Car.blog.br

Pesquisar este blog

Volkswagen T-Cross: fotos e especificações - Brasil

Categorias: , , , 109 Comentários

A Volkswagen do Brasil apresenta os primeiros detalhes do T-Cross nacional. O modelo foi apresentado de forma simultânea em Amsterdam (Holanda), Xangai (China) e São Paulo (Brasil).

Volkswagen T-Cross

“O T-Cross é o primeiro SUV produzido pela Volkswagen no Brasil. É um carro global, que traz alterações para o gosto e perfil dos clientes da América Latina, reforçando a nossa estratégia de Regionalização”, explica Pablo Di Si, presidente da VW Brasil. “O T-Cross que será feito no Brasil traz mudanças em seu design, maior espaço interno e é mais alto que o modelo europeu,”, conclui.

Volkswagen T-Cross

O T-Cross para os mercados da América Latina será produzido em São José dos Pinhais (PR) – para isso, a fábrica recebeu R$ 2 bilhões em investimentos – e faz parte dos cinco novos SUVs a serem lançados pela Volkswagen na região até 2020.

Volkswagen T-Cross

O modelo será produzido sobre a Estratégia Modular MQB, que é o  conceito de produção do Grupo Volkswagen no mundo. Os veículos baseados na Estratégia Modular MQB compartilham a plataforma caracterizada por solidez e segurança.

Volkswagen T-Cross

O T-Cross se destacará pelo comportamento dinâmico – no Brasil terá exclusivamente motores TSI –, por oferecer cabine com bom espaço interno, e recursos atualizados de tecnologia, conectividade e segurança.

Volkswagen T-Cross

Oferecerá itens exclusivos no segmento, como o painel totalmente digital (Active Info Display), seletor de perfil de condução, Controle de Estabilidade (ESC) de série, bloqueio eletrônico do diferencial, Park Assist 3.0, suporte para celular no painel, quatro entradas USB (inclusive para o banco traseiro), iluminação da cabine em LED e acabamento com apliques no painel. Também contará com faróis full-LED, seis air bags, saída de ar-condicionado para o banco traseiro e teto solar panorâmico, entre outros recursos.

Volkswagen T-Cross

Quatro pilares: “Be Practical, Be Intuitive, Be Cool, Be safe”. Segundo pesquisas da montadora, o consumidor quer um veículo “Prático”, com mais espaço e flexibilidade; “Descolado” – com design marcante e que permita personalização; “Intuitivo” – digital e conectado; “Seguro” – que ofereça o máximo de segurança tanto para os ocupantes quanto para o trânsito em geral.

Volkswagen T-Cross

No Brasil, o T-Cross terá exclusivamente motores TSI, que combinam injeção direta de combustível e turbocompressor para combinar baixo consumo e prazer ao dirigir.

Volkswagen T-Cross

O motor 250 TSI Total Flex gera potência de até 150 cv (110 kW), com gasolina ou etanol, a 4.500 rpm. O torque máximo, também com ambos os combustíveis, é de 250 Nm (25,5 kgfm) – será o maior torque da categoria. Esse motor será combinado exclusivamente à transmissão automática de seis marchas com função Tiptronic e aletas (“shift paddles”) para trocas no volante.

Já o motor 200 TSI Total Flex desenvolve potência de até 128 cv (94 kW) a 5.500 rpm, com etanol – com gasolina, são 116 cv (85 kW), à mesma rotação. O torque máximo é de 200 Nm (20,4 kgfm), com gasolina ou etanol, sempre na faixa de 2.000 a 3.500 rpm. Esse motor poderá ser combinado à transmissão manual ou à automática com função Tiptronic (também com as aletas no volante), ambas de seis marchas.

Volkswagen T-Cross

“Be Practical”: O T-Cross mede 4.199 mm de comprimento e 1.568 mm de altura (9 mm mais alto que o T-Cross europeu). A distância entre os eixos do modelo que será produzido no Brasil é maior: 2.651 mm (88 mm a mais do que a distância entre-eixos do T-Cross europeu).

Volkswagen T-Cross

O novo SUV oferece espaço surpreendente na cabine. Um dos elementos responsáveis por isso é a Estratégia Modular MQB – que permite grande flexibilidade de construção graças aos parâmetros variáveis (entre eles, a distância entre-eixos e as bitolas). A posição de dirigir é mais elevada, típica de SUVs, o que colabora para melhorar o espaço interno.

