Car.blog.br

Pesquisar este blog

Pensando em comprar um Golf ou A3? Opte pelos nacionais

Categorias: , 53 Comentários

A Volkswagen do Brasil já está produzindo em sua planta de São José dos Pinhais (PR) as versões nacionalizadas do Golf 7 e do Audi A3 Sedan. Assim, levando-se em consideração as alterações que esses dois modelos passaram no processo de tropicalização, nós consideramos que, atualmente, para quem pensa em adquirir um Golf ou A3 Sedan, é melhor esperar um pouco e optar pelos modelos nacionalizados.

VW Golf 2016 Flex

Golf 7 & Audi A3 - Plataforma MQB

Antes de falar das vantagens das soluções mecânicas adotadas nos modelos nacionais, é importante fazer uma consideração sobre a arquitetura MQB, que é a plataforma usada nesses dois carros.

VW Golf 2016 Flex

A arquitetura MQB (matrix modular transversal) foi adotada pela VW para dar origem a uma série de seus carros. Com isso, ela permite que o mesmo carro seja ofertado com variados esquemas de motor, suspensão e transmissão, de modo a adequá-lo às diferentes características dos mercados nacionais.

VW Golf 2016 Flex

Assim, há múltiplas opções de motores (3 e 4 cilindros, TSi, MSI, TDI (diesel), híbridos e elétricos), suspensões (independente, semi-independente, duplo triângulo) e transmissões (DSG7, DSG6, TipTronic 6, Manual).

EUA - Câmbio TipTronic

Portanto, o Golf 7 / Audi A3 é um projeto que permite às unidades regionais da Volkswagen escolher entres as múltiplas soluções mecânicas disponíveis mais adequadas à realidade do seu mercado.

VW Golf 2016 Flex  - interior

Nos EUA, por exemplo, a VW of America adota suspensão semi-independente para os Golf TDI, independente para os TSI, e trocou a transmissão DSG7 do TSI gasolina alemão pela caixa automática com conversor de torque AISIN (subsidiária da Toyota) TipTronic de 6 marchas.

Maior parte dos Golf vendidos na Europa adotam suspensão semi-independente por eixo de torção

Na Europa, no que respeita às suspensões, a Volkswagen adota suspensão semi-independente por eixo de torção em todos os Golf TDI (Diesel), no Golf Alltrack TDI e em todos os Golf TSi com motor até o 1.4 TSI de 122 cv. Nas versões com motor TSI (gasolina) acima de 140 cv é usada a suspensão traseira independente multilink.

VW Golf 2016 Flex - interior

Assim, tendo em vista a prevalência dos Golf TDI no mercado europeu, tem-se uma realidade em que, na Europa, a maior parte dos Golf 7 vendidos adotam suspensão traseira semi-independente por eixo de torção, que é uma das opções do projeto do Golf 7.

Brasil - Câmbio TipTronic e suspensão semi-independente

Já a Volkswagen do Brasil optou, para o Golf nacional, por uma solução que agrega o câmbio do Golf 7 americano (TipTronic de 6 marchas) e a suspensão semi-independente adotada nos Golf TDI (diesel) vendidos nos EUA e Europa, que são as soluções mecânicas mais robustas e confiáveis disponíveis para o Golf 7/Audi A3.

VW Golf 2016 Flex

Essas escolhas indicam uma clara opção por dar ao Golf nacional o maior nível de robustez e confiabilidade possível, e ainda deixar os carro com as características apreciadas pelo consumidor brasileiro (suspensão mais macia, mais elevada e mais silêncio, além do motor flex).

Golf 7 nacional: 4 alterações em relação ao importado

Pelo que se sabe até agora, o Golf 7 nacional terá 4 alterações em relação aos importados: motor 1.6 MSI Flex na versão Comfortline; motor 1.4 TSI Flex na versão Highline; suspensão traseira semi-independente no Comfortline e Highline (mais macia e mais elevada); transmissão automática TipTronic de 6 marchas (AISIN) no Comfortline e Highline.

VW Golf 2016 Flex

Motores flex

A adoção dos motores flex é um dos elementos que tornará os Golf nacionais preferidos pelos consumidores em relação aos importados.

VW Golf 2016 Flex

O uso de motores flex dá tranquilidade ao consumidor, que não precisa se preocupar com o tipo de gasolina que vai em seu carro, já que o motor está preparado para usar até mesmo 100% etanol, e não apenas gasolina com apenas 27% de etanol.

