Car.blog.br

Pesquisar este blog

Fiat Mobi: defeitos, consumo e impressões aos 6.000 km

Categorias: , 17 Comentários

O Fiat Mobi Like de nosso teste de longa (média) duração chega aos 6.000 quilômetros rodados, e neste artigo vamos relatar nossas impressões, dados de consumo, e aspectos positivos e negativos desse sub-compacto.

Fiat Mobi - teste de longa duração

Em relação ao consumo - aferido em percurso 50% urbano e 50% rodoviário, com o ar-condicionado ligado - a etapa inicial do teste mostrou dados não favoráveis, com média de 9,3 km/l de etanol, e de 12,8 km/l de gasolina, como mostramos no quadro abaixo.

Km total
Km rodados
Litros (abastecimento)
Consumo
Tipo
Custo total
Custo / km
1174AferidoComputador de bordo
128511111,79,58,7EtanolR$ 33,28R$ 0,30
167639138,710,19,9EtanolR$ 135,98R$ 0,35
216749139,512,412,5GasolinaR$ 141,66R$ 0,29
264047336,113,113,2GasolinaR$ 128,30R$ 0,27
316352338,213,713,6GasolinaR$ 135,89R$ 0,26
363347037,212,612,7GasolinaR$ 132,40R$ 0,28
412549238,712,712,7GasolinaR$ 137,82R$ 0,28
463851339,413,012,9GasolinaR$ 140,09R$ 0,27
519155337,314,814,6GasolinaR$ 132,61R$ 0,24
573654537,014,714,5GasolinaR$ 131,54R$ 0,24

Entretanto, após 5.000 km observamos uma melhora significativa de cerca de 13,7% na média de gasolina. Desde então o Mobi vem apresentando médias de 14,6 km/l, que, se não chegam aos excepcionais números do Up! TSI (média de 16,1 km/l em cidade, no mesmo percurso), também não decepciona, e é mais condizente com a proposta do carro.

Fiat Mobi - teste de longa duração

E também pelo fato de que o Mobi ainda usa um motor de concepção antiga, que é o quatro cilindros 1.0 Fireflex, inferior em termos de eficiência aos modernos tri-cilíndricos do Up!, Ford Ka e do Fiat Uno 2017 com seu novo propulsor Firefly, o qual, em breve, estreará no Mobi também.

Fiat Mobi - teste de longa duração

Esse motor Fire 1.0 Flex do Mobi, apesar de antigo, é robusto e confiável, e tem funcionamento bastante suave e silencioso, mas os baixos níveis de potência (73 cv com gasolina/75 com etanol) e de torque (9,5 / 9,9 kgfm, gasolina, etanol) cobra seu preço em termos de agilidade. Como mostramos no vídeo abaixo, o desempenho é um ponto fraco do Mobi.



O Fiat Mobi acelerou de 0 a 100 km/h em 17,5 segundos em teste da revista Quatro Rodas, abastecido com gasolina - número que é 3 segundos abaixo do Up! MPI. Em nossa avaliação jamais conseguimos um número de 0 a 100 km/h ebaixo de 18,5 segundos, pois estamos testando o carro a 1.100 metros de altitude.

Desempenho insuficiente

O que esses números representam na prática é um carro muito lento, que demora muito a ganhar velocidade, e que se torna inseguro para uso em estrada, pois as retomadas de velocidades são muito lentas, expondo motorista e passageiros a riscos além do normal. Fica claro que o Mobi é um carro para ser usado em deslocamentos urbanos, e, em rodovia, exige cuidados em função de sua baixa performance.

Fiat Mobi - teste de longa duração

Em relação à suspensão, ela adota um ajuste macio, que privilegia o conforto, mas acaba reduzindo os níveis de aderência em curvas (o Mobi "canta pneu" em curvas muito facilmente), porém quando ele começa a desgarrar, o faz de maneira neutra e controlada, facilitando a vida do motorista na correção. Ademais, a suspensão se mostra muito robusta, com altura adequada em relação ao solo - nunca ralamos a parte inferior do carro, mesmo abusando em algumas lombadas.

Fiat Mobi - teste de longa duração

Evidentemente essa característica do Mobi será sanada quando o modelo receber os modernos propulsores de três cilindros da Fiat, os Firefly, que conferiram uma agilidade e eficiência notáveis ao Uno 2017.

Visibilidade traseira comprometida

Além do desempenho limitado, outro aspecto que consideramos inadequado no Fiat Mobi é a visibilidade traseira (mostrada no vídeo abaixo), a qual é muito prejudicada pela largura excessiva da coluna "C". Essa estrutura tem sua espessura disfarçada pelos adesivos pretos complementares alocados na área envidraçada lateral e no complemento superior da lanterna.



Ocorre que internamente a largura da coluna prejudica muito a visibilidade do motorista em conversores à direita, sobretudo em vias de acesso em ângulo oblíquo (acima de 90 graus), quando fica praticamente impossível ver quem vem nas vias de acesso, tornando a manobra muito insegura.

Direção pesada em manobras, raio de giro elevado

Ainda no rol dos itens que merecem revisão está a direção, cuja assistência hidráulica a torna relativamente pesadas em manobras urbanas, especialmente se comparadas com a levíssima direção elétrica do Up!. Outro aspecto que desagrada um pouco é o raio de giro, elevado para um sub-compacto - que acaba exigindo manobras adicionais em estacionamento. Aguarda-se a adoção da direção elétrica no Mobi em breve, junto com o novo motor, algo que deve corrigir esses pontos.