A capacidade do porta-malas do T-Cross é variável entre 373 e 420 litros. O encosto rebatível do banco do passageiro dianteiro oferece ainda mais flexibilidade.



Além de sensores dianteiro e traseiro para estacionamento, o T-Cross também poderá ser equipado com o sistema “Park Assist 3.0”, que permite o estacionamento autônomo em vagas paralelas e transversais – e agora com a função de freio de manobra.

“Be Cool”: O design é arrojado. A parte dianteira destaca-se por sua altura; o design é carismático, com uma grade ampla e faróis de LED integrados e diferencia-se do desenho do modelo europeu – aqui nota-se a influência direta dos designers brasileiros e da estratégia de regionalização adotada pela empresa.

Também responsável por essa altura acentuada é a tampa do compartimento do motor. A região inferior da parte dianteira distingue-se por detalhes como os faróis de neblina inseridos de modo marcante.

Todas as versões do T-Cross serão equipadas com luz de condução diurna (DRL) em LED, integrada ao farol de neblina. Haverá oferta de faróis full-LED para o T-Cross – neste caso, a luz de condução diurna encontra-se na própria carcaça do farol.

Nas laterais, uma linha característica acentuada divide os espaços. Atrás, ela forma uma seção dos ombros impactante, e assinala na traseira um novo elemento de design da Volkswagen: a faixa de refletores estendida transversalmente na parte traseira e emoldurada por um painel preto.

Serão oito as opções de cores para a carroceria: branco puro, preto ninja, prata sargas, cinza platinum, vermelho crimson, azul norway e as novas laranja energetic e bronze namibia – haverá também opção de teto na cor preta, para um visual ainda mais diferenciado e moderno.

O T-Cross também poderá ser equipado com teto solar panorâmico “Sky View” – dois painéis de vidro que abrangem mais da metade da área do teto do carro (a seção dianteira pode ser aberta eletricamente).

Coberturas para o painel integram o estilo jovial e completam o interior do veículo, projetado de forma explicitamente generosa para esta classe. Outro destaque no interior do T-Cross é a iluminação ambiente em LED. Há luzes na região dos pés, no centro do console, no painel e nas maçanetas.

O T-Cross terá disponível o sistema de som “Beats”, de alta fidelidade sonora, com sete alto-falantes (incluindo um sub woofer no porta-malas) e potência é de 300W RMS.

“Be Intuitive”: O T-Cross inclui, opcionalmente, um sistema de Infotainment com tela sensível ao toque (touchscreen) de 8 polegadas e o quadro de instrumentos totalmente digital “Active Info Display” de última geração.

No Active Info Display, os instrumentos são implementados virtualmente via software. Somente as luzes/ícones na borda inferior do mostrador são instalados em hardware. Informações de navegação podem ser mostradas em 2D ou 3D, em uma tela de 10,25 polegadas, do tamanho de um tablet. Sua resolução de 1.280 x 480 pixels permite gráficos extremamente precisos e de alta qualidade. Por exemplo, o modo de navegação: nesse caso, o velocímetro e conta-giros são deslocados para os lados, a fim de criar mais espaço para o mapa.

As informações sobre as funções de condução, de navegação e de assistência podem ser integradas em áreas gráficas do velocímetro e conta-giros, conforme necessário. Dados exibidos no console central pelo sistema de infotainment, também podem ser exibidas no Painel Digital Programável.

Além disso, o T-Cross poderá ser equipado com “Seletor do perfil de condução”, para o motorista ajustar a experiência de direção entre os modos “normal”, “ecológico”, “esportivo” ou “individual”.

Quatro entradas USB (duas na frente, duas atrás) garantem a conexão ideal e energia suficiente para os smartphones. Todas as versões são equipadas de série com o prático suporte para telefone celular localizado no centro do painel, que contará com tomada USB de carregamento rápido.

O sistema opcional de travamento e partida “Kessy” torna o acesso ao T-Cross mais confortável, enquanto os faróis full-LED proporcionam mais eficiência luminosa e conforto ao motorista.

