Car.blog.br

Pesquisar este blog

Hyundai HB20 Automático - considerações após 3.000 Km

Categorias: , , , 20 Comentários

O Hyundai HB20 1.6 Automático que testamos há algum tempo atrás chegou a 3.000 Km rodados - o que permite uma análise mais detalhada de suas características, consumo e comportamento, que é o objetivo deste post e do vídeo que reproduzimos mais abaixo.

Hyundai HB20 1.6 Automático

Nesse período o carro andou basicamente no mesmo percurso fizemos com o Ford Ka 1.0 SE e com o Golf 2.0 Automático TipTronic - carros que já passaram por nossa avaliação de longa duração, de modo que podemos estabelecer termos de comparação nesse aspecto entre eles.



O Hyundai HB20 apresentou consumo médio de 12,05 Km/l de gasolina nesse percurso caracterizado por ser 50% cidade e 50% estrada, sempre com o ar-condicionado ligado e no mínimo duas pessoas a bordo. E sem preocupação em usar o carro de forma "econômica".

Modelo Consumo Vantagem
Ford Ka 1.0 SE 13,2 Km/l 9,5%
Hyundai HB20 1.6 Automático 12,05 Km/l 25,5%
Golf 2.0 AT6 TipTronic 9,6 Km/l

Assim, observamos que o Ka 1.0 é cerca de 9,5% mais econômico que o HB20 1.6 Automático, que, por sua vez, é 25,5% melhor que o Golf 2.0 AT6 TipTronic - evidenciando tanto o seu menor peso, quanto a modernidade de seu projeto.

Hyundai HB20 1.6 Automático

O fato é que o consumo do Hyundai HB20 1.6 Automático nos surpreendeu positivamente, pois é um carro com motor quatro cilindros 1.6 16V com 120 cavalos (com gasolina) associado a uma transmissão automática  de quatro marchas - que impõe um consumo maior ao conjunto.

Hyundai HB20 1.6 Automático

E mesmo assim, ele se mostrou apenas 9.5% mais oneroso que o Ford Ka SE 1.0, um carro com motor 1.0 de três cilindros, mais leve e com transmissão manual.

Agilidade em trânsito urbano

Outro aspecto que nos surpreendeu positivamente foi o fato de o Hyundai HB20 apresentar um raio de giro curto - maior que o do up!, mas menor que o do Ka. Quanto melhor o raio de giro, mais o carro esterça, e, consequentemente, mais fáceis e menos cansativas são as manobras.

Hyundai HB20 1.6 Automático

O Hyundai HB20 é muito bom nesse aspecto, tornado-o bastante ágil e pouco cansativo em cidade, pois exige poucas manobras em situações de estacionamento ou para sair de vagas apertadas.

Interior sem ruídos

O Hyundai HB20 com 3.000 Km continua como novo, sem ruídos internos de peças soltas, evidenciando uma boa montagem e qualidade de execução do acabamento.

Hyundai HB20 1.6 Automático

Estética sobre funcionalidade

O Hyundai HB20 é dono de um design que é considerado um marco no segmento de hatchs compactos, com sua carroceria em cunha, frente baixa, traseira alta e elevada linha de cintura. Ocorre que esse desenho tem um preço a ser pago na limitação da visibilidade.

Hyundai HB20 1.6 Automático

O HB20 tem uma área envidraçada pequena relativamente a seus concorrentes - e elevada. Assim, para pessoas de estatura menor o interior se mostra algo claustrofóbico. Mas o principal problema é o fato de que as janelas pequenas associadas à larga coluna "C" criam um enorme ponto cego na visibilidade traseira.

Hyundai HB20 1.6 Automático

A visibilidade traseira e diagonal traseira - necessária quando se quer mudar de faixa - é deficiente em função dos pontos relacionados acima.

Posição de dirigir

Uma consequência da área envidraçada elevada é o fato de exigir o motorista ficar posicionado mais na vertical, em posição mais sentada.

Esse aspecto diferencia bastante o HB20 dos carros de concepção alemã, como Golf, Gol e o próprio up!, onde o motorista fica mais baixo e com as pernas mais esticadas.

