Car.blog.br

Pesquisar este blog

Passat Highline usado: impressões, preços e desvalorização

Categorias: , , , 55 Comentários

O Passat é o sedão topo de linha da Volkswagen do Brasil, e neste artigo vamos relacionar nossas impressões de uso deste exemplar já usado, com cerca de 25.000 km, abordando questões de consumo, preço 0km e usado e indicador de desvalorização.

VW Passat 2016 Highline

O vídeo a seguir mostra o modelo em detalhes.



O VW Passat tem preço sugerido no Brasil de R$ 177.432 reais. Entretanto, o modelo das imagens é mais caro, pois conta com pintura metálica Prata Tungstênio (R$ 1.893 reais) e o teto solar de R$ 5.800 reais, totalizando R$ 185.125 reais.

VW Passat 2016 Highline

O modelo em questão, usado, tem preço FIPE de R$ 132.700 reais. Isso significa uma desvalorização de 28% em um ano - algo que consideramos dentro do esperado para um modelo importado.

VW Passat 2016 Highline

O Passat atual foi lançado na Europa em 2014, em 2015 no Brasil. É a oitava geração, produzido na fábrica de Emden, na Alemanha. É um carro que transpira precisão em todos os detalhes. Mesmo neste carro já usado ele se mantém silencioso, muito rápido, e muito agradável de ser conduzido.

VW Passat 2016 Highline

Esse quadro de instrumentos digital programável é de série, e é um recurso que depois que se habitua a ele fica difícil voltar para os clusters convencionais. O fato de colocar o mapa de navegação no campo de visão do motorista é um aspecto de segurança.

VW Passat 2016 Highline

O motor é um quatro cilindros, mas o som é tipicamente de um V6. E a performance idem. No Brasil vem apenas a versão com tração dianteira, mas na Europa há ainda uma versão com tração integral 4Motion.

VW Passat 2016 Highline

O motor tem 220 cv entre 4.500 rpm e 6.200 rpm. O torque é de 35,7 Kfgm entre 1.500 rpm e 4.400 RPM, e está associado com uma transmissão automática de dupla embreagem DSG de 6 marchas, banhada a óleo, e que permite trocas de marchas manuais por meio de seletores de trocas de marchas.

VW Passat 2016 Highline

O motor tem bomba de óleo com pressão variável e duplo comando com variador de fase. Há dupla injeção também, direta e no coletor.

VW Passat 2016 Highline


O peso em ordem de marcha é de 1,5 tonelada, mas parece muito menos, tamanha é a agilidade deste sedã. Ele acelera de 0 a 100 km/h em 6,7 segundos e atinge mais de 240 Km/h de velocidade máxima - ajudado pelo baixo Cx, de 0,28.

VW Passat 2016 Highline

O consumo no nosso percurso 50% cidade, e 50% estrada, com ar-condicionado ligado 100% do tempo foi de 9,5 Km/l de gasolina.

VW Passat 2016 Highline

Um aspecto que chamou a atenção é sua adequação à realidade brasileira. Ao contrário do Fusion, que raspa a frente e o assoalho em qualquer lombada, o Passat tem um ajuste de suspensão muito adequado ao Brasil, não raspa nunca, nem em lombadas, valetas ou desníveis, mesmo em velocidades mais altas, evidenciando o ótimo trabalho de tropicalização. Esse carro vem sendo usado 100% do tempo com gasolina comum, e o funcionamento do motor é impecável.

Conclusão

Nesta uma semana de teste, o Passat não nega seu tamanho avantajado, mas a tropicalização parece ter sido feita de maneira criteriosa, de modo que ele se mostra muito prático no uso do dia a dia.

VW Passat 2016 Highline

É um sedã que oferece uma abundância de espaço interno, de porta-malas, muito desempenho, recursos quase que indispensáveis de assistência, como o ACC (Piloto Automático Adapativo) e o Front Assit. E o DCC - Dynamic Chassi Control - permite que seja conduzido como um pacato sedã familiar, em modo Confort ou Eco, ou um enérgico esportivo em modo Sport.

55 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. A VW errou no Passat do mesmo jeito que errou com o Golf. Um Passat igual a esse, 2016, tem muito mais opcionais que o 2017. Vale muito mais a pena esse do que um novo. E tal como os Golf Alemao top modelo 2015, vieram a conta gotas. Esse aí vende fácil, fácil. Já os novos não vendem quase nada.

