Car.blog.br

Pesquisar este blog

Volkswagen Jetta: história e detalhes das gerações I à VII

Categorias: , , , 19 Comentários

A Volkswagen apresentará a nova e sétima geração do Jetta no próximo dia 15, no âmbito do Salão de Detroit. Neste artigo relacionamos as principais características de todas as gerações deste que se tornou um dos sedãs mais vendidos do mundo.

VW Jetta MK7

O Jetta I: agora um clássico

Volkswagen Jetta I

Quando a Volkswagen se estabeleceu nos EUA, havia muitas pessoas céticas com a marca. No entanto, há cerca de 40 anos, o Jetta tornou-se uma verdadeira história de sucesso americana. Originalmente desenvolvido como a versão notchback do Golf, o Jetta cresceu ao longo dos anos para se tornar um modelo independente.

VW Golf I
O Volkswagen Jetta foi projetado com base no primeiro Golf
Agora, a Volkswagen USA está apresentando a sétima geração de seu modelo mais bem sucedido no North American International Auto Show (NAIAS), mais conhecido como o Detroit Motor Show.

Três anos para a luz verde

A idéia original para o modelo já havia permeado as cabeças de alguns engenheiros de desenvolvimento desde meados da década de 1970. Eles consideraram uma demanda considerável por um veículo baseado no Golf com um porta-malas significativamente maior. Foram necessários três anos de persuasão para os engenheiros chefiados por Ernst Fiala, então o membro do Conselho responsável pelo Desenvolvimento, obterem luz verde do Conselho de Administração. Em comparação com o Golf, o Jetta tinha 300 litros adicionais de espaço de carga, um total de 550 litros. Após a decisão a favor do novo Volkswagen ter sido tomada, as coisas rapidamente ganharam impulso. O primeiro veículo já saiu da linha de montagem em agosto desse ano.

De "Hummel" para "Jetta"

Inicialmente, o projeto foi intitulado "Hummel" (bumblebee - zangão). Mais tarde, a Volkswagen renomeou seu novo modelo em consonância com os termos meteorológicos utilizados para a outra série de modelos da empresa Golf, Scirocco e Passat, que todos tomam o nome de um vento. O novo nome foi baseado no termo meteorológico "jetstream", que designa fortes camadas de vento na atmosfera terrestre.

VW Jetta II
Volkswagen Jetta II com quatro portas
Foi a extremidade traseira do Jetta que deu origem ao seu apelido popular de "backpack Golf" ("Golf com mochila"). Na América, o carro desenvolveu-se em mais de seis gerações para se tornar o sedan mais popular de origem alemã. Agora, juntamente com clássicos como o Beetle ou o Golf, o Jetta também está entre os modelos mais vendidos da marca em todo o mundo. Embora o Jetta sempre tenha sido baseado em grande parte no Golf em termos técnicos, seu nível de equipamentos geralmente era de um padrão mais alto e mais marcante. Exemplo: os indicadores de direção laterais com uma transmissão suave ao pára-choque e seus faróis retangulares distinguiram o Jetta original do Golf correspondente. Muitas pessoas podem não saber que a principal opção de motor já disponível a partir de 1980 foi o motor de 1.6 litros do GTI com 110 cv. Isso fez do Jetta GLI um verdadeiro "lobo em pele de cordeiro". Para ressaltar a aparência independente do Jetta, a Volkswagen deu à segunda geração uma nova extremidade traseira e uma grade de radiador diferente a partir de 1984.

Intermezzi com o Vento e Bora

Os modelos de quatro portas da terceira geração (1992 a 1998) foram oferecidos na maioria dos mercados como "Vento", um nome inspirado por um vento no Lago de Garda, na Itália. Somente na África do Sul e América do Norte foram as versões de duas portas e quatro portas ambas vendidas sob o nome de Jetta. Os veículos eram alimentados pelos motores de Golf. O topo de gama usava um seis cilindros com 174 cv. Combinado com o volume de porta-malas de 550 litros, isso significava que as famílias estavam bem equipadas para viagens rápidas de férias.

Com o motor VR6 de 174 cv e o nome Vento
Com o motor VR6 de 174 cv e o nome Vento
Ao longo dos anos, a carroceria tornou-se independente do Golf. Desde a quarta geração, o Jetta tornou-se ainda mais distinto em relação ao Golf. Só compartilhou algumas partes do carroceira com o Golf. A partir de 1988, o modelo foi oferecido como o nome "Bora" (um vento frio no norte) na China e na Europa. O nome original continuou a ser usado na África do Sul e na América do Norte.

VW Bora e Bora Startion Wagon
Uma exceção na série: o Bora também foi oferecido em carroceria station
O Bora também estava disponível em versão station-wagon. O modelo topo de gama usava um motor seis cilindros 2.8L de 204 cv. Para transferir esta potência para as estradas o mais eficazmente possível, esses modelos de quarta geração só foram oferecidos com tração nas quatro rodas.

VW Jetta V: o modelo mais vendido da Volkswagen nos EUA

VW Jetta V
VW Jetta V: estética ainda claramente baseada no Golf
Na quinta geração, o Jetta retornou às suas raízes como um sedan compacto esportivo. Na Europa e na China, também reverteu seu nome original para Jetta a partir de 2005. Graças ao seu sucesso no mercado norte-americano, a quinta geração do sedan notchback também foi apresentada ao público pela primeira vez nos EUA. Fez sua estréia no New York Motor Show em abril de 2014, após o qual os modelos Jetta produzidos em Puebla, no México, foram exportados para o mercado europeu.