Assim como o Virtus, o Tiguan Allspace e o Novo Jetta, o T-Cross também será o primeiro modelo em seu segmento no Brasil a oferecer o “Manual Cognitivo” – que usa IBM Watson para responder ao motorista questões sobre o veículo, incluindo informações contidas no manual do carro. Essa solução permite uma nova forma de interagir com o veículo e oferece uma nova experiência tecnológica.

“Be Safe”: A influência positiva da Estratégia Modular MQB revela-se em todas as áreas do T-Cross. Graças à MQB, o SUV será um dos veículos mais seguros de sua classe – o que é garantido pela utilização de aços de ultra-alta resistência e conformados a quente, pelos seis airbags (dianteiros, laterais e do tipo “cortina”) e uma gama ampla de sistemas de assistência.

Todas as versões serão equipadas de série com ESC – Controle eletrônico de estabilidade. Esse sistema reconhece um estágio inicial de que uma situação de rodagem crítica está para acontecer. Compara os comandos do motorista com as reações do veículo a esse comando. Se necessário, o sistema reduz o torque do motor e freia uma ou várias rodas até atingir a condição de estabilidade.

O ESC inclui uma série de sistemas de assistência à condução. Entre eles estão:

HHC (Hill Hold Control) ou controle de assistência de partida em rampa – Em aclives acima de 5%, o sistema mantém o veículo freado por até 2 segundos, após o motorista aliviar o pedal do freio. Os freios são liberados progressivamente durante a aceleração, permitindo a partida do veículo com mais conforto e tranquilidade em rampas.

HBA (Hydraulic Brake Assist system) – reconhece a frenagem de emergência por meio da velocidade de acionamento e da pressão aplicada no pedal. Então aumenta ativamente a pressão de freio, que é então modulada pela intervenção do ABS. Quando o motorista reduz a pressão no pedal de freio ou ocorrer redução da velocidade do veículo abaixo de um limite mínimo, ocorre o fim da assistência de frenagem.

EDS (Elektronische Differenzialsperre ou Bloqueio eletrônico do diferencial) – Em trilhas ou em situação de baixa tração em uma das rodas motrizes, o bloqueio eletrônico do diferencial aciona o freio da roda com menor tração, transferindo o torque para a roda com maior tração, proporcionando assim melhor eficiência à saída do veículo.
Esse sistema de “tração inteligente” funciona de forma automática, sem necessidade de o motorista acionar um botão no painel. Além disso, o sistema atua em curvas e em velocidade de até 80 km/h.

XDS+ (bloqueio eletrônico do diferencial), uma exclusividade no segmento. Função integrada ao controle eletrônico de estabilidade (ESC), o XDS+ melhora o comportamento dinâmico do carro. Esse sistema aumenta a agilidade e diminui a necessidade de movimentação do volante por meio de intervenções seletivas nos freios das rodas internas às curvas nos dois eixos e permitindo uma transferência do torque disponível do motor para as rodas externas.
Além disso, o XDS+ funciona com quaisquer condições de aderência do piso. Isso resulta em uma dirigibilidade mais precisa, com mais tração e agilidade nas curvas.

O ESC inclui o RKA+ (Monitoramento da pressão dos pneus), sistema que monitora a pressão dos pneus e colabora para maior segurança. O recurso funciona por meio dos sensores que monitoram o modo de vibração e frequência dos pneus, detectando se houve perda de pressão em um ou mais pneus.

Manter a pressão correta colabora não só para mais conforto e segurança – também ajuda os pneus a durarem mais e reduz o consumo de combustível, gerando menor emissão de CO2.

Volkswagen T-Cross

Entre os outros recursos de assistência à condução também estarão o sistema de “Frenagem Automática Pós-Colisão” (aciona automaticamente os freios do veículo em caso de acidente) e o “Detector de Fadiga” (detecta a perda de concentração do motorista e o sistema recomenda uma pausa para descanso).

O detector de fadiga analisa a forma como o motorista dirige e compara com os 15 primeiros minutos de direção. Caso detecte desvio no comportamento ao volante, o equipamento emite um alerta, sugerindo uma parada para descansar e tomar um café.

Volkswagen T-Cross

O T-Cross terá configuração dianteira independente tipo McPherson e interdependente na traseira, com eixo de torção. Trará pneus “verdes”, de baixa resistência ao rolamento, que colaboram para a redução no consumo de combustível – sem deixar de lado a performance dinâmica (dirigibilidade e frenagens). Serão duas medidas disponíveis: 205/60 R16 e 205/55 R17.

