A BMW pretende lançar seu modelo movido a hidrogênio ainda este ano, e, antes disso, está atualmente concluindo os testes de inverno do SUV de célula de combustível na Suécia. O foco está particularmente no desempenho em temperaturas abaixo de zero.
BMW ix5 Hydrogen finaliza testes no inverno para lançamento em 2022
O modelo será produzido em pequena série. Os testes iniciaram com o carro denominado i Hydrogen Next, e posteriormente renomeado iX5 Hydrogen.
BMW ix5 Hydrogen finaliza testes no inverno para lançamento em 2022
Durante os testes de inverno, os engenheiros querem garantir o funcionamento do trem de acionamento da célula de combustível, composto pelo sistema de célula de combustível, os tanques de hidrogênio, a bateria de reserva de energia e a unidade central de controle do veículo, mesmo em condições adversas.
BMW ix5 Hydrogen finaliza testes no inverno para lançamento em 2022
O resultado: "Os testes de inverno sob condições extremas mostram claramente que o BMW iX5 Hydrogen oferece desempenho total mesmo em temperaturas de 20 graus negativos e, portanto, é uma alternativa válida ao BEV", diz o membro do conselho de desenvolvimento Frank Weber. “Para poder oferecer aos nossos clientes uma oferta atrativa de mobilidade sustentável com uma célula de combustível, também é necessária uma infraestrutura de hidrogênio adequada”.
BMW ix5 Hydrogen finaliza testes no inverno para lançamento em 2022
Se essa infraestrutura estiver instalada, como no centro de testes da BMW, o reabastecimento com hidrogênio leva “de três a quatro minutos”. Além disso, a gama de BMW ix5 Hydrogen permaneceu funcional no frio congelante e o desempenho total do sistema estava disponível logo após o início, resume a BMW.
BMW ix5 Hydrogen finaliza testes no inverno para lançamento em 2022
"Independentemente da época do ano e das temperaturas externas, a tração a célula de combustível de hidrogênio combina o melhor dos dois mundos de propulsão: a mobilidade local livre de emissões de um veículo elétrico e a adequação irrestrita para o uso diário, incluindo paradas curtas para reabastecimento, como é conhecido a partir de modelos com motores de combustão", diz Jürgen Guldner, chefe da tecnologia de célula de combustível de hidrogênio do BMW Group e projetos de veículos.
BMW ix5 Hydrogen finaliza testes no inverno para lançamento em 2022
Os principais dados técnicos são amplamente conhecidos desde 2020 : O hidrogênio (até 6 kg) é armazenado em dois tanques de 700 bar feitos de material composto de fibra de carbono. A célula de combustível da Toyota no compartimento do motor tem uma potência de 125 kW, mas o motor elétrico na traseira tem uma potência de 275 kW (374 cv). Se o motor elétrico exigir mais do que os 125 kW que a célula de combustível pode fornecer, a energia é adicionada a partir da bateria tampão de desempenho montada acima do motor elétrico. Como nos anúncios do ano anterior, a BMW não especifica o conteúdo de energia da bateria de backup e o alcance do iX5 Hydrogen.
BMW ix5 Hydrogen finaliza testes no inverno para lançamento em 2022
A BMW está deixando em aberto o futuro dos acionamentos com células de combustível em carros de passeio além das pequenas séries: acionamentos além dos modelos elétricos a bateria. "Desta forma, os requisitos de mobilidade dos clientes em particular podem ser atendidos que não têm acesso próprio a uma infraestrutura de carregamento elétrico, que geralmente percorrem longas distâncias ou desejam um alto nível de flexibilidade".
BMW ix5 Hydrogen finaliza testes no inverno para lançamento em 2022
Para tornar isso possível, a BMW apoia os planos da UE para construção paralela de postos de abastecimento de hidrogênio e uma infraestrutura de carregamento elétrico. "Gostaríamos de ver um design ainda mais ambicioso e uma implementação antecipada", diz Guldner. Em vez de um posto de gasolina de 700 bares a cada 150 quilômetros até 2027, a BMW está pedindo que as distâncias sejam reduzidas para 100 quilômetros.