    ResponderExcluir
  3. Não é possível que desvalorize tanto assim em um ano...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que eles estão calculando de forma errada, pq esse Passat um ano atrás custava uns 155 mil e não 180 como custa hj.

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Passat americano é fabricado lá mesmo, em Chatanooga.

      Excluir
  5. Pensando em zero quilômetro, será que o A4 não seria uma melhor opção?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não fale bobagem, mesmo com a perda de equipamentos no 2017 o Passatão é melhor que o A4 ´´pé de corno`` na versão attraction. O Passat custa aproximadamente 177 mil reais na versão de acesso, porém você encontra facilmente esta com descontos que beiram os 15 mil reais, fazendo assim frente aos 155 mil reais cobradas no Audi. O A4 peca por não oferecer led´s nas lanternas traseiras, ainda utilizar o defasado,caro e menos confiável sistema de xenônio. É também inferior em acabamento, notadamente pela falta de saídas de ar traseiras, banco traseiro com falta de suporte para o braço e painel analógico. Devemos nos atentar também para o fato do VW oferecer 3 anos de garantia contra os 2 do Audi, tendo revisões e peças com preços muito mais camaradas.
      O único concorrente sério para o Passat é a 320i nacional, pois vende mais, é melhor aceita no mercado de semi-novos, custa uns 15 mil reais a menos (150 mil reais vs 165 mil reais). É sabido que a mesma enfrenta problemas relacionados a manutenção e uso como o fato dos desqualificados pneus run flats.

      Excluir
    2. Eu comprei o A4 por 184K na versão Launch Edition Plus com todos os opicionaos e ainda ganhei IPVA e Documentação. O que o Passat oferece a mais não vale a pena, a não ser que queira passar despercebido como se tivesse um Jetta. O A4 os faróis Full Led desta versão são top e o desenho deles matador, não fica aquelas bolinhas ridículas de Led do Passat.

      Excluir
    3. E só para deixar claro, o Launch Edition Plus, tem descansa braço traseiro, Ar digital e automático de 3 Zonas, Virtual Cookpit, Apple CarPlay e Audi Connect.

      Excluir
    4. A versão LEP, não é mais oferecida, foi um lote de 400 carros, o teu carro não tem ar digital, é de botãozinho e isso é ridículo. Você esqueceu de falar do desempenho, preço de manutenção e seguro. Carro não é só status.

      Excluir
    5. Você não sabe o que está falando, meu carro é ar digital, automático e de 3 zonas. O desempenho é muito bom e o consumo não dá nem para comparar com o roda livre e o motor ultra da Audi que é totalmente diferente do Passat. O Seguro saiu no meu perfil 5,2 k, considerado barato pelo preço do carro. Manutenção é mais caro mesmo, mas é outro patamar, são marcas com prestígios diferentes.

      Excluir
    6. Ah é verdade mesmo, você de ter conseguido uns 15 mil reais de desconto, com o pacote PLUS ele custava mais de 190 mil reais. O motor do A4 é o mesmo EA888 de 3 geração do Passat só que com apenas 190 cv vs 220 cv. Muita sorte ter saído só por 5,2 mil reais, estranhão mas acredito. A manutenção é bem mais cara e tem 1 ano a menos na garantia.

      Excluir
    7. O Carro custava 199k, mas a Audi não tem muito padrão de preço, pois o lucro deve ser bem alto. Eles usam a tabela somente para ter um parâmetro para a Revenda. Quem negocia consegue muita coisa boa na concessionária e perde menos da desvalorização. O motor é longitudinal e do Passat transversal, são diferentes, além dos câmbio dsg 6 do Passat e Stronic 6 banhado a óleo do A4. O grupo Vw posicionou, na minha opinião, produtos na mesma faixa de preço, mas que define o público. Tem pessoas que vão optar por status, vão de Audi e tem outras que vão no custo benefício vão de Vw. Isso acontece com Jetta e A3 Sedan, Golf e A3 Spotback, Passat e A4, Tiguan e Q3. Os carros são bons, mas existe um lado que puxa para a sofisticação e outro que traz o cliente pelo pacote de equipamentos. Estratégia boa do grupo.

