Car.blog.br

Pesquisar este blog

Mercedes CLS 2019 é apresentado em Los Angeles - vídeo

Categorias: , , 31 Comentários

A Mercedes-Benz apresenta no Salão do Automóvel de Los Angeles a nova geração do carro que inventou o conceito de sedã com formato cupê, o Mercedes-CLS 2019.

Mercedes-Benz CLS 2019

O CLS inaugura uma nova linguagem de design na marca alemã, com aspectos que já tinham sido antecipados em modelos conceituais. A dianteira é marcada por uma grade trapezoidal com contornos arredondados, e uma dianteira inclinada. Os faróis são largos.

Mercedes-Benz CLS 2019

A traseira é marcada por um desenho limpo e lanternas horizontais em duas seções – como nos modelos da Audi.

Mercedes-Benz CLS 2019

A novidade em termos mecânicos é o novo motor seis cilindros em linha, 3.0 turbo, e é o primeiro carro de produção em série da Mercedes a adotar um sistema elétrico de 48V.

Mercedes-Benz CLS 2019

Com esse novo motor, a Mercedes substitui o motor V8 que equipa o modelo de acesso, por essa nova unidade. O Modelo de acesso agora passa a ser chamar CLA 450. A Mercedes diz que o novo seis cilindros em linha entrega o desempenho de um motor de oito cilindros com um consumo de combustível significativamente menor.

Mercedes-Benz CLS 2019

O modelo que sai de linha, o CLS550, vinha com um V-8 turbo de 4.7 litros produzindo 402 cavalos. O novo motor do CLS tem 362 cv, mas ele recebe 21 cv adicionais de um motor elétrico, que funciona como alternador e motor de partida, que está sendo chamando de EQ Boost. O EQ Boost ajudará o motor de combustão durante as acelerações, e pode conduzir o carro sem a operação do motor a combustão no modo que a Mercedes chama de “coasting” (velejando).

Mercedes-Benz CLS 2019

A Mercedes anunciou que os modelos CLS450 e CLS450 4MATIC 2019 que serão comercializados nos mercados ocidentais até o segundo semestre de 2018. Espera-se também uma nova versão AMG, que será conhecida como AMG 53.



Esse novo Mercedes CLA adota uma nova plataforma modular, denominada MRA, Modular Rear Architecture (tração traseira), que já foi usada na nova geração do Classe E. Essa arquitetura traz a última série de características de condução semiautônomos da Mercedes que estrearam no novo Classe S, que são sistemas de nível 2.

Interior

O interior traz um design com linhas onduladas, e um cluster de instrumentos digitais. Como um novo destaque da iluminação ambiental, as aberturas de ar iluminadas são remanescentes das turbinas de aviões a jato.

Mercedes-Benz CLS 2019 - interior

O CLS450 está equipado com uma tela central de alta resolução com uma diagonal 12,3 polegadas e está opcionalmente disponível com duas telas de 12,3 polegadas que se mesclam para formar um cockpit de tela larga sob uma cobertura de vidro contínua compartilhada.

Mercedes-Benz CLS 2019 - interior

No cockpit totalmente digital, o piloto ode configurar a informação de acordo com as necessidades da situação de condução. Três estilos diferentes podem ser selecionados de acordo com a preferência, o humor ou para atender às consultas internas: Classic, Sport ou Progressive.

Mercedes-Benz CLS 2019 - interior

A iluminação ambiente é ajustável individualmente em 64 cores, e também inclui as aberturas de ventilação. Quando o ajuste de temperatura do sistema de ar condicionado é alterado, ele muda brevemente de cor para mostrar se a temperatura está sendo aquecida (vermelha) ou refrigerante (azul).

Mercedes-Benz CLS 2019 - interior

Os assentos também foram recém-projetados exclusivamente para esta série de modelos com tubulação de alta qualidade. Os assentos exteriores na parte traseira têm a mesma aparência dos bancos dianteiros, criando uma impressão esportiva de um único assento, embora o CLS Coupe seja na verdade um cinco lugares pela primeira vez. Quando necessário, os encostos podem ser dobrados para baixo em uma proporção de 40/20/40.

