atrás os países de primeiro mundo já se rendiam a carros com motores turbo, câmbios automáticos de 6 marchas e níveis de segurança bastante altos, ainda se comparados aos dias atuais.
      No entanto, no tupiniquim, se quiséssemos um sedan médio teríamos que nos contentar com Corolla 2.0 AT4 ou Civic, todos básicos em equipamentos e mecânica. Quem quisesse um SUV pequeno, teria que ir para Ecosport, TR4 ou a Tracker, todos projetos antigos, de baixo custo, totalmente arcaicos e inseguros, completamente em desalinho com o restante do mundo.
      No entanto, na atualidade, podemos dizer que podemos comprar carros alinhados com o exterior, tanto em nível de motorização, quanto em modernidade. Explico.
      Hoje podemos ter o mesmo Polo que é vendido na Europa, com o mesmo motor, mesma plataforma, mesmos itens de tecnologia, mesma segurança. A 10 anos atrás o Polo vendido era o mesmo de 2002, 17 anos atrás.
      Hoje em dia podemos ter carros turbo, híbridos, elétricos, câmbios automáticos com até 10 marchas, câmbios automatizados de dupla embreagem e CVT's, diversos carros com nível máximo de segurança nos testes de impacto, que em nada lembram os de outrora.
      O que quero dizer com esse texto é que, ainda temos muito o que melhorar, no entanto, temos que dar os nomes aos bois. Estamos evoluindo, a passos lentos, mas toda evolução é bem vinda.

      Excluir
    3. Concordo... O que tem para melhorar é os preços.

      Excluir
    4. Concordo... O que tem para melhorar é os preços.

      Excluir
    5. Polo é totalmente depenado em tecnologia,acabamento e segurança se comparado à Europa.

      Excluir
  10. Premium de consolação... chamar este carro que é o segmento de entrada dos SUVs de premium, sendo que a marca é reconhecidamente genérica, mostra a ignorância de quem escreveu a reportagem.

    ResponderExcluir
  11. Respostas
    1. Premium são os veículos da montadora Generalista FCA não é mesmo ?

      Excluir
    2. Cala a boca cara, vc tem que criticar o todos ao invés de usar ad hominem, nenhuma dessas merda é premium só o preço!

      Excluir
  12. SUV compacto menos acessivel do mercado...

    ResponderExcluir
  13. Imagina o lucro desse carro por unidade vendida (tudo no varejo ainda por cima). A Honda ta rindo dá cara dos trouxas q pagam esse valor. Apesar do carro ser top, o preço não é.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Varejo ou atacado, pessoa física ou jurídica, o lucro da montadora é o mesmo. Só perde o governo com a isenção de impostos. Mas como o que não falta nesse país é imposto, tanto faz...

      Excluir
    2. Vocês já perceberam quanta empresa passa por vc dirigindo um carro? Olhei pro lado e não era uma pessoa no volante, era uma fábrica kkkkkk acho engraçado essa história de venda pra empresa, q acham que elas compram carro ruim para seu torno ou sua freza dirigir kkkkk... tudo é para pessoas físicas usarem ou será que alguém duvida disso rsrsrsrs

      Excluir
  14. A Honda perde mercado no Brasil. Errou com o Civic e agora erra com HR-V por 140 mil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vende tudo que produz. Quem errou foi tua mãe quando te fez.

      Excluir
  15. Caro ou não, é muito, MUITO melhor que o T-Cross em todos os aspectos. Primeiro lugar é o design, que mesmo datado, é muito mais chamativo que o Polão. Ems egundo lugar são as soluções internas de espaço. No HR-V tem o magic seat que é muito mais eficaz e útil que aquela gambiarra ridícula do T-Cross. Terceiro é o eficiente VTEC Turbo, sendo o VTEC um motor com tecnologia amadurecida e CONFIÁVEL! Quarto é o interior, acabamento (que estupra o T-Cross) e espaço interno bem melhor aproveitados no Honda e quinto é chover no molhado: pós-venda abismalmente superior da Honda. Na VW vc passa raiva e toma chá de cadeira. A Honda trata os compradores muito melhor! Enfim, uma vergonha um carro com 5 anos de mercado ser muito superior a um que prometeu muito e cumpriu pouco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um dos melhores comentários q ja li aqui mano. So esqueceu de falar q ja no 1o mês a VW vendeu uma baciada de TCross pra Localiza, enquanto q o Hr-V nem sabe o q é Locadora.