Suspensão mais macia e alta

A adoção da suspensão traseira semi-independente no Golf nacional o torna mais macio e confortável. Trata-se do mesmo tipo de suspensão que a Toyota usa no Corolla - carro que é sempre elogiado por seu conforto e ajuste de suspensão.

VW Golf 2016 Flex - espaço traseiro

Assim, como o Golf 7 nacional será mais alto e mais macio, e essas são características apreciadas pelo consumidor médio brasileiro, esse é outro ponto que fará os modelos nacionais serem mais valorizados que os modelos importados (do México e Alemanha)..

Transmissão silenciosa, rápida e suave

A transmissão automática que será usada no Golf nacionais, de fabricação AISIN (subsidiária da Toyota), de 6 marchas, com conversor de torque, está no mercado desde 2009 sendo considerada a melhor e mais robusta transmissão automática de seis marchas do mercado.

VW Golf 2016 Flex - interior

Trata-de se de uma caixa moderna, eficiente e que oferece uma operação macia e suave. E que não tem nenhum ruído de funcionamento, muito menos o característico "clec-clec" do DSG7 marchas dos Golf importados.

Segurança

O Golf 7 nacional manterá todas as características que fazem dele um dos carros mais seguros do mercado, tendo obtido 5 estrelas/5 estrelas no EuroNCAP e no Latin NCAP, e Top Safety Pick + no rigorosíssimo IIHS.

VW Golf 2016 Flex - interior

O modelo nacional manterá os 7 airbags, controle de estabilidade (ESP), controle de tração (ARS) e todas as características estruturais que fazem dele um carro rígido e resistente a impactos.

Golf 7 e A3 nacionais - melhores para o Brasil - vídeo

As características mecânicas do Golf 7 alemão são ideais para o mercado alemão, assim como as características do Golf 7 americano são as ideais para o mercado americano. E as soluções que foram usadas no Golf 7 brasileiro fazem dele um carro melhor que os alemães e mexicanos para rodar no Brasil.



Essas características nós deixamos claro no vídeo acima, onde discutimos todas as questões relativas a transmissão, câmbio e suspensão do Golf nacional, o que deve fazer deles também os preferidos pelos consumidores tanto de 0KM quanto usados, ocasionando menor desvalorização.

Conclusão

VW Golf 2016 Flex

Diante dos aspectos expostos, que levam a conclusão que o Golf 7 nacional será um carro mais confiável, robusto e adequado à realidade brasileira, consideramos que, para quem pretende adquirir um Golf ou um Audi A3, é melhor optar pelos modelos flex de fabricação nacionais.

Postagens relacionadas:

53 comentários:

  1. Se eu tivesse oportunidade( e claro din din) eu iria o mais rápido pra uma concessionaria Volks comprar uma unidade Mexicana, pois ele vem com o DSG e a Suspensão multilink que da "MUITO MAIS CONFORTO e SEGURANÇA" tanto numa condução mais agressiva como ao rodar em ruas "made in brazil ". E alem do mais eles estão dando descontos generosos nos modelos, fui numa concessionaria Volks e lá estava um exemplar do Golf com pacote Exclusive com teto 2015/15, pelo preço de 106 mil reais, ou seja, quase 9 mil a baixo do pedido pelo modelo quando se monta no site, uma belo oportunidade de se ter o Golf "quase alemão" e ainda completo, diferente do nacional que vira capado em algumas coisas e ainda por cima com o mesmo preço e não mais caro!!!!

    ResponderExcluir
  2. Não sei de onde tiraram a história de que a suspensão multilink é menos robusta ou confiável. Aliás a história do eixo que quebrava no Jetta prova isso. A multilink acabou sendo mais robusta. Com o câmbio DSG até é compreensível. Não que ele não seja confiável. Mas ter de convencer os donos dos carros que aquele ruído é normal realmente é uma dor de cabeça. Sem falar nas visitas inoportunas por algo que não tem o que fazer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bastaria substituir pelo dsg6 do jetta, o ruído é bem mais discreto e não tem as retenções do dsg7, no caso da multilink é uma piada, existe diversos carros no mercado com este tipo de suspensão, são duráveis e silenciosas.

