Car.blog.br

Pesquisar este blog

Volkswagen lança carregador doméstico para o ID.3 a € 399

Categorias: , 14 Comentários

A Volkswagen apresentou o ID.3 nesta semana, e agora anuncia o carregador doméstico com preços a partir de 399 € para o mercado europeu. Com tal sistema, que começa a ser vendido em novembro, é possível recarregar totalmente as baterias do ID.3 intermediário (de autonomia de 420 Km) pode ser completamente recarregado em 6 horas.

Volkswagen lança carregador doméstico para o ID.3 a € 399

Esse carregador de até 11 kW carrega quase cinco vezes mais rápido que uma tomada doméstica normal. Isso significa que um ID.3 com uma bateria de 58 kWh pode ser totalmente carregado em cerca de 6 horas. O preço de lançamento é à partir de 399 € (R$ 1.780). A Volkswagen estima que cerca de metade de todas as operações de carregamento de veículos elétricos ocorra em casa.




A Volkswagen lançará três versões do carregador do ID. A principal diferença são as funções digitais que eles oferecem. Todas as três versões podem ser encomendadas na Internet ou em revendedores Volkswagen a partir do final de novembro. Antes da compra, os clientes podem verificar gratuitamente on-line se a instalação será direta com eles. A montadora também pode providenciar a instalação e o comissionamento da caixa de parede por um especialista.

Volkswagen lança carregador doméstico para o ID.3 a € 399

A versão básica, ao preço de € 399, oferece operação simples, o cabo fixo Tipo 2 e uma capacidade de carga de até 11 kW tornam o carregamento doméstico muito conveniente. Além disso, a caixa de parede compacta e robusta também possui proteção integrada contra corrente de falha CC para máxima segurança, além de instalação simples e econômica.

ID.Charger Connect

O Carregador ID inteligente torna o carregamento digital. A caixa de parede pode se conectar à rede doméstica e ao smartphone via WLAN ou LAN. A conectividade LTE também está disponível como um extra opcional. Com essa tecnologia de comunicação móvel, os clientes podem ficar de olho nas operações de uso e carregamento e se beneficiar de funções práticas como gerenciamento de aplicativos, manutenção remota, controle de acesso via cartão de carregamento e atualizações regulares de software. O preço de lançamento para o ID. O Charger Connect começa em € 599.

ID.Charger Pro

Volkswagen lança carregador doméstico para o ID.3 a € 399

O ID. O Charger Pro é o modelo top da série wallbox e possui um medidor elétrico integrado para cobrança precisa por quilowatt-hora, além das funções digitais e do módulo LTE de equipamento padrão. Dessa forma, oferece ainda mais transparência aos requisitos de energia, por exemplo, permitindo um processo de cobrança conveniente para o motorista de uma empresa e seu empregador. O ID. Charger Pro está à venda por € 849. Os custos de dados LTE ao longo de toda a vida útil da caixa de parede já estão incluídos.

Ecossistema

O Grupo Volkswagen lançará quase 70 novos modelos elétricos nos próximos dez anos. O primeiro veículo desta nova geração, o ID.3 , comemorou sua estreia mundial no IAA 2019. Coincidindo com a estreia, a marca está oferecendo um pacote completo para o carregamento conveniente e sustentável de veículos elétricos. Além do ID. Carregador de caixas de parede, o Volkswagen Naturstrom® é uma fonte certificada de energia ecológica, garantindo uma mobilidade totalmente livre de emissões para veículos elétricos. No futuro, o serviço de cobrança We Charge fornecerá acesso a mais de 100.000 pontos de cobrança pública em toda a Europa.

14 comentários:

  1. Andei pesquisando e o petróleo tem duração de somente uns 50 anos .ACABAR NO MUNDO. Acho q isso é um forte fator q pouco se comenta e que ao meu ver é o real interesse de todo mundo agora está querendo desenvolver veículos elétricos. E estão certos e digo mais ,começaram foi muito tarde , pra o mundo 50 anos não é nada , ou seja as gigantes do setor automotivo já estão se preparando para o fim da gasolina , diesel e outros derivados do petróleo.certissimos ! E ainda tem gente dizendo : tem muito petróleo ainda ...poderiamos ter para mil anos ainda mas eu como um ceo de uma grande empresa automobilistica já iria pensar em outras fontes de energia com certeza .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thieng, há 50 anos se dizia que o petróleo iria acabar em 50 anos; as reservas de petróleo dependem da pesquisa geológica e dos métodos de recuperação dos poços, que a cada década são otimizados. O Pré-Sal é um exemplo disso. Assim, o petróleo não vai acabar em 50 anos, e sim vai ficar mais caro, cada vez mais visibilizando carros elétricos além de ônibus e caminhões, principalmente com a evolução da geração de energia renovável.