Volkswagen T-Cross

O modelo terá freios a disco nas quatro rodas como item de série. Os discos terão 276 mm de diâmetro nas rodas dianteiras e 230 mm de diâmetro nas rodas traseiras.

109 comentários:

  1. O acabamento estético da versão R-LINE, para a europa é bem mais bonita que a versão para o Brasil. Uma pena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se nao vier a r-line nao terá como brigar com os dois líderes...
      Ja é sabido que hrv terá teto panorâmico e rodas 19 na touring...

      Excluir
    2. Achei a traseira feia e o interior de Polo/Virtus, muito prosaico, não ajuda! Pelo menos poderia a VW escurece-lp completamente para dar uma aparência melhor! A única versão que agradará em desempenho será a Rline 1.4T, porém, custará muito! E o porta-malas de 373l é muito pequeno!

      Excluir
    3. 1.0 mesmo sendo TSI é fraco pelo peso e tamanho do veiculo

      Excluir
  2. Show ter uma versão manual com o motor TSI.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só que ninguém quer saber mais de câmbio manual...

      Excluir
    2. Eu quero, pra mim já torna a versão mais legal desses "falsos suvs" nacionais

      Excluir
    3. Eu gosto, mas nunca compraria um sedã ou SUV com câmbio manual. O público desses carros é preguiçoso demais para querer trocar marchas.

      Excluir
  3. A versao brasileira ficou bem melhor
    Que a europeia. Acho que vai vender muito bem!

    ResponderExcluir
  4. Ainda não to intendendo esse designer Robocop na traseira... Quem sabe com o tempo acostume

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Putz, o cara ainda não entendeu que não é designer e sim design ! Se liga !

      Excluir
    2. É mais um fake pra fazer graça por aqui

      Excluir
  5. Bacana! Se não exagerar no preço vai vender bem! Faltou uma versão 4x4 diesel.

    ResponderExcluir
  6. Vídeo do interior, será que aqui será próximo a isso?

    https://youtu.be/qXEOSr0bUtU

    ResponderExcluir
  7. O carro ficou legal tem que acostumar com a traseira. Tudo vai depender do preço $$$ para o sucesso ou fracasso como aconteceu com UP, GOLF,JETTA e etc...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Jetta é um carro muito bom, mas com os preços praticados continuará sendo mero coadjuvante, Golf morre com a chegada do T-Cross e Up com futuro incerto.

      Excluir
  8. Copiou a traseira do 3008 da Peugeot!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E na cara dura! Quem diria hein? Copiar o uma marca francesa, justamente de onde "não se sabe fazer carro". Bom, mas ideia boa tem que se copiar mesmo.

      Excluir
    2. Não a VW copiou o seu antigo carro o apollo .

      Excluir
    3. O "Apollo" era um carro baseado no Escort... Ford Verona.

      Excluir
  9. Vendo os teasers e flagras, eu tinha a impressão que a traseira seria feia, mas agora com a versão final, vejo que a traseira é... HORRÍVEL!!!

    ResponderExcluir
  10. com certeza a VW esta errando mais do que acertando ;; esta trazeira acabou com o carro ..porque não deixou a trazeira do modelo europeu ..e este suporte de celular no painel do carro , que burro coloca um desingner deste ...da impressão de carro pobre ..no mais o carro ficou muito bom.. peca por estes dois detalhes .. mais gosto é gosto né tem quem goste .. o up mesmo fou um fracaço justamente com esta lanterna feia ai..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já achei o muitos TB o contrário a vw deu uma inovada ,eu achei belíssima .

      Excluir
    2. *traseira
      *design
      *dá
      *mas
      *fracasso

      "MIM" ajude aí neh, amigo?!

      Excluir
    3. Thiago: Sem falar na falta de '?', '.' e ','

      Excluir
  11. É um estilo próprio, que não aparece em nenhum outro carro da VW. Será que vai agradar?É um estilo próprio, que não aparece em nenhum outro carro da VW. Será que vai agradar?...Claro que não vai agradar...matou a traseira do carro...único ponto negativo no estilo...traseira ficou muito rebuscada...espero que a VW mude isso até o lançamento no Brasil deixando a traseira mais limpa!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ...outro detalhe que eu não aguento mais ver, é esse volante usado em todos carros da VW desde o Gol até Passat... será que os caras não tem simancol!Melhor,ficou o volante da versão gringa, esse sim deu um diferencial legal...

