Car.blog.br

Pesquisar este blog

Frenagem autônoma de emergência dissemina-se na Europa

Categorias: 1 Comentário

Os sistemas ativos de auxílio à condução para melhora de segurança vem apresentando grande expansão nos últimos anos. Recursos como frenagem autônoma de emergência e auxílio à manutenção de faixa de rodagem esteve em 20% dos carros 0KM vendidos na Alemanha em 2014 - o dobro do verificado no ano anterior (2013), segundo dados da Bosch.

Frenagem autônoma de emergência

Um dos motivos que estimula essa maior disseminação são as exigências dos órgãos de avaliação de segurança, como o Euro NCAP, o qual exigirá, a partir deste ano, o sistema de prevenção de atropelamento de pedestres como pré-requisito para a classificação cinco estrelas.

Frenagem autônoma de emergência

Segundo estudos, caso todos os veículos fossem dotados de sistemas de frenagem autônoma de emergência, evitar-se-ia cerca de 72% das colisões traseiras com ferimentos. Já o Segundo pesquisas conduzidas pela Bosch, o sistema de permanência na faixa de rolagem pode prevenir até 28% dos acidentes causados por motoristas que mudam de faixa acidentalmente.



As colisões traseiras estão entre os piores incidentes, especialmente quando envolve pedestres ou ciclistas. O sistema Frenagem Automática de Emergência (AEB - Automatic Emergency Braking) pode prevenir tais colisões totalmente ou, pelo menos, atenuar consideravelmente o impacto desses acidentes. Se o radar ou a câmera de vídeo detectar obstáculo à frente do veículo, o sistema é preparado para realizar uma frenagem de emergência e o motorista é notificado. Se o condutor não responder, o sistema realiza uma frenagem parcial e, logo que o motorista pise no freio, o dispositivo aumenta a potência da frenagem a fim de evitar o acidente, como mostrado no vídeo abaixo.



Caso o motorista não responda à manobra de frenagem parcial e o sistema detecta que a colisão é inevitável, o dispositivo executa de forma autônoma a manobra de frenagem de emergência. Em velocidades de até 40 quilômetros por hora em circuito urbano, o sistema Frenagem Automática de Emergência da Bosch, por exemplo, pode até evitar por completo as colisões em veículos parados.

Estados Unidos

Os Estados Unidos também estão atuando para tornar seus veículos ainda mais seguros. Recentemente o governo americano firmou um acordo com 20 montadoras, que representam mais de 99% do mercado americano, para que até 1º de setembro de 2022, a maioria dos carros do país possua o sistema de frenagem automática de emergência. Para as picapes o prazo será até 2025.


No Brasil, os sistemas de assistência ao condutor, como a Frenagem Automática de Emergência, também estão cada vez mais próximos dos usuários brasileiros, visto que o controle eletrônico de estabilidade, que é a base tecnológica para muitos desses dispositivos, se tornará obrigatório em todos novos projetos de veículos fabricados ou importados a partir de 2020. Os modelos já comercializados no mercado nacional serão obrigados a incorporar o item apenas em 2022.

Fonte: Bosch

Postagens relacionadas:

1 comentários:

  1. Esta é uma absolutamente competição saudável, que quem ganha é o consumidor. Por aqui também já chegou, e lentamente os brasileiros procuram informação sobre o LNCAP. Os crash promovem a evolução dos monoblocos, mais leves e resistentes, além de aumentar as chances de sobrevivência dos passageiros carros 5 estrelas duram mais, longevos. Agora com a electronica sendo obrigatória vai ficar melhor ainda pro consumidor. Cabe a nós (brasileiros) fazermos a nossa parte, comprando carros 0km bem classificados (4+) e abandonando de vez as cadeiras elétricas (3-) que não preciso aqui nominar quais são. Voces vão gastar muito pouco a mais e terão um carro exponencialmente mais seguro.

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.