Conclusão

Mercedes-Benz CLS 2019

O novo CLS chega em um momento de baixa para esse tipo de carros nos EUA em particular. Os compradores desse tipo de carro estão migrando para SUV´s. O modelo que já vendeu quase 15 mil unidades em 2015, mal passou de 1.610 no ano passado. Resta saber se a nova geração conseguirá deter essa dinâmica de retraçãl.

31 comentários:

  1. interior maravilhoso já o exterior...

    ResponderExcluir
  2. Com esta frente coreana e interior de Fiat Argo, será difícil (realmente) recuperar o prestígio que já teve.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara...você superou o carlota dessa vez.

      Excluir
    2. Pois diga-me, se te faz favor, onde estou a errar.

      Excluir
    3. Amigo, ao comparar o interior da CLS com o de um Argo...

      Excluir
    4. Frente coreana? Se alguém copiou alguma coisa aqui, foram os coreanos. Antes de escrever asneiras, pesquise um pouco sobre a evolução do design da Mercedes.
      Interior de Argo? Certamente está na hora de procurar um oftalmologista. Se o Argo tivesse 20% da qualidade e requinte do interior deste Mercedes, já seria o melhor carro nacional.

      Excluir
    5. Cada um tem seus parâmetros.
      Certamente, o Anderson comparou a frente ao carro coreano porque tem 2 faróis, para-choque, capô, e tals.
      Mas nessa linha de raciocínio poderia ser um francês, americano, japonês, chinês, espanhol, etc.

      O interior pode parecer com o do Argo, porque tem volante, botões, painel de instrumento.
      Mas nesta linha de raciocínio poderia ser o painel do Fit, Up!, Jetta, Camaro, Fusca, Camry, Compass, BMW 540i, etc.

      Cada um que me aparece aqui.
      Se não tem nada a acrescentar é melhor nem comentar sobre o que não conhece e muito menos o que não pode ter ...

      Excluir
  3. Sou muito mais o audi A5, verdadeiro concorrente desse carro.

    O maravilhoso novo A7 concorre com porsche panamera.

    ResponderExcluir
  4. O precursor dos sedãs-cupês em nova e belíssima forma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Belíssima forma... Nem com a ajuda da subjetividade da beleza vc consegue transformar esse design em belo.

      Excluir
  5. Senti falta de comparações com Up! e Polo

    ResponderExcluir
  6. É uma pena os consumidores deixaram de comprar bons sedãs e hacht médio para comprar esses malditos SUV.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cada um faz o que quer com seu dinheiro
      Se eu quiser compro uma patrola pra andar na rua

      Excluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. amigo vw/porsche/audi,bmw e mercedez são alemãs raiz ,a vida toda foram assim veja o polo e o golf da primeira geraçao e me diga, mas nego vem falar de carro agora ainda juvenil e fica com esse mimimi

      Excluir
    2. Thieng, esses caras são os autênticos "vira-latas".
      Acostumados a comer sardinha e picadinhos, acham que podem palpitar sobre o nobre sabor e paladar de um atum ou filé mignon...

      Excluir
  9. Depois falam da VW. Tá difícil diferenciar uma A(CLA) C E S. Assim como 3 5. O carro não nacional não pode copiar traços do irmão alemão. Só quem pode ter a mesma cara e mesmo acabamento de interior são as premiums. Nelas tudo podem. Mas nunca, um Gol poderá ter traços Alemães. Essa é a mentalidade capitalista pobre de muitos brasileiros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O divisor de águas está no fato de que a VW não sabe diferenciar design sóbrio de design pobre.
      BMW, MB, Audi, possuem linhas dentre diversos produtos que identificam os belos modelos de suas respectivas marcas.

      Já a VW ...

      Excluir
    2. Não. O fato é que estas não tem carros populares de baixo custo. Em relação a design pobre mencionado, hoje o beetle, passat cc e até o jetta ainda agradam. Mas a referência é sempre de gol. Acham que a vw está limitada ao gol. Se você analisar a vw importada verá que do up ao arteon, a identidade visual de cada carro é mais expressiva a das MB's.