      Excluir
  12. Garanto que 90% das pessoas que apreciam um estilo limpo e harmonioso irão detestar esse aplique HORROROSO na traseira!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fale por você. Eu gostei do design diferente da linha vw e dos concorrentes.

      Excluir
    2. Tenho um Virtus,pensei em ir para o Jetta mas vendo este carro carregado de tecnologia, vou esperar, ainda mais chegando com o motor 1.4.
      Este carro vai colocar a VW na liderança.

      Excluir
  13. A traseira robocop é diferente, dessa vez ninguem ppde falar que a vw nao ousou

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ousou em copiar a Peugeot, isso sim! Mas está perdoada, afinal, a Peugeot vem acertando bastante nos desenhos. Eu gostei bastante desse T-Cross. Conseguiu tem um desenho balanceado, entre o tradicional VW com toques de ousadia.

      Excluir
    2. pesquise sobre o vw apollo e veja da onde veio a traseira

      Excluir
    3. Sim claro. Isso depois da Peugeot resolver colocar num SUV.

      Excluir
  14. E com esse t-gloss que vao querer disputar com o Renegade? Copiaram a traseira do 3008 na cara dura. Esse suv de supermercado tende a brigar com Duster, EcoSport, e Captur pela lanterna do segmento.

    Pra chegar junto de Renegade, HR-V, e Creta tem comer muito feijão ainda.

    ResponderExcluir
  15. Muito bonito, só dispensaria a pintura preta do teto.

    ResponderExcluir
  16. Na primeira foto do T-cross desse post, se colocar a grade da Jeep na imagem o carro lembra muito o compass. (Observem)

    Uma observação:

    Os hates da VW já encontraram algo para criticar: a lanterna traseira. Quando o design é sóbrio, dizem que muito simples e sem graça. Quando é ousado, dizem que ficou feio ou perdeu identidade. São pessoas que não aceitam a superioridade dos carros da volks. A verdade é que o design do carro ficou espetacular, incontestavelmente. Também me passou um nível de construção acima dos seus concorrentes e um refinamento que somente a VW e algumas poucas marcas consegue entregar.

    ResponderExcluir
  17. Achei tudo muito bom com a ressalva da traseira de gosto duvidoso. Erronea a informação de que o 250 tem o maior torque da categoria. Renegade diesel tem torque de 35 kgf/m (350 Nm).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SUV compacto... porque outra categoria? Tem tcross diesel também na europa...

      Excluir
    2. Um t cross híbrido seria melhor

      Excluir
  18. Gostei bastante. Vou até passar longe de uma CC pra não fazer besteira

    ResponderExcluir
  19. Rapaz os designers devem ficar louquinhos na hora de desenhar um SUV, deixar as formas e linhas loucas desse tipo de carro com um aspecto harmônico não deve ser nada fácil!... Mas com certeza a oportunidade de sair da mesmice é um belo convite a criação de algo novo... Aliás, será que alguém conseguirá emplacar um golf dos suvs?.. e o porsche dos suvs?

    ResponderExcluir
  20. Carro ficou ótimo! Design excelente, motores eficientes, 6 AB de série, Active Info Display, Teto Panorâmico e Park Assist 3.0 para humilhar a concorrência.

    ResponderExcluir
  21. Errr do VW... Não aprende... E está lá o terrível mico do suporte de celular, mesmo com central que espelha o celular... Enfim, paciência...

    Tem que ter versão AT entre 80 e 84 mil. Por 85 já tem Renegade, com ponto H 10 CENTÍMETROS mais alto, painel soft, freio eletrônico, 5+5 estrelas, suspensão multilink e ótimo nome da JEEP no segmento no Brasil. As demais vantagens técnicas do T-Cross não serão compreensíveis para boa parte do público, que verá a diferença do porte para o "nanico" T-Cross, vide o C4 Cactus pessoalmente...

