Car.blog.br

Pesquisar este blog

Há 35 anos Fiat Prêmio chegava para enfrentar o Voyage

Categorias: , , , 36 Comentários

A Fiat do Brasil comemora os 35 anos de lançamento do Prêmio - sedã compacto lançado em março de 1985 para concorrer com o Volkswagen Voyage.

Fiat Premio 1985

O Fiat Prêmio foi o primeiro carro nacional a oferecer o computador de bordo, apresentando no display médias de consumo e velocidade, além de autonomia.

Fiat Premio 1985

O Prêmio também inaugurou o motor 1.5 Sevel, com 71,4 cv de potência e torque de 12,3 kgfm (etanol), alcançando o mesmo desempenho do Uno Sx (modelo esportivo da linha Uno), mesmo sendo o sedã 13 kg mais pesado.

Fiat Premio 1985

O sedã da Fiat adotava suspensão macia, e ofertava grande espaço interno. Um dos destaques era o porta-malas: com capacidade de 530 litros, era o maior da categoria no país. Também trazia uma solução inteligente por não carregar o estepe no compartimento, e sim no cofre do motor.

Fiat Premio 1985

Outra diferenciação era a carroceria com opção de duas e quatro portas, enquanto a maioria de seus concorrentes da época só oferecia sedãs com duas.

Fiat Premio 1985

Desenvolvido no Brasil, o Fiat Prêmio logo atravessou fronteiras e foi comercializado em países da América Latina e Europa com o nome Duna.

Fiat Premio 1985

Sucesso por onde passou, o sedã chegou a ser um dos veículos mais vendidos na terra natal da Fiat, a Itália.

Fiat Premio 1985

Lançado com o slogan “Estamos vivendo um novo tempo e você merece um Prêmio”, o veículo foi reconhecido como “Carro do Ano 1986” pela Revista Autoesporte.

Fiat Premio 1985

Em seus dez anos de comercialização, foram vendidas quase 180 mil veículos Prêmio no comercializados no Brasil.

36 comentários:

  1. Para aqueles anos era um carro moderno, desenho agradável, de tamanho e espaço interno satisfatório comparado ao concorrente que com muita dificuldade comportaria uma pessoa acima de 1.80 m de altura sem ficar com cabeça encostando no teto.

    ResponderExcluir
  2. Faz tempo quando eu tive uma revista q colava as figurinhas de carro de todas a s marcas e tinha uma seguinte frases abaixo do Fiat prêmio,
    Eis um carro belíssimo, de para-choque a para-choque.

    ResponderExcluir
  3. Tive um 90 motor 1.6 gasolina 90 cv da Sevel. Excelente carro, sólido, que motor! Hoje a Fiat está perdida no tempo com a atual linha de motores, exceto o diesel de 2 litros.

    ResponderExcluir
  4. Havia um que se chamava Duna que era para o mercado argentino, agora não sei se era produzido aqui ou lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Made by Hermanos. Tinha na época o Uno 1.6 Maradona, o baixinho que só dava problema, tb argentino.

      Excluir
  5. Meu tio teve um verde ... O problema era a lataria ...fica podre rápido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só ser for no litoral. Nunca tive problema de corrosão com a linha Uno e Premio. Até 84 havia sim corrosão nos 147 e nos VW.

      Excluir
    2. Em 84 a Fiat lançou junto com o Uno, o programa anual de revisão paga da carroceria e 4 anos de garantia contra corrosão. O Uno era o carro mais tecnológico daquela época.

      Excluir
    3. Antigamente os carros quando reparava uma batida, os lanterneiros pintava as peças reparadas sem passar todas etapas para pintura como hoje e em pouco anos brotavam ferrugem, mas o Prêmio original dificilmente enferrujada como os carro de hoje.

      Excluir
    4. A grande sacada foi a pintura base eletrolitica na fabrica que iniciou na metade dos anos 80 e foi sendo aperfeiçoada, ao menos que o reparo seja mal feito e a ferrugem apareça. Tivemos uma Brasilia 78 0km que com dois anos de uso estava totalmente comprometida pela corrosão por passar meses no litoral a cada ano.

      Excluir
  6. Primeira vez que entrei num, de um colega, fiquei impressionado com o espaço traseiro, quatro portas, grande espaço para as pernas, comparado com o Voyage do meu pai andar no banco traseiro era quase uma limusine kkk

    ResponderExcluir
  7. Era elegante, confortável e bonito. Porém, a medida que o Uno (Mille) foi ficando pelado, o Fiat Prêmio foi perdendo suas características originais e perdeu seu glamour e apelo de compra.

    ResponderExcluir
  8. É só mais uma tralha 🤜🇩🇪🤛👹

    ResponderExcluir
  9. Ainda temos muitos Voyage desta época nas ruas em bons estados de conservação, mas quanto nesse Fiat quando encontra só o bagaço .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza. Vejo muitos Gols, Voyages, Santanas e Kombis antigos rodando pelas ruas. Fiat 147, Premios, Panoramas, Tempras... NENHUM!

      Excluir
  10. Se essa merda fosse boa, fabricava até hoje. Foi tarde essa jaca.

