Car.blog.br

Pesquisar este blog

Carregando...

Impostos fazem carros brasileiros custar até 93,5% mais caros que no México

Categorias: , , , , , , , , , , 53 Comentários

Os preços dos carros no Brasil estão entre os mais elevados do mundo, e isso decorre, principalmente dos exorbitantes impostos que são aplicados aos automóveis no Brasil. Para constatar o quanto os consumidores brasileiros são extorquidos pelos impostos já mostramos como o Corolla fabricado no Brasil é vendido na Argentina por R$ 40.588 reais, e também o Honda Civic 2012, que, fabricado no Brasil, chega aos nossos hermanos por R$ 48.300 reais.

Gol Trend 2013 - Impostos carros brasil

O que pensar, então, do VW Gol Trendline 1.6 básico, que no Brasil custa a partir de R$ 34.250 reais, e o mesmo carro fabricado no Brasil é vendido no México pelo equivalente a R$ 17.700 reais (121.900 pesos mexicanos)? Ou seja, o consumidor brasileiro paga 93,5% mais caro que um mexicano pelo mesmo Gol produzido no Brasil.

Preço do VW Gol Trendline fabricado no Brasil e vendido no México - 121.900 pesos mexicanos (R$ 17.600 reais)

Preço do Gol Trendline vendido no Brasil - R$ 34.250 reais (93,5% mais caro que no México)

Impostos sobre os carros no Brasil

Algumas reportagens sobre incidência de impostos sobre automóveis no Brasil, como esta do G1, sustentam que a carga tributária sobre carros no Brasil varia de 27% a 40%. Ocorre que a carga tributária sobre automóveis no Brasil é bem superior a 40% e vamos mostrar os motivos.

A reportagem acima do G1 considerou como impostos aplicados aos carros no Brasil apenas o IPI, ICMS e PIS/COFINS. Se tomarmos com exemplo o caso do City, um carro de motor 1.5, que que não pega a faixa mais elevada de IPI, observamos que só o IPI somado ao ICMS resultam em 31,3% do valor do carro.

Esse valor é possível constatar quando se observa um City EX AT, que tem preço público de R$ 67.000 reais, e o mesmo carro quando vendido para deficiente físico sai por R$ 51.000 reais. Como a isenção para deficiente físico engloba apenas IPI e ICMS, verifica-se que o preço normal é 31,3% ao do mesmo carro sem IPI e sem ICMS. Se somarmos a incidência do PIS/COFINS, que no caso dos automóveis é de 8,43% (regime não cumulativo e monofásico), observa-se que só de IPI, ICMS e PIS/COFINS para a faixa de motor intermediária,q ue vai até 2.0, já temos 40% de carga tributária.

Mas os impostos aplicados nos carros brasileiros não param por aí. Além desses, nós, consumidores, ainda pagamos IRPJ, CSLL, IOF, CIDE e Imposto de Importação sobre os componentes importados, que podem chegar a 35%. Além disso, como tais impostos são aplicados de forma cumulativa em toda a cadeia produtiva, eles acabam incidindo sobre os demais impostos, em uma cascata de impostos que produz essas aberrações de carros fabricados no Brasil custando a metade do preço no México, mesmo com o carro vendido lá incorrendo em custos de transporte.

O fato é que a comparação com os preços dos carros no México permitem estimar o nível de carga tributária dos carros brasileiros. Isso acontece pois os impostos pagos pelos brasileiros são retirados dos carros exportados, por força de vários dispositivos legais, como a Emenda Constitucional nº 33, de 2001, que exluiu da base de cálculo das contribuições federais o PIS/COFINS, a CSLL e a CIDE.

A Receita Federal tenta cobrar a CSLL das empresas, mas a maioria não está pagando CSLL sobre produtos exportados, já que existem decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) a favor das empresas, como o caso da decisão do Ministro Celso de Mello de 2007.

Além disso, o próprio Ministério da Fazenda permite desde 2005 que as empresas apliquem todo ano um “reajuste contábil“ no valor do produto exportado para suas próprias unidades no exterior (em 2011 foi de 11%). Como a base de cálculo sobre o produto exportando é a diferença entre o valor de mercado e o valor exportado na cotação da taxa de câmbio (o que por si só já reduz em muito a base de cálculo, sobretudo em relação ao valor pago pelo produto nacional, que é sobre o valor "cheio" e não sobre a diferença), quando se aplica o reajuste cambial, a base de cálculo é ainda mais reduzida e em muitos casos anulada, isentando na prática o IRPJ também sobre o produto exportado.