18 Comentários

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.

  1. BMW e Toyota estão saindo na frente nesse quesito. O Hidrogênio é a substância mais abundante, poderosa e renovável na face da terra e ainda por cima não polui.

    Poderemos ter ainda motores à combustão e não poluentes e, com a evolução da tecnologia, creio que esses motores ainda chegarão num patamar de eficiência muito maior que os com combustíveis fósseis e vegetais.

    Torcendo pra essa tecnologia vingar e a estruturação para extração de H2 se tornar eficiente e mais barata...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim!

      Além disso, já aproveita a infraestrutura dos postos é só adicionar mais um combustível, igual o GNV.

      Para caminhões e maquinas pesadas de trabalho que não podem ficara paradas esperando as baterias carregarem é uma boa alternativa.

      Tem espaço tanto pros elétricos e hidrogênio.

      Excluir
    2. Vai nessa,só um vai vencer,não tem espaço pra bombas sobre pneus e trilhos

      Excluir
  2. Putz roubada essa tecnologia de hidrogênio. primeiro que tem que andar com uma bomba dentro do carro, que se der problema nesses tanques pressurizados, ou bate o carro, já era quem tá dentro. uma explosão louca.
    O pior porém a ineficiência, pq a vantagem do motor elétrico é eficiencia de 95%, e o hidrogênio é a combustão, então, termodinamicamente falando, a eficiência é de 35%.
    Ridículo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Errado como sempre.

      Não é a combustão, usa o hidrogênio para produzir eletricidade através de células de conversão, o único "resíduo" é água pura.

      A BMW é experta e está usando a melhor célula de todas que é feita pela Toyota, que vem aprimorando a tecnologia desde 1992.

      Excluir
    2. A questão não é o resíduo na transformação. A eficiência do sistema a hidrogênio é muito baixa. É necessário de cada 100 J de energia elétrica que e usa para extrair hidrogênio da água, menos de 90 J ficam armazenados no tubo de hidrogênio. Essa energia química precisa ser transformada em elétrica novamente para alimentar a bateria, e, com isso, impulsionar o motor elétrico. Como em toda transformação de energia química para cinética ou elétrica, o redimento témico máximo é de 35%. Então, 90J armazenados, vc terá apenas 31,5 J no máximo na bateria. O rendimento do ciclo completo é na melhor das hipóteses de 31,5%.
      Enquanto num carro BEV, de 100J extraído da usina hidroelétrica, ou solar, os 99J são armazenados na bateria, e geral 94J de energia mecânica. Não tem nem como comparar 1 com outro.
      Essa tecnologia de hidrogênio é morta.

      Excluir
    3. Fonte: https://www.scielo.br/j/qn/a/mMjVcPGb4XNQMyVx9JMX5gN/?lang=pt

      Excluir
    4. Tá bom, Carlinha, senta lá agora

      Vc realmente sabe muito mais do que toda a equipe de engenheiros da Toyota e da BMW

      Na verdade, nem sei pq vc tá aqui comentando em um blog regional. Vc deveria estar recebendo seu prêmio nobel de física e química kkkkkkkkkkkk

      Excluir
    5. Na boa, não adianta, infelizmente você não conhece o assunto a fundo:

      1) Formas de Produção do Hidrogenio
      "Atualmente, 99% do hidrogênio usado como combustível é produzido a partir de fontes não-renováveis.

      E menos de 0,1% é produzido por meio da eletrólise da água, de acordo com a Agência Internacional de Energia."

      https://www.bbc.com/portuguese/geral-56604972

      É chamado de Hidrogênio Verde quando é feito por fontes renováveis, além da eletrólise, tem a redução de óxido de ferro e biorreatores de algas (pode pesquisar) que são bem mais eficientes e baratos.

      O hidrogênio usado no Japão, Europa e EUA são chamados de Hidrogênio Cinza por ser feito de gás natural, carvão, petróleo e etc.