      Excluir
    8. À função roda livre é show, só quem tem é que sabe!

      Excluir
  6. Essa desvalorização é difícil de apurar. Praticamente não se acha essa carro usado à venda. Quem comprou, em sua grande maioria, ainda não o colocou à venda. Ao que parece, os compradores estão satisfeitos com o carro.

    ResponderExcluir
  7. Apenas corrigindo o texto:
    Não tem Som de V6, tem som de V8

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem. Tem som de V12. Inclusive, normalmente quando se acelera forte, quem ouve fica em dúvida se é um Passat ou uma F12 Berlinetta...

      Cada uma que me aparece...

      Excluir
    2. Fiquei assustado, não sei se foi o ronco do passat ou da asneira que escreveram

      Excluir
  8. Esse modelo é um 15/16 Carlota, 28 % é coerente com quase 2 anos de uso, o 2017 perdeu vários equipamentos, entre eles o som Dynaudio, Park assist etc... Perdeu seu CxB, melhor pegar uma 320i por 150 mil reais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu sobrinho comprou um Hyundai 2014, concorrente do Passat, por 85 mil. Realmente um grande negócio pois o carro ainda tem 3 anos de garantia e o seguro não é caro, apenas 3.500,00 Para um casal na faixa dos 30 anos moradores em uma cidade do interior de SP.

      Excluir
  9. Esse carro, juntamente com o a4, são concorrentes do série 5 e da classe e. O Passat e a4 tem O preço muito mais barato, tem melhor acabamento, mais itens de série e são melhor montados.

    O concorrente da série 3 é o áudio a3. E o concorrente da série 1, classe A, etc é o golf.

    Da mesma forma, o novo polo será concorrente do cruze e focus.

    A única montadora que não explora o brasileiro é a Volkswagen. Todos os carros dela são mais baratos que os concorrentes diretos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não adianta vc é a Carlota repetirem que o polo concorre com Focus e crise. O mercado diz o contrário. Todos sabem que o cruse e Focus são acima do polo. Sempre foi assim....

      Excluir
    2. Sim, o polo concorre com o cruze e focus. Na Europa, existe o focus 1.0 ecoboost, que não é vendido aqui. E na Europa existe o polo 1.4 tsi, que concorre com o cruze 1.4t por lá e com o focus

      Excluir
    3. É é e o golf compete com a Ferrari FF vocês são todos retardados falando tanta besteira. E nem me venham com essa de o Inmetro homologou polo como médio . Blz então cruze é Hatch grande e kwid é SUV.

      Excluir
    4. Polo é hatch médio, manezão. No Brasil ele está concorrendo com hatchs compactos por estratégia da Volkswagen.

      Se a vw quisesse, ela lançava o polo com o motor 1.4 e todas as tecnologias que tem na Europa. E ainda seria mais barato que o cruze, que é um carro inferior.

      E o golf concorre mesmo é com hatchs premium.
      O golf 1.0 era concorrente da 116i, o golf 1.4 concorrente da 118//120i. E o golf gti da 125i.

      Excluir
    5. Queira ou não, em preço concorre sim com o Focus e até com o Golf. Com o Cruze não, pois começa em 92 mil.

      Excluir
    6. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    7. O fato é que nosso mercado não reconhece no Pólo um HB médio.
      Estrategicamente, insere numa fatia bastante rentável, mas o sucesso estará atrelado ainda ao fator preço. Tecnologia, modernidades, são apenas diferenciais, e não aspectos definitivos e decisivos.

      Não temos dúvida de que o Novo Polo será um produto vários degraus superior à concorrência, mas tudo dependerá de preço.
      Ainda que a VWB tivesse feito a lição de casa, ditaria regras sobre produtos na mesma faixa de valores.

      Quem procura um SUV não deixará de tê-lo na garagem por causa de um hatch moderno e tecnológico.
      Então, VWB terá que vir comedida em preços e trabalhar muito bem as versões de entrada se quiser ter algum número de vendas enquanto não pode contar com os bons frutos que deixou de cultivar...

      Excluir
    8. O único concorrente do polo no Brasil é o fiesta e o city. Acabou. Não adianta vcs repetirem uma mentira que não ela não vai se tornar verdade.
      E para de colocarem golf com BMW e Mercedes. Ninguém é retardado suficiente para deixar de comprar uma BMW, Mercedes e Audi. Nessa faixa de preço o consumidor quer status. É golf, sinceramente, em comparação com a tríade Premium alemã é apenas um gol com acessórios.
      Dizer q o golf é melhor que Focus, cruze e 308 tudo bem. Mas parem de repetir essa mentira.