Volante pequeno e raios espessos

O volante do Hyundai HB20 agrada à primeira vista, por ser de pequenas dimensões com revestimento em couro. Ocorre que a combinação de diâmetro pequeno e quatro raios espessos resultou em pouco espaço para os dedos do motorista.

Hyundai HB20 1.6 Automático

Assim, não podemos dizer que o volante do HB20 é de "boa pega", e o ideal seria a Hyundai melhorar o desenho do volante. Consideramos hoje os formatos de três raios - como o adotado no Fox e Golf 7 o mais adequado.

Suspensão traseira

Outro ponto que observamos no Hyundai HB20 é o reduzido curso da suspensão traseira - que, mesmo com apenas uma pessoa a bordo, chega em seu final caso se passe por uma lombada em velocidade um pouco mais elevada.

Hyundai HB20 2015 - traseira

Nessas situações sente-se e ouve-se uma pancada seca na traseira, indicando o fim de curso, e com mais pessoas dentro do carro a situação se agrava. A Hyundai poderia melhorar esse aspecto colocando amortecedores de maior curso.

Transmissão automática básica

O Hyundai HB20, por adotar um motor 1.6, pode-se dar ao luxo de usar uma transmissão automática de conversor de torque, que, em troca da suavidade, rouba um pouco de potência e torque do motor.

Entretanto, essa transmissão do HB20 é muito simplória: não tem tecla "S" e nem opção de trocas manuais - o que pode ser importante em determinadas situações.

É verdade, porém, que ela se comporta muito bem, sendo rápida e escolhendo as marchas com precisão, reduzindo sempre que o motorista solicita maior agilidade.

Hyundai HB20 1.6 Automático

Notáveis ausências

O Hyundai HB20 1.6 Premium Automático tem preço sugerido beirando os R$ 60 mil reais em sua configuração com bancos em couro e BlueNav (multimídia com GPS), de modo que, dado o preço, sente-se a falta de dois itens importantes em termos de conforto e conveniência: ar-condicionado automático e controle de velocidade.

Falta o ar-condicionado digital

O ar-condicionado do HB20 é de ajuste manual, sendo que esta versão Premium merecia um comando de climatização digital e automático, no qual o motorista define a temperatura que deseja a cabine e o ar-condicionado faz o resto, ajustando a temperatura e a ventilação para manter o ambiente no ponto desejado.

Hyundai HB20 1.6 Automático - interior - iluminação noturna

No caso deste HB20 Premium, o motorista precisa constantemente ajustar a intensidade da ventilação e da temperatura para manter o ambiente do seu agrado - procedimento que, além de implicar maior insegurança - pois exige desvio da atenção da via para o painel, é desconfortável.

Carro automático sem piloto automático

Outra ausência "notável" do HB20 Automático é o piloto automático - sistema que mantém o carro em uma velocidade pré-estabelecida pelo motorista, fazendo com que ele não precise controlar o acelerador.

Hyundai HB20 1.6 Automático - painel

O piloto automático tem se mostrado útil também em cidade, pois nas vias brasileiras expressas cheias de radar, não é incomum o motorista ultrapassar a velocidade permitida por não estar atento ao velocímetro - o que implica em pesadas multas. Com o piloto automático ligado não se corre o risco de tomar uma multa desde que a velocidade selecionada seja a correta e permitida para a via.

Torque em baixa

Os números e as especificações do motor 1.6 16v do HB20 são notáveis: duplo comando variável, construção de alumínio, até 128 cavalos com etanol. Entretanto, na prática, o HB20 ainda apresenta deficiência de torque em regimes mais baixos.

Conclusão

Hyundai HB20 1.6 Automático

O Hyundai HB20 1.6 Premium Automático se mostra um carro suave, com desempenho correto e com bons índices de consumo, mas precisa de aperfeiçoamentos em termos de equipamentos e mecânicos para justificar o preço cobrado.

Postagens relacionadas:

20 comentários:

  1. Já ta na hora de atualizarem esse câmbio em! 4 marchas hoje em dia não dá!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se formos levar a lógica, esse HB20 terá um câmbio de 6 marchas automático no seu facelift, pois ele é um dos únicos da linha Hyundai que tem esse câmbio, trocando pelo de 6 o lucro seria maior, para uma empresa que visa isso é uma boa pedida. Vamos ver, né.