VW Jetta VI
O primeiro com design independente de carroceria: o Jetta VI
A partir da sexta geração, o Jetta não compartilhou mais nenhum painel de carroçaria com o Golf. Desde então, o best-seller dos EUA também foi adaptado aos mercados específicos, como Rússia, Índia e China.

VW Jetta VII

Em sua sétima geração, o Jetta passa mais uma vez por um novo estágio em sua evolução. Pela primeira vez, o último membro da família deve ser produzido com base na plataforma (MQB). O novo Jetta está fazendo sua estréia em janeiro no Detroit Motor Show e continua a história de sucesso de seus predecessores.

19 comentários:

  1. Esse jetta 7 geração se for como nas projeções sera mt lindo, gostei dms, em comparação ao 6 q parece um voyage bombado, enquanto o jetta V foi e continua sendo o melhor jetta em qualidade geral, principalmente em design e acabamento.

    ResponderExcluir
  2. Esse Jetta 2019 vem para mostrar para a Honda e Toyota como se faz um sedã mainstream de sucesso, bem feito, bem projetado.
    O mundo dos sedãs será, no futuro, divido em aJ/DJ (antes de Jetta 2019/depois de Jetta 2019).

    ResponderExcluir
  3. Melhor q civic e corolla juntos....

    ResponderExcluir
  4. Em se falando do nosso mercado, a geração atual já é um excelente carro, peca no acabamento, mas nada que fique muito abaixo da concorrência, graças a uma montagem perfeita e materiais resistentes e de boa qualidade. É um carro discreto e que denota solidez quando em movimento. Seu powertrain 2.0 é incomparável em desempenho e eficiência, assim como no 1.4 com suspensão multlink em comum e uma dirigibilidade acima da média. Com certeza a nova geração será superior em todos os aspectos, já que virá com uma plataforma de última geração. Vamos aguardar.

    ResponderExcluir
  5. O Jetta sempre foi um bom carro, acho que agora ele vai ter sua personalidade própria, e a sombra do Voyage se dissolverá. Essa projeção enche os olhos de quem ama esse segmento.

    ResponderExcluir
  6. jetta sempre foi um carro bonito. essa geração lançada em 2011 até hj tá atual e eu nunca escutei falar de problemas mecânicos. Se essa nova geração não vier com preços exorbitantes poderá ser a minha escolha para trocar meu focus fastback

    ResponderExcluir
  7. Espero que a VW aprenda com a Honda e faça uma suspensão macia para as pequenas irregularidades e "borrachudos" do asfalto. Segundo o site Autoentusiastas o Civic Touring resolveu esse problema do antigo modelo ( de comportamento em cidade e estrada similar ao do Jetta VI) empregando coxins hidráulicos na suspensão. Já procurei até em mercado paralelo se haveria algo que pudesse amenizar esse comportamento seco do carro, mas parece que é característica de projeto não adaptado à realidade lunar brasileira e sem solução oficial. Seria também muito bem vindo um acabamento dos forros das portas mais condigno com a faixa de preços em que o Jetta se insere.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VW não tem nada a aprender com Honda ou qualquer outra montadora, pelo contrário! A suspensão do Jetta é sim mais firme que a média, mas é de se esperar isso em um carro de 211cv. Creio que quem se incomoda com isso, realmente deve partir para um anestesiado Vovôrolla ou até para os queridinhos (menos para mim) SUVs.
      Agora, concordo que o acabamento das portas realmente não faz jus à qualidade e ao refinamento desta máquina que é o Jetta!

      Excluir
    2. ja andei em civic de geraçao passda, muito duro

      Excluir
  8. O JETTA 5 é mais bonito que o modelo atual ele um designe mais esportivo!

    ResponderExcluir
  9. Opinião cada um tem a sua e deve expressá-la, mas posso adiantar que já tive carros de muitas marcas, menos chinesas e francesas e a suspensão do Jetta peca sim pela aspereza ao negociar as pequenas irregularidades e lombadas.
    Não se deve pensar a priori que carros esportivos ou de pretensões ditas esportivas têm de ser forçosamente duros e/ou secos. Já tive também Audi e a suspensão e comportamento estradeiro eram irrepreensíveis.

    ResponderExcluir
  10. Já tive os dois modelos.
    No geral sou mais o Jetta sem dúvida nenhuma.

    ResponderExcluir
  11. Esse Jetta ficou fantástico. O interior saiu do padrão conservador da VW e ficou sensacional. Se for como na projeção vai sacudir o mercado.

    ResponderExcluir
  12. Gosto bastante do Bora, antes daquela reestilização horrível.

    ResponderExcluir
  13. Gostei muito. Se manter o preço alinhado com a concorrência será um sucesso aqui no Brasil.

    Tem q fazer igual ao Polo, ser melhor e com preço justo.

    Aqui no Brasil não adianta vim e querer 130k no highline pq não vende. Tem q ter preços justos igual ao Polo.

    Hj vc compra Jetta Highline em SP por 96k, se o novo chegar na faixa dos 110k a 115k será excelente.

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.