      Excluir
    2. Seria ótima saída também a DSG6. Outra opção seria oferecer a DSG7 por R$ 7k e a Tiptronic Aisin por R$ 5k. Quem comprasse a DSG estaria bem ciente das características do produto. O importante seria não tirar essa magnífica transmissão do catálogo.

      Excluir
    3. Dono de boquetagens com New Fiesta deveria ser proibido de falar em tópicos de Golf. Aqui se fala de carro, e não de tranqueiras como New Fiesta, que tem câmbio que trava e superaquece, que o interior e lataria é todo desalinhado.
      Sei lá, acho que dono de carro da Ford tem tanto tempo para ficar enchendo o saco com babagens e achismos em topicos de Golf, porque seus carros não saem da concessionárias para arrumar (e nunca arrumam), fora os que estão com os carros parados pois o cãmbio trava.

      Excluir
    4. Seria ótima saída também a DSG6.

      Transmissão DSG6 tem perdas, e tem ruído também. É menor, mas tem.
      E é uma suspensão que impõe perdas ao powertrain no nível ou até mais alto que o AISIN 6 marchas. Ela não é desenhada para andar em carro com menos de 28 Kgfm de torque.
      Não existe nenhum lugar do mundo onde o DSG6 é pareado com motor 1.4 TSI. NENHUM.
      Já o Jetta 1.4 TSI dos EUA usa o TipTronic nacional.

      Não sei o que mané dono de Ford com aquela boquetagem de Powershift vem falar de cambio de Golf. Isso sim é que é uma piada.


      Outra opção seria oferecer a DSG7 por R$ 7k e a Tiptronic Aisin por R$ 5k. Quem comprasse a DSG estaria bem ciente das características do produto. O importante seria não tirar essa magnífica transmissão do catálogo.

      Tá pensando o quê? Que linha de montagem é feira livre. Para de falar besteira cara.
      O carro sai no Brasil com a transmissão que a engenharia brasileira considerou adequada, do ponto de vista técnico. A DSG7 não se mostrou adequada ao Brasil. Ponto, e , portanto, não deve ser montada.

      Excluir
    5. Ow Carlos. Você pode chorar à vontade. A verdade é uma só. Os câmbios com dupla embreagem são a última palavra em rapidez e eficiência com praticamente o mesmo nível de conforto.

      E sim, linha de montagem é quase uma feira livre se é esse o termo que você prefere. Junto com o Golf 1.6, será montado o 1.4 TSI, o Audi A3, o A3 Sedan 1.4 e 2.0 com Tiptronic e DSG6. Aliás se você não sabe é completamente normal modelos totalmente diferentes compartilharem a mesma linha de montagem.

      Excluir
    6. E outra ow inocente juvenil. Não tem essa história de torque mínimo. Você por um acaso sabe qual transmissão o Golf Mk V 1.4 TSI usava? DSG-6. A DSG-6 está adaptada para os mais diversos modelos do grupo VW, passando por diferentes plataformas e motores. Adianta ficar bravinho não só porque você não está conseguindo convencer as pessoas do contrário.

      Excluir
    7. Andei num 308 thp que usa esse mesmo cambio. Prefiro muito mais o cambio dsg mas mto mais mesmo. Ele usa eixo de torção na traseira e a suspensão do golf alemão é mto mais macia e confortável. Comparar se uma suspensão é mais dura que a outra utilizando apenas um carro (Corolla) como exemplo é muito pouco. Nenhum carro da PSA utiliza multlink e todos são menos confortaveis que o golf alemão. Então essa lógica que eixo de torção é mais macio so se aplica ao Corolla. Se fosse assim um palio seria mais confortável que o Golf Alemão.

      Excluir
    8. Kkk Carlos, vc é um boqueteiro muito ignorante! O Q3 1.4 vendido no Brasil vem com dsg6 kkkkkkkk O Golf brasileiro está ótimo, pois já tenho o meu alemão e esse Golf depenado está valorizando o meu kkkkkkk a tabela fipe está mais cara do que paguei no meu

      Excluir
    9. Meu new fiesta é o mexicano, muito bem alinhado e acabado, não fala bobagem, além disso o meu é manual, o powershift não presta.

