Car.blog.br

Pesquisar este blog

Bolsonaro libera livre-comércio de carros Brasil - México

Categorias: , 75 Comentários

O governo federal assinou um acordo de livre-comércio de automóveis, sem cotas, entre Brasil e México. A nova modalidade passa a valer a partir desta terça-feira.

Bolsonaro libera livre-comércio de carros Brasil - México

O acordo vai de encontro ao lobby da ANFAVEA, que queria manter a proteção do mercado brasileiro com a politica de cotas. Nesse sentido, a decisão do governo é uma derrota para as montadoras, que queriam cotas por no mínimo mais três anos.

Audi Q5 - importado do México

Por enquanto, a mudança para o livre comércio valerá apenas para automóveis e comerciais leves, com a inclusão dos caminhões e ônibus a partir do ano que vem.

Novo Kia Cerato 2020

Entre os modelos beneficiados pela retirada de cotas, há VW Jetta e Tiguan AllSpace, Audi Q5, Ford Fusion, Chevrolet Tracker, assim como futuros modelos da Kia, como o Rio.

Fonte: O Estado de São Paulo

75 comentários:

  1. Respostas
    1. Na boa não sou fã do Carlos quando ele critica os comentários mas vai estudar um pouco antes de escrever besteiras sem sentido. Para as montadoras isso é benefício puro!

      Excluir
    2. Quem vai investir em um lugar onde o custo é mais alto em vez de só mandar os produtos pra ser vendido lá???? De fosse assim grandes marcas nao estariam na China e região. Compre roupa de marca nos EUA , Europa e veja o local de fabricação. Ásia, Ásia , Ásia.
      Porque EUA taxam Carne, suco de laranja e outras comodites que e exportação??? Isso não é proteção??
      Não sou petista, mas a época com maior investimento automotivo foi quando tacaram os importimpo, isso porque estamos entre um dos maiores mercados consumidores.
      Mas se você acredita em papai Noel Nilvo Tasso, só esperar ele chegar.

      Excluir
    3. Com certeza pras montadoras e benefício puro 😂😂

      Excluir
    4. Mais de 40% produto agrícola que chega nos EUA. Isso se chama o que? Claro, produto agrícola, outras coisas eles não importam 😂😂😂 Cada um protege a empresa que tem, o retor é ilusão

      Excluir
    5. Saindo nada, bom para elas e bom para os consumidores. O México é o maior importador de carros brasileiros depois da Argentina.

      Excluir
    6. Se vai ser bom para nós consumidores,que se foda as montadoras!!!

      Excluir
    7. Como assim vai ser bom para os consumidores? Se o carro custar 30 mil pra ser produzido no Brasil, no México custa 20. Mas vão ser vendidos por 50 da mesma forma. O consumidor não ganha nada com isso. Quem ganha é a montadora no México. Quem perde é a economia interna e os empregados das montadoras que fecharem no Brasil.
      Qual vantagem nisso?

      Excluir
    8. Diogo DS, nós também exportamos.

      Excluir
    9. Os preços ao consumidor final aqui no Brasil são os mesmos, pouco importando se o carro é mexicano ou tupiniquim. Muito boa a medida, Brasil é especialista na montagem de compactos, motores e transmissões e os mexicanos na montagem de carros médios. Bom pra todos.

      Excluir

    10. Só esqueceu-se que no México se fabrica alguns modelos que no Brasil não são fabricados, logo não são vaqui por conta do alto encargo sobre esses produtos, logo o México continua comprando golzinho do Brasil,sem impostos como sempre comprou, só que agora o acordo é bilateral.

      Excluir
  2. Se não é bom para as montadoras é bom para o Brasil

    ResponderExcluir
  3. Boa! Chega de carroças custando 100 mil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E vc na sua vã ilusão acredita que isto baixará os preços dos carros... hahahahah

      Excluir
  4. Trocando em miudos...vamos ter redução de preço em carros como o Jetta por exemplo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. na verdade existia uma cota para não ter cobrança de imposto adicional. E a VW trazia carros dentro dessa cota.
      Ou seja nada seria alterado no preço.

      Teoricamente o que poderia acontecer é vir mais unidades de Jetta e Tiguan, porém acredito que eles não ultrapassavam a cota por conta das vendas mesmo. Mas como não tenho informação de número de vendas não posso te dar informação específica a respeito.

      Excluir
  5. Nunca... os preços os mesmo e os lucros das montadora aumentam. Agora não entendi muito, a mesma montadora que não quer, tem fábrica lá.

    ResponderExcluir
  6. Boa medida, chega de montadoras acharcando o governo e sempre ganhando mais e mais. Pelo menos um lobby se dando mal...

    ResponderExcluir
  7. Acho que o povo não está entendo direito isso. Isso só privilegia as montadoras e não é ruim é bom pra elas é pra nós consumidores. Mas quem quiser entender que vá estudar.

    ResponderExcluir
  8. Todo mundo que acha a medida inteligente com certeza NÃO VAI PERDER O EMPREGO.