Assim, esses números permitem-nos estimar a carga tributária aplicada sobre carros no Brasil é muito superior aos 40% propaladas, podendo chegar a algo entre 55% e 70%, dependendo do tipo do carro. Ou seja, de cada R$ 100 reais pagos em um carro, de R$ 55 a R$ 70 reais vão para o governo.

E o lucro das montadoras?

É fato que o mercado brasileiro é relativamente fechado o que permitiria, em tese, as empresas aumentarem suas margens de lucro. Ocorre que como as montadoras instaladas no Brasil não são S/A, então elas não têm balanços públicos, o que impede de avaliarmos a real taxa de lucro auferida na comercialização de automóveis no Brasil.

De qualquer forma, o mercado brasileiro já conta com muitas empresas e fábricas, sendo que nenhuma delas detém mais de 40% do mercado - situação que caracterizaria mercado oligopolizado. De fato, segundo os conceitos usados pela SDE/MJ - Secretaria de Defesa Econômica do Ministério da Justiça, o mercado brasileiro de automóveis é considerado competitivo, o que é um elemento que coloca as margens de lucro em níveis "justos".

Além disso, é preciso considerar que se vender carros no Brasil fosse tão mais lucrativo que no México e na Argentina, então por qual motivo as montadoras brasileiras continuam a vender carros nesses países, incorrendo em custos de transporte e burocracia, sendo que no final iriam lucrar menos?

Se os lucros no Brasil fossem tão mais elevados que na Argentina e México, então, obviamente, as montadoras brasileiras não iriam vender nenhum carro fabricado no Brasil nesses mercados, pois estariam deixando de lucrar muito mais no Brasil.

O que se observa no mercado de automóveis, também, não é diferente do que se verifica em outros produtos ou serviços. Tudo no Brasil é mais caro: serviços, roupas, equipamentos eletrônicos, o que evidencia que a carga tributária à qual é submetido o cidadão brasileiro é escorchante e exorbitante.

Se essa carga de impostos fosse, ao menos, usada para fornecer aos cidadãos brasileiros escolas públicas, hospitais, estradas e demais serviços públicos de boa qualidade, até que seria aceitável. Mas, infelizmente, o que vemos no Brasil é algo bem diferente, com serviços públicos de péssima qualidade e estradas e ruas esburacadas.

Conclusão

O preço exorbitante dos carros no Brasil tem um culpado - IMPOSTOS - e muitas vítimas - CONSUMIDORES. Os preços dos automóveis brasileiros carregam uma carga tributária composta de IPI, ICMS, PIS/COFINS, IRPJ, CIDE, CSLL, IOF e Imposto de Importação sobre componentes importados.

A comparação entre os mesmos carros produzidos no Brasil e vendidos no México e Argentina permite-nos estimar que a carga tributária total aplicada aos carros no Brasil variem entre 55% e 70%, o que faz com que, de cada R$ 100 reais pagos em um carro 0KM no Brasil, de R$ 55 a R$ 70 reais vai para os cofres do Governo.

53 comentários:

  1. E são só os impostos??? Tá bom... e as montadoras são casas de caridade que não se aproveitam da nossa ignorância, empurrando carroças a preço de ouro... Se o problema fosse APENAS os impostos, por que haveria muitas montadoras querende vender seus produtos por aqui??? Deve ser porque há algo a mais que elas evitam comentar, pois nenhuma empresa investiria num lugar onde os impostos são escorchantes. Além disso, a carga de impostos nos cigarros e nas bebidas alcoólicas é mais alta que a dos carros, e eu NUNCA vi a ambev ou a souza cruz reclamando de seus resultados... por que será?
    Este é o tipo de reportagem que tenta justificar o injustificável...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, o artigo simplesmente PROVA que o problema dos carros são principalmente os impostos. Foram retirados todos os impostos que incidem nos carros e verificou-se que eles ficam mais baratos que o mesmo carro vendido no México.
      Quando ao lucro das montadoras, qualquer especulação não passa disso mesmo: especulação, já que são empresas de capital fechado e não publicam seus balanços.
      Ocorre que os impostos são públicos, e podemos fazer as contas e verificar que do que se paga em um City no Brasil, 55% a 60% vai para o governo, e o resto vai para a montadora (incluindo o lucro).

      Ou seja, se os impostos no Brasil fossem iguais aos do México, um City, que custa 58k no Brasil, custaria 31K.

