Car.blog.br

Pesquisar este blog

VW Kombi 1966 elétrica tem preço de R$ 350 mil - Europa

Categorias: , , 27 Comentários

A Volkswagen mostra na Europa pela primeira vez o e-BULLI puramente elétrico e, portanto, localmente livre de emissões. O estudo, equipado com os componentes de acionamento dos atuais veículos elétricos da Volkswagen, baseia-se em uma Kombi T1 Samba que foi produzido e extensivamente restaurado em 1966.

VW Kombi 1966 elétrica tem preço de R$ 350 mil - Europa

Para converter a Kombi 1966 em uma unidade localmente livre de emissões, o motor boxer de quatro cilindros de 32 kW (44 cv) deu lugar a um motor elétrico Volkswagen silencioso com 61 kW (83 cv) no e-BULLI. Já a comparação de desempenho dos motores deixa claro que o estudo mostra uma característica de acionamento completamente nova, já que o motor elétrico é quase duas vezes mais forte.

VW Kombi 1966 elétrica tem preço de R$ 350 mil - Europa

Ainda mais: com um torque máximo de 212 Nm, o novo inversor oferece mais que o dobro da potência do motor T1 original de 1966 (102 Nm). O torque máximo também está disponível imediatamente - típico para motores elétricos. E isso muda tudo. Nunca antes uma Kombi T1 "oficial" foi tão poderoso quanto este e-BULLI.

VW Kombi 1966 elétrica tem preço de R$ 350 mil - Europa

A potência é transmitida por meio de uma caixa de 1 velocidade. O sistema de acionamento está acoplado à alavanca de câmbio agora localizada entre o motorista e os bancos da frente. Os níveis de seleção automática (P, R, N, D, B) são exibidos ao lado da alavanca seletora. No estágio B, o motorista pode variar o grau de recuperação - a recuperação de energia ao frear. A velocidade máxima do e-BULLI é de 130 km / h (limitada eletronicamente). Com o drive original, o T1 atingiu uma velocidade máxima de 105 km / h.

Análogo ao motor boxer da Kombi T1 de 1966, ele tem tração traseira

VW Kombi 1966 elétrica tem preço de R$ 350 mil - Europa

Combinação integrada e-BULLI de caixa de velocidades e motor elétrico no eixo traseiro. Uma bateria de íons de lítio é responsável pelo suprimento de energia da máquina elétrica. Seu conteúdo de energia utilizável é de 45 kWh. A eletrônica de potência na parte traseira controla o fluxo de energia de alta tensão entre a máquina elétrica e a bateria e converte a corrente direta armazenada (CC) em corrente alternada (CA). Os componentes eletrônicos de bordo também são fornecidos com 12 volts através do chamado conversor DC / DC.

Carregamento rápido: 80% de energia em 40 minutos

VW Kombi 1966 elétrica tem preço de R$ 350 mil - Europa

A bateria é carregada usando uma tomada de carregamento CCS (CCS = Sistema de carregamento combinado). Permite carregar com corrente alternada e direta. Corrente alternada: A bateria é carregada com energia de carregamento de 2,3 kW a 22 kW através de um carregador rápido CA. Corrente direta: graças ao soquete de carregamento CCS do e-BULLI, a bateria de alta tensão também pode ser carregada em 80% em apenas 40 minutos, usando estações de carregamento rápido CC com até 50 kW de carga. O alcance com o preenchimento de uma bateria é superior a 200 quilômetros.

Novo chassi para maior conforto, dinamismo e segurança

VW Kombi 1966 elétrica tem preço de R$ 350 mil - Europa

A experiência de condução a bordo do e-BULLI, que foi completamente alterada em comparação com o Kombi T1, é aprimorada ainda mais pelo chassi recém-projetado: eixos dianteiros e traseiros multi-link com amortecedores e amortecedores ajustáveis, bem como uma nova direção de pinhão e cremalheira e quatro freios a disco contribuem para isso. o novo dinamismo é colocado na estrada com confiança.

