Enquanto nas Américas quando se fala de BMW Série 3 se pensa automaticamente em um modelo sedã, no mercado europeu a situação é diversa - o foco é a na versão Touring, que responde por três quartos das vendas do Série 3. E nem sempre foi assim, já que a station wagon nasceu em 1987, doze anos após o lançamento do sedã. Agora, é visível na Europa como o sedan de três volumes é tudo menos popular.


Tal qual o sedã, a versão station wagon da nova Série 3, que será comercializada na Europa no final de setembro de 2019, beneficia-se de um aumento da dimensões: 7,6 cm de comprimento, 1,6 cm de largura e 0,8 cm de altura, aos quais acrescentam-se os 4,1 cm nas bitolas, que traduzem-se numa presença mais sólida e importante. 


O compartimento de passageiros e o porta-malas contribuem para melhorar o nível do carro, terminado com mais cuidado do que no passado.


E falando no porta-malas, não se pode esquecer que as dimensões aumentaram: a largura do compartimento aumentou 11,2 cm e a abertura de carregamento é 3 cm mais alta e 12,5 cm mais larga na parte superior. Isso se traduz em uma expansão modesta da capacidade de apenas cinco litros, mas em uma maior facilidade de armazenamento dos pacotes, graças também à janela traseira de abertura, como na versão anterior, e a um acessório engenhoso.


Na parte atrás do banco traseiro há quatro trilhos de metal nos quais os objetos podem deslizar; fechar a porta, no entanto, mantém a bagagem sob controle. Isto é graças a um mecanismo controlado por dois motores elétricos que eleva os perfis emborrachados dentro das guias de aço o suficiente para fazê-los emergir e entrar em contato com o objeto.

Atualizações "over the air"

Entre os inúmeros recursos de série ou sob demanda do 3 Series Touring, também é mencionado o sistema multimídia com o novo sistema operacional 7, já visto no sedan e em outros modelos, caracterizado pela possibilidade de personalizar o conteúdo da tela e pelo assistente vocal que é ativado, dizendo "Olá BMW".


Entre outras coisas, esta versão inaugura para a BMW a possibilidade de atualização "over the air" como acontece com os smartphones: quando disponível, o carro faz o download de dados em segundo plano através do seu Sim CARD e a atualização quando a operação é completado notifica o motorista que, com o carro estacionário, pode dar a atualização que leva aproximadamente vinte minutos. No final, o sistema é reiniciado com os novos recursos.

Motores

A gama inclui modelos com motor gasolina e diesel. O diesel de 190 cv de quatro cilindros e enquanto o gasolina entrega 258 cv, também disponível com tração integral xDrive; o seis cilindros com 265 cavalos de potência são combinados apenas com o 4x4. O modelo das imagens é um 330D xDrive na configuração topo de gama da MSport, cuja lista de preços começa em 64.650 euros (a base de 320 d custa 43.450 euros).

O motor seis em linha sempre é um grande motor, até mesmo diesel, e o BMW 3.0K o é em particular: silencioso e equilibrado quando o acelerador é afagado, libera todos seus 580 Newtonmetro se o pedal afunda, acompanhando a progressão vigorosa (a casa declara 5,4 segundos no 0-100) com um som áspero. Para completar a imagem, existe a habitual automática ZF de oito velocidades, sempre rápida e pontual para satisfazer os pedidos do condutor e o fornecimento do motor.


O motor demonstra a eficiência superior do ciclo diesel. Em testes na imprensa europeia, onde foram avaliadas a capacidade de aceleração do carro várias vezes, o BMW 330d Touring registra consumo médio de 7 litros / 100 km (14,2 Km/l).


A suspensão conta com amortecedores controlados eletronicamente (a pedido), e é bem calibrada para combinar as necessidades de carga de uma station com as habilidades de condução esperadas de um BMW.

16 Comentários

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.

  1. Aí Carlos doente Carlos fanático e ai da o teu comentário Zé vergonhoso

    ResponderExcluir
  2. Eu não testei e não gostei. Achei o carro pesado, o motor barulhento. Tudo bem que diesel faz barulho, mas esse tava além da conta. A BMW é péssima em tração, usa o obsoleto sistema de tração traseira e ou xDrive, que é uma caca perto do Quattro ou do moderno FWD da Audi.
    O espaço interno é ridículamente pequeno para um carro desse porte por causa do cardã.

    O comportamento do carro é ruim. A tração traseira faz o carro sair de traseira muito fácil, causando insegurança.

    O interior não gostei. Cheio de luzinhas coloridas. O painel digital é uma piada. Bancos muito claros, sujam com facilidade e são inadequados para um carro familiar.

    Fail total. Tá para ser lançada ainda uma perua que supera o A4 Avant.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente. O sistema Quattro da Audi, em vez do cardã, usa um moderno sistema wireless para transmitir potência para as rodas traseiras, por isso consegue capacidade de carga de quase o triplo. E o real competidor dessa BMW dentro do grupo VW é a SpaceFox i-motion.

      Excluir
    2. genti...spacefox saiu de linhaaa!!!!!!!!!!! mim poupi!!!!

      Excluir
    3. sahushuhsahduashdusahudashudhsaudhuasdhuashdu

      Excluir
    4. Tragam um Oscar pra esse mito! Kkkkkkkkk

      Excluir
    5. E o A4 de tração dianteira que, mesmo não tendo nenhuma força nas rodas de trás, conta com aquele belíssimo túnel no interior? Isto é supra-premium, isto é vorsprung durch technik!

      Excluir
    6. Como sua opinião não vale nada , prefiro BMW ...

      Excluir
    7. Outro ponto: a imprensa especializada testa e APROVA o carro, elogiando e dizendo que é o melhor entre muitos, mas não, vem o "jênio" Carlos4carros e não aprova...
      Vai carpir um lote moleque!!!

      Excluir
  3. Concordo a Carlota, carro boqueta. Prefiro uma Parati, mesmo antiga, é VW, carro Premium, BMW tenta, mas nunca vai ser Premium como Audi ou VW.

    ResponderExcluir
  4. Tá de brincadeira né Carlos????

    ResponderExcluir
  5. kkkkkkkkkkkk invejoso age desse jeito mesmo.... a pior opnião é sempre expressada por quem nem chegou perto.... a credibilidade se consolidando cada vez mais né chacota......

    ResponderExcluir
  6. O autor podia aproveitar e dizer também de onde "chupa" (opa!) essas reportagens, claramente copiadas de algum site internacional e (mal) traduzidas com algum tradutor online. ;)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.

Postagem Anterior Próxima Postagem