Car.blog.br

Pesquisar este blog

VW Golf Variant 2017 ganha motor Flex e câmbio TipTronic

Categorias: , , 22 Comentários

Juntamente com o Golf 1.0 TSi, Tiguan 1.4 TSI, a VW do Brasil apresenta a linha 2017 do Golf Variant, que traz o motor 1.4 TSI Total Flex com 150 cv, novo sistema multimídia com tecnologia App-Connect de série em todas as versões, e o novo câmbio automático de seis marchas (conversor de torque) com função TipTronic. Há ainda recursos como sistema Start-Stop, freios com sistema “Sistema de Frenagem Automática Pós-Colisão”, ACC e FLA – Front Light Assist, entre outros.

VW Golf 2017 Variant Flex

O Golf Variant 2017 passa a contar com motor 1.4 TSI Total Flex de 150 cv em suas duas versões: Comfortline (preço R$ 101.880 reais) e Highline (preço R$ 113.290 reais). O comando de voz, acionado pelo volante multifuncional, agora é item de série em todas as configurações. A oferta de rodas de liga leve também é nova para a linha 2017.

Downsizing flex

O Golf Variant 2017 é equipada com o motor 1.4l TSI Total Flex. Pertencente à família EA211, o motor tem bloco e cabeçote feitos de alumínio, duplo comando de válvulas no cabeçote (variável na admissão; são quatro válvulas por cilindro) e é equipado com injeção direta de combustível e turbocompressor. O vídeo a seguir traz todos os detalhes.



Esse motor desenvolve potência de 150 cv (etanol e gasolina) na faixa de 4.500 rpm a 5.500 rpm. Seu torque máximo, de 25,5 kgfm (250 Nm), surge já a apenas 1.500 rpm e se mantém até os 4.000 rpm, independentemente da mistura de combustível.

VW Golf 2017 Variant Flex

Tanto na versão Comfortline como na Highline, o motor 1.4l TSI Total Flex é combinado exclusivamente à transmissão automática de 6 velocidades (com conversor de torque) com função Tiptronic (que permite ao motorista efetuar as mudanças manualmente, por meio da alavanca de câmbio ou por aletas no volante). O Novo Golf Variant acelera de 0 a 100 km/h em 9,1 segundos e alcança 207 km/h de velocidade máxima (dados com etanol).

VW Golf 2017 Variant Flex Automática - interior

A central eletrônica do motor (ECU) tem novos software e hardware. Os pistões e anéis foram redimensionados para os 10 cv extras de potência do motor flexível, que recebeu um catalisador especificamente calibrado para ele. Outras novidades são a guia de válvula que agora tem dupla vedação e a sede de válvulas do cabeçote e as válvulas injetoras com tratamento específico para operarem com o combustível de origem vegetal.

VW Golf 2017 Variant Flex Automática - interior

A sonda lambda passa a ser linear, proporcionando melhor controle na combustão. Por causa das características do etanol, o sistema de injeção de combustível do motor 1.4 TSI Total Flex utiliza 250 bar de pressão – como referência, o motor 1.4 TSI a gasolina trabalha com 200 bar. Com isso, a galeria de combustível foi modificada e está ainda mais robusta.

Ainda no sistema de ignição, as velas contam com grau térmico específico e geometria diferenciada para funcionar em qualquer mistura de etanol ou gasolina. O motor 1.4 TSI Total Flex utiliza velas de ignição de dupla platina, o que proporciona ignições e faíscas mais rápidas utilizando menos energia. Resultado: excelente durabilidade.

VW Golf 2017 Comfortline Flex Automático   - Preço 101.880 reais

Modelo de entrada, o Golf Variant Comfortline vem de série com sete airbags (dois frontais, dois laterais nos bancos dianteiros, dois laterais do tipo cortina e um de joelho para o motorista), cintos de segurança automáticos de três pontos em todos os assentos, controle de tração (ASR), controle de estabilidade (ESC), bloqueio eletrônico do diferencial (EDS e XDS) distribuição eletrônica de frenagem (EBD), faróis de neblina com luz de conversão estática, sistema Isofix de fixação de cadeirinha de criança com top tether (que permite a fixação da parte superior da cadeirinha) e freios com Sistema de Frenagem Automática Pós-Colisão.


