Car.blog.br

Pesquisar este blog

Chery, endividada e ineficiente, será privatizada na China

Categorias: , 20 Comentários

A China conta com uma série de ineficientes e burocratizadas montadoras estatais, e agora decidiu que a forma correta de torná-las competitivas no mercado é privatizá-las.


No último mês, os representantes do governo chinês no Conselho de Administração da Chery aprovaram um plano de injeção de não menos que US$ 3,1 bilhões de dólares no capital da Chery, o que significa, na prática, que a empresa será privatizada.

Atualmente, a Chery é controlada pelo governo da cidade de Wuhu, da província de Anhui - local da sede da empresa. Para garantir o investimento, o governo de Wuhu venderá o controle para investidores privados.

A Chery vem operando com metade de sua capacidade de produção anual, que é de mais de 1 milhão de veículos. E o endividamento da empresa está se tornando uma bola de neve.

No primeiro trimestre de 2018 o prejuízo da Chery foi de mais de US$ 106 milhões de dólares - quase quatro vezes mais que o de 2017.

Governo chinês estimula privatizações

O endividamento e a ineficiência não é, porém, o único fator que motiva o processo de privatizações.

Quando Xi Jinping se tornou presidente da China em 2013, o governo central promulgou uma política para encorajar as empresas estatais a atrair investidores privados e estabelecer uma estrutura de propriedade “mista” composta por acionistas estatais e privados.

O objetivo da política é melhorar a eficiência das empresas estatais; empresas privadas, incluindo montadoras, geralmente são mais ágeis do que os pares estatais.

Desde então, empresas estatais em várias outras indústrias, como petroquímica, telecomunicações, ferrovias e aviação civil, têm aproveitado o capital privado.

Uma das razões pelas quais as montadoras estatais ficaram para trás ao adotar a propriedade mista é que muitas delas, ao contrário da Chery, administram joint ventures prósperas com marcas globais.

A BAIC Motor Corp. opera uma parceria de carros com a Mercedes-Benz, enquanto a Brilliance China Automotive Holdings possui uma joint venture com a BMW. Os lucros que as duas montadoras estatais geram das duas joint ventures são mais do que suficientes para compensar as perdas em suas marcas próprias.

Mas além da SAIC Motor Corp. e da Guangzhou Automobile Group Co., outras montadoras estatais não conseguiram desenvolver marcas competitivas e finalmente chamaram a atenção do governo central.

A Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma, agência central de planejamento econômico da China, está elaborando uma proposta para incentivar as montadoras estatais a vender suas operações para fabricantes estrangeiros.

Além da Chery, a China FAW Group Corp., uma das maiores montadoras estatais da China, também espera atrair investidores privados.

No ano passado, a FAW não conseguiu atrair investidores privados para sua marca de carros Xiali. Mas o presidente da FAW, Xu Liuping, disse à imprensa chinesa em abril que a FAW manterá os esforços para atrair investidores privados.

A China, na esperança de evitar uma guerra comercial com os EUA, prometeu em abril permitir que as montadoras globais finalizassem suas parcerias com montadoras locais em 2022. Isso significa que as montadoras chinesas estatais provavelmente perderão uma fonte vital de renda em cinco anos.

Pequim também prometeu no mês passado reduzir as tarifas sobre veículos importados para 15%, ante 25% por cento em 1º de julho.

Ao abrir ainda mais o mercado automobilístico doméstico para marcas estrangeiras, o governo chinês está sentindo uma necessidade urgente de melhorar a competitividade das marcas nacionais.

Para atingir esse objetivo, é provável que o governo permita e até mesmo estimule mais montadoras estatais à privatização.

Fonte: Auto News

20 comentários:

  1. Meio estranho, e a joint-venture com a Jaguar-Land Rover? Chery é parceria do JLR, além de ser líder em exportações por 15 anos seguidos entre as montadoras nacionais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Subsídios pesados do Estado + Yuan artificialmente desvalorizado= exportações. Isso não significa que é eficiente. Ao contrário, mostra que é ineficiente e só consegue operar com subsídio estatal.