      Sobre o dsg6, não escreva bobagens, o dsg6 é casado com o tsi 1.4 no audi Q3, são completamente compatíveis.
      O dsg6 pode até importa alguma perda, mas como é tu que afirma não acredito, mas ainda assim muito menos perdas do que um tosco tiptronic, além disso tem muito pouco ruído, não tem retenções e é muito mais confiável, um ótimo câmbio, ao contrário do dsg7.
      O dsg6 é muito eficiente, tanto que faz carros com o jetta e passat andar muito, não vem com esta balela, dsg6 é muito eficiente e rápida.

      E ainda tem esta tosca suspensão por eixo de torção, a volks não sabe desenvolver uma multilink que não faça ruído como fazem ford, honda e renault?

      Excluir
    10. Esse Carlos se complicou todo, cada dia se complica mais, Pior se ele mudar de opiniao de novo, ai vai ter q meter o pé do seu proprio blog

      Excluir
  3. Li um monte de blablabla pra tentar justificar o injustificável: baratear o custo de produção ao mesmo tempo em que se aumento de preço de tabela. Freio de mão mecânico vs elétrico, suspensão com eixo de torção (ah vá, então a suspensão multilink do Honda Civic quebra ali no quebra-molas da esquina, me poupe), um câmbio menos esperto e mais beberrão (claro, prq a transmissão é tão ruim que o Jetta TSI usa até hoje e não vejo ninguém reclamando).
    É só a Volks dando banana pros macacos brasileiros (não estou me excluindo desse grupo, moro no brasil e compro as porcarias dos carros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos aos fatos.

      Todas as revistas nacionais que testaram o A3 nacional com a suspensão semi-indepentente disseram que ficou mais confortável e macio, e com o mesmo nível de comportamento.

      um câmbio menos esperto e mais beberrão (claro, prq a transmissão é tão ruim que o Jetta TSI usa até hoje e não vejo ninguém reclamando).

      O A3 Sedan nacional com motor 1.4 flex e cambio tiptronic andou mais e bebeu menos que o importado, com motor 1.4 tsi e dsg7 (s-tronic). Então o que vc disse é BESTEIRA. O nacional ficou mais rápido e veloz, e mais econômico.

      Por favor, venha para a discussão com fatos, e não achismos sem fundamentação. Falar besteira qualquer pagaio fala.

      Excluir
    2. Claro que anda mais, ajustado para 150cv, o importado tinha 122cv esqueceu? e sobre a suspensão, claro que é mais confortável, essas ruas do BR são uma porcaria.

      Excluir
  4. Eu fico impressionado como este blog tenta de todas as maneiras convencer de que o Golf nacional será melhor que o importado. Certamente a VW vai vender bastante, pois o mercado não liga para os detalhes técnicos, mas é forçar a barra dizer que o carro "ficou melhor" ao perder suspensão Multilink, a aclamada DSG e ainda por cima se tornar flex.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se fosse vender mais barato, ainda vá. Mas muito provavelmente continuará o mesmo preço ou até mais caro.

      Excluir
    2. Teria que reduzir muito o preço para compensar os cortes. Pagar caro num Golf 1.4 Tsi com suspensão multilink e cambio DSG até que é aceitável pela tecnologia embarcada. Agora, pagar caro num Golf com motor 1.6 aspirado, com suspensão por eixo de torção e cambio automático é no mínimo burrice.

      Excluir
  5. Onde existe um estudo que afirme que a aisin é a melhor do mercado? Carlota, tenho um ecosport powershift que nunca me deu problema! O carro faz na estrada 14 km/l então para de falar mal daquilo que não usa ou usou. Alias esse fanatismo seu é perfeitamente justificável quando ele põe comida na sua mesa ! E a meta de outubro você bateu? Kkkkk

    ResponderExcluir
  6. O DSG 6 é muito bom, silencioso, agil, proporciona conforto nas trocas, é resistente, pouca manutenção. Quem tem sabe o que estou teclando...!!!!

    ResponderExcluir
  7. DSG e muito superior ao Tiptronic isso e inegável. Mas eu so teria um golf com cambio DSG se fosse dentro da garantia pois o que pouquissimas pessoas sabem é que.

    DSG de qualquer espécie NÂO exite reparo no Brasil. Qualquer tipo de pane, tem que trocar a caixa toda.
    Uma caixa de marchas DSG custa mais ou menos 20 a 22 mil reais. Então se travar o cambio fora da garantia segura o bolso. Mesmo na alemanha, o cambio é considerado carissimo, mesma la.
    Não é tão incomum ver um DSG com problemas.

