A Volkswagen começa a vender na Alemanha a variante eletrificada do best-seller Tiguan. O motor elétrico a bordo do novo Tiguan eHybrid permite que a maioria das viagens diárias sejam percorridas sem gerar emissões locais.
VW Tiguan eHybrid plug-precificada a € 42.413,11 - Alemanha
Esse modelo, que tem alcance elétrico de até 50 km (WLTP), o Tiguan eHybrid agora está disponível para configuração e pedido. Preço na Alemanha: a partir de 42.413,11 euros (R$ 264 mil / dezembro de 2020).
VW Tiguan eHybrid plug-precificada a € 42.413,11 - Alemanha
O motor elétrico e o TSI unem forças: no modo híbrido, o motor elétrico suporta o motor TSI de 1.4 litros e atua como um impulsionador adicional. Neste modo, o Tiguan eHybrid irá cobrir temporariamente os trechos totalmente eletricamente e, portanto, sem gerar nenhuma emissão local, pois a chamada recuperação durante a frenagem recarrega a bateria. Consequentemente, há energia elétrica suficiente em viagens longas para desligar o motor TSI dependendo da situação, ou apoiá-lo com uma potência de transmissão adicional.
VW Tiguan eHybrid plug-precificada a € 42.413,11 - Alemanha
Os motoristas do Tiguan eHybrid podem ativar manualmente o modo GTE - aqui, o motor elétrico e o motor TSI unem forças, gerando resultados particularmente dinâmicos. As duas unidades de acionamento juntas geram um torque máximo do sistema de 400 newton metros.
VW Tiguan eHybrid plug-precificada a € 42.413,11 - Alemanha
Partida elétrica: o acionamento híbrido plug-in gera uma potência de sistema de 180 kW (245 PS) e foi programado para que o Tiguan eHybrid possa iniciar no modo EV, desde que a bateria esteja suficientemente carregada e a temperatura acima de -10 ° C.
VW Tiguan eHybrid plug-precificada a € 42.413,11 - Alemanha
Adequado para a direção diária - mesmo quando apenas elétrico: o Tiguan eHybrid cobre até 50 km em modo elétrico - o suficiente para quase todas as viagens diárias. Supondo que esteja sempre carregado, o Tiguan eHybrid também pode ser usado como um veículo elétrico completo para a maioria das viagens ao longo do ano. E é extremamente simples.
VW Tiguan eHybrid plug-precificada a € 42.413,11 - Alemanha
A bateria - disposta no piso do veículo em frente ao eixo traseiro - é carregada exclusivamente por AC. Ele usa um carregador com um conector para tomadas domésticas convencionais com no máximo 2,3 kW, ou com até 3,6 kW em uma estação de carregamento ou estação de carregamento doméstica.

15 Comentários

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.

  1. Híbridos é uma solução tampão. É uma mudança de paradigma, combustão para beiculos elétricos.

    Ideal são os modelos 100% elétricos para haurir todos os benefícios.

    Mas, o mercado é lento e se deve atender a demanda

    ResponderExcluir
  2. Vejo que a Volkswagen oferece uma ampla gama de opções para os clientes. Os mais conservadores, motores TSI e TDI. Para os que querem ousar um pouco mais, híbridos, como este Tiguan. E para os early adopters, a família ID, que é o futuro.
    Qual outra marca faz tanto por seus consumidores? Por isso VW é líder mundial! Emocionante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seria emocionante se não fosse patético. Veículos mal acabados, cheios de problemas e com preços estratosféricos. Dessa emoção aí eu quero distância. Ahh, e dessa marca boca de algodão também.

      Excluir
    2. Fox que decepa dedos, jetta com bancos fatais, t-cross com problemas crônicos de suspensão, amarok com motor bomba, linha audi pegando fogo todo dia, família ID que ficou mais de 1 ano pegando poeira no pátio pq não conseguiram resolver problema de software....

      Realmente, a VW oferecendo só o que sabe mesmo pro consumidor

      Excluir
    3. Se esqueceu da barra de direção do fox que quebrava quando lançou e suspensão do eixo de torção do jetta soltando.

      Excluir
    4. Esqueceu-se também das Lamborghini com autocombustão. Veja que os maiores sucessos da VW historicamente não foram dela. A linha a ar fez um enorme sucesso com o motor desenvolvido pela Porsche. Depois, a linha Gol fez enorme sucesso com o motor Renault CHT. O único motor bom que a VW fez foi o AP. Depois disso, todos são problemáticos. Veja o 1.0 16V antigo, o turbo que carbonizava, o 1.0 VHT, os EAs com problemas de lubrificação, e por derradeiro esses TSI bombásticos.

      Excluir
  3. Um ou outro Fox que tinha esse problema,T-Cross num comparativo espancou vários SUVs compactos,Amarok v6 é a picape média mais desejada do país,foi feito recall dos Audi com esse problema,ID.3 já é o elétrico mais vendido da Europa com menos de 6 meses de mercado,ele foi apresentado em setembro de 2019 e em junho ele chegou ao mercado,a VW não escondeu o problema e o resolveu.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Motores EA 111 e o EA 112, do tempo do ADÃO E EVA. São todos vagabundos.

      Motores TSI, BOMBAS de ONTEM, HOJE e amanhã.

      Esses motores tem desempenho e consumo condizente com suas propostas fora uma manutenção simples é barata.
      Tsi bomba?pra quem é relaxado e não pode manter é

      Excluir
  4. Carro top. Só precisa melhorar esse painel de gol

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele não tem painel de gol

      Excluir
    2. Fala isso pro cara que vai pagar 160 mil em um carro e olha o gol do lado com o mesmo painel.

      Tiguan é muito bom. Mas esse desenhondo interior desanima a compra.

      Excluir
  5. No Brasil por termos o Etanol os Híbridos serão um ótima solução sim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Solução pato.

      Híbrido álcool será um modelo pesado, de baixa autonomia elétrica e perda de espaço interno, design ultrapassado e não será plataforma de exportação.


      Excluir

Postar um comentário

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.

Postagem Anterior Próxima Postagem