      Excluir
    2. A globo fez o contorcionismo de comparar o hrv touring, compass, e tcross, e deu a vitoria para o último. Mas eu acho que a reportagem do car.blog é muito mais lógica. Vida longa ao hrv. Projeto superior e a honda sabe muito bem como cobrar.

      Excluir
  16. Na verdade o HR-V não é premium. Painel de plástico duro. Teto solar não é panorâmico. Não tem park assist.

    O carro premium nesta faixa de preço é o T-Cross Highline, bem superior a esse HR-V em TODOS os aspectos.

    Começa que o T-Cross tem maior porta-malas: 420l, contra ridículos 393 do HR-V.

    O T-Cross tem mais espaço interior, pois tem entre-eixos de 2,65 m, e o HRV apenas 2,61.

    O T-Cross tem painel digital Active Info Display, o HR-V não.

    O T-Cross tem estacionamento automático, o HR-V não.

    O T-Cross tem teto solar panorâmico. O HR-V é um teto meia boca.

    O T-Cross em diferencial XDS+, o HR-V não.

    O T-Cross tem faróis em Full LED com ajuste dinâmico, o HR-V não.

    O T-Cross tem motor turbo de injeção direta flex, o HR-V apenas turbo e injeção.

    O T-Cross 1.5 Turbo anda igual ao HR-V Turbo com gasolina, e ESPANCA o HR-V qwuando o T-Cross é abastecido com etanol (coisa que o HR-V tem medo).

    E o T-Cross Highline 1.4 TSI Turbo Flex custa R$ 30 mil reais a menos que o HR-V Touring.

    Então, quem pensa no HR-V Touring, melhor pegar um T-Cross Highline, melhor, mais completo, mais tecnológico, mais bonito, anda muito mais e bebe menos. Tem mais espaço interno, e custa R$ 30 mil a menos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "O T-Cross 1.5 Turbo"..??? OIIIII?????
      Vá se informar melhor cidadão. Leia seu texto e corrija seus erros antes de criticar o erro dos outros. Relinche menos.!!
      Falar nisso, tá na hora do seu remedio pra ansiedade....

      Excluir
    2. Passa Vergonha não Carlos.
      É uma ENORME covardia, comparar T-Cross com HRV.

      Excluir
  17. Qualquer cidadão q desenbolsa mais de 130k num carro e não optar por uma pick-up DIESEL, ele tem q ser estudado pela nasa.!
    Falo isso pela minha região: Centro-Oeste e Norte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não só pick-up. Qualquer outro utilitário à Diesel!

      Excluir
    2. As picapes diesel custam acima de R$ 180 mil.
      Segundo que elas só são adquadas para carga e uso de trabalho.
      O sujeito que compra uma picape para andar em cidade é um idiota, pois tem insificiente QI e não sabe escolher racionalmente.

      O mané compra um trambolho de mais de 5,3 metros de comprimento, que ele vai ficar feito um idiota tentando estacionar, perder um tempo absurso, e não vai conseguir na maior parte dos casos.

      Depois que internamente ela é apertada. Não tem porta-malas. E a suspensão faz o mané pular dentro mais do que pipoca estourando (exceto se for uma Amarok).

      Então, quem compra Picape para andar em cidade é um mané. Com baixo QI, pessoas popularmente conhecidas como burras.

      Excluir
    3. Então quem compra Amarok também que QI baixo, porque eu só vejo ela em estacionamento de shopping, já que na terra ela faz feio.

      Excluir
    4. Pick-up não presta para cidades catastróficas em termos de espaço como BH, São Paulo e Rio de Janeiro.

      Mas para interiores e viagens, é o melhor tipo de carro que existe no Brasil.

      Depois que se viaja numa pick-up ou SUV grande, não se quer mais andar com a bunda rastejando no chão nesses carros pequenos.