O Golf Variant Comfortline 2017 também traz como equipamento de série o sistema Star/Stop, direção elétrica, ar-condicionado, vidros dianteiros e traseiros com acionamento elétrico e função “um toque”, sistema de infotainment “Composition Media” com tela sensível ao toque de 6,5”, travamento central por controle remoto e rodas de liga leve de 16” estilo “Dover” (pneus 205/55 R16), freio de estacionamento com o sistema “Hill Assist”, sensores de aproximação de obstáculos na dianteira e na traseira (“Park Pilot”) e retrovisores externos com ajuste elétrico, aquecíveis, com luz de seta integrada (side blinker) e função “tilt down” complementam a lista de série. Como novidade para a linha 2017 há a opção das rodas de liga leve de 17” com estilo “Geneva”, com pneus 225/45 R17.

VW Golf 2017 Variant Flex Highline Automático - Preço R$ 113.290 reais

Versão topo de linha, o Golf Variant Highline acrescenta ao conteúdo da versão Comfortline ar-condicionado digital Climatronic (com duas zonas de resfriamento), bancos de couro, lanternas de LED, volante multifuncional com controles do computador de bordo e dos sistemas de som e telefonia, sensores de chuva e de luminosidade com “Coming Leaving & Home”, entre outros.

VW Golf 2017 Variant Flex

Opcionalmente, a versão Highline pode ser equipada com faróis de xenônio, rodas de liga leve de 17” diamantadas estilo “Madrid”, sistema de infotainment Discover Pro com tela sensível ao toque de 8’ e a tecnologia Volkswagen App-Connect, capaz de realizar o espelhamento de celular nas plataformas Mirrorlink, Android Auto e Google CarPlay.

Capacidades

O Golf Variant 2017 traz porta-malas que comporta 605 litros (até a altura dos encostos de cabeças – são três – no banco traseiro), o que significa amplo espaço mesmo com cinco ocupantes a bordo.

VW Golf 2017 Variant - Porta-malas

Rebatendo-se os bancos traseiros a capacidade para bagagens aumenta para 1.620 litros.

VW Golf 2017 Variant - Porta-malas
VW Golf 2017 Variant - Porta-malas


O comprimento total do porta-malas é de 1.055 mm – até os encostos dos bancos dianteiros são 1.831 mm.

VW Golf Variant 2017 Flex Automática

O Golf Variant mede 4.562 milímetros de comprimento – são 307 mm a mais no comprimento em relação ao hatchback –, com 1.799 milímetros de largura (sem espelhos retrovisores) e 1.481 milímetros de altura. A distância entre-eixos é de 2.630 milímetros. Essas proporções representam um projeto impressionante: até as portas dianteiras, seguem-se as linhas precisas do hatchback. O estilo do Golf Variant se desenvolve a partir das colunas centrais “B” em direção à traseira.

Sistemas de assistência – proteção automática

Todo Golf Variant oferece de série a possibilidade de seleção do perfil de direção com quatro modos (‘Normal’, ‘Sport’, ‘Eco’ e ‘Individual’). Além disso, o modelo conta com uma série de recursos de tecnologia, segurança e conforto.

VW Golf Variant 2017 Flex Automática

Freios com sistema de Frenagem Automática Pós-Colisão. Um item inovador no Golf Variant é o sistema de freios com sistema de Frenagem Automática Pós-Colisão, que evita a ocorrência de colisões múltiplas – situação em que ocorre um segundo impacto após a colisão inicial.

Bloqueio eletrônico do diferencial (EDS + XDS). Tecnicamente, o bloqueio eletrônico do diferencial (EDS + XDS) está integrado ao Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC) para melhorar a dinâmica do veículo. O bloqueio do diferencial é ajustado especificamente para cada modelo Volkswagen. No Golf Variant, suas funções foram ampliadas para todas as situações de condução.

Sistema “Pro Active” (Proteção proativa dos passageiros). A proteção proativa dos ocupantes do carro é um exemplo típico de uma tecnologia transferida da categoria luxo para a classe dos veículos médios. A Volkswagen implementou o sistema se proteção proativa dos ocupantes inicialmente no Touareg.



O sistema também passou a ser oferecido no Novo Golf, tornando-o um dos poucos veículos de sua categoria no mundo a oferecer esse tipo de sistema de proteção.