      Repito, isto está PROVADO no artigo acima. Portanto, se você tiver alguns questionamento a fazer, faça com base nos argumentos que foram expostos acima, já que simples "achismos" não elucidam a questão.

      Excluir
    2. Murilo, você está realmente precisando aprender (ou reaprender) a LER. Bebidas e cigarros são itens que não foram abordados nesse artigo. E, quando falamos de carros, o assunto realmente abordado, a justificativa para um carro, fabricado aqui no Brasil, pela mesma montadora que vende para o mercado interno, custar a METADE no México, é uma só: IMPOSTOS.

      Excluir
    3. ok, o brasil exporta carros para outros países sem a maioria dos impostos por causa de acordos bilaterais entre países, mas o que o país ganha vendendo para fora? exportação para montadora/governo não gera tanto lucro, e sim para controle de estoque e assim controlar os preços tanto com impostos quanto com lucro. Na verdade ocorre com muitos produtos, é um sistema eficiente para um país deficiente em informações.

      Excluir
    4. É uma pena que seus argumentos se restrinjam ao preço de venda e eventuais impostos, quando esquece o que realmente imposta: o custo de produção do carro e o lucro das montadoras.

      O fato de os balanços destas companhias não serem divulgadas já dá um bom indício de que há coisas que não devem ser conhecidas pelo público. Além disso, só para exemplificar, este mesmo honda CITY que, sem ICMS e IPI poderia ser vendido a R$ 51.000 no Brasil, é vendido no MÉXICO (veja bem, o carro é produzido no Brasil e exportado para o MÉXICO) a R$ 37.000,00.

      Olha que curioso: o carro é produzido no brasil, exportado para o México (ou seja, há o custo do frete), é tributado lá (ainda que com tarifas menores) e chega para o público mexicano a R$ 37.000.

      Isso significa que, ainda que a margem de lucro seja mínima, tanto da montadora brasileira quanto da concessionária mexicana, o custo de produção NO BRASIL deste carro não é maior que R$ 30.000 (caso contrário a venda no méxico daria PREJUÍZO). Resultado: Entre os R$ 51.000 do preço de venda (LIVRE DE ICMS E IPI) e o Custo de Produção no Brasil há R$ 21.000 que não podem ser atribuídos a tributos!!!! É LUCRO DA MONTADORA E DA CONCESSIONÁRIA.

      Felizmente, nossa Presidenta já falou que vai atacar essas distorções: exportação de lucros das montadoras, para manter suas matrizes em outros países. AINDA SOMOS COLÔNIA DA METRÓPOLE, MEUS AMIGOS!!!!!

      Excluir
    5. PERFEITO! Exatamente como eu penso. Claro que os impostos realmente são ridículos e exorbitantes, mas tem muito besta pra manter esse mercado aquecido. E com essa explicação você PROVA que o lucro das montadoras também é uma extorsão ao nosso bolso.

      Excluir
    6. impostos = roubo

      Excluir
    7. isso nunca vai mudar o Brasil nunca vai mudar, tenho nojo de políticos, não voto em ninguém, e se tudo der certo vou morar nos EUA, onde la o governo não é ladrão, onde as leis funcionam, onde impostos são cobrados de forma correta, onde o dinheiro publico vai para a educação, para a saúde publica, que la é melhor do que muitos convênios aqui no Brasil, isso sem contar os preços de tudo que é MUITOOO mais barato. Brasil é um pais lamentável que não tem visão de futuro, e o que o governo quer é só roubar, roubar e roubar. Que vergonha de ser Brasileiro, adeus Brasil estou indo morar onde ser humano é tratado como merece, cansei de trabalhar pro Governo.

      Excluir
    8. caro amigo anonimo de cima:
      nao votar e' a cagada inicial. significa que vc esta' deixando os filhos controlarem tudo como sempre fizeram. na proxima eleicao vote em algum politico decente (se existir). ou ao menos vamos tentando, pegando um menos ruim nisso ou aquilo. uma hora e' capaz de dar certo.

      Excluir
    9. Vai brincar de tentativa e erro na sua casa maluco para ver se dá certo!
      Povo que não sabe escrever, ainda quer comentar.