    Acima desse valor, vai vender metade dos líderes. A VW decide...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. T-CROSS tem motor 250 TSI flex de respeito enquanto o Renegade flex tem o broxante 1.8 aspirado, além de mais espaço interno e 5+5 estrelas idem. 6 AB de série, Active Info Display, Teto Panorâmico e Park Assist 3.0 esculhambam o Renegade, que cobra preços abusivos na versão diesel mais decente.

      Excluir
    2. Então, até tem... Mas é preciso comparar a faixa de preço e sua equivalência de recursos... No brasil, não há VW 1.4 TSI por menos de 100 mil. Então será 1.8 x 1.0 TSI. Eu ainda acho que o 1.0 terá desempenho melhor, até por que o T-Cross terá porte e peso menores. Mas, para o público de Renegade, Creta, HRV, ECO - e para a maior parte das aplicações - o motor atende.

      Tenho um Golf 1.4 e um Renegade em casa. Sinceramente, em uso urbano, muda nada. As arrancadas do Golf são humilhantes, mas o trânsito não vive disso. Na real, o conforto, a suspensão do Renegade são MUUUUITO melhores. É isso o que o consumidor real repara. No FDS só saímos de Jeep. E olha que sou fanzasso do meu Golf. É 2014 mas vou ficar mais uns anos com ele.

      E por 112 mil no PJ você já leva um Renegade 2.0 Turbodiesel 4x4 + Pack Safety com 7 airbags. Mais forte que o 1.4 da VW.

      Enfim, tirando o mico do suporte de celular (freio eletrônico ajudava também), o T-Cross ficou ótimo. Também é um candidato pra mim... Mas se VW errar (mais uma vez) no preço, teremos outro Jeep em casa...

      Excluir
    3. Os fanboys da VW não compreendem um Renegade diesel. Não entra na cabeça ... só sabem olhar o 1.8 e meter pau... isso porque nunca dirigiram um pra saber o que é conforto e segurança.

      Excluir
    4. Boa Carlos.
      Ridículo esses fan boys q só veêm defeito nos carros das outras marcas.
      Ou idiotas q avaliam carro pelo 0-100km/h e ponto final.
      VW tem produzido carros excelentes, mas com acabamentos pífios como o Polo (e olha q eu tive um Confortline q vendi com 7 meses por decepção e comprei um Golf) ou mto caros como o Passat (tb já tive um, e é excepcional) q pelo preço alto apanha do Fusion ou o Jetta com preço de fusion titanium 4x2 e Civic Touring... ai fica difícil...

      Excluir
    5. Perfeitas suas colocações,Carlos.

      Excluir
  22. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  23. Na boa ,lindíssimo ! Esse marron café ..pqp que show, amei a traseira a VW remeteu ao apollo .

    ResponderExcluir
  24. Pra quem ver a diferença entre o Nacional e o Europeu

    https://i.postimg.cc/XqBKhTZK/Germany-7x1-Brazil-Continues-Part-1.png
    https://i.postimg.cc/c1PPHWcS/Germany-7x1-Brazil-Continues-Part-2.png
    https://i.postimg.cc/668Dtqnc/Germany-7x1-Brazil-Continues-Part-3.png
    https://i.postimg.cc/QVLgr052/Germany-7x1-Brazil-Continues-Part-4.png

    ResponderExcluir
  25. TSI 250 com teto solar deve sair por mais de 100k, uma pena que não vou poder comprar kkkk

    ResponderExcluir
  26. Europeu tem aspecto de maior requinte e além disso já vem com o novo volane, enquanto o nacional continua com o volante que usa de A a Z.

    ResponderExcluir
  27. Carlos, alguma dica ou palpite de preços?

    ResponderExcluir
  28. A VW insistindo naquele suporte ridiculo e escroto em cima do painel!!!!!

    ResponderExcluir
  29. Suporte horrível, acabamento simples e esse volante que não muda...
    Volks sendo Volks.