      Além disso, o sistema é bem mais leve, é o tanque com 6Kg de hidrogênio x 300~500kg de baterias e pode ser reabastecido em minutos, tem várias vantagens.

      Excluir
    6. SHITcarlos vendedor de gol achando que sabe mais que engenheiro da BMW.

      Excluir
    7. Engenheiro desses devia enfiar o diploma no cu

      Excluir
  3. Carlutcha, não procede sobre os tanques, exitem tanques especiais que possuem carvão ativado entre outros recursos e que baixam significativamente a pressão interna, tonrando o hidrogênio extremamente estável.

    há duas opções para a aplicação do hidrogênio:
    1. células de energia (eletrólise do hidrogênio gera eletricidade e o subproduto é vapor d'água)
    2. Motores a Combustão pura (queima do hidrogênio - também gera vapor d'água;

    Não, a tecnologia do hidrogênio NÃO É MORTA e está vingando. Alguns fabricantes devem sair muito à frente e será uma alternativa, como dito aqui pelo EnergyDrink, máquinas e equipamentos além de veículos pesados poderão se beneficiar muito dessa tecnologia.

    Para de ser tendencioso só porque a VW não quer investir nisso. Ela é competente, porém não está focada nisso, pode ser que acerte, mas pode ser que não...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não adianta explicar pra essa anta, quando as montadoras começarem a fabricar mais carros com esse tipo de energia, a VW vai entrar nessa e a carlota vai mudar de assunto e dizer que estão no mesmo nível e vão ser melhores, é perda de tempo falar com esse imbecil...

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  4. Carro a hidrogênio é fracasso puro.
    -Não tem segurança alguma.
    -São mais caros que um elétrico a bateria.
    -Fazer um posto de hidrogênio é caro enquanto existem até aqui no Brasil eletropostos com energia solar.
    -Mirai da Toyota e Nexus da Hyundai fracassaram,Clarity FCV da Honda saiu de linha.
    -Manutenção nos dutos precisa ser rigorosa pra evitar vazamentos.
    -Aproveitamento energético é baixo.
    -Motor a combustão funcionando com hidrogênio não tem lógica já que a manutenção dele é complexa e tem tantas peças como outros motores a combustão.
    -Toyota anunciou vários carros elétricos para os próximos anos.
    Hidrogênio nos ônibus e caminhões.
    -Por volta de 2005 a Mercedes testou 30 Citaro(modelo de ônibus vendido por ela na Europa)a hidrogênio em várias cidades do mundo,foi um fracasso,na segunda geração,o Citaro tem 2 versões elétricas a bateria.
    -Man e Scania pularam fora do hidrogênio,o Man Lions City(concorrente do Citaro)tem versão elétrica e a Scania já tem caminhões elétricos.
    -A Mercedes pretende lançar um caminhão pesado a hidrogênio com fortes chances de micar e também pretende lançar um caminhão semelhante mas a bateria.
    Nas ferrovias,
    -A Alstom vendeu dezenas de trens a hidrogênio na França porém tem uma versão a bateria do seu principal trem regional e a mesma e a Caf venderam dezenas de trens a bateria,a Inglaterra demonstrou interesse nas bombas sobre trilhos mas felizmente nenhuma opera.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chegou mais um analfabeto funcional falando merda, deixa a tecnologia vingar, aí quando a VW entrar nessa VOCÊ vai vir mamar ela aqui...

      Excluir
    2. Hidrogênio é fracasso mesmo, e nem a BMW aposta, tanto que fará produção em "pequena série"...
      Pegaram a célula da Toyota, colocaram em um X5, e estão apenas fazendo politicagem com os verdes ESG da Alemanha.
      politicagem pura, nada além.

      Excluir
    3. Os trens a bateria vendidos pela CAF e Alstom foram pra Alemanha.
      Tecnologia a hidrogênio pode vingar na ferrovia com operadoras iludidas com o hidromico mas na hora em que um trem desses descarrilhar ou bater e morrer um bocado de gente,essas empresas vão converter seus trens pra bateria

      Excluir

Postar um comentário

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.

Postagem Anterior Próxima Postagem