Car.blog.br

Pesquisar este blog

Fiat Palio: história do novo líder de vendas do Brasil

Categorias: , , , , 11 Comentários

A Fiat Automóveis encerrou o ano de 2014 como líder de vendas no mercado brasileiro de automóveis e comerciais leves pelo 13º ano, e também comemora o fato de seu hatch compacto Palio ter sido o automóvel mais vendido no Brasil em 2014, com 183.745 unidades emplacadas no ano, alcançando um market share de 5,5% das vendas totais.


1996 - Lançamento

O Fiat Palio foi lançado em 1996, com carrocerias de três e cinco portas, e múltiplas opções de acabamento.


O modelo se destacou por ser o primeiro veículo de seu segmento a oferecer ABS, ar-condicionado e airbags frontais.


Nessa época o Fiat Palio oferecia três opções de motor: Fiasa 1.0 8V, Fiasa 1.5 8v e 1.6 16v Torque.


Em 2000, a versão Palio Citymatic trazia uma embreagem automática, oferecida pela primeira vez num automóvel dessa categoria.


Em 2003, o Fiat Palio passou a ter como opção os motores Flex 1.0 8V, 1.3 8V e 1.8 8V, que podiam ser abastecidos tanto com etanol quanto com gasolina em qualquer proporção.

2001 - Novo Palio

O Palio sofreu três reestilizações desde o seu lançamento. A primeira em 2011, quando a Fiat lançou o Novo Palio. Esta geração foi totalmente remodelada e apresentou inovações tanto no design quanto no conteúdo.


O carro ficou maior no comprimento, na largura, na altura e no entre-eixos: um ganho para todos os ocupantes, que passaram a contar com mais espaço interno e ainda mais conforto.


Além disso, todas as seis versões foram oferecidas com direção hidráulica, entre outros recursos.

2004 - Segunda reestilização


Apenas 3 anos após a primeira reformulação, a Fiat colocou no mercado o segundo facelift do Palio.


Como inovação mecânica, todos os motores oferecidos passam a adotar a tecnologia flex, permitindo o abastecimento com etanol ou gasolina em qualquer proporção.

2006 - Palio 1.8 R


Em 2006 chega ao mercado a versão esportiva do Palio, o Palio 1.8 R, na época equipado com o motor GM família II 1.8 8V.


O modelo trazia de volta a sigla "R", que ficou famosa nos anos 80/90 pelas versões esportivas do Uno, o Uno 1.5R e posteriormente o Uno 1.6 R.


2008 - Terceira reestilização

A primeira geração do Palio chega a sua terceira reestilização quatro anos após a segunda, em 2004.


O modelo ganhou nova frente, com faróis seguindo a linha mundial da Fiat.


A traseira trouxe lanternas posicionadas na horizontal, oferecendo maior largura visual.


O interior teve alterações apenas cosméticas.


2010 - Latin NCAP



O Fiat Palio com dois airbags foi submetido em 2010 ao teste de impacto do Latin NCap, tendo recebido classificação 3 estrelas para adultos e 2 estrelas para proteção infantil.

2011 - Motores E-Torq

O fim da parceria em motores entre a Fiat e a Chevrolet do Brasil impunha a necessidade de a Fiat trocar os motores do Palio. Dessa forma, as versões do Palio com o motor 1.8 recebem o novo motor 1.6 16V E-Torq.


Neste ano chega ao fim também a versão esportiva do Palio, o Palio 1.8R. Não por falta de motor, já que a linha E-Torq dispunha de uma versão 1.8 16V usada até hoje nos Palio Week e Strada Adventure.

2012 - Segunda geração do Palio

Em novembro de 2011 o Palio ganha um reformulação completa, com nova carroceria, interior, novos motores e novas versões.


Chamado de Novo Palio, passa a ser vendido nas versões Attractive 1.0, Attractive 1.4, Essence 1.6 16V, Essence Dualogic 1.6 16V e Sporting 1.6 16V, Sporting Dualogic 1.6 16V.


Entretanto, o modelo de primeira geração é mantido em linha, ganhando uma nova grade e recebe o nome de Palio Fire Economy.

2014 - reposicionamento de preços - carro mais barato do Brasil

A família Palio cresceu no ano passado após um reposicionamento estratégico da gama Fiat. O Palio Fire se tornou o carro mais barato fabricado no Brasil e ganhou ainda uma versão mais robusta, o Palio Fire Way.