    ResponderExcluir
  30. Eh isto ai Carlos JSB. Tbm concordo sobre o q falou dos precos da VW. Tbm tenho um Golf 2014/15. Sem duvida o melhor carro q tive e penso em ficar com ele tbm por mais alguns anos.mas hj numa troca ja nao teria como pegar outro Golf por causa dos precos absurdos e este SUVinho ja entra na minha lista, desde q nao venha tbm com precos proibitivos, como sao todos os VW.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, até tentei considerar o novo Golf, mas está difícil... Por dentro, ainda é um alívio quando volto para o meu, mesmo já tendo 4 anos. Conservei 100% e a qualidade dos materiais ajudou muito. Não há um risco sequer, um desgaste por sol, nada. Parece zero! Na verdade, diante do atual, é melhor que o zero. Mas enfim, quando for trocar o Golf ainda é um forte candidato, principalmente pelo TCross já demonstrar esse mico do suporte... Onde tem 1 erro deve ter mais... E cara, vá conhecer pessoalmente o Renegade. A satisfação é parelha ao nosso carro.

      Excluir
  31. Gostei, a grade com frisos compridos da abertura ficou show. Tem mais identidade que aquele europeu t-roc.

    ResponderExcluir
  32. Estão esquecendo de citar também o Opala Diplomata nos seus últimos anos.
    Particularmente nao gosto de enxertos de plástico, os quais desbotam e se deformao.

    ResponderExcluir
  33. As Rodas e o Acabamento da versão R-LINE são muito mais bonitas que a versão "normal".
    A versão R-LINE sim, ficou bonita.

    ResponderExcluir
  34. Eu gostei. Do tamanho certo para o que eu preciso. Se tiver uma versão 4motion algum dia eu quebro o cofrinho e compro.

    ResponderExcluir
  35. Achei a traseira feia, estranha. Deve vir todo capado para o Brazél, sem faróis Led, painel sem cobertura soft que acredito ter na Europa, entre outros. Ah, e custará perto de 100 mil mictos. Renegade manda lembranças.

    ResponderExcluir
  36. Preço inicial do mais básico 90.000,00

    ResponderExcluir
  37. Esse suporte de celular é fixo ou pode ser retraído?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ser tirado (com força, não foi feito para ser tirado) mas fica o buraco. No mercado paralelo (para Gol, UP, Fox e Polo) você acha uma tampa... Mas a base destoando do painel ficará lá... É tão tosco que só pode ser uma zoeira intencional...

      Excluir
  38. Essa cor branca com preto ficou show, assim como o interior em 2 tonalidades de cores! Só acho que a Volks deveria arrojar mais em seus design que alavancaria muito as vendas!

    ResponderExcluir
  39. Alguém sabe me dizer o Peso e a Largura ????

    ResponderExcluir
  40. já depenaram a versao brazuca. tiraram o ar bizone, mudaram as lanternas traseiras, mudaram o volante, elementos do painel e difusores de ar...
    só falta o preço...... que é claro q vai ser mais caro......
    a vw tem a faca e o queijo na mão para dominar esse segmento. O produto mesmo com as mudanças para o hueBR é bom... mas tem que acertar no preço......

    ResponderExcluir
  41. O Renegade diesel 2019 é mais carro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renegade passa vergonha na lama até com tração 4 x 4

      Excluir
    2. O T-Cross será um Defender nas trilhas não é mesmo?

      Excluir
  42. Faltou freio de estacionamento eletrônico e o brake hold presentes no HR-V e Renegade. Além disso, tem porta-malas menor que HR-V, Kicks e Creta. Venderá bem se posicionar os preços abaixo de seus concorrentes.

    ResponderExcluir
  43. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  44. Mas só 2 cm mais alto que o Fox ?!

    ResponderExcluir
  45. Será que vai ter versão PCD abaixo dos 70 mil (isenção completa) ou vai deixar esse mercado para o Creta, Renegade e Kicks?

    ResponderExcluir
  46. Esse carro só vai tirar venda da dupla Polo e virtus na versão topo de linha

    ResponderExcluir
  47. Ficou bonito más o valor com certeza vai ficar salgado e não vái ficar competitivo

    ResponderExcluir
  48. Alguém sabe a altura do T-CROSS, do solo?

    ResponderExcluir
  49. Disseram que seria um carro masculino

    ResponderExcluir
  50. Deveria ter apenas motor 1.4 TSi ou ainda o 1.5 TSI, pelo peso do carro o motor 1.0 ira beber mais que 2.5 aspirado e deixa-lo lento

    ResponderExcluir
  51. Acho a versão européia bem mais equilibrada e como o Captur Europeo Também a versão brasileira não vai ter a mesma qualidade e um preço maior...agora talvez que o Brasil não vai ser mais democrático...pode ser que mudam as práticas...

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.