      Excluir
    9. Só no Brasil mesmo que o gado quer “se diferenciar” com status de um carro.

      Na Europa, o golf vende o triplo dos seus concorrentes(série 1 e classe A). É só procurar, existem vários comparativos e o golf sempre ganha.

      A Volkswagen louva a tradução do seu nome: carro do povo. Ela é a única a oferecer um hatch médio(polo) a preço de carro compacto. Simplesmente vai ANIQUILAR a concorrência. Não é à toa que o lema do lançamento do novo polo no Brasil é “bethefirst”.

      Excluir
    10. Esse aniquilar dependerá de preço.
      VWB não está com essa bola toda por aqui, não! Camarada...

      Excluir
    11. Vai morar na europa então e seja feliz

      Excluir
  10. Essa conta de desvalorização está totalmente errada, esse Passat não custava 180 mil um ano atrás, custava em torno de 155 mil sem os opcionais, a meu ver desvalorização se conta a partir do preço pago e não do preço de um modelo igual 0km.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O seu raciocínio não está errado, a unidade é 15/16, porém no início de 2016 o mesmo custava a bagatela de aproximadamente 177 mil reais.

      Excluir
  11. Eu prefiro Passat ao Audi A4 Atraction.

    ResponderExcluir
  12. Queria ver o comparativo entre esse carro é o Honda Accord...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coloca tbem na listão Toyota Camry, Honda Accord e Volkswagen Passat.

      Excluir
    2. Camry e accord são concorrentes do Jetta.

      Jetta 1.4 -> concorre com versões 4cc do camry e accord
      Jetta 2.0 Tsi -> concorre com as versões V6

      A hectacombe será completa quantos vw lançar o virtus. A versão 1.4 tsi irá aniquilar o corola e o civic, seus concorrentes médios diretos.

      Excluir
    3. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Vai nada!
      Civic é muito superior ao Virtus, tanto em plataforma, tecnologia, e conjunto mecânico.
      Novo Corolla já começa a ganhar forma e até o final do ano deverá dar suas caras, ainda em conceito.

      Por aqui, Virtus tb terá que chegar com preço comedido, pq se encostar na faixa de valores dos japoneses vai ver navios...

      Excluir
    4. Civic plataforma superior?
      O polo usa a plataforma MQB, a mesma utilizada pelo audi a3/a4. A MQB é o supra-sumo das plataformas modulares. Estamparia soldada a laser, alta rigidez torcional, máxima segurança contra impactos. O Civic nem sonha o que é isso!

      Tecnologia? Civic tem virtual copckipt? Tem Xds, pôs colision brack, sensor de fadiga, sistema de preparação dos discos de freio em dias de chuva, etc, etc. Coitado do civic, mal consegue ter a multimídia mais rápida que um tablet xing ling. Hahahahah

      O conjunto do virtus é mil vezes superior. 1.0 Tsi que ESPANCA o velho, arcaico e obsoleto 2.0 da honda. O 1.4 Tsi já faz o golf despachar o civic touring com facilidade, imagina o virtus que deve ser mais leve. Vai dar carreta furacão no civic.


      O civic não é bem adaptado ao Brasil, pois usa sistema multlink, que é ruim para o Brasil e só encarece o produto. Além de sor fazer diferença velocidades superiores a 200 km/h.

      É isso, virtus é muito mais negócio que um civic ou corola. Se a vw prosperar o preço dele para a casa de 90 mil, venderia absurdos ainda.

      A Vw não está pra brincadeira, todos os seus modelos estão ridiculamente mais baratos que seus concorrentes.

      Excluir
    5. Plataforma do Civic é ACE, camarada.
      Deixa a MQB no chinelo, tanto em otimização quanto em rigidez torcional.
      Não é a toa que Civic Type-R deu uma boa benga no Golf.
      Até mesmo o Civic SI mostrou que a plataforma ACE é melhor acertada. Simplesmente igualou o tempo do Golf GTI Performance Package.
      No Teste do Alce, Golf não chega nem perto da estabilidade do Focus. Quiçá do Civic.

