Car.blog.br

Pesquisar este blog

Toyota, pressionada a inovar, corta custos de marketing

Categorias: , , 13 Comentários

A Toyota Motor Corporation iniciou um programa global de redução de custos, começando com áreas de vendas e marketing, para transferir recursos para a pesquisa, desenvolvimento e inovação, o que permitira manter o ritmo de novos concorrentes. Um dos primeiros movimentos da empresa foi cancelar contratos com a unidade chinesa de sua agência de publicidade e comunicação de longo prazo, a Dentsu Inc.

Toyota, pressionada a inovar, costa custos de marketing

O presidente da Toyota, Akio Toyoda, e o diretor financeiro e de risco, Koji Kobayashi, querem seguir o exemplo da Tesla, do Google e da Tencent - os quais dependem fortemente de marketing não tradicional mais barato e muitas vezes mais inovador. Eles dizem que a economia deve ser investida em investimentos em tecnologia emergente, como veículos autônomos.


Toyota Yaris

"Podemos estar registrando lucros recordes, mas não achamos que estamos acompanhando o ritmo dos investimentos", disse uma das fontes, uma autoridade da Toyota, à Reuters. Para fazer isso, Kobayashi quer aproveitar o dinheiro antes destinado ao marketing automotivo e despesas gerais, que no ano passado totalizou 2,72 trilhões de ienes (24,66 bilhões de dólares). A companhia registrou 2,4 trilhões de ienes (US $ 21,68 bilhões) em receita operacional no mesmo período, tornando a Toyota uma das montadoras mais lucrativas do mundo.

Toyota Yaris Hatch

A margem de lucro da Toyota é de cerca de 9%. Mas empresas como Google e Apple - agora competindo diretamente com a Toyota em tecnologia automotiva - apresentam números várias vezes maiores. Toyoda e Kobayashi vêem um forte contraste entre a divisão industrial hiper-eficiente da Toyota e sua operação de vendas mais esbanjadora, disseram as fontes.

'Marunage'

O esforço de corte de custos da Toyota visa a terceirização de atacado, conhecida no Japão como "marunage". Pode abranger itens como compras de mídia, eventos promocionais e pesquisa de mercado e de consumidores. As fontes acrescentaram que Toyoda e Kobayashi veem a "Marunge" como uma carga pesada que afeta a eficiência das operações de não-fábrica da Toyota, e prejudicando a capacidade da empresa de pesquisar e produzir veículos melhores.

Nas fábricas da Toyota, os engenheiros fazem questão de saber tudo o que podem sobre cada componente e processo, até o custo de cada peça. Mesmo que eles terceirizem a produção, eles a produziriam por conta própria primeiro para entender sua estrutura de custos. Toyoda e Kobayashi querem incutir mais disciplina nas equipes de vendas e marketing da Toyota e transferir internamente alguns dos empregos rotineiramente terceirizados hoje.

Isso, esperam os executivos, ajudará a dar à empresa mais poder de fogo financeiro para acompanhar o Vale do Silício, que está investindo dinheiro em tecnologia automotiva no futuro.

Por exemplo, um processo da Waymo contra o Uber sobre segredos comerciais revelou que a empresa controladora do Google, Alphabet, gastou US $ 1,1 bilhão desenvolvendo tecnologia autônoma de 2009 a 2015. Isso é o que a Toyota reservou para financiar um instituto de pesquisa lançado em 2016. Em 13 de junho, a Toyota investiu US $ 1 bilhão no aplicativo Grab, que oferece acesso a dados de viagem que poderiam ajudá-lo a desenvolver serviços de próxima geração.

Outras montadoras estabelecidas também estão tomando medidas para reformular suas operações de marketing. A Ford tentou "aumentar a eficiência do marketing" usando novas ferramentas e tecnologias, em vez de investir em métodos tradicionais, disse a empresa em resposta a perguntas.

Fonte: Reuters

13 comentários:

  1. Anota aí Carlota
    Toyota é Toyota!!!
    Até rimou...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E não vai precisar chamar o Yaris de Mini Corrola.

      Excluir
    2. Diminuir os gastos em mentiras e investir em produtos realmente novos. Se Yaris, cheio de gambiarras, é um mini-Corolla, imagina quanta gambiarra há no Corolla. A primeira mentira é o número de vendas global que engloba, no mínimo, 3 modelos diferentes com o mesmo nome.

      Excluir
    3. "Anota aí Carlota
      Toyota é Toyota!!!
      Até rimou..."

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  2. Toyota não é como a fiat que precisa fazer campanhas de marketing milionárias no Brasil para ver se vende alguma coisa, FIAT full fail.

    ResponderExcluir
  3. Na verdade, pouco se vê na tv anúncios de seus produtos. Resultante de um trabalho de boa qualidade e um bom pós venda. Digo isso baseado em experiência própria.

    ResponderExcluir
  4. A maior propaganda da Toyota é o seu próprio nome. Se é Toyota todo mundo compra.

    O nome Toyota é sinônimo de qualidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso no Brasil. Na Europa, Japão, China e US, a briga é outra...

      Excluir
  5. Para mim Toyota é sinônimo o de carro retrô, sem inovação, tecnologia e eficiência. Um atraso de uns 10 anos.
    Toyota está vivendo da fama e se ela não se mexer já, vai perder essa tal. O mercado está mudando e não vai ter lugar para marcas generalistas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fato. O consumidor informado em mercados mais exigentes considera a Toyota uma marca ultrapassada. A Fiat conseguiu se sustentar no Brasil com a mesma estratégia, porém o consumidor brasileiro percebeu essa estratégia e a está abandonando. A Toyota é a próxima a nível global. Tentou laçar uma marca de baixo custo nos EUA (Scion) e teve que fechá-la, pois o nível mínimo é a própria Toyota. Seria o mesmo a Fiat lançar uma marca de baixo custo no Brasil... piada na certa e fracasso geral.

      Excluir
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  7. Marketing eficiente...dobradinha da Toyota nas 24 Horas de Le Mans. Nao vi nada da Toyota por aqui referindo ao fato. Audi e Porsche não participam mais...grande erro de marketing.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Refiro me a LMP1. A Porsche ganhou na GT PRO no domingo passado.

      Excluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.