ACC – Adaptive Cruise Control (Controlador adaptativo de distância e velocidade). O sistema usa um sensor de radar integrado à dianteira do carro. Nos veículos com transmissão automática DSG, como o Golf Variant, o Adaptive Cruise Control intervém de tal forma que, dependendo da situação, o carro pode chegar a parar e, no modo Stop and Go, arrancar automaticamente.



O ACC mantém uma velocidade pré-selecionada e uma distância definida do veículo à frente, freando ou acelerando automaticamente, seguindo o fluxo do trânsito (de maneira que a distância sempre prevalece sobre a velocidade, garantindo a segurança).

A dinâmica do sistema pode ser modificada individualmente pela seleção de um dos programas de direção do seletor de perfis de condução oferecido no Golf Variant.

Front Assist. O sistema de monitoramento frontal “Front Assist” funciona como o ACC com o sensor de radar integrado à frente do carro, que monitora permanentemente a distância do tráfego à frente. Mesmo com o ACC desligado, o Front Assist ajuda o motorista em situações críticas pré-condicionando o sistema de freios e alertando o condutor por meio de sinais visual ou sonoro quando for necessária uma reação. Caso o motorista não freie forte o suficiente, o sistema automaticamente gera força de frenagem para tentar evitar uma colisão.



O Front Assist diminui a velocidade do carro de forma que, em condições ideais, a velocidade de um possível impacto seja minimizada. O sistema também auxilia o motorista dando um sinal caso o carro se aproxime demais do veículo à frente. A nova função City Emergency Brake (frenagem urbana de emergência) faz parte do Front Assist.

City Emergency Brake (Frenagem Urbana de Emergência). A função City Emergency Brake é uma extensão do sistema Front Assist, que, por meio de um sensor de radar, varre a área à frente do carro. Se houver perigo de colisão com um veículo andando ou parado à frente do carro e o motorista não reagir, o sistema de freios é pré-condicionado da mesma forma que com o Front Assist.

Se for necessário, a função City Emergency Brake inicia a aplicação total dos freios para diminuir a gravidade do impacto. Além disso, se o motorista deixar de pressionar o pedal do freio de forma suficiente, o sistema irá ajudar gerando o máximo de força de frenagem.

Detector de fadiga. Esse sistema, introduzido primeiramente no atual Passat, detecta a perda de concentração do motorista e o alerta por meio de um sinal sonoro durante cinco segundos. Uma mensagem visual também aparece no painel de instrumentos, recomendando uma parada para descanso. Se o motorista não parar dentro dos próximos 15 minutos, o aviso é repetido.



Logo no início de cada viagem, o sistema analisa vários fatores, inclusive o comportamento individual do motorista ao volante. Durante a viagem, o sistema de detecção de fadiga avalia continuamente vários sinais, como o ângulo de esterço do volante. Se os dados do monitoramento indicarem um desvio do comportamento registrado no início da viagem, são acionados os sinais sonoro e visual.

Independentemente do monitoramento, sempre que o sistema é ativado recomenda ao motorista um intervalo para descansar após quatro horas contínuas de direção.

FLA – Front Light Assist (Assistente de luz para farol alto). Sistema opera ativando ou desativando automaticamente o facho alto do farol. O FLA analisa o tráfego à frente do Golf Variant ou em sentido contrário por meio de uma câmera instalada no para-brisa e automaticamente controla a ativação do farol alto. O sistema opera a partir da velocidade de 60 km/h.

Park Assist 2.0. A mais nova versão do sistema de assistência ao estacionamento agora facilita parar não apenas em vagas paralelas à via, mas também parar de ré em vagas perpendiculares. Adicionalmente, o Park Assist 2.0 também é equipado com função de frenagem e saída da vaga de estacionamento.

O sistema pode ser ativado a até 40 km/h pela pressão de um botão no console central. Utilizando o indicador de direção (seta), o motorista seleciona de que lado quer estacionar o carro. Se o Park Assist detectar uma vaga com tamanho suficiente, usando sensores de ultrasom, (40 cm de espaço para manobra à frente e atrás do carro são suficientes), o estacionamento assistido pode ter início: tudo o que o motorista precisa fazer é engatar a macha à ré e usar os pedais do acelerador e freio. O sistema controla a direção automaticamente. O motorista é orientado também por “bipes” e informações visuais no display.