      Excluir
  2. Petróleo não vai acabar. A idade da pedra não acabou por falta de pedra. E a era do carvão também não acabou por falta de carvão. A questão principal que está levando o mundo para a eletrificação é o aquecimento global, e as emissões de CO2.
    E os carros elétricos são infinitamente mais avançados que esses obsoletos carros à combustão. Não fazem barulho, não poluem. É o futuro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em partes, carros a Etanol, praticamente não tem emissão de CO2. Sendo que a própria VW ja deu a letra que o futuro aqui no BR é investir em etanol e não em carro elétrico, até pq pelas bandeiras tarifarias altas em termos de energia, se tiver um carro deste teu custo seria maior que se fosse a gasolina somente.

      Excluir
    2. O maior problema dos carros elétricos é a bateria. Com o tempo vai perdendo eficiência. Além disso, teremos problemas com a reciclagem desses componentes.
      Outro problema é queimar carvão, gás, óleo diesel, ou combustível nuclear para alimentar os carros elétricos. Somente faz sentido em países com matriz energética renovável. Caso contrário é um "me engana que eu gosto".

      Excluir
    3. Se o mundo inteiro esta indo para elétricos não tem como o Brasil ficar com combustão. Os motores elétricos são infinitamente mais simples e melhores que os a combustão. O custo de um motor elétrico e 1 décimo de um.motor a combustão
      . E um mot94 elétrico dura eternamente sem manutenção. Não tem nem troca de óleo. Não tem câmbio. Nada. Então como que o Brasil vai continuar a produzir carros não elétricos. Não tem como. Seremos obrigados a entrar na onda elétrica por uma questão econômica.

      Excluir
    4. A questão trabalhista deveria entrar na conta. Menos intervenção humana na montagem e manutenção dos motores elétricos diminuiriam o custo do produto ou aumentariam o lucro do fabricante. Mistura nisso a questão da energia e temos um problema de muitas variáveis que mexem no bolso de todo mundo.
      Brasil campeão em capacidade solar.
      Brasil tem etanol a rodo para combustível econômico e ecológico.
      Brasil tem presal para garantir produção derivados do petróleo.
      Brasil tem Venezuela com petróleo a rodo e só esperando o presidente cair de maduro (ou outro motivo).
      Brasil tem Bolívia cheia de gás que não usa nem tem pra quem vender.
      Brasil tem Paraguai que não usa toda a energia elétrica.
      Brasil tem capacidade eólica.
      Brasil tem 2 usinas atômicas em atividade e uma terceira que não acaba nunca (o acordo da Alemanha era pra 8 e lá eles já desligaram esses modelos de usina, enfim...).
      Brasil tem gato na rede elétrica, rsrsrs e fala sério, se não tiver um cadeado na ponta do carregador, no mínimo, vem um espirito de porco e desconecta o carro durante o carregamento só pra sacanear. Isso se não roubarem o cobre dos cabos, nem duvido que um cara chegue rapidinho com aqueles alicates grandes e corte o cabo e saia correndo.
      Um projeto de internet gratuita ao longo da avenida brasil no rio de janeiro foi um desperdício de dinheiro pois alguns catadores roubavam o fio de fibra ótica pra vender em ferro velho (já fazem isso com bueiros, fios do metro, de postes, da rede ferroviária, etc).

      Excluir
  3. Na Croácia a tomada são 3 pinos redondos ??

    ResponderExcluir
  4. Na Europa é até barato esse preço.

    ResponderExcluir
  5. Muito em conta, no Brasil vai custar um olho, coração e metade do fígado.

    ResponderExcluir
  6. Bem que a VW poderia fazer um road show com alguns desses veículos pre serie pra opinião brasileira, test drive, afinal ainda estão um pouco longe da versão final.

    ResponderExcluir
  7. Realmente lembra a frente do Up e vagamente a traseira...
    Tipo frente do Up, depois vem tamanho do golf. Não falaram do coeficiente aerodinâmico. E a parte inferior deve ter mais proteção plástica para aumentar a aerodinâmica. E a suspensão adequada para um elétrico é de qual tipo?

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.