O BMW Group Brasil, que reúne as marcas BMW, MINI e BMW Motorrad, registrou crescimento de 15,1% em suas vendas de 2021, em comparação com 2020. Foram emplacadas no período 27.844 unidades de automóveis e motocicletas das marcas do BMW Group, ante 24.177 unidades registradas no ano imediatamente anterior, de acordo com dados do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam).
Aksel Krieger - CEO do Grupo BMW do Brasil
Para 2022, a marca anunciou que tem foco, principalmente voltado à eletrificação, com o lançamento, entre outros, dos novos BMW iX e i4, já confirmados para o Brasil.
Novo BMW ix 2022 - SUV elétrico
Ao longo de 2021 a BMW lançou o M3 no TikTok, e promoveu venda exclusiva do BMW X7 Dark Shadow no site Farfetch. Os modelos da marca contam com atualização remota de software para toda sua gama de produtos.
Novo BMW M3 2022
Especificamente em relação a marca BMW, esta registrou vendas de 14.552 unidades em 2021, o que representa um crescimento de 16,8% em comparação com as 12.429 unidades comercializadas em 2020.

Destaque para a linha de eletrificados, que computou 2.661 unidades emplacadas, cresceu 162% em comparação com 2020 e correspondeu a mais de 18% dos registros totais da marca no ano passado.
Roberto Carvalho - Diretor Comercial BMW do Brasil
A linha M, impulsionada pelas versões M Sport e pelo lançamento do novo BMW M3, teve 1.276 unidades emplacadas, o que representa incremento de 31% em comparação com o ano anterior.

11 Comentários

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.

  1. Carlota, Lro83, thieng, Mano Brow e Commodus Antonius estão se matando no "harakiri baiano" com essas últimas notícias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nada, carlota vai dizer que BMW não tem elétricos e só modelos ultrapassados e poluidores como já disse uma vez, mas não admite que a BMW, Mercedes e Volvo mandam no mercado premium brasileiro...

      Excluir
    2. Ela até pode arrotar essas coisas, mas no fundo está se rasgando, literalmente.

      Excluir
  2. BMV como diria Gallebe, quem é dos anos 80 sabe.

    ResponderExcluir
  3. Carluxa procurando cirurgião para reconstruir o esfíncter anal nesse momento.

    ResponderExcluir
  4. não fez mais que a obrigação, ao dispor de fábrica no Brasil.

    Audi agora tb produzirá Q3 e outros. Ai sim termos competição.

    Lembrem-se que Audi, quando produziu no Brasil, foi líder.

    Então BMW Brasil certamente está apreensiva com a decisão da Audi de voltar a produzir no Brasil. Profetizo desovas, descontos, e altas promoções para seus carros com obsoletos sistemas de tração traseira.

    https://1.bp.blogspot.com/-ttHHzhyitzg/YSbSEJdcwgI/AAAAAAAA2DM/il7vQYB7Ut41vjILquNv-lvPxHMSOpOGgCLcBGAsYHQ/s1718/Audi%2Be-tron%2BS%2BSportback%2B2.jpg

    Enquanto isso, Audi vai para eletrificação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só que naquela época a Audi fabricava no Brasil e mesmo assim a BMW não ficou tão atrás e hoje com a mesma fabricando aqui, acredito que ainda continuará líder, e falar de tração traseira obsoleta quando no Audi R8 só vende a versão com essa tração também é obsoleta ?!? Ou vai inventar alguma lorota pra passar pano ?!?

      Excluir
    2. SHITaudi não compete com BMW e Mercedes, compete com jeep.

      Excluir
    3. Peguei o carlota na mentira, a Audi nunca foi líder no seguimento premium no Brasil, olhem esse site
      https://www.autoo.com.br/emplacamentos/marcas-mais-vendidas/2009/

      que tem a tabela de vendas anuais das marcas vendidas aqui desde 2009 e a Audi NUNCA foi líder 🤣🤣🤣

      Excluir
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  5. "Audi foi líder"... Só produzia A3 na base do Golf seu aloprado...
    O line-up da BMW é bem mais caro e completo...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.

Postagem Anterior Próxima Postagem