    Ja o tiptronic tem a desvantagem de ser mais lento e gastão de combustível, mas e um cambio realmente mais adequado a realidade brasileira.

    Em caso de quebra, existe muitos componentes que podem ser reparados no Tiptroinic como:
    mecatrônica do cambio, hidraulica, rolamentos internos, conversor de torque então a chances de vc se da mau com um cambio desses e muito baixo, ate pq ele e muito confiável. Nunca ouvi falar em um cambio Tiptronic quebrado de fabrica por exemplo. Ja e um produto maduro no Brasil e no mundo.

    O cambio quebrou? 8 mil reais um caixa inteiramente nova, e cara, mas não se compara ao DSG. E mais um detalhe, pode comprar um carro usado sem medo tiptronic, qualquer avaria pode ser reparado sem bronca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será que tem como fazer um "copiar" no seu comentário e um "colar" na matéria?

      Excluir
    2. Será que tem como fazer um "copiar" no seu comentário e um "colar" na matéria?

      Excluir
    3. Mico de mercado acho que serão os alemães e os mexicanos. Agora a suspensão é imperdoável, deveria ser o multilink e ponto final

      Excluir
  8. Se o comprador for pensar da forma que escrevem a matéria com citações do tipo "melhor para o mercado brasileiro" então que compre logo um Gol. Nele tudo será mais barato. O Golf não é um carro popular visando economia e sim satisfação em dirigir. Mas como em nosso país o povo quer status vai vender bem mesmo que coloquem freio a tambor na traseira, vidros traseiros manuais, sem faról de neblina, pneus xing ling, substituam os materiais do interior.

    ResponderExcluir
  9. Pena do comprador que gastar mais de 110 mil em um GTI com câmbio e suspensão que não são apropriados para o Brasil.

    ResponderExcluir
  10. Sem dúvidas Golf MK7 – Alemão e o melhor, DSG, Multi-link, mexicano também é bom só que infelizmente somos peixes pequenos, temos que anda conforme o barco toca, não entendo o porquê dessa descriminação com o Golf nacional, poucos lugares do mundo tem a oportunidade de ter uma fabricação desse porte nacional, a grande realidade hoje o pós-venda da VWB não está preparado para lhe dá com o GOLF importado, muito menos com uma caixa DSG. Com a produção nacional com certeza a VWB vai poder dá um treinamento melhor para o seus funcionários, Vejo mais vantagem no Golf nacional do que no importado, ele vai desvaloriza menos vai ter uma gama de peças maior e um pós-venda mais confiável, quanto a suspensão tudo e questão de calibração, o mais importante e manter o padrão de construção, acabamento, segurança, 5/5 LATINCAP, isso SIM e o mais importante, e dou um conselho da minha opinião pessoal; quem tem GOLF ALEMAO/MEXICANO trate de vender o mais rápido possível se estiver pensando em troca de carro e claro, acredito que os mesmos vão sofrer uma desvalorização monstra. MINHA OPNIAO!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guilherme, aposte no contrário... Tenho mais 2 anos de garantia e já recebi 2 ofertas, uma 3, outra 5 mil acima da tabela no meu Golf... Há quem venda por menos, mas o erro é enorme, pois nem a sonho você encontra nada parecido hoje em dia... Hoje fui ver um Cerato para a minha esposa, lindíssimo o carro e um ótimo pacote por 70 mil... Mas oferece bem menos do que o Golf... O vendedor todo feliz logo disse: faz 9 na cidade... Fiquei até com vergonha de dizer que o meu faz 12, até 13 se manero o pé... Na estrada 17, 18 fácil... E ainda tem 7 airbags, startstop, auto hold, freio eletrônico, controle de tração, estabilidade, bloqueio de diferencial, motor monstro, suspensão impecável, que faz o carro ter uma estabilidade diferenciada, enfim, se oferecem 10 mil a mais prometo pensar, mas quem vender esse carro corre o risco gigantesco de se arrepender...

      Excluir
    2. Não será agora, será no futuro, o dsg7 não é muito confiável e o conserto é caro, daqui quatro anos quando estes carros começarem a chegar nas mãos de quem tem menor poder aquisitivo é que vai pegar, as pessoas vão ficar com medo.

