Car.blog.br

Pesquisar este blog

VW Voyage registra 1,5 milhão de unidades produzidas

Categorias: , 9 Comentários

A Volkswagen comemora a marca de 1,5 milhão de unidades do modelo Voyage produzidas no Brasil. O marco produtivo foi representado pelo Voyage Highline, fabricado na unidade de Taubaté, no interior de São Paulo.

VW Voyage Sport 1993

Derivado do Gol, o Voyage foi lançado em julho de 1981 e foi totalmente projetado e desenvolvido no Brasil.

VW Voyage LS 1981

Ao longo de sua história, já teve mais de 420 mil unidades exportadas para 61 países.

VW Voyage LS 1981 - interior

Quinto modelo Volkswagen mais vendido do mercado brasileiro, o Voyage registrou 26.074 unidades comercializadas no mercado nacional em 2016.

História

Oferecido inicialmente apenas com carroceria de duas portas, o Voyage foi lançado nas versões S e LS, com opção de motores movidos a álcool ou a gasolina, ambos de 1,5 litro e refrigerados a água. O câmbio era de quatro marchas.

VW Voyage LS 1981

A produção do Voyage teve início na fábrica da Volkswagen em São Bernardo do Campo, que fabricou 340.891 unidades do carro em dois períodos: entre 1981 e 1987 e entre 1990 e 1996.



Nos anos de 1988 e 1989 o carro foi produzido na fábrica de Taubaté, no interior do estado de São Paulo.

VW Voyage 1992

Desde 2008, o modelo é produzido exclusivamente na unidade de Taubaté, na mesma linha em que é fabricado também o Novo Gol.

VW Voyage 2008

O nome Voyage significa “viagem” em francês e foi escolhido para o carro pela conotação de qualidades como charme e beleza.

VW Voyage 2008

O Voyage apresenta design versátil com formas, linhas e proporções harmônicas, combinando uma imagem clássica com modernidade.

Pelo mundo

Uma curiosidade sobre as exportações do Voyage é que o sedã somente é comercializado com este nome no Chile, Colômbia e Argentina.

VW Voyage 2012

Nos demais países da América do Sul, América Central e México, o Voyage é conhecido como Gol Sedan.

VW Voyage Fox - EUA

Já nos Estados Unidos e no Canadá, onde foi vendido durante um período de sete anos (de 1987 a 1993), foi chamado de Fox (o atual modelo com este nome ainda não existia) e somou mais 202 mil unidades comercializadas.

VW Voyage Fox - EUA

Na ocasião, o Voyage exportado já contava com uma novidade para a época que era um inédito sistema de injeção de combustível.

VW Voyage Fox - EUA - interior

Em relação às versões comercializadas no Brasil, os modelos receberam aproximadamente 2.000 modificações, incluindo suspensão e câmbio de quatro marchas com “overdrive” (longo).


Atualmente, o Voyage é exportado para oito países: Argentina, México, Bolívia, Chile, Colômbia, Peru, Paraguai e Uruguai. Entre os 61 países onde o Voyage já foi comercializado estão Egito, Haiti, Libéria, Bahamas, Angola e Jordânia.

Evolução constante

A versão inicial do Voyage passou por inúmeras atualizações ao longo de sua história, marcada também por várias séries especiais, a começar pelo Voyage Plus, de 1983, e o Voyage Los Angeles, caracterizado pela cor azul metálica, que homenageava os Jogos Olímpicos realizados na cidade americana.


Sua produção se estendeu até 1996, quando o modelo foi substituído no portfólio da Volkswagen pelo recém-chegado Polo Classic.


Em 2008, com plataforma totalmente nova e desenvolvido simultaneamente com a quinta geração do Gol, o Voyage retornou ao mercado, trazendo motor transversal, maior espaço interno e tecnologia e conforto condizentes com os novos níveis de exigência do mercado brasileiro do século 21.


Oferecido com motores TotalFlex 1.0 e 1.6, a partir do ano seguinte ele também passou a contar com a opção da transmissão automatizada I-Motion.


De lá para cá, ano a ano, o sedã vem se modernizando e inovando sua categoria. Seja em estilo ou em equipamentos de série.



No início de 2016, o sedã recebeu na linha 2017, entre outras novidades, a evolução de design, um interior completamente novo e passou a contar com a tecnologia Volkswagen App-Connect, a mais inovadora em sistemas de infotainment no mercado.

Cronologia

1981 – Lançamento do sedã, com duas portas, motor de 1,5 litro refrigerado a água (o mesmo usado no VW Passat) a álcool ou gasolina, nas versões S (Super) e LS (Luxo Super)

1982 – Eleito Carro do Ano pela revista AutoEsporte. Início da fabricação também na Argentina, onde foi inicialmente comercializado com o nome Gacel, e da exportação para países da América do Sul com os nomes Senda e Amazon

1983 – Primeira série especial, o Voyage Plus. Motor passa a ser 1.6

1984 – Lançamento da versão com quatro portas. Série especial Los Angeles, homenagem aos Jogos Olímpicos realizados nos Estados Unidos, na cor azul metálico e equipamento diferenciado como bancos Recaro e aerofólio traseiro (limitada a duas mil unidades).