      Excluir
    10. Pessoal não sei se vcs lembram mas o 1 azera Hyundai custava em 2007 uns 110 a 120 mil na crise de 2008 o mesmo carro estava sendo comercializado por 70 mil reias. Meu cunhado comprou um Corolla zero que custa 84 mil hoje, por 74 mil já emplacado e com ipva, o que foi a explicação da concessionaria! Que para bater a meta a Toyolex recife faturou no mes de julho 4 Corollas por conta de uma campanha e mesmo sendo 0km fez a promoção de 10 mil reais menor com tudo pago! Explica ai! O revendedores ganham e muito! Trabalhei na Nissan recebi a nota Fiscal do México estava com imposto de importação nela sem icms e os demais impostos citados nesse lixo ai em cima estava 32 mil o topo de linha que custava 90 mil se colocarmos 100% de imposto ainda não daria 90 mil. Tem uma reportagem na uol que o dono da Mercedes bens ele afirma que vende caro no Brasil por que tem quem compre e que a margem de lucro no Brasil é justa para ele e seu enriquecimento e no resto do mundo é sacrificado. Em poucas palavras aqui tem otario pra comprar!
      Viva a bicicleta!

      Vamos comprar usado ser mais humildes bando de bestas carro zero jamais!

      Excluir
    11. Ja sei como resolver tudo isso, todos esses problemas que enfrentamos no Brasil. Explodir o Brasil com bombas nucleares, ou aquelas bombas que foram lançadas em Hiroshima e daí começar tudo de novo.

      Excluir
    12. Kkkkkkkk....demais apesar das averbações explosivas concordo com todos em partes

      Excluir
    13. "Se os lucros no Brasil fossem tão mais elevados que na Argentina e México, então, obviamente, as montadoras brasileiras não iriam vender nenhum carro fabricado no Brasil nesses mercados, pois estariam deixando de lucrar muito mais no Brasil." -> não.
      1. Existe algo chamado "saturação", que é quando por mais que você fabrique mais, não consegue vender mais pois não tem mais quem compre.
      2. Existe uma teoria da curva de demanda quebrada, que descreve que existe um limite inferior do preço que enquanto estiver equilibrado nenhum vendedor irá abaixar o preço, mas se um vendedor baixar o preço abaixo disso, começará uma guerra de preços que afetará a margem de lucro de todos, ou mesmo trará prejuízos.

      Excluir
  2. LOGIMENTE QUE A GARGA TRIBUTÁRIA NO BRASIL É ALTÍSSIMA,QUANTO A ISSO NÃO HÁ DÚVIDA, MAS QUEM ESCREVEU O ORTIGO ACIMA PROVAVELMENTE DEVE ESTÁ A SERVIÇO DAS MONTADORRAS, QUE COMO COLOCOU MUITO BEM O COLEGA ACIMA, NÃO SÃO NENHUMA CASA DE CARIDADES, POIS O MESMO ESTÁ OMITINDO O FATO DE QUE NO BRASIL, AS MONTADORAS TRABALHAM COM MARGEM DE LUCRO MAIOR QUE NOS OUTROS PAÍSES, ISSO É FATO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apenas falar afirmar que "AS MONTADORAS TRABALHAM COM MARGEM DE LUCRO MAIOR QUE NOS OUTROS PAÍSES, , ISSO É FATO" não transforma isso em um fato. Continua sendo uma ilação sem qualquer fundamentação, sobretudo pelo fato de que no Brasil essas montadoras não divulgam seus balanços, já que são empresas de capital fechado.

      Além disso, como mostrado nos cálculos acima, a margem de lucro das montadoras em Brasil e Mèxico são similares. Isso são fatos. Se você tiver algo além de suposições, pode colocar. Como disse, de "achismos" tem bastante por aí.

      Excluir
    2. o que determina a margem de lucro não é exatamente o custo de produção, o mais importante é como o consumidor dá valor para o produto. Por ex. muitas pessoas compram elmachips por 3,00 sendo que o seu custo de produção é o mesmo que o salgadinho que vem num sacão por 1/3 do valor. Resumindo a gente compra não pelo que custa de fato e sim pelo que a gente acha que vale.

      Excluir
  3. O artigo não consta nenhuma "prova" de que os impostos mencionados são os culpados pelo preço de um carro. A menos que se consiga saber o preço de custo para montar um carro X no Brasil, discriminado peça a peça (já que o autor faz questão de mencionar imposto de importação sobre componentes importados), e o valor absoluto de cada imposto cobrado, tudo o que se pode fazer são inferências. E foi exatamente isso o que o autor do artigo fez, várias inferências, nenhuma prova absoluta e incontestável.

