Car.blog.br

Pesquisar este blog

Abeifa pede redução de imposto para carros importados

Categorias: , , , 13 Comentários

A Abeifa - Associação Brasileira de Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores - está reinvindicando a redução do imposto de importação. Segundo a organização, diante da persistência do dólar acima dos R$ 5,00, setor de veículos importados pede – com urgência – a redução do imposto de importação de 35% para 20%.

Abeifa pede redução de imposto para carros importados
A redução da alíquota alinha o sistema tributário brasileiro à Tarifa Externa Comum do Mercosul, medida que, segundo a Abeifa, daria alívio e sobrevivência ao setor, com a continuidade operacional da rede autorizada de concessionárias.
Abeifa pede redução de imposto para carros importados
Em recente oficio enviado à Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais, do Ministério da Economia, a Abeifa destaca que 72% dos veículos importados são provenientes do Mercosul e do México, já com o benefício da alíquota zero do imposto de importação. Os automóveis importados de outros países representam tão somente 3% das vendas internas, mas capazes de gerar 17,5 mil postos de trabalho, com arrecadações tributárias anuais superiores a R$ 1,2 bilhão.
Abeifa pede redução de imposto para carros importados
Números de novembro - As quinze marcas filiadas à Abeifa, com licenciamento de 5.996 veículos nacionais e importados, anotaram em novembro último alta em suas vendas de 3,7% em relação a outubro, quando foram vendidas 5.780 unidades. Ante novembro de 2019, quando foram comercializadas 4.669 unidades, a retração é de 22,2%. Com esses resultados, o acumulado dos primeiros onze meses do ano fechou com queda de 7,8%: 27.266 unidades contra 29.506 emplacamentos de veículos importados e produtos fabricados no País.
Abeifa pede redução de imposto para carros importados
Consideradas somente as unidades importadas, as associadas à entidade, com 2.524 veículos licenciados em novembro, anotaram queda de 4,2% ante outubro, quando comercializaram 2.634 unidades. Em relação a novembro de 2019, a retração é de 8,7%. O acumulado de importados representa 24.999 unidades este ano, contra 31.217 do ano passado, retração de 19,9%.
Abeifa pede redução de imposto para carros importados
As quatro associadas à Abeifa, também fabricantes, a BMW, CAOA Chery, Land Rover e Suzuki, fecharam novembro último com 3.472 unidades emplacadas, total que representou aumento de 10,3% em relação a outubro de 2020, quando totalizaram 3.149 unidades, e também alta de 10,3% ante novembro de 2019 (3.148unidades). No acumulado do ano, o licenciamento de veículos nacionais das associadas à entidade ainda significa baixa de 7,8%: 27.206 unidades emplacadas este ano contra 29.506 veículos em 2019.
Abeifa pede redução de imposto para carros importados
Participações – Em novembro último, ao considerar somente os veículos importados por associadas à entidade – total de 2.524 unidades -, o setor significou marketshare de 1,17%. Com 5.996 unidades licenciadas (importados + produção nacional), a participação das associadas à Abeifa caiu para 2,8% do mercado total de autos e comerciais leves (214.265 unidades).
Abeifa pede redução de imposto para carros importados
No acumulado do ano, os veículos importados da Abeifa, com total de 24.999 unidades, representam participação de 1,45% do mercado interno. Somadas unidades importadas e nacionais, com 52.705 unidades licenciadas, o marketshare das associadas à entidade é de 3%. O mercado interno total é de 1.718.230 unidades, de janeiro a novembro de 2020.
Abeifa pede redução de imposto para carros importados
Ranking de modelos Ultra Premium vendidos no Brasil - novembro de 2020 

Marca/ModeloOutubroNovembroΔ [Nov/Out]2.020
Porsche MACAN1039290,0%483
Porsche CAYMAN1021110,0%104
Porsche PANAMERA220900,0%122
Jaguar F-PACE3019-36,7%267
Porsche CAYENNE10616-84,9%641
Porsche 911 TURBO52-60,0%8
Ferrari PORTOFINO110,0%7
Lamborghini URUS21-50,0%9
Porsche TAYCAN1-3
Rolls Royce CULLINAN1-2

13 comentários:

  1. Seria à favor de zerar o imposto de importação se o carro proveniente de um País não pagasse imposto e um carro fabricado no Brasil entrasse nesse mesmo País sem pagar imposto.

    ResponderExcluir
  2. Cara, esse Cullinan, que coisa mais linda!
    Ah se eu tivesse dinheiro pra tal...

    ResponderExcluir
  3. Nesse segmento a VW tem mais de 90% de market Share. Amplamente dominadora a VW. Tenho pena de BMW (Rolls) e Fiat (Ferrari). No topo de mercado, quem manda é a VW, assim como embaixo.,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tens "pena" por que? És acionista do VW Group ou herdeiro da família Porsche?

      Piada! Não passas de um comédia do cacete, Carlitos. Rsrs

      Excluir
    2. Claro que ele não é, ele comprou aquele Golf 1.6 MSI mico. Fez até vídeo do carro.

      Excluir
  4. O problema é que Rolls Royce e Ferrari estão anos luz à frente da Porsche, que nem deveria estar nesta lista pois são muito mais baratos. Cada comparativo sem noção que se vê por aqui.

    ResponderExcluir
  5. Porsche tá no mesmo nível da Rolls Royce. Lamborghini acima de Ferrari, e tem SUVs no mesmo nível do Cullinan, como o Urus. E os Porsche Cayenne top espancam esse Cullinan, até porque o Cullinan nada mais é que um BMW X7 emperiquitado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lamborghini acima de Ferrari? Onde, nem em desempenho (a SF-90 estupra o Sián) e nem em valor de mercado.

      Você cria suas fantasias mentirosas pra acreditar nelas e quer que todos acreditem...

      Precisa tomar seus remédios...

      Excluir
    2. E o Urus nada mais é que uma Q8 empiriquitada, então dá no mesmo.

      Alguém precisa cortar a internet desse lunático.

      Excluir
  6. Eu nem sabia que tinha Rolls Royce oficialmente no BR... muito menos que a marca fosse associada da Abeifa.

    ResponderExcluir
  7. Olha os chineses querendo invadir o Brasil. Já soltaram uma grana pra essa Abeifa.

    ResponderExcluir
  8. E p zerar os impostos de carro importados urgente e baixar tbm os impostos para carros acima de 200mil reais!!!

    ResponderExcluir
  9. Preço com 35% - R$ 300.000
    Preço novo com 20% - R$ 300.000 (lucro maior)

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.