VW Kombi 1966 elétrica tem preço de R$ 350 mil - Europa

VW modificou o design exterior e interior

Paralelamente ao novo acionamento elétrico, foi desenvolvido um conceito e-BULLI que era tão vanguardista quanto elegante. As novas ópticas e as soluções técnicas correspondentes foram desenvolvidas pelo centro de design da VWN em cooperação com a Volkswagen Commercial Vehicles Classic Cars e a divisão de Comunicação. Os designers modernizaram o exterior do ícone, que foi pintado no novo bicolor “Energetic Orange Metallic” / “Golden Sand Metallic MATTE”, com grande sensibilidade.

VW Kombi 1966 elétrica tem preço de R$ 350 mil - Europa

São detalhes como os novos faróis redondos LED com luzes diurnas que indicam a transformação da era moderna a partir do exterior. Há também indicadores de carregamento LED na parte externa da parte traseira; Assim que você pisar no e-BULLI, você sinaliza ao motorista quanta energia resta na bateria de íons de lítio.

VW Kombi 1966 elétrica tem preço de R$ 350 mil - Europa

Somente quando você olha pelas janelas para o interior de oito lugares, você percebe que algumas coisas não são o que você esperaria de um T1. Os projetistas dos veículos comerciais da Volkswagen redesenharam muito do interior sem perder de vista o original por um segundo. O sistema de assentos é um dos novos recursos; correspondente à tinta exterior, é feita em duas cores em "Saint-Tropez" / "Laranja Saffrano".

VW Kombi 1966 elétrica tem preço de R$ 350 mil - Europa

A nova alavanca seletora automática foi colocada em um console entre o motorista e os bancos da frente. Também integrado aqui: o botão iniciar / parar para a máquina elétrica. A madeira maciça com aparência de tábua corrida é usada para todo o piso; isso e as cores amigáveis ​​e brilhantes do couro conferem a esse ônibus samba eletrificado um caráter marítimo.

VW Kombi 1966 elétrica tem preço de R$ 350 mil - Europa

O cockpit também foi cuidadosamente modificado. O novo velocímetro é baseado no original; uma tela integrada de duas linhas constrói uma ponte para os tempos modernos. A exibição digital no velocímetro analógico informa o driver da faixa, entre outras coisas. Os LEDs também indicam se o freio de estacionamento está aplicado ou o plugue de carregamento está conectado.

VW Kombi 1966 elétrica tem preço de R$ 350 mil - Europa

Detalhe pequeno, mas agradável, no meio do velocímetro: um símbolo Bulli estilizado. Uma grande quantidade de informações adicionais é exibida em um tablet integrado no console do teto. Através da Volkswagen "We Connect", o motorista do e-BULLI também pode usar o aplicativo para smartphone ou o PC e um portal da Web correspondente para obter informações como o tempo restante de carregamento, a faixa atual, para os quilômetros percorridos e tempos de condução ou o consumo de energia, incluindo recuperação de energia (recuperação).

VW Kombi 1966 elétrica tem preço de R$ 350 mil - Europa

A música traz um rádio de estilo retro a bordo, mas com a mais recente tecnologia, como DAB +, Bluetooth e USB. O rádio está acoplado a um sistema de som com componentes invisíveis, incluindo um subwoofer ativo.

VW Kombi 1966 elétrica tem preço de R$ 350 mil - Europa

É possível na Alemanha eletrificar uma Kombi nos termos do e-BULLI. A conversão T1 é oferecida lá a preços de 64.900 euros, incluindo os eixos dianteiro e traseiro recentemente desenvolvidos.

27 comentários:

  1. Essa pelo menos anda!
    Já o ID3...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Houve problemas com a tesla tb amigo . sim,é um grande desafio para a gigante vw , mas assim ela vai pegando o jeito ...e já já vai ser uma das maiores em eletricos . superou uma divida de 35 BILHOES ,isso é nada.