    Criar uma teoria que ninguém pode provar que está errada não a torna um fato - isso apenas ocorre quando a teoria é provada verdadeira, coisa que não aconteceu nesse artigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O artigo prova que a carga tributária total em cima dos carros no Brasil varia de 55% e 70%, quando se coloca todos os impostos e não só o IPI e ICMS (que é o que fazem os outros artigos). Então temos um fato: uma carga tributária mínima de 55% em cima do preço dos carros do Brasil. Isso é um fato, e não uma inferência.

      Excluir
    2. pra um gol custar 17000 reais aqui no Brasil a vw teria que vender esse carro a 9500 reais pra dai com 55% de impostos do governo o carro chegar a 17000 pra nos consumidores lesados.

      Excluir
  4. No final das contas o que se vê é um governo ladrão e servil, montadoras acostumadas a lucrar bastante por aqui, revendedoras idem, e os consumidores mais fáceis de se ludibriar que já se viu no mundo, até porque não possuem a cultura de fazer valer o "poder" de seu dinheiro conseguido a duras penas (pechinchar), se organizando em cooperativas de compra. Gostaria de ver se quem já tem carro passasse dois anos sem trocar seu veículo e se quem não tem utilizasse sempre transporte público de massa. como se vê o problema é mais amplo, o governo não investe no transporte público, õnibus, metrô, ferrovias (carga), atendendo sempre ao lob das montadores, ludibriando o míope consumidor brasileiro, invertendo a matriz das necessidades da mobilidade, e assim acaba até conquistanto adeptos a discussões secundárias como esta, que são levadas pela dependência cultural e estrutural que temos por sermos um país pautado no deslocamento por rodovias.
    Ou seja, eles nos impõem a necessidade para que nos tornemos "escravos" do seu produto pagando o preço que querem que paguemos, através de um governo facilmente manipulável pelas montadoras que necessitam extravazar sua produção na busca desenfreada por mais enriquecimento fácil. Assim continuará sempre o ciclo vicioso com as montadoras e outras mais financiando as campanhas políticas e os governos estabelecidos as favorecendo, até que nos recuperemos de nossa letargia, enxerguemos melhor e iniciemos um silencioso, mas eficaz movimento para inverter as necessidades de aquisição bens de consumo, anulando ou minimizando a interferência maléfica dessa indústria predadora do homem e do meio ambiente.

    E viva a bike!



    Helton Gibson

    ResponderExcluir
  5. PREZADOS, COMPAREM, POR EXEMPLO, O HONDA FIT NO SITE: http://automobiles.honda.com/fit/price.aspx?Model=GE8H6CGXW E COMPAREM COM O NACIONAL: http://www.honda.com.br/automoveis/Paginas/honda-fit.aspx

    CONSIDERANDO QUE O "NOSSO" EM TERMOS DE SEGURANÇA É ALGO RIDÍCULO. A VELHA DESCULPA DOS IMPOSTOS NÃO CABE MAIS.
    ISSO PEGANDO A HONDA COMO EXEMPLO... SE FORMOS PARA A GM... A COISA FEDE.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fora o fato da qualidade do material que veem para nós é muito inferior, no brasil parece ser normal um carro 0km cair a roda, fundir o motor, perder o freio, bater no poste...

      Excluir
  6. Se somos obrigado a pagar mais de 50% de impostos, porque 'Elas' não cobraria mais uns 100% no valor das carroças. 'Elas' não são empresas sem fins lucrativo, enquanto tiverem pagando, 'Elas' continuaram vendendo. Li certa vez que o imposto sobre carro nos EUA é de 6%. E quem lucra com tudo isso? Haaaa, o governo e as financeiras.O governo com os imposto, os mais de 50% das 'carroças'+ipva e as financeiras que lucram com financiamento, compre uma 'carroça' de 25k e page no total 45k. Mas isso é o de menos, o governo deu isenção de 20 bilhões as montadoras de automóveis. Mas recusou a dar isenção de 3 bilhões para medicamentos, o que beneficiaria diretamente a população.

    ResponderExcluir
  7. Os impostos que vc somou aí, tipo IRPJ e CSLL das empresas, para se ter uma base justa, também teria que ser adicionado ao preço nos outros países, ou vc acha que imposto de renda pessoa jurídica só empresa brasileira paga? Você está sendo tendencioso e forçando a barra para culpar só os impostos, mas utilizando dois pesos e duas medidas. O fato é que tributamos muito o consumo, e teríamos que tributar mais a renda e um pouco mais em impostos sobre propriedade. Tributar jatinhos e iates, bem como a distribuição de lucros das empresas, tudo isso hoje é isento, representaria uma receita adicional que poderia ter como contra-partida a redução de impostos sobre o consumo. Mas são medidas racionais que afetam os poderosos, e vai demorar muito pra isso acontecer.