      E a vantagem das pick-ups é que são baratas quando comparadas a SUVs equivalentes com motor a diesel.

      Excluir
    5. "Carlos4patas", sua opinião e bosta pra mim é a mesma coisa! Obg.Denada.

      Excluir
    6. Tá maluco?
      Picape a suspensão pula muito e o banco traseiro é muito reto,em outras palavras desconfortável. Picape é para trabalho pesado.

      Excluir
  18. Vai pagar R$ 140 mil num SUV compacto com motor turbo? Compre um Renegade diesel 4x4.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renegade Diesel é carro para manés. Porta-malas de 250 litros. Sem espaço. Anda menos e bebe mais que o T-Cross 200 TSI AT.

      Em R4 140 mil, melhor opção é pagar R$ 110k no T-Cross Highline, e embolsar R$ 30 mil.

      Excluir
    2. Bebe mais? Você fuma bosta, só pode... Não vejo outra explicação pro seu retardo.
      Renegade Diesel faz, segundo a Quatro rodas, 11,9 km/l cidade e 14,5 estrada, conforme se vê no teste abaixo: https://quatrorodas.abril.com.br/testes/fiat-toro-x-jeep-renegade-inimigos-intimos/
      Enquanto isso, T-Cross 1.4 fez, respectivamente, 12,3 e 15 km/l, como se vê no comparativo abaixo: https://quatrorodas.abril.com.br/noticias/tudo-acima-de-r-100-mil-vw-t-cross-highline-encara-os-suvs-mais-vendidos/
      Com demonstrei acima, a diferença de consumo a favor do T-Cross é irrisória, não justificando a diferença imensa de cilindrada e peso (1641 kg no Renegade e 1.292 no T-Cross).
      Porém, a diferença maior fica no custo que cada carro vai dar no final do mês para o dono, senão vejamos:
      Segundo a ANP, em Julho de 2019 o preço médio da gasolina ficou em R$ 4,338, enquanto o Diesel ficou R$ 3,544.
      Ou seja, pra rodar 200 km na cidade, o dono do T-Cross vai gastar R$ 70,53, enquanto o dono do Renegade vai gastar R$ 59,56.
      Numa viagem de 1000 km, o dono do T-cross vai gastar, usando o mesmo valor médio, R$ 289,20, enquanto o dono do Renegade vai gastar R$ 244,41. Parece pouco, mas no final do mês dá uma bela diferença.
      Além do mais, o Renegade tem algo que conta muito a seu favor, o sistema de tração. Só quem precisa ou já precisou sabe o quão útil pode ser um carro que disponha disto.
      Com relação ao porta malas, Renegade tem 320 litros e T-Cross tem 370, o que significa que o dono do T-Cross vai levar uma mochila a mais, nada significativo.
      Renegade tem acabamento digno de carro de 140 mil. T-Cross tem acabamento de Gol, carro de 40 mil.

      Excluir
    3. Por R$ 150 mil compra-se um COMPASS LIMITED DIESEL 4X4 no CNPJ

      Excluir
    4. Parabéns "João Guilherme" isso sim foi um comentário racional baseado em verdades e não em falácias como certo moçoila por aí.!

      Excluir
    5. Renegade é um carro para manés. O Flex é uma lesma, anda menos que o up! 1.0 MPI, e o Diesel é caso de internação, pois pagar R$ 128 mil reais em um Jeep Renegade pelado, com 2 airbags, com acabamento fiat, só pode ser louco.

      https://www.car.blog.br/2015/04/renegade-18-flex-at-desempenho-e.html

      O Renegade 1.8 faz de 0 a 100 km/h em 15,3 segundos, 1,1 segundo mais lento que o Up! MPI.

      O T-Cross de 100 mil reais já é infinitamente melhor equipado que essa boquetagem de Renagade de R$ 128 mil. O T-Cross Highline custa R$ 109.990 reais e já é infinitamente mais completo que o Renegade Diesel, que só vem com 2 airbags e não tem faróis de LED. A central multimídia do Renegade é boqueta, e o Renegade tem porta-malas de 250 litros (na verdade um porta-luvas).