Postagens relacionadas:

22 comentários:

  1. Top, top, meu sonho e ter um golf variant, carro completo, excelente acabamento e muito espaçoso!

    ResponderExcluir
  2. Definitivamente será meu próximo carro

    ResponderExcluir
  3. É preciso saber o que realmente equipa o carro de série e o que só será disponibilizado nos famosos e caríssimos "pacotes" da Volkswagen.

    ResponderExcluir
  4. Hoje, completa com "pacote" premium + teto e roda custa apenas 145.900 (vide configurador da Volks) , isso se o frete já tiver incluso , senão, + frete. Barato né, vai vender que nem água !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E vá vender depois. Ou precise de um simples para-choques traseiro daqui a 3 anos. Enfim, lindo e excelente carro, mas péssima compra.

      Excluir
  5. Respostas
    1. Poxa, até vindo do México retiraram a multilink...brincadeira. Engraçado que o Jetta custa bem mais barato e usa multilink em qualquer versão. Difícil de entender.

      Excluir
    2. Pioria contínua... O nosso Golf infelizmente perdeu qualidade mecânica no câmbio e na suspensão, agora somente nos restou o GTI - que cobra bastante por isso..

      Excluir
  6. Não tem mais opção de KESSY (botão de partida)???

    ResponderExcluir
  7. Esse é o carro que atenderia minhas necessidades. Potência, tecnologia aliado a muito espaço. O problema é que pouca gente estaria disposta a despender 113k nesse carro tornando-se difícil no mercado de usados. A maioria gastaria mais 10k e levaria o Civic touring que tem um design mais moderno.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Produção, faltou mostrar a foto do enorme porta-malas!

      Excluir
  8. Essa variant só vai ficar bala quando colocar o motor e câmbio do golf gti .

    ResponderExcluir
  9. Esse downsize em tecnologia e mecânica na linha Golf é um reconhecimento de que os mercados fora da Europa ainda não têm cacife financeiro para bancar um modelo médio carregado de tecnologia de seguimento superior. Os custos elevados estão minando essa categoria por aqui. As versões mais racheadas são raras de ver nas ruas. A VW terá que ser muito criativa ao preparar a nova geração dessa linha, para torná-la viável num mundo de economia cada vez mais crítica. A regionalização será cada vez mais forte em detrimento dos projetos unificados globalmente. Não é à toa que a marca aposta as fichas nessa versão mais simplificada da Variant e num Golf 1.0 de eixo traseiro de torção...

    ResponderExcluir
  10. GABRIELCSFLORIPA deixou um novo comentário sobre a sua postagem "VW Golf Variant 2017 ganha motor Flex e câmbio Tip...":

    Se já não vendia antes, imagina agora com tiptronic e eixo de torção.

    RESPOSTA: Pois é, nem vou comentar.

    ResponderExcluir
  11. Sobre o cambio eu concordo com a mudança, prefiro mil vezes o silencio/confiabilidade do tiptronic ao DSG7 que pode me deixar a pe a qualquer momento na estrada.

    ResponderExcluir
  12. Cadê a mala elétrica?
    Realmente muito caro. E esse blá blá blá todo dizendo que o preço é por conta da tecnologia não cola. Já que compararam hatch com sedan, porque não dizer que tem sedans tão completos qto, na mesma faixa de preço?
    E que palhaçada é essa com o Tiguan? Cadê o modelo novo? Preciso de um carro novo, minha filha nasceu, meu Golf tá ficando pequeno.

    ResponderExcluir
  13. VW, traga logo o Tiguan 2017, sou fã da marca, mas 180 mil num Passat, mesmo sendo a versão Highline Premium, é demais pra minha cabeça. Dá pra comprar um Q3!

    ResponderExcluir
  14. Existe um ditado que diz, "a verdade dói", e qdo nao doi, incomoda, mas algumas devem ser ditas.
    O principal motivo para a VW estar aumentando, sempre que possível, o preço dos seus carros, é por causa dos processos que vêem sofrendo. É financeiro.
    Centenas de investidores entraram com processos contra a Volkswagen em relação ao escândalo de fraudes nos testes de emissão de gases poluentes, na Alemanha. Segundo informações do tribunal alemão da cidade de Brunswick, 1.400 processos foram abertos pedindo um total de US$ 9,2 bilhões (R$ 29,5 bilhões) em reparações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A VW sempre cobra mais caro - não é novidade. E lucra muito todos os anos, ela e a Toyota são máquinas de lucros!

      Excluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.