    ResponderExcluir
  8. Válida sua análise mas fica provado que não só imposto que faz o carro no Brasil ser tão caro, não é atoa que varias montadoras chinesas e Japonesas estão vindo para o Brasil com preços mais baixos e que concorrentes e mesmo assim tendo uma margem de lucro maior que em outros países.

    http://www.valor.com.br/empresas/2808660/imposto-lucro-e-demanda-ajudam-explicar-preco-de-carro-no-brasil

    http://www.gazetadopovo.com.br/economia/conteudo.phtml?id=1291845&tit=Anfavea-sobre-carros-mais-caros-no-Brasil-montadoras-precisam-de-lucratividade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa, resposta sensata, quem sabe num futuro próximo esse aumento de concorrência das montadoras essa lucratividade alta, diminua e os preços também, mas tbm tem q diminuir impostos.

      Excluir
    2. viu Fábio Luis Mendes é FATO e não suposições, o povo não é ingenuo os links acima muito bem postados prova o que todos já sabiam menos vc hehe.

      Excluir
  9. Ok, então porque um Camaro nos EUA custa 50 mil e no Brasil 200 mil... vai falar que tudo isso é imposto... a para vai...

    ResponderExcluir
  10. osmar

    As montadoras têm uma margem de lucro muito maior no Brasil do que em outros países. Uma pesquisa feita pelo banco de investimento Morgan Stanley, da Inglaterra, mostrou que algumas montadoras instaladas no Brasil são responsáveis por boa parte do lucro mundial das suas matrizes [...] O analista Adam Jonas, responsável pela pesquisa, concluiu que, no geral, a margem de lucro das montadoras no Brasil chega a ser três vezes maior que a de outros países.

    O Honda City é um bom exemplo do que ocorre com o preço do carro no Brasil. Fabricado em Sumaré, no interior de São Paulo, ele é vendido no México por R$ 25,8 mil (versão LX). Neste preço está incluído o frete, de R$ 3,5 mil, e a margem de lucro da revenda, em torno de R$ 2 mil. Restam, portanto R$ 20,3 mil

    ResponderExcluir
  11. que o Brasil e seus políticos que se danem. Eu moro nos EUA, aqui é tudo melhor, onde uma latinha de Coca-Cola custa $0,19 cents, comprei um Jetta 2010 completo branco top com banco em couro e tudo mais, sabem quantooo? $16.000,00 dólares, ainda paguei caro porque não pesquisei, quando eu morava ai nesse lixo Brasil, eu jamais poderia ter um Jetta, aqui Corolla é carro de pobre, com 50 mil dólares você compra um porsche, e ai??? aqui vivo super bem ganhando 3 mil dólares por mês, vivo como rico, não vou dizer que trabalho pouco porque trabalho bastante, mas mesmo assim, ai no Brasil eu trabalhava mais e não tinha nada. Venham morar aqui na Carolina do norte, ótima cidade tudo barato, ah onde eu comprei meu Jetta tinha um corolla 2009 prata lindo por 10 mil dólares, só pra vocês compararem com o preço ai no Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ah pra não dizerem que um corolla 2009 aqui não é possível comprar com 10 mil dólares, veja isso como exemplo http://www.automobilemag.com/ni/classifieds/147606/1177/

      Excluir
  12. se ninguem comprar eles vao ter que abaixar muito ou então quebrar de vez, agora ficar ouvindo conversinha fiada de governo que "tirou impostos" vai se lascar..

    ResponderExcluir
  13. não consigo me conforma como isso, eu q sou um amante de carros, esses impostos absurdos que são cobrados e além do mais nós sabemos disso e simplesmente não fazemos nada pra resolver. sinceridade somos verdadeiros "burros"
    imagina o tanto de imposto que o governo a recada e o que eles fazem por nós "nada" só nós roubam e na cara dura e agente o que faz? "nada" simplesmente nada.....

    ResponderExcluir
  14. Sim!! os fatos são estes e muito mais! ..

    Mas o que fazer para mudar? Quando isso vai mudar? Como fazer esses tributos baixarem?

