Car.blog.br

Pesquisar este blog

VW e BMW assumirão controle de joint ventures na China

Categorias: , , 4 Comentários

Quando o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, visitou a Alemanha na semana passada, o BMW Group e o Volkswagen Group assinaram acordos prometendo investir mais em suas joint ventures na China.


E as montadoras alemãs obtiveram algo em troca - a oportunidade de ganhar o controle de joint ventures locais antes de outros pares estrangeiros.


O que o governo chinês prometeu às empresas não foi revelado nas declarações da BMW e da VW sob novos acordos com seus parceiros chineses, mas o Conselho de Estado, o gabinete da China, relatou o que Li disse durante sua visita em seu site.

Em 9 de julho, na presença de Li e da chanceler alemã, Angela Merkel, a BASF assinou um acordo com o governo da província de Guangdong, no sul da China, para construir uma planta petroquímica na cidade de Zhanjiang, na província.

Na mesma ocasião, a BMW e a Brilliance Automotive Group Holdings concordaram em expandir a produção anual de sua joint venture para 520.000 veículos da marca BMW em 2019. A joint venture, BMW Brilliance Automotive, agora é igualmente detida pela BMW e pela Brilliance China.

Enquanto a BASF se tornará a primeira empresa química estrangeira a operar uma subsidiária integral na China, a BMW será a primeira montadora estrangeira a possuir “mais de 50% de participação em sua joint venture local”, informou o site do Conselho de Estado, citando Li na Alemanha. os negócios foram assinados.

Como a BMW, a VW também assinou acordos com seus parceiros chineses na presença do premier chinês e de sua contraparte alemã, comprometendo-se a investir mais em suas joint ventures na China.

A gigante automobilística alemã concordou em estabelecer um centro de P & D em sua parceria com a Jianghuai Automobile Co. para ajudar no desenvolvimento de veículos elétricos para a marca Seat na China. Também concordou em desenvolver infra-estrutura de carregamento de baterias para veículos elétricos e serviços digitais para veículos conectados para sua joint venture com a China FAW Group Corp.

Em 9 de julho, falando no fórum anual em Berlim sobre cooperação econômica e tecnológica entre a China e a Alemanha, Li revelou que a VW está negociando com a China FAW Group Corp sobre seu interesse na joint venture, FAW-Volkswagen Automotive Co. FAW - VW é uma parceria 60-40 entre FAW e VW.

No dia seguinte, depois de ver o primeiro produto - um crossover elétrico - desenvolvido pela JAC VW, Li perguntou sobre a estrutura acionária da joint venture e foi informado que a JAC e a VW detinham 50% da empresa.

Enfrentando as ameaças da guerra comercial do presidente dos Estados Unidos, Trump, Pequim anunciou planos em maio para eliminar gradualmente o teto de 50% sobre a propriedade estrangeira de joint ventures de manufatura no país.

O governo chinês espera que o movimento atraia mais investimento estrangeiro para sustentar seu crescimento econômico.

A China já é de longe o maior mercado global da BMW e da VW. E o mercado ainda está crescendo, com vendas totais de veículos leves subindo 4,6 por cento ano a ano, para aproximar 11,8 milhões no primeiro semestre deste ano.

Os privilégios concedidos por Pequim para obter controle sobre empreendimentos locais à frente dos concorrentes permitirão à BMW e à VW expandir ainda mais sua participação nas vendas e lucros no maior mercado de veículos novos do mundo.

Fonte: Auto News

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Que lindo esse Lavida, não caberia na gama de veículos da VW aqui no Brasil?

    ResponderExcluir
  3. KKKKKK Cadê os FIATeis, GMeiros, FORDeiros etc que cansaram de rir na época do Diesel gate dizendo que a VW ia Quebrar? Muito pelo contrário o grupo VW está engolindo o mundo com uma estratégia simplesmente surreal tamanha a sua eficiência! Dá-lhe VW!!! Ah antes de mais nada sou Volkista sim! Pq graças a Deus possuo grande capacidade de raciocinar! Ao contrário da maioria que comenta aqui e em outros sites!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se é ista de qualquer marca não merece respeito. Não tem credibilidade alguma.

      Excluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.