      Excluir
    3. Ainda não acredito Marcio... O Golf7 foi feito na indústria mais precisa e exigente do mundo, e o carro amplamente analisado e premiado... Basta fazer as revisões e cuidar normalmente do carro, que o "risco" maior é o Golf ficar muitos anos sem os problemas toscos de outros carros, que a gente sabe muito bem... Sou mais a qualidade de construção do Golf original... Até a indústria mexicana tem um padrão melhor do que a brasileira... O Golf nacional certamente será muito bom, mas duvidar de quem criou a referência é complicado...

      Excluir
  11. Foi escolher logo a biblioteca da UnB pra tirar fotos...

    ResponderExcluir
  12. Até agora não acredito no que acabei de ler... É sério o que está escrito na matéria???? Defender o retrocesso sob a justificativa de que as mudanças são melhores para as ruas esburacadas do Brasil é uma afronta ao leitor! Cadê a informação sobre a redução de gastos com a implementação da tecnologia antiga? Se a atual configuração é tão ruim por que ela foi importada para o Brasil desde 2013???

    ResponderExcluir
  13. Há 2 anos eu dizia que a confiabilidade do DSG7 nas nossas vias seria uma interrogação. Que é melhor em condições de bom piso, é evidente. Mas ainda não é apropriado ao Brasil. Friamente, a VW fez bem.

    ResponderExcluir
  14. A VW do BRASIL deveria voltar a fabricar o modelo do fusca dos anos 70 que pelo comentario do nosso amigo e o carro mais robusto e adequado para o nosso pais e quem sabe usar rodas quadradas

    ResponderExcluir
  15. Suspensão independente na traseira é pior que eixo de torção e é muito frágil mesmo. Que o diga o Focus que tem suspensão independente desde 1999 em todas as versões. Que o diga o meu Focus 2007 cujos amortecedores rodaram 90k km e cuja suspensão não faz um barulho sequer até hoje, com 108k km, mesmo tendo molas esportivas.

    É cada uma que a gente tem que ler...

    Posso aceitar tranquilamente que o Golf nacional não será um carro ruim, mas certamente perde pontos importantes ao abrir mão da suspensão traseira independente e o dsg. Só não posso concordar com uma avaliação que tenta fazer o leitor acreditar que o carro ficará melhor só pra gente esquecer da M que VW esta fazendo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

      É mesmo, cada uma que cada um escreve sem ter qualquer noção do que é dirigibilidade.... Se não gosta de carros ao ponto de ter uma merda velha, não escreva aqui, vá a um blog de confeitaria....

      Excluir
  16. Toda essa discussão referente a golf/a3 nacional seria evitada e todos ficariam satisfeitos se fosse mantido a suspensão independente porém com mais altura e adotado o câmbio dsg de seis marchas....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que não, quem quer um golf não quer um jipe. Grow up!

      Excluir
  17. Se eu quisesse um carro com o câmbio e a maciez da suspensão de Corolla, compraria um Corolla, não um Golf.

    A decisão da VW em substituir todos esses componentes é puramente comercial e de atendimento ao mercado nacional que é predominantemente de compradores de média renda, que querem carros baratos, com manutenções baratas, e boa revenda.

    A VW, depois dessa crise toda envolvendo seus motores à diesel terá que vender muito carro pra pagar o prejuízo e os mercados emergentes serão o foco.

    Portanto, senhores, vamos ter que aturar esse escárnio com o nosso mercado. Quem comprou o melhor, parabéns, cuide bem dele, pois não aparecerão outros da mesma estirpe.

    Será que aqueles que têm condições e optam por carros importados com o que tem de melhor em tecnologia embarcada estão preocupados com as ruas brasileiras ou mesmo com o custo de manutenção dos seus carros?

    Quando comprei meu Jetta TSI pensei no melhor que meu dinheiro poderia comprar, e não me arrependo da escolha. Até agora não existe no mercado um sedan médio com melhor qualidade e custo/benefício, e o dia em que VW capar o JETTA TSI eu mudo de modelo ou marca.

    ResponderExcluir
  18. Se eu quisesse um carro com o câmbio e a maciez da suspensão de Corolla, compraria um Corolla, não um Golf.

    A decisão da VW em substituir todos esses componentes é puramente comercial e de atendimento ao mercado nacional que é predominantemente de compradores de média renda, que querem carros baratos, com manutenções baratas, e boa revenda.

    A VW, depois dessa crise toda envolvendo seus motores à diesel terá que vender muito carro pra pagar o prejuízo e os mercados emergentes serão o foco.