    ResponderExcluir
  15. Muito boa a reportagem, parabéns. Seria interessante agregar à esta matéria um exemplo de cálculo na comercialização dos veículos com e sem impostos. Fica a dica.
    Abraços !

    ResponderExcluir
  16. É simples resolver isso... quer carro com preço justo, não compre carro zero, encalhe os carros no patio das montadoras. Quando o governo vir com redução de IPI deixa pra la... continue comprando carro usado semi novo. Inflacione o mercado de usado, mas não compre carro zero. Se não ha demanda a montadora não vende o governo não arrecada e a montadora vai pressionar o governo para uma solução.
    Ai quando o governo anunciar algo como redução de algum imposto ou algo do tipo procure pechinchar ao máximo, tem pagar menos por mais...
    Mas sempre haverá uma duzia de pessoas que vão pagar 200 mil num carro de 50 mil... A culpa é sua consumidor... a sociedade não se organiza, nao se mobiliza. Entao paga 30 mil em carroça que vale 16 mil...

    ResponderExcluir
  17. muita ignorancia e falta de calculadora aqui = censo comum ensinado pela rede globo a quem nao estuda e quer aprender pela tv. Impostos sao altos: no caso do automovel do Brasil é de mais de 35% sobre o valor do carro, enquanto no México de 30%. 5% a mais nao justifica o dobro do preço, ai eles dizem que o trabalhador brasileiro tem impostos também na folha salarial. Ai vem o governo e corta o IPI, mas o valor continua o dobro. O quarto maior mercado automobilistico do mundo, que fabrica em larga escala, dando o maior lucro do mundo a elas, assim como conseguiam os bancos aqui. A Dilma deu o recado, mas ainda nao obrigou elas a mostrarem a margem de lucro. Ai fica por conta do brasileiro usar a restrição orçamentária e não comprar caro, mas mesmo assim ele compra.

    ResponderExcluir
  18. Fora os lucros de montadoras e impostos ainda tem o IPVA, LICENCIAMENTO, DPVAT, RENAVAM, AUMENTO DE COMBUSTIVEL, e etc... eu moro na capital de Rondonia e se tiver 15% do asfalto inteiro da cidade sem algum buraco ( e diga- se de passagem: nao e qualquer buraco, sao crateras) eu mudo de nome. Pra onde vai mesmo os impostos do IPVA?

    ResponderExcluir
  19. Resumindo:
    O problema não são os impostos:
    1- Se a influencia dos impostos fosse realmente importante aqui não se compraria nada.
    2 - O povo que, o povo compra foda-se dívida, juro, imposto....
    3- Se diminuir o preços dos carros estes vão ter que voar porque não tem mais espaço, isso espaço nas ruas. Espera, que ruas?
    Agora chegamos ao ponto. O problema nisso tudo é . ONDE ESTÃO OS IMPOSTOS?

    ResponderExcluir
  20. Imposto é Alto e em cascata, principalmente se levarmos em conta que Estados curram 18%, o Governo Pega a sua parte em IPI, Cofins.... Mas as montadoras as margens estão em 30%, em lugar nenhum no mundo elas tem um lucro tão expressivo é uma sacanagem ainda maior se pensarmos que os carros exportados vão com todos os itens de segurança, mais os opcionais ou seja aqui se quiser pagar por um ar condicionado num pais tropical quente, você paga o certo seria deixar de comprar carros por 03 meses vocês viriam as ofertas e as modificações, e mais 80 por cento do carro é plastico ruim com acabamento péssimo

    ResponderExcluir
  21. Bando de amebas, busquem Lucro Brasil "Honda City" no google, O autor desse artigo é tão ingênuo que ser quer considera custos de operação e as pecularidades de atuação em cada mercado. O fato de sair bem mais barato no México é que o mercado é mais aberto e liberal, e por isso os mexicanos não pagariam tão caro num carro. O lucro da Honda no city brasielrio é de R$15.000, enquanto no méxico é de R$4.000. A diferença de 67.000 e 51.000 é de 23, 9% e não 31,3% como dito no artigo. O imposto não é calculado por comparação, mas sim por alíquota fixa. O ICMS no estado de SP é de 12% e o IPI era de 2% em 2012. O resto é parte do lucro, que foi enxugado como imposto para ludibriar o leitor. Os impostos na cadeia de suprimentos já está presente nos preços dos fornecedores, seja vendendo aqui ou lá fora, esses impostos já foram pagos. Papo furado demmmaiiis, a globo só engana gente ignorante mesmo, o cara ainda tem coragem de questionar a lucratividade do segundo maior mercado de automovéis do mundo.