      Excluir
    2. Esqueceu do vovô tucson que são quatro marchas.

      Excluir
  2. Eu gosto desse hb20, mas seu cambio automático precisa de um software atualizado, urgente!

    ResponderExcluir
  3. Gosto do design desse carro, mas com essa configuração (motor 1.6 + câmbio automático + navegação + bancos em couro), fica por 60 mil reais. É muita grana pro carrinho. Por essa grana, tem Toyota Corolla e Honda Civic automáticos seminovos com baixa km à venda.
    Já o HB20 1.0 mais barato saí a partir R$ 37.725, mas bem mais simplório.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo. 60 mil em um carro de cunho popular, é complicado. Eu tiraria o escorpião do bolso e compraria logo um da dupla japonesa ou um Golf TSI.

      Excluir
    2. Pois é, SDS.
      Acho o carrinho bem bacana. Mas é apenas um bom popular bem equipado.
      Por pouco mais dá pra pegar um Ford Focus.
      Com 60 mil, tem Toyota Corolla e Honda Civic automáticos, nos seminovos de concessionária, com garantia de fábrica.

      Excluir
    3. Poderia também ser mais generoso no tamanho. Há compactos maiores, não digo melhores, mas se o tamanho do HB20 fosse maior, entraria como minha opção de compra.

      Excluir
    4. RF$ 37k pega um High-up com ar, de e som, que humilha o HB20 1.0 básico e intermediário em todos os sentidos.
      Carro 1.0 só tem 1 escolha válida no Brasil: o up! e mais nada.

      Excluir
    5. Tava demorando pro Carlos "Up melhor que Ferrari" aparecer...

      Excluir
    6. galera falando de golf civic e corolla e o senhor carlos entra com seu queridissimo up...

      Excluir
  4. Bom carro, bem acabado e com boa qualidade de construção.

    Mas não me agradou em certos aspectos, tais como a direção e a suspensão, que considerei muito anestesiados para o meu gosto.

    Para quem gosta de carro mais macio, vai agradar. Mas para quem espera um carro que lhe entregue prazer de dirigir numa condução mais esportiva, esqueça...

    Ainda assim, considero a melhor opção do segmento, equilibrando bem qualidade e equipamentos oferecidos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem por ai mesmo...
      Provavelmente uma escolha de mercado, pois agrada uma parcela maior de pessoas!
      O casamento do motor/cambio/software é surpreendentemente bom e o carro chega a bons números de consumo!
      Mas o preço é MUITO elevado, praticamente sem descontos e fila de espera...

      Excluir
  5. trocaria uma atualização do câmbio automático (que a reportagem deixa claro que mesmo tendo 4 marchas dá conta do recado) por itens que justificassem os quase 60 mil reais como iluminação nos botões dos vidros das 4 portas (só tem iluminação na porta do motorista), ar digital, piloto automático (itens já citados na matéria), temporizador do limpador do vidro traseiro (coisa que Gol básico tem e o HB20 Premium não), sensor de chuva, cinto de três pontos e encosto de cabeça para o quinto passageiro, controle de tração e estabilidade e opção de airbags laterais. Todos esses equipamentos, na minha opinião, são mais importantes e funcionais do que um câmbio de mais marchas (seria bem vindo claro, mas não tão necessário).

    ResponderExcluir
  6. Na realidade o câmbio pode ser operado manualmente, mesmo que não tenha +/- pode utilizar as posições D-3-2-1 como bem entender, desde que não ultrapasse o limite de giros nas reduções.

    ResponderExcluir
  7. Consumo milagroso este, ein? Este 1.6 bebe igual gente grande... O Cerato, com a mesma mecânica e câmbio de 6 marchas, gasta muito menos na cidade. O At4, pelo menos aqui no interior de sp, é inadequado.

    ResponderExcluir
  8. Belíssimo post. O carro é lindissimo por fora, e por dentro também. Ao meu vêr, é a melhor opção do segmento.

    ResponderExcluir
  9. Prezado, tenho um hb 20, 1,6, automático, com 1000 kms rodados. Estou muito satisfeito com o carro. Porém o consumo deixa a desejar. O meu não faz mais que 7,5 na cidade com gasolina, segundo informações do computador de bordo.

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.