VW Voyage Los Angeles 1984

Câmbio de cinco marchas passa a ser oferecido como opcional

1985 – Passa a utilizar os motores AP (alta performance) 1.6 e 1.8

1986 – Série especial “GLS Super” com motor 1.8

VW Voyage GLS 1989

1987 – Início das exportações para os Estados Unidos (Projeto 99), juntamente com a Parati. Durante sete anos, rebatizado de Fox, o Voyage, teve 202.062 unidades exportadas para os EUA. Para atender às exigências legais e do mercado americano, as versões CL (Comfort Luxo), GL (Gran Luxo) e GLS (Gran Luxo Super) passaram por aproximadamente 2.000 modificações, incluindo mudanças na suspensão, câmbio de quatro marchas com overdrive, novos faróis, lanternas e para-choques

1990 – Comemoração da produção de 600.000 unidades do Voyage no Brasil.

1991 – Nova dianteira: mudanças nos faróis, lanternas, grades, capô e para-lamas. O Voyage atinge a marca de 700.000 unidades produzidas, dessas mais de 400.000 foram destinadas ao mercado interno e o restante para o externo, principalmente para os Estados Unidos, e Argentina (onde recebeu o nome de Gacel e Senda), além de outros países da América Latina, África e Europa. Até 1991 a VW já havia exportado mais de 170 mil unidades para os EUA.

1993 – Série especial Sport, com motor 1.8

1994 a 1995 – Novas cores e revestimentos. Novos rádio e toca-fitas, como itens opcionais
1996 – A produção do Voyage é encerrada após 465.176 unidades fabricadas, dando lugar ao Polo Classic

2008 – Volta do Voyage após 12 anos de ausência do mercado. Desenvolvido juntamente com o Gol, o carro tem motor transversal 1.0 ou 1.6 e linhas completamente novas.

2009 – Versão I-Motion, com câmbio automatizado ASG e motor 1.6

2010 – Novos equipamentos de série: temporizador do limpador do para-brisa, Módulo Alto-falantes e o Módulo Preparação, nas versões 1.0 e 1.6

2012 – Alcança o marco de 1 milhão de unidades produzidas no Brasil. Sedã passa a contar com design global e equipamentos inéditos. Novo Voyage traz a nova geração de motores 1.0l, da família EA111. O novo propulsor traz a nova denominação TEC (Tecnologia para Economia de Combustível).

2014 - passam a utilizar nomenclatura global para diferenciar suas respectivas versões: Trendline, Comfortline e Highline. E mais: com a linha 2015, a Volkswagen lança o Voyage Evidence, posicionado acima da versão Highline

2016 – Modelo recebe evolução de design, interior completamente novo e a tecnologia Volkswagen App-Connect, a mais inovadora em sistemas de infotainment no mercado. Estreia do motor 1.0l de três cilindros Total Flex (82 cv) na linha Voyage.

2017 – Conquista a marca de 1,5 milhão de unidades produzidas.

Postagens relacionadas:

9 comentários:

  1. Teve 2 Voyages que deixaram muitas saudades e que realmente fazem sucesso até hoje.

    Voyage GLS 1.8s e principalmente o Voyage SPORT 1.8s ( este como série especial de 1993 e 1994). Sonho de consumo até hoje.

    A Volkswagem poderia lançar no novo Virtus a versão SPORT para referenciar a versão de sucesso dos anos 90.

    ResponderExcluir
  2. O Voyage mesmo os dos anos 80 ainda tem um design atual para os dias de hoje. Não sofreram obsolencência. E isso é um resultado direto da alta qualidade de design da VW.
    Sobre o Voyage, a interrupção entre 1995 e 2008 de sua produção foi exatamente a causa de a VW ter perdido a liderança do mercado para a Fiat.
    Na falta do Voyage, a Fiat deitou e rolou vendendo Siena, enquanto a VW não tinha um Voyage G2.
    A interrupção do Voyage por 10 anos foi um grande erro estratégico da VW Brasil, e que custou bem caro.
    Poderia ser líder até hoje se não fosse isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahaha Voyage dos anos 80 com design atual nos dias de hoje???? Para de defecar meu amigo, isso é burrada, as pessoas não ficam 20 anos com os carros mais hoje em dia, não há necessidade desse design atemporal, por isso os japoneses vendem que nem água seus carros.

      Excluir
    2. o dos anos 80 é mais bonito que esse gol esticado na gambiarra....

      Excluir
  3. Em 1981, o Voyage era excepcional. Um carro desejado. Parati idem. Nos USA, Fox era páreo para o Nissan Sentra, possuíam tamanhos similares e concorriam no mesmo mercado (busquem na internet), mas o Fox era muito mais bonito. Morei lá na época e ficava feliz de ver um carro brasileiro vendido nos USA.
    Contudo, o carro não evoluiu. Vejam a diferença entre o Sentra e o Voyage (não precisa dizer mais nada).

    ResponderExcluir
  4. Voyage quadrado ainda tem um monte rodando,meu tio teve um.

    ResponderExcluir
  5. Esses números não batem. 500 mil carros de 2012 a 2017!!!!!!
    Eis as vendas no mercado interno (extraídas de car.blog).
    2012 > 96.403
    2013 > 26.742
    2014 > 17.677
    2015 > 41.397
    2016 > 26.074
    2017 > 4.619 até fevereiro
    = 212.912

    Quase 300 mil exportados em cinco anos??!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1,5 milhão de PRODUZIDOS. Os PRODUZIDOS foram vendidos no mundo inteiro, e vc está comparando apenas com vendas no mercado interno.

      Excluir
  6. o meu era um 89 2 portas GL1.8 a álcool kkkkkk andava muitoooo. pra época.

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.