A Toyota do Brasil anunciou que, a partir de setembro deste ano, a sua fábrica de motores em Porto Feliz, SP, passará a produzir propulsores destinados ao mercado norte-americano. Inicialmente, a planta do interior paulista será responsável pelo fornecimento de 45.600 motores 2.0L (usado nos Corolla e Corolla Cross) por ano para a Toyota daquela região.
Com essa iniciativa, a moderna e primeira fábrica de propulsores da Toyota na América Latina e Caribe tem como missão suprir a alta demanda de veículos daquele mercado. Após ser submetidos a longas baterias de testes, os propulsores produzidos no Brasil foram certificados por sua durabilidade, eficiência e controle de emissões.
Estamos iniciando um novo e importante ciclo nas operações de Porto Feliz. Com a exportação de motores para o mercado norte-americano, reforçamos nosso compromisso com o crescimento sustentável da Toyota, contribuindo para que o Brasil seja uma base sólida de exportações. Esse novo passo contribui para equilibrar a dificuldade de operação no Brasil, onde ainda lutamos por mais previsibilidade e melhores condições de negócios”, afirma Rafael Chang, presidente da Toyota do Brasil.
Para atender a essa nova demanda, a unidade de Porto Feliz passará a operar 24 horas por dia em algumas linhas. Para isso, a empresa já abriu processo seletivo para o preenchimento de 150 postos de trabalho diretos, aumentando a força de trabalho para 540 pessoas na unidade. Os motores “made in Brazil” para o território americano fará com que a fábrica de Porto Feliz aumente sua produção mensal das atuais 13 mil unidades para quase 17 mil.

Ciclo de investimentos em Porto Feliz

Fruto de um investimento inicial de R$ 580 milhões, a fábrica segue o mesmo conceito de ecofactory utilizado na unidade de Sorocaba, SP. O princípio consiste em reduzir anualmente a emissão de resíduos gerados, compostos orgânicos voláteis (VOCs) e emissões de CO2, além de maximizar a reutilização das águas pluviais e a preservação da área de mata nativa. Por meio de iniciativas desenvolvidas na planta, Porto Feliz vem reduzindo significativamente seus impactos, o que lhe rendeu o reconhecimento global como uma das plantas de motores mais limpas da Toyota Motor Company no mundo.
Em 2018, Porto Feliz recebeu um novo aporte, de R$ 510 milhões, para a expansão e modernização das instalações para a produção do motor 2.0L Dynamic Force, montado sobre a plataforma TNGA. Após sua atualização, a planta tornou-se um marco na operação latino-americana da Toyota, pois reúne atributos das plantas mais modernas, produtivas e sustentáveis da companhia em todo o mundo.
Com alto nível de automação, Porto Feliz passou a ser a primeira operação fora da Ásia a produzir motores da plataforma TNGA. Além da nova plataforma, também são produzidos propulsores flex fuel e a gasolina, Dual VVTi, de 1.5L, para os modelos Yaris e Etios, tanto hatch quanto sedã.
Com a possibilidade de entregar ao mercado veículos 100% fabricados no Brasil, a Toyota foi capaz de desenvolver seu crescimento e expandir a presença na Argentina, Chile, Peru, Paraguai, Uruguai, Equador, entre outros países da América Latina e Caribe.

13 Comentários

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.

  1. Enquanto a Honda tira Fit, Civic e nos deixa somente com carros mais simples, a Toyota investe pesado em suas fábricas e se consolida como a marca generalista de maior valor no mercado BR.

    Que diferença de gestão...

    ResponderExcluir
  2. Acho que as apzetes histéricas vão entender agora o motivo do sucesso do Corolla Cross e do fracasso do Taos... em uma palavra, qualidade...
    Ou alguém imagina a JACwagen mandando motores TSI para os países desenvolvidos? Seria uma "chuva" de ações judiciais contra a Sino-germânica, JACwagen.
    Fatos, apenas fatos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na Europa e EUA os motores utilizados aqui pela VW, já saíram de linha por não atenderem às normas de emissões Euro7, além dos diversos problemas crônicos. Foram reprojetados para receberem sistemas híbridos leves e corrigiram vários problemas; agora são denominados 1.0 TSI EVO e 1.5 TSI EVO, ambos mantiveram a mesma potência.

      Excluir
  3. |Depois de 4 anos a Toyota segue a VW, que ja exporta o motor 250 TSI feito em Sao Carlos para a America do Norte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. https://www.car.blog.br/2017/05/vw-jetta-e-golf-mexicanos-usarao-motor.html

      Excluir
    2. https://www.car.blog.br/2018/03/vw-exportara-componentes-do-motor-200.html

      Excluir
    3. Deve ser por isso que os EUA são a maior potência mundial, a Jacswagen fica mandando bomba pra lá.

      Excluir
    4. Quero saber quando a VW vai exportar os motores do Gol.

      Excluir
    5. Os fanboys aparecem aqui com notícias de 2017, 2019; os novos VW Jetta 2022 no EUA, são equipados com os novos motores 1.5 EVO de 158 CV. Como eu disse anteriormente, os que são fabricados aqui já saíram de linha nos EUA e Europa. https://www.caranddriver.com/volkswagen/jetta#:~:text=For%202022%2C%20the%20Jetta%20gets,hp%201.5%2Dliter%20turbo%20four.

      Excluir
    6. Já saiu de linha lá, carlota...
      A qualidade era tão ruim na JACwagen Brasil, que jogaram a toalha...
      Deixa de mentir...
      Já notou q vc solta suas fakes news e são todas desmentidas? Tá ficando feio.

      Excluir
  4. Espero que as pessoas entendam que essas exportações do Brasil só são possíveis com a política econômica de Jair, que e de manter o real desvalorizado. Não se esqueçam que o PT fazia populismo cambial, e gerou desindustrialização no Brasil. Jair e Guedes estão industrializando o Brasil, com uma política econômica realista. Pois bem, agora, podem aplaudir Jair gerando empregos!
    2022 eh #JairOuJaEra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, tô vendo, Ford, Sony saindo do Brasil, bela industrialização, esses dois incompetentes estão afundando o Brasil. Só vou aplaudir no dia 01/01 quando ele passar a faixa para outro.

      Excluir
  5. Parabéns para a Toyota por estar utilizando em nosso mercado motores de primeiro mundo; o mesmo ocorre com a Fiat que está exportando os motores GSE T3 e T4, para inúmeros países, através da sua fábrica de Campo Largo-PR. Na contramão de ambas, a VW consegue exportar apenas para a Argentina, os jurássicos câmbios de 2007 e os motores 1.0 TSI e 1.4 TSI, que já foram substituídos na Europa e EUA pelas versões EVO.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.

Postagem Anterior Próxima Postagem