      O fato de ter uma tela configurável sustenta a tese de se colocar em superiodade tecnológica, por acaso?
      Honda Sensing promove tudo o que descreveu em termos de segurança e mais um pouco.

      Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      Sistema de preparação fé disco para dias de chuva?
      Isso já existe faz é tempo.
      E só se verifica algum resultado significativo em modelos esportivos.
      Só é empregado quando não há outra alternativa para suprir deficiências de frenagem.
      MQB não tem boa distribuição de peso no entre-eixos e no sobre-eixo. Tanto é que Golf em pista precisa trabalhar muito bem a suspensão traseira e pneus aderente, senão, escapa em qualquer curva.


      Quanto ao conjunto mecânico do Civic, o 1.5T deixa o 1.4 e 1.5 TSI no chinelo em qualidade construtiva, performance e eficiência.
      Associado ao CVT, devidamente confiável, é uma combinação que o mercado reconhece muito bem.

      E se o ultrapassado 2.0 é motivo de questionamentos, o que falar do Jetta 1.4 TSI e 2.0 TSI que não faz nem sombra às vendas do japonês aí?

      Quanto a suspensão multilink de 4 braços do Civic, atualmente é a referência do segmento em conforto e dinâmica.
      Ao invés de comprar essa falácia de que barra de torção é melhor, e que multilink somente se verifica alguma diferença em velocidades superiores a 200 km/h, dê uma olhada no canal 77km e veja a diferença da dinâmica do Golf GTI com o Golf 1.0 TSI nesta velocidade de 77 e 78 km/h como o multilink se mostra superior. E esta muito longe dos 200 km/h para vender essa balela toda

      Virtus chega para competir com City, Futuro Yaris sedã, e talvez alguns médios de entrada.
      Se vender 3.000 unidades estará de bom tamanho, pq não será nada além disso.

      Se tentar brigar com Civic e Corolla, voltará com o rabicho entre as pernas, pq não é carro pra fazer frente aos japoneses...

      Excluir
    6. Esse japonës só fala besteira.

      O Civic é tão bão, que 2.0 com transmissao manual tomou uma benga fenomenal do Audi A3 1.4 (plataforma MQB):

      http://www.car.blog.br/2017/02/audi-a3-14-flex-at6-nacional-trucida-o.html

      Na boa, japonês sabe fazer sushi. Os carros não tem como competir com a Alemanha. Esquece.

      Engenharia teutônica está séculos à frente da japa.

      O problema dos japas é que resolveram criar carros para agradar a gordolândia. E a gordolândia não entende de carro,

      Tanto que a VW resolveu levar a sério o mercado da gordolândia, e está crescendo absurdamente por la, deixando Toyota e hyuundai no chinelo.

      Excluir
    7. Civic 1.5T mandou abraços para o A3 1.4 TSI.
      Civic Si com seus 205cv e pífios 26,5 kgf.m simplesmente chegou de ombro a ombro com o Golf GTI Performance Package.
      Civic Type-R mandou mensagem há 6 séculos para que Golf GTI Sport S pudesse ter tempo para pegar na chegada. E só pegou porque a msg usou pneus especiais e implementou alterações gigantescas na suspensão.

      Engenharia teutônica é de se aplaudir de pé, sem nenhuma sombra de dúvidas!
      Mas não detém o absolutismo.
      Hoje a Honda impera em Nurburgring, amanhã pode ser a Renault, VW, Ford.

      Quanto ao crescimento da VW US, meus parabéns!
      Fruto de investimentos adequados.
      Saiu do 20 para o 30, mas está longe de fazer sombra para aqueles que estão na casa de 1.000.

      Por fim, Virtus competir com Corolla e Civic é assumir atestado de suicídio, pq não é carro para isso...

      Excluir
  13. A vw vai ter dois medios o polo e o golf

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. acho qur vai ter 4. o gol e o up vao competir com o focus e cruze, polo com classe a, serie 1 e a3. Golf vai ser canonizado e vai competir com os deuses nórdicos

      Excluir
  14. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  15. A parte da "frente do carro não raspar nunca" é meio mentira,ja andei em uma e posso garantir que ouvi a saia dianteira raspando umas 3 vezes ,porem nda se compara cm o fusion chega a irritar

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.