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. O berço do comunismo já percebeu que estatal é puro prejuízo e está acertadamente incentivando as privatizações, enquanto isso no Brézil comunista de merda os grupelhos esquerdistas querem inchar cada vez mais o estado com estatais falidas que são prejuízo puro aos cofres públicos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O intervencionismo estatal na China é absurdamente superior ao do Brasil...

      Excluir
    2. E tem estatal nossa que, ao ser privatizada, é comprada por estatais estrangeiras.

      Excluir
    3. Tá certo.Produzir carro não deve mesmo ser responsabilidade do estado. Por outro lado alguns setores são estratégicos para regulação da economia. Saneamento, Combustíveis e Energia Elétrica não deveriam jamais ser privatizada s. Para isso, porém a forma de administrar tais empresas deveria mudar radicalmente

      Excluir
    4. Vá dizer isso aos noruegueses que alcançaram a riqueza através da estatização de toda a prospecção e comercialização de suas reservas de petróleo.
      Avise tb ao direitistas do psdb que venderam a Eletro paulo a uma estatal italiana.
      https://www.google.com/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=3&cad=rja&uact=8&ved=0ahUKEwjdhL2j5MTbAhWFiZAKHcN9BToQFgg7MAI&url=https%3A%2F%2Fjornalggn.com.br%2Fnoticia%2Festatal-da-italia-vira-lider-em-distribuicao-de-energia-no-brasil&usg=AOvVaw0e7H6K0zEcng6aKcrlsX3M

      Excluir
    5. André Borges concordo contigo em gênero, número e grau; e diga-se de passagem, a eletropaulo em São Paulo e a justificativa: "A justificativa oficial para a compra era a de que esta se fazia necessária, pois só tendo o governo como mediador a empresa conseguiria os empréstimos externos necessários aos investimentos na expansão de seus sistemas. Sem isso, o próprio desenvolvimento industrial das cidades do eixo Rio – São Paulo estaria em risco".

      Excluir
  4. Correção: endividada. Favor avisar ao pessoal da redação. Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Ja sabem quem é o único candidato a presidente que pretende realizar privatizações no Brasil né?
    Aquele mesmo que governa desde os anos 90 o mais próspero estado do País.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um dos únicos Estados que sofreu retração do pib em 2017

      Excluir
    2. Nesse último trimestre enquanto país cresceu 0,4% o Estado de SP sofreu novo recuo no Pib, 0,5%.

      Excluir
    3. É uma piada criticar o PIB de São Paulo, tendo em vista a diferença colossal para os demais estados da federação.

      São Paulo tem a economia de RJ, MG, RS e SC somados, que são os outros estados mais ricos.

      Mas não é só PIB:
      -menor violência do Brasil (tanto o estado quanto a capital)
      -melhor polícia militar
      -melhor educação pública
      -melhor educação privada
      -melhor saúde pública
      -melhor saúde privada (é até covardia...)
      -melhor IDH / qualidade de vida...

      Excluir
    4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    5. Vc tem que mudar seu apelido de brasileiro pra paulista.

      Excluir
    6. O mesmo que vendeu a Eletro paulo pra uma estatal italiana, né? Sei sim.

      Excluir
  6. Sair do mundo automobilístico para o da política não me parece ser saudável para os comentários do blog. Há sites mais específicos para tanto. Melhor voltarmos para os debates sobre carros.

    ResponderExcluir
  7. A mão do estado sempre estraga tudo.
    Devia fazer como a JAC que arrumou uma otá... quero dizer, uma parceira pra se sustentar!

    ResponderExcluir
  8. Todo mundo tirando onda de liberal e se esquecendo da ajuda bilionária do Obama pra salvar a então falida Chevrolet. Ah, o que seria de vocês sem a ajuda do Estado, não é mesmo?
    Também se esquecendo que a gigante PSA (Peugeot/Citroen/Opel) é estatal (O sociedade de economia mista).

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.