Com uma gama variada, conseguiu a liderança no ranking de vendas em 2014.

FCA

O ano de 2014 também foi marcado pela constituição da Fiat Chrysler Automobiles (FCA), resultado da junção da Fiat SpA e do Chrysler Group LLC. O novo grupo é o sétimo maior fabricante mundial de automóveis e desenvolve, projeta, fabrica e comercializa automóveis, veículos comerciais leves, componentes e sistemas de produção por meio de companhias localizadas em 40 países, tendo presença comercial em 150 mercados.

As marcas automotivas da FCA são: Alfa Romeo, Chrysler, Dodge, Fiat, Fiat Professional, Jeep, Lancia, Ram, Ferrari e Maserati, além de Abarth, Mopar e SRT. Os negócios da FCA também incluem a Comau (sistemas de produção), Magneti Marelli (componentes) e Teksid (fundição em ferro e alumínio). O grupo oferece ainda serviços financeiros em apoio ao varejo e concessionárias por meio de suas subsidiárias, joint ventures e acordos comerciais com instituições especializadas.

Até o fim de 2016, a FCA lançará no Brasil quatro novos modelos Fiat e dois Jeep, todos fabricados localmente.

11 comentários:

  1. É só reparar no ranking de carros mais vendidos e ver com tem tanto carro da Fiat nas primeiras posições.....líder no brasil e quinto lugar nos estados unidos....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carro que eu gosto da FIAT é o Bravo, o mais bonito da categoria, pioneiro dos 1.4 turbo e o que tem o preço menos caro.

      Excluir
    2. Não amigo, o pioneiro 1.4 Turbo foi o Uno Turbo 1994, o carro mais rápido do Brasil quando do lançamento e chegava aos 200km/h. Parabéns pela matéria Carblog !

      Excluir
    3. Se eu falar isso tenho certeza que muitos iram me crucificar rs, porém meu carro favorito da Fiat é o Uno Mille, carro de mecânica simples e barata, é bem valente e aguenta o tranco, além do mais é econômico e tem um desempenho razoável, tenho um Uno Mille Way completo que comprei em Janeiro do ano passado, já é meu segundo Uno, o carro tem seus contras porém é um carrinho que eu gosto!

      Excluir
    4. Eu não crucificaria, com certeza ! Já tive 2 Unos....carrinho excelente !

      Excluir
  2. O palio tbem inovou em um item de segurança muito importante que foi a inclusão de air bags laterais como opc nunca vi isso em nenhum outro da msm categoria até hj e nem o aclamado hb20 possui este importante item de segurança.

    ResponderExcluir
  3. Legal a reportagem. Apesar dos pesares destronou o gol e já tem a sua propria historia

    ResponderExcluir
  4. Acho que não existe motor 1.0 pior do que esse Fiasa 1.0 8V, esse motor é extremamente frouxo, chega a ser patético o desempenho que esse motor proporciona ao Palio.

    ResponderExcluir
  5. Difícil vai ser tirar o Palio do primeiro lugar. A Fiat não vai mais largar o osso, a menos que seja pra dar lugar a outro modelo dela mesma. Com isso, temos todos os membros da família Palio liderando em seus segmentos. Com os atuais reposicionamentos de preço da VW o up! já começa a canibalizar o Gol. O mais novo VW já aparece em décimo, enquanto o Gol está em quinto mas se distanciando do quarto lugar.

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pela matéria, e parabéns a Fiat pelo sucesso alcançado, ninguém é campeão de venda à toa. A Fiat já foi alvo de muitas críticas e de muitas piadas, como "Família Italiana Atrapalhando o Trânsito" e por aí vai. Não sou nenhum fã de carteira desta marca, já tive alguns carros da Fiat, mas de outras montadoras também, mas hoje é uma montadora que deve ser respeitada. Entendo que as críticas devam existir, mas que sejam construtivas, pois acredito que a Empresa está "antenada" nas opiniões das pessoas e procuram corrigir os erros. Mas existem pessoas que debocham de tal maneira de A, B, C... montadoras, que chegam a ofender quem compra tal carro, como se a pessoa fosse "burra", "estúpida", etc, não respeitando o gosto e a vontade de cada pessoa.

    ResponderExcluir
  7. Essa matéria precisa de algumas correções: o texto da primeira reestilização (2001) faz referência ao ano de 2011 e não houve alterações na largura, na altura e no entre-eixos, apenas mudanças na frente, na traseira e uma pequena mudança no painel.

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.