Fiat Mobi - teste de longa duração

Por outro lado, o uso do Fiat Mobi ao longo desses 6.000 km revelou muitas qualidades desse sub-compacto. A primeira e mais notável é sua qualidade construtiva, que fica patente na solidez transmitida pela carroceria, silêncio interno e comportamento dinâmico agradável.

Bom acabamento e qualidade de montagem

O interior se manteve íntegro ao longo desses 6.000 km, sem qualquer ruído de peças soltas, exceto um pequeno oriundo da quebra do suporte plástico da cobertura do porta-malas. No geral, o interior mostra um acabamento muito superior ao visto em outros modelos de acesso da Fiat, com montagem demostrando precisão, materiais plásticos de qualidade e de tonalidade uniforme.

Fiat Mobi - teste de longa duração

Ainda está aquém do nível de acabamento mostrado no Up!, mas o acabamento interno e externo do Mobi impressiona bastante e agrada até aos mais exigentes.

Fiat Mobi - porta-malas

O porta-malas, com seus 225 litros, mostra-se prático para uso em cidade, mas aqui há também aspectos que poderiam melhorar. A abertura externa só com chave (não há acionamento por controle remoto).

Fiat Mobi - porta-malas

E, no momento do fechamento, não há um puxador para que o usuário possa colocar sua mão e fazer o movimento de fechamento da tampa de vidro, obrigando ao motorista colocar os dedos na fechadura (que pode machucar) ou na parte externa, que, se estiver suja, será muito desconfortável.

Conclusão

O Fiat Mobi Like é um modelo sub-compacto bastante adequado para o uso a que se propõe, que é circulação urbana, ambiente onde suas limitações de desempenho podem ser relativizadas.]

Fiat Mobi - teste de longa duração

E também suas qualidades, como silêncio interno, robustez da suspensão, conforto ao rodar e prazer ao dirigir são ressaltadas.

Postagens relacionadas:

17 comentários:

  1. ... desde qdo carro lento é perigoso em rodovias? Se vc souber respeitar o limite do carro e o limite da via, creio eu q não seja tão perigoso !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior que é Leandro. Faz uma viagem num Up mpi e depois num Gol 4 cil 1 litro numa estrada mao simples lotada de bitrem.sds

      Excluir
    2. concordo, já tive um fiesta sedan 1.0, e na estrada era dureza!

      Excluir
    3. Não entendo os comentaristas relacionarem sobre velocidade de veículos 1.0
      Primeiramente: são veiculos destinados para a cidade;
      Segundo: como se no Brasil pudéssemos desenvolver altas velocidades como nos USA e Europa, com nossas rodovias em péssimo estado e lotadas de radares

      Excluir
    4. Só não é perigoso se você ficar na direita e não tentar ultrapassagem.

      Excluir
  2. Eu sei bem o que ele esta falando, esse motores sao muito fracos parece que o carro esta lotado de bagagem, sensacao inesxistente no Up! por exemplo

    ResponderExcluir
  3. O Mobi despertou em mim um profundo sentimento de respeito em relação à FIAT! Jurava que essa montadora não teria a capacidade de produzir algo pior que o Uno! Eis que surge o Mobi! A FIAT sempre se supera na ruindade! Não deve ser fácil, haja dedicação! Parabéns FIAT!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rodrigo, durante anos só compramos carros Fiat. Até o dia que fui ver a finada Idea em 2002 no lançamento. Pensava em trocar meu Palio naquela minivan ou sei lá. Eu queria me livrar daquela plataforma onde o pé esquerdo da embreagem prendia entre o pedal e caixa da roda. Pois a Idea era igual, um carro caro na época, um engodo. Comprei um New Corsa Hatch, na época um show, muito espaço pro pé. Nunca mais Fiat. O Mobi não me causa espanto, já esperava por mais um armengue em bom baianes. Quero ver o crash test deste MobiMobi...

      Excluir
  4. O Mobi é muito bonito, com desenho que humilhou o Up!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem gosto pra tudo parceiro, só devo lamentar. Sds

      Excluir
    2. Oi?????!!!!!
      Te recomendo uma consulta com um bom oftalmologista, com urgência!
      Tá precisando...

      Excluir
  5. Ele é classificado de inseguro por que não tem torque para uma ultrapassagem mais rápida.

    Realmente sua concepção é para carro puramente urbano.

    ResponderExcluir
  6. Será porque vende mais do que o UP? Pelo visto, o UP é bem melhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vende mais por enquanto, vos ver pir quanto tempo a Fiat vai aguentar vender esse lixo por 4 mil abaixo da tabela. Pago 40 mil num Up mas não pago 30 mil num Mobi.

      Excluir
  7. O Mobi, com ar desligado e apenas 1 passageiro, dá conta na estrada, creio eu. Motor 1.0 é feito pra girar, não tem jeito. Segundo avaliação no Autoentusiastas, ele atinge 1ª 40 km/h; 2ª 77 km/h; 3ª 119 km/h; 4ª 152 km/h. É reduzir e fincar o pé sem dó! Aí o consumo...bem...

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.