      Então, na verdade, o T-Cross Highline é R$ 17 mil mais barato que o Renegade Longitude Diesel e mais equipado.

      Fora que o O Renegade Diesel tem consumo segundo o INMETRO, em ESTRADA, de 11,5 Km/l de diesel, e, na cidade, de 9,4 Km/l de diesel.

      http://www.inmetro.gov.br/consumidor/pbe/veiculos_leves_2019.pdf

      O T-Cross 250 TSI faz 13,2 Km/l de gasolina na estrada, e 11,5 Km/l em cidade, segundo o mesmo INMETRO.

      Ou seja, o T-Cross, que HUMILHA o Renegade em performance, consome MENOS em cidade que o Renegade Diesel em estrada.

      O T-Cross acelera de 0 a 100 km/h em 8,7 segundos, enquanto o Renegade Diesel é 4 segundos mais lento.

      Pior, o Renegade Diesel na pista foi ridiculamente lento, sendo mais lento que Jac J2, Gol rallye, HB20 1.6. O Renegade Diesel deu um vexame na pista, com 1:16.651, andando muito menos que carros lentíssimos. Uma piada, veja:

      https://youtu.be/wYQNolIumxk?t=385

      Nem como consumo o Renegade Diesel vale a pena, vejamos:

      Segundo a ANP, pesquisa de 2019, Fevereiro,
      https://preco.anp.gov.br/include/Resumo_Mensal_Combustiveis.asp, o preço médio do Diesel no Brasil é R$ 3,6 / L, enquanto da gasolina R$ 4,1 / L. Ou seja, não é R$ 1 a diferença, mas R$ 0,5.

      O custo de rodar com o T-Cross 250 TSI é o mesmo do Renegade Diesel, pois o T-Cross é mais econômico.

      Custo para rodar 1000 km com o Renegade Diesel:

      1000 km / (11,6 Km/l) = 86,2 litros de diesel. 86,2 x 4,1 = R$ 310,3 reais

      Custo para rodar 1000 Km com o T-Cross 250 TSI

      1000 km / 13,2 = 75,7 litros. 75,7 * 4,1 = R$ 310 reais.

      Ou seja, o sujeito que compra o Renegade Diesel, paga R$ 17 mil a mais que o T-Cross Highline, gasta a mesma coisa com combustível, e tem um carro infinitamente pior equipado, com menos espaço interno e porta-malas ridículo de 250 litros, e que anda ridiculamente menos.

      Ou seja, o sujeito que compra o Renegade Diesel, tendo o T-Cross no mercado, quem compra o Renegade assina atestado que é fraco intelctualmente e não sabe fazer conta e nem analisar carros, pois está comprando um produto muito pior e mais caro.

      Detalhe. Como o Renegade é vendido aos borbotões para locadoras, a desvalorização dele é imensa. O coitado paga R$ 128 mil em um Renegade pelado, e vende 1 mês depois por menos de R$ 80 mil.

      Renegade Flex: carro para manés. Renegade diesel: carro para manés que precisam ser internados.

      Excluir
    6. "Carlos4patas", sua opinião e bosta pra mim é a mesma coisa! Obg.Denada.
      - Canela_12

      Excluir
    7. https://www.youtube.com/watch?v=PdeKWd_-FXA

      Vamos levar T-Cross e HR-V para esse lugar aí?

      Excluir
  19. O que é pior? Chamar Polo/Virtus de médio ou HRV de Premium?

    ResponderExcluir
  20. É muito caro, porém IMBATÍVEL.


    ResponderExcluir
  21. O pecado desse carro é o computador de bordo

    ResponderExcluir
  22. Com mais 5mil vc compra um Jetta GTS 230cv, muito carro que esse Fit bombado!

    ResponderExcluir
  23. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  24. SUV Premium o HRV turbo? Só se for no preço. Tem cara-de-pau pra tudo nesta vida.

    ResponderExcluir
  25. Que possui um ótimo acabamento e tecnologia , é indiscutível..quem fala contra nunca entrou e dirigiu esta nova configuração... o problema é a manutenção do desenho que se consagrou como generalista e não Premium.. isso sim é mais complicado.. mas é um excelente carro...

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.