Car.blog.br

Pesquisar este blog

Fiat Toro Flex Automática: consumo e desempenho - estrada

Categorias: , , 5 Comentários

O Fiat Toro 1.8 Flex Automático objeto de nosso teste de longa duração supera os 5.000 km rodados. Neste post relataremos dados de consumo em cidade, consumo de gasolina em estrada, e comportamento em estrada.

Fiat Toro Flex Automática

O consumo urbano da Toro 1.8 Flex tem se mantido em 10,3 km/l de gasolina, em um percurso 50% cidade, 50% urbano, com o ar-condicionado ligado 100% do tempo. O número é positivo tendo em vista as características do carro, seu peso (acima de 1.600 Kg) e o fato de ser um carro automático. O vídeo a seguir traz nossas impressões.



Nesse período o Fiat Toro fez algumas viagens em estrada de mão dupla, de boa pavimentação, no Centro Oeste do Brasil, rodando em média a 120 km/h, e o consumo obtido nessas situações foi de 10,5 km/l de gasolina. O carro estava com quatro adultos, bagagens, e com o ar-condicionado ligado 100% do tempo.

Fiat Toro Flex Automática - consumo

Esse número de consumo não é exatamente favorável, tendo em vista que em estrada em geral obtém-se números melhores, mas no caso da Toro isso não se verificou. De qualquer forma, nossa medição bate com o informado pelo INMETRO para este veículo nesse tipo de situação.

Picape Fiat Toro Flex - consumo em estrada

Em relação ao comportamento dinâmico, fica claro que o falta motor ao Toro 1.8 Flex Automático. O quatro cilindros 1.8 de 139 cavalos e 19 Kgfm de torque pena muito para empurrar os mais de 1.600 Kg da picape com quatro pessoas a bordo.

Fiat Toro Flex Automática

Como resultado, as retomadas de velocidade são morosas, com o carro demorando muito para atingir 140 Km/h, que é um velocidade tipica de ultrapassagem. Entretanto, em estradas modernas, com mais de duas pistas para cada mão de direção, essa insuficiência de desempenho não compromete, desde que se ande dentro das velocidades permitidas.

Fiat Toro Flex Automática

Ocorre que este carro tem um desempenho típico de carro 1.0, como um Ford Ka ou Fiat Palio 1.0. Dessa forma, em estradas de mão única esse motor pode causar problemas, pois em ultrapassagens, como ela demora muito para ganhar velocidade, fica-se muito tempo na pista contrária, elevando o risco de acidentes.

Fiat Toro Flex Automática

Sendo assim, para quem pretende usar o carro nesse tipo de situação, o ideal é pegar o modelo com motor 2.0 Diesel, que oferece desempenho melhor.

Fiat Toro Flex Automática

Outro aspecto que fica claro é que esta picape exige cuidados em curvas, já que seu nível de estabilidade é inferior ao de um carro convencional. Dessa forma, quem migra de um sedã ou hatch médio para o Toro Flex, precisa ficar atento às características dinâmicas desse tipo de veículo para não enfrentar surpresas.

Ambiente interno

Ao longo de nossa viagem de cerca de 600 km, observamos que o interior do Toro oferece espaço e conforto suficiente para quatro adultos. Entretanto, os bancos dianteiros precisam ficam em posição algo adiantada para permitir um espaço adequado para os joelhos dos passageiros que vão atrás.

Fiat Toro Flex Automática

Motorista e carona ficam bem acomodados em bancos anatômicos que primam pelo conforto, e permitem longas jornadas ao volante sem cansar. O silêncio interno ajuda na sensação de conforto, assim com o ar-condicionado silencioso e potente. Neste modelo que estamos avaliando o ar-condicionado tem duas zonas de climatização, o que se mostra útil quando motorista e carona têm necessidades distintas de refrigeração.

Fiat Toro Flex Automática

Em relação à posição de dirigir, elevada, é bastante confortável, e o banco permite longas viagens sem cansar e sem produzir efeitos negativos nas costas. Nesse aspecto a Toro se diferencia muito de carros 1.0, pois seu nível de conforto é muito superior.

Fiat Toro Flex Automática

Muito superior também pelo fato de dispor de uma suspensão com ajuste que prioriza o conforto, mais macio, sem que haja um comprometimento da estabilidade. O volanta tem ótima empunhadura e os comandos multifuncionais permitem controlar o sistema multimídia com presteza e segurança.

Outro aspecto que se revelou muito interessante é o piloto automático, que mantém a velocidade até mesmo em declives, com o uso do freio motor. Esse recurso aumenta muito o conforto do motorista, que pode descansar as duas pernas.

A direção se mostrou muito competente, transmitindo segurança em altas velocidades, mesmo sendo muito macia e confortável em manobras urbanas.

GPS

O modelo que estamos avaliando conta também com o sistema multimídia com tela de 5 polegadas, sensível ao toque, que conta com navegação. Um recurso interessante do GPS da Toro é o indicador de velocidade máxima da via.

Fiat Toro - interior

O visor do mapa tem esse indicador de máxima permitida, e, quando o motorista a excede, ele muda a sinalização para vermelho, indicando que está acima do permitido.

Conclusão

O Fiat Toro vai chegando aos 6.000 km rodados impressionando positivamente por consumo em cidade, conforto em estrada, e recursos de conveniência, como piloto automático, sistema de navegação e ar-condicionado digital de duas zonas.

Fiat Toro Flex Automática

No lado negativo fica o desempenho sofrível do motor 1.8 flex com câmbio automático, e o consumo em estrada, muito elevado para o fraco desempenho que entrega.

Postagens relacionadas:

5 comentários:

  1. Façam uma avaliação simples com o veículo carregado, colocando na caçamba a capacidade máxima recomendada pela Fiat para esta versão e aferindo o desempenho, estabilidade e consumo do mesmo. Apesar de não ser a vocação aparentemente da Tora uma vez ou outra vc poderá definitivamente ter que usar a caçamba para transportar algo mais pesado.

    ResponderExcluir
  2. Essa avaliação simples eu espero já faz um tempão! Nenhum site especializado ou canal do YouTube fez esse teste ainda, bem pelo menos eu ainda não achei.
    Se alguém tiver um vídeo desses, por favor compartilhem!

    ResponderExcluir
  3. Estou ha uma semana com a minha e edtou gostando muito. Concordo com as observações com relação ao desempenho porém a dirigibilidade excelente do carro compensa tudo. Sem falar na beleza. Estou me acostumando a dirigir geriatricamente, afinal me pergunto: pra que pressa? Pra chegar mais rápido ao final da vida?

    ResponderExcluir
  4. Senti essa dificuldade na retomada da velocidade em ultrapassagens e em aclives também,asesmola. Ela.sendo automática essa deficiência nas ultrapassagens podemos usar as borboletas para mudar as marchas e sofrer menos com a falta de potência, pois.na.minha opinião .esse motor deveria se pelo menos 2.0 para dar mais segurança ao usuário, mas estou feliz com o conforto e a beleza do carro

    ResponderExcluir
  5. Fiat eh fiat motor fraco acabamendo deixando a desejar... consumo elevado...
    Custo x beneficio = indesejado

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.