    ResponderExcluir
  11. Tive um, excelente carro rodei de RS à RN sem nenhum problema, só quem teve pode avaliar..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Atravessei o Brasil de Norte a Sul e vice-versa algumas vezes de Uno/Premio, nunca tive um único problema, grandes carros praquela época.

      Excluir
  12. Voyage rodando até hoje em bom estado..é cada uma. O que espantava todo mundo que entrava no Prêmio era o acabamento. Nocaute na pobreza da volks.

    ResponderExcluir
  13. Eu lembro quando criança (uns 7 anos), eu via esse carro na rua e achava ele bonito. Nessa época pobre nem comprava carro novo,somente a classe média pra cima pra comprar um Fiat Prêmio.

    ResponderExcluir
  14. A linha Premio/Uno dos anos 80 e 90 eram carros que não davam oficina e não te deixavam na mão. Por essa e outras, eu não admito que um carro (caro) lançado em pleno seculo 21 anos 20, pegar fogo e mijar gasolina e outros problemas, absurdo e o povo acha que fez um boa compra, come on!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, trincar eixo, fundir motor ser característica do veículo, tendo que a justiça obrigar o recall, é muita falta de respeito que antigamente não se via, consumidor era tratado bem melhor.

      Excluir
    2. É questão de escolha e certo conhecimento do que o mercado oferece naquele momento. Hoje muita gente incauta está sendo enganada por parte da midia paga principalmente, pensando que compraram ou vão comprar um bom produto o que absolutamente não é. Eu nunca me engano; o queridinho do mercado está muito longe de ser um bom carro, confiável, como foi a linha Uno/Premio dos anos 80/90.

      Excluir
  15. Muito bom eu possui um prêmio cel motor argentino pense em um carro ótimo.

    ResponderExcluir
  16. As alças de fechamento do Fiat Premio são as mesmas do SAIC Onix+. Ou o Fiat Premio era avançado para a época ou o SAIC....

    ResponderExcluir
  17. Fiat Premium muito mais carro que o Voyage !!!

    ResponderExcluir
  18. Eu faço parte dos 60% que tem rejeição a marca fiat, únicos que me agradaram ESTETICAMENTE mas eram caros, foi o TIPO 1994/95, a Tempra SW e o Fiat Coupe. Acho carros muito espartanos e de pessima qualidade, até a pintura não dura, desbota com pouco tempo de uso, lataria fraca, motores sempre defasados, e o atendimento na rede FIAT é o pior que conheço, sei que por que meu familiar foi comprar um Linea em 2009, depois de fechado negocio, até as rodas do carro foram trocadas, na hora de ir retirar foi aquela surpresa desagradavel.

    ResponderExcluir
  19. Fez um certo sucesso na época. Temos que pensar que naqueles tempos a concorrência era bem menor e não tinhamos tantas fabricas no Brasil. Então, tudo o que era lançado era novidade e agradava. No caso do Premio e da Elba, literalmente sumiram do planeta.

    ResponderExcluir
  20. Voyage é melhor. Fiat aquela época era horrível em qualidade e consumo.

    ResponderExcluir
  21. crash test fiat uno: https://www.youtube.com/watch?v=mVOuaFKzCHA

    os carros eram bons sim, pra epoca deles.

    ainda agora tem muito pra melhorar e olhe que ja superaram os antigos em praticamente todos os aspectos

    ResponderExcluir
  22. Tive um Premio 86 1.3 S álcool e tinha também um Monza SLE 1.8 álcool e um Gol 1.6 LS 85. O Prêmio era melhor em espaço interno e conforto em viagens até que o Monza. O que me espantava era a aerodinâmica, perceptível ao cruzar uma carreta em um retão a 120km/h. O carro, ao contrário dos outros , nem balançava. Só que o motor 1.3 apanhava demais nas subidas de serra. Tinha que subir em segunda e ainda apanhando. No plano, reta ou curvas ia que é uma beleza. Problema mecânico quase nenhum, ao contrário do Monza, que me deixou na mão diversas vezes por conta da parte elétrica. Mas claro, qualquer carro de hoje é superior que os dessa época. Fica a nostalgia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tive Uno CS 89 1.3 alcool, maravilha de carro, mesmo no inverno gelado funcionava muito bem, nunca teve um unico defeito. Só um probleminha, comprei 0km no Nordeste e depois trouxe pro Sul, não tinha ar-quente como todos que eram distribuidos da Bahia pra cima.

      Excluir
  23. Eram tão bons....que não existem mais! Fazem anos que não vejo Prêmio e Elba nas ruas, se acabaram.

    ResponderExcluir
  24. Lembro até hoje quando meu pai chegou em casa todo feliz anunciando que havia entrado em um consórcio para comprar o Fiat Prêmio. Esse consórcio foi um desgraça, em época de correções malucas, hiper-inflação, ele suou para pagar. Quando foi sorteado, acabou desistindo do Prêmio e pegou um Opala e um Monza, ambos usados. E assim seguiu a vida.

    ResponderExcluir
  25. O meu cs 1.5, duas portas, motor argentino, comprado zero km tá saindo da reforma este mês! Foram 4 anos de trabalho!

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.