      Excluir
    3. Não é bem por aí.
      Klauss Bischoff, atual chefão de design da VW, emitiu duras críticas à diversos modelos da marca.
      Atualmente, é o principal responsável nos bastidores dos belos T-CROSS, T-Roc, NMC Conceptual, Arteon.
      Fez duras críticas ao feioso Atlas, não vê com bons olhos o design do Tiguan, e criticou severamente o design do Passat e Jetta.
      Arteon não traz absolutamente nada das linhas do Passat ou Up!, como mencionou.
      Design do Up! é controverso. A VW tentou fazer um carro jovial e retrô, mas se perdeu no meio do caminho. A frente é indefinida, interior pobre, e preço proibitivo.
      Passat anterior era um Voyage GG. O atual ficou melhor, mas poderia ser um Arteon ligeiramente menor.
      O CC não leva o nome Passat justamente para diferenciá-lo da feiura do Passat, desde 2 gerações. Ao menos, a receita deu certo.

      Jetta só passou a agradar após a reestilização, pq o modelo de lançamento tinha design totalmente indefinido, de aspecto pobre.

      Somente alguns novos modelos tem agradado, enquanto outros seguem sob duras críticas...

      https://quatrorodas.abril.com.br/noticias/vw-admite-erro-na-padronizacao-do-design-dos-carros

      Excluir
    4. Estamos falando de identidade visual entre os modelos da marca. UP! pode ser considerado um mini Beetle ? Um mini beetle é um scirocco coupe ? A tiguan é um Golf altinho ? Faça essa mesma comparação na MB. Pegue todos os carros de frente ou de costas e verá a confusão. Não que isso seja ruim. E não é. Só reclamam muito da VW quando ela tem essa identidade voltada pros carros nacionais. Era pra achar é bom um voyage ter traços de Jetta e Gol de Polo/Golf. Significa que os nacionais estão buscando inspiração de design na matriz.

      Segundo o link :
      "devem ser produtos exclusivos e influenciar o estilo dos carros mais baratos, e não o contrário”
      O Gol foi reestilizado seguindo linhas do polo. O Voyage, caso queira, no Jetta. O que há de errado ?

      "Bischoff também revelou que a montadora pretende reforçar a personalidade de cada modelo, diferenciando-os pelo design."
      Isso é VW alemã. Eles vão reforçar e não começar algo que não é.

      Não adianta. Pro brasileiro parar com essa conversa, a VW Brasil não poderia buscar nem um traço de um cubo de roda de nenhum irmão Alemão.

      Excluir
    5. Sim, identidade visual.
      Mas o fato é que a VW não tem sido muito feliz no design de diveros modelos.
      Golf, Polo, são muitos bonitos, mas o mesmo não se estende ao Jetta, que passa longe da beleza do Arteon.
      Mesmo o novo Jetta, as primeiras imagens choveu críticas principalmente à frente do modelo.
      Atlas é horrendo e desengonçado, muito diferente dos SUV menores, T-Cross, T-Roc.

      Então, não é questão de não gostar do design alemão, mas de a VW adotar linhas que remetem à pobreza, muito diferente da sobriedade que muitos defendem equivocadamente por aqui...

      Excluir
  10. Não sei ao vivo, mas esse painel não me agrada. O resto, está bem atualizado.

    ResponderExcluir
  11. Realmente queria entender essa nova moda de interiores de carros, independente de marca, com mais neon que quarto de motel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado, a cor e a intensidade da iluminação de LED pode ser definida por cada motorista. Vejo particularmente como algo positivo.

      Excluir
  12. A Mercedes faz carros maravilhosos, mas tem algum big-shot lá que sempre inventa uns trecos esquisitos.
    Antes, era o freio de mão por pedal, agora é essa alavanca de marchas na coluna de direção.
    Nesse aspecto, a Audi e a BMW se saem melhores mantendo o esquema tradicional de freio e alavanca de marchas no console central.

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.