    Portanto, senhores, vamos ter que aturar esse escárnio com o nosso mercado. Quem comprou o melhor, parabéns, cuide bem dele, pois não aparecerão outros da mesma estirpe.

    Será que aqueles que têm condições e optam por carros importados com o que tem de melhor em tecnologia embarcada estão preocupados com as ruas brasileiras ou mesmo com o custo de manutenção dos seus carros?

    Quando comprei meu Jetta TSI pensei no melhor que meu dinheiro poderia comprar, e não me arrependo da escolha. Até agora não existe no mercado um sedan médio com melhor qualidade e custo/benefício, e o dia em que VW capar o JETTA TSI eu mudo de modelo ou marca.

    ResponderExcluir
  19. Guiar um Golfão com cambio de conversor de torque? Não, quem puder vá esta semana reservar seu mexicano, se não, terá como opção a Variant e o GTI. Um retrocesso os Highline e Comfort não virem equipados com o que tem de mais moderno em transmissão e suspensão traseira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guiar um Golfão com cambio de conversor de torque?

      Qual o problema? TODOS os BMW usam câmbio com conversor de torque.
      Na própria linha VW/Audi, os carros mais topo de gama, todos usam câmbio com conversor de torque. Do A6 para cima tudo com conversor de torque. E no A4, os câmbios com conversor de torque equipam os modelos 3.0 para cima.
      Nos Mercedes-Benz a mesma coisa: os mais caros todos usam conversor de torque. Todos, enquanto os mais baratos ficam com caixas automatizadas de dupla embreagem.

      Basta olhar o lineup de todas as marchas alemãs para ver: os carros mais baratos usam caixas DCT (automatizadas), e os mais caros com caixas com conversor de torque.

      Parabéns à VW que oferece no Golf uma caixa reservada apenas a carros mais caros.

      Excluir
  20. omprei um Golf esses dias e pesquisei muito antes de fazê-lo. Chego a conclusão que ambos os pontos de vista estão certos. Sim, acho o carro com multilink e dsg melhor que o tupiniquim, sem falar no acabamento que ainda não sabemos os detalhes. Mas sim, acho que o nacional está mais adequado ao mercado brasileiro e que por isso vai vender mais e desvalorizar menos. Isso porque o mercado brasileiro ainda é pouco maduro e com pouca diferenciação entre os públicos. O Golf importado é para adotantes iniciais, ou como chamamos no MKT early adopters, pessoas que querem o novo, a tecnologia de ponta, querem ser os pioneiros e até aceitam mais falhas em troca disso. Como o colega disse , buscamos o prazer de dirigir nesse caso. Como o nosso mercado ainda é pouco maduro, não existem um público de early adopters suficientemente grande que justifique a VW manter as características do Golf importado. Isso justifica a opção da mesma para menos tecnologia e mais "confiabilidade" acessando assim o grande público consumidor do Brasil

    ResponderExcluir
  21. Não entendo no teste da quatro rodas Golf 7 rodou 60.000km e não teve nenhum problema com suspensão multlink e transmissão DSG7, o carro foi perfeito. Olha que foram 60.000km e rodou em tô do os tipos de estradas é muito confiável.
    Agora vem com esse papo barra de torção e transmissão com conversor.
    .

    ResponderExcluir
  22. Não entendo no teste da quatro rodas Golf 7 rodou 60.000km e não teve nenhum problema com suspensão multlink e transmissão DSG7, o carro foi perfeito. Olha que foram 60.000km e rodou em tô do os tipos de estradas é muito confiável.
    Agora vem com esse papo barra de torção e transmissão com conversor.
    .

    ResponderExcluir
  23. Lamentável. O Golf brasileiro será um carro "comum". Golf de verdade é o alemão (importado até 2014). Está claro que a VW Brasil quer reduzir custos de produção ao adotar câmbio, suspensão (e outros itens) mais simples. Pior ainda é ver a imprensa "especializada" dizer que o carro ficará melhor... Afff

    ResponderExcluir
  24. Só pode ser piada. Dizer que o Golf Nacional é mais robusto, moderno e confortável que o alemão ?
    Tropicalização quer dizer barateamento. Abdicar da suspensão multilink, do DSG7 e outros itens que vêm com o 1.4 TSI alemão é apenas para tornar o carro mais barato e competitivo.

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.