      Excluir
  2. Essa Kombi é de parar o trânsito, ficou top.

    ResponderExcluir
  3. Como eram estilosos os carros antigos, apesar de todo design de hoje, eles tinham mais personalidade.

    ResponderExcluir
  4. T cross já é lider hoje, passou o renegade!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkkkkkk

      Penando pra vender mais que um suv de 1500kg e motor de Palio, mesmo tendo uma versão apelativa e sem lucro PCD.

      Com a Tracker a GM ensinará como se põe um carro na liderança, assim como fez com o Onix em 2013, Onix Plus em 2019 e Onix em 2020.

      Excluir
  5. Absolutamente LINDA!!!
    Parabéns ao time que idealizou e trouxe à realidade desta forma.
    Espero que a nova Kombi ID Buzz venha logo - eu mesmo sou um potencialíssimo comprador!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério? Teria coragem dar mais de 200 mil numa Kombi?

      Kkkkkkkkkkkk

      Fanboy VW tem que ser estudado, talvez ajudem os cientistas a descobrirem a vacina pra Covid19.

      Kombi já era uma bosta a 20 anos atrás, era problemática, manca, desconfortável e insegura, imagina agora...

      Excluir
    2. Primeiro: o dinheiro é meu, não lhe devo satisfações.
      Segundo: já que quis ser o "ixperto" da vez, falei na ID Buzz. Carros elétricos será o futuro, eu conheço bem sobre veículos elétricos...
      Cresce moleque.

      Excluir
    3. O dinheiro não é seu porque você não tem.

      Abraços!

      Excluir
    4. Tb sou um possivel comprador .

      Excluir
    5. Kombi já era uma bosta a 20 anos atrás, era problemática, manca, desconfortável e insegura, imagina agora...

      Confiável,manutenção simples e peças fáceis de achar

      Excluir
  6. A restauração ficou muito bem feita, mas a pergunta que não quer calar: ela anda ou fica parada em um pátio como os ID3?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido a tesla tb teve problemas ..pesquise ...pq.com a vw seria diferente? Pra cima vw!!!!

      Excluir
  7. essa tem presença... diferente da linha gol/golf/polo que tem tudo a mesma cara sem graça de sempre!

    ResponderExcluir
  8. 350 mil numa komboza ??? Nem o mano Brown que anda de variante compraria um troço deste, primeiro que não tem grana e segundo que é acostumado com carro queimando óleo e vazando na garagem de casa !

    ResponderExcluir
  9. Enquanto isso, o supratecnológico elétrico Das Auto insiste em não funcionar. Acho que a VW vai ter que pedir ajuda pros chineses, igual já fez uma vez.
    E se, mesmo com isso não tiver jeito, vai ter q deixar se acabar os ID3 e projetar outro carro. Ou desistir.
    https://www.noticiasautomotivas.com.br/vw-id-3-frota-que-nao-funciona-e-flagrada-em-aeroporto-alemao/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. João Guilherme vc é cara que defende a montadora que os carros pega fogo, tem vazamento de óleo, não abre o porta malas ????

      Excluir
    2. Problema no software, coisa q a tesla que nasceu pra fazer eletricos tb teve. Relaxe hater.

      Excluir
    3. Defendo qualquer outra montadora pra irritar as fangils esquizofrênicas VW.

      Excluir
    4. Thieng, Tesla é uma empresa que surgiu do nada e não tem nem 20 anos de existência, nem se compara as essas dinossauras com 100 anos de know how. Mesmo assim, a própria VW afirmou que Tesla está 10 anos a sua frente em termos de tecnologia em elétricos.

      É um case de sucesso.

      Excluir
    5. A VW consegue resolver o problema do ID 3

      Excluir
  10. Aqui só tem comentários de pessoas que gostam de dar o bumbum.

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.