    ResponderExcluir
  22. El que se le atribuya el precio exorbitante a la alta carga tributaria es una falacia, los autos exportados son vendidos al exterior a costo de produccion "SIN IMPUESTOS", una economia abierta como la de Mexico trae consecuencias tambien muy desfavorables que nunca fueron mencionadas. Mientras un trabajador brasileiro tiene derecho a 30 dias de vacaciones, a los vales de alimentacion, al "Fundo de garantia", etc, etc, etc. En las economias abiertas los beneficios a los trabajadores tambien es menor, y la competitivad entre las distribuidoras es muy dura.
    Los trabajores no tienen un piso ni un sindicato que "proteja" los intereses de los trabajadores. Y para poder competir con otros mercados abiertos los impuestos deben ser menores como ya tanto se ha hablado.

    ResponderExcluir
  23. Acho ele "bonitinho" e penso que deva ser econômico também. Mas vamos falar a verdade... carro no Brasil custa o dobro do que vale. Fiz uma pesquisa interessante em sites internacionais de venda de automóveis (americanos e europeus) e adivinhem... somos sobretaxados ao extremo... Se comparar nossa renda com a dos gringos a situação só piora.Lamentável! Sabe por quê isso ocorre? O brasileiro sempre compra ZERO e não importa se é explorado. Se o esforço não for coletivo, não adianta...vai continuar assim mesmo (lei da oferta e da procura) .

    ResponderExcluir
  24. Belo artigo, ajuda a desmistificar o pagamento de impostos, tbm concordo que fica difícil de se fazer um oligopólio com todas as 15 ou mais montadoras no Brasil , é certo que os impostos contribuem com a maior parte do custo de um automóvel na terra do palhaço banana... São muitos impostos e esses não são todos, têm os impostos que incidem na cadeia de produção que as montadoras pagam, em energia elétrica, em benefícios e salários e em tudo que consomem na produção que são embutidos no custo de produção e pagos tbm pelos estrangeiros que compram carros produzidos no Brasil, em outros países!!! excelente!!!

    ResponderExcluir
  25. estava vendo um camaro por 54.000 nos EUA e no Brasil 200.000 como explicar este valor de imposto?

    ResponderExcluir
  26. Que lógica é essa? Se produz aqui e se vende fora é mais bararo produzir aqui. Caso contrário se produziria fora. Há lucro aqui e ainda mais. Quanto aosimpostos sim, mais caros aqui e refletem no preço final.

    ResponderExcluir
  27. Correr e ir comprar meu carro no México.

    ResponderExcluir
  28. Isso é papo furado pois já estudei os preços em países com carga tributária semelhante este "vendido" esta sendo pago para publicar este discurso... somos tirados de otarios todos os dias e mais ainda quando alguém levanta a questão de impostos como justificativas para preços altos

    ResponderExcluir
  29. "É fato que o mercado brasileiro é relativamente fechado o que permitiria, em tese, as empresas aumentarem suas margens de lucro. Ocorre que como as montadoras instaladas no Brasil não são S/A, então elas não têm balanços públicos, o que impede de avaliarmos a real taxa de lucro auferida na comercialização de automóveis no Brasil" Se não tem como saber qual o real lucro das montadora, então é achismo, dedução.

    ResponderExcluir
  30. "Se os lucros no Brasil fossem tão mais elevados que na Argentina e México, então, obviamente, as montadoras brasileiras não iriam vender nenhum carro fabricado no Brasil nesses mercados, pois estariam deixando de lucrar muito mais no Brasil." Conversa fiada, eles vendem nos outros países porque tem produção, cada país pode ter uma margem de lucro diferente, neste momento os estoques no Brasil estão abarrotados e acha que eles não venderão para outro país mesmo com menos lucro? O problema somos nós otários que pagamos o que eles querem.

    ResponderExcluir
  31. Amigo anônimo, porque sua insistência em perguntar cadê o imposto?...Ou vc não é vive no Brasil, ou é funcionário público querendo mais imposto, membro de partido do governo, filho de político ou o próprio, ou, é apenas um militante mesmo. É óbvio que qualquer fabricante instalado em um país que inviabiliza uma economia de escala satisfatória na venda de seus produtos através de impostos excessivos, vai colocar sua margem de lucro num patamar maior. Você faria isso. Certo?

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.