    Queria ver se fosse na área de cada um desses se eles abririam as pernas desse jeito.

    Governo porcaria, governa para os outros e não para o Brasil e os brasileiros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu achei ótimo. Quero mais.

      Excluir
    2. Desconhecido, não se iluda, as montadoras vão tratar logo de regular o fluxo, a grana vai pro mesmo cofre que fica na Europa, Asia ou USA.

      Excluir
  9. Onde tem essa palavra Bolsonaro... tem confusão ou meia volta... Hehe! O que esses caras mudam de ideia. Loucos!

    ResponderExcluir
  10. Pode ser um bom acordo para os consumidores, SE as montadoras repassarem os menores custos e não apenas aumentar seus lucros. De qualquer maneira deve diminuir o investimento local e consequentemente a perca de empregos no Brasil. Mas para quem pensa apenas no seu bolso, só vai ter vantagem!

    ResponderExcluir
  11. Vai ter mais desemprego com essa medida. Custo Brasil muito maior, principalmente em logística.

    ResponderExcluir
  12. Brasileiro é gado mesmo. Não sabe nem o que tá falando mas repete como se soubesse.
    A montadora produz um carro em um país onde o custo é muito menor e vende no Brasil com preços iguais aos fabricados aqui. Só que aqui o custo de produção é muito maior, a começar pela tributação ridícula que afeta desde um parafuso até o produto final.
    Aí as montadoras simplesmente saem do Brasil, começam a importar os carros para cá e fecham fábricas, geram milhões de empregos, deixam de investir em tecnologia local e consequentemente a economia despenca.
    O pior é que não se sabe pra onde vai toda essa arrecadação do governo. Não vai pra saúde, educação, esporte, não cai pra ligar algum. Na época do PT vimos que ia pro bolso desses políticos corruptos do PT e outros partidos, mas e agora? Mudou o governo mas qual medida foi feita para redistribuição de arrecadação?
    Como é bonito ver um presidente populista, que diz tudo que o povo quer ouvir, mas na prática não faz nada de diferente que os anteriores e ainda por cima toma atitudes sem um bom estudo das consequências.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. *geram milhões de desemprego.

      Excluir
    3. Rapazinho, o PT já esta fora do governo a mais de 3 anos, e pelo que vc esta falando anterior ao governo do PT era muito bom né?

      A tributação era ótima e a corrupção não existia... e Alice no país das maravilhas e papai noel existia também...

      rsrsrs

      Excluir
    4. Rapazinho, vou te responder de uma forma que seus 16 anos de idade intelectual compreendam.
      Governo FHC roubava, mas era muito menos, a informação era menor, consequentemente as investigações eram mais difíceis.
      Governo Lula foi bom no 1° mandato (2003-2007), a economia cresceu em todos os setores (população,automóveis, imobiliário, industrial). Só que no 2° mandato a vaca foi pro brejo. A junção com outros partidos fez com que a roubalheira comesse solta, e como a economia estava em alta, era mais difícil ser percebida. Dilma tentou estancar a sangria, criou diversos inimigos políticos e assinou o próprio impeachment ao autorizar a PF aprofundar as investigações. Temer que era um aliado faz parte da roubalheira da época do Lula e a única coisa que fez foi se esconder por 3 anos, tava cagando e andando pra economia. Mas agora pode ter certeza que vão pega-lo.
      Bolsonaro fez uma campanha falando tudo que o povo queria ouvir, matar bandidos e prender corruptos.
      Mas o que importa nunca disse e até agora nada fez. Não se pode falar o sol com a peneira. Temos que apoiar o governo? Sim. Torcer contra só nos prejudica.
      Mas temos que cobrar tbm, medidas que viabilizem o aumento da economia. Só sabe falar em reforma da Previdência, como se esse fosse o problema do país.
      Tem falas e atitudes populistas, mas na prática não sabe o que fala e frequentemente é corrigido pelos seus ministros ou pelo vice presidente.
      Essa é mais uma medida inconsequente do "mito".

      Excluir
    5. Meu jovem, isso que você falou todo mundo sabe,acontece isso desde que o Brasil foi descoberto. A questão é que ficar apontando o PT como responsável não vai colar mais, é a mesma coisa que o Bolsonaro vem fazendo, justificando tudo de ruim que acontece usando a sigla do PT, eles são todos iguais no Brasil, político é político não importa o partido.
      Agora se vc se acha a supremacia intelectual, você só repetiu o que todo mundo que tem o mínimo de discernimento sabe.

      Excluir
    6. Diogo DS: a medida está alinhada com o que o Paulo Guedes quer. Ele só é um cara com mestreado e doutorado pela Universidade de Chicago... Vc se formou na Uni o que mesmo? Em qual área?

      Excluir
    7. Caro Diego, veja os currículos anteriores dos ministros da fazenda no Brasil, e depois retorne pra dizer se currículo fez diferença neste país.

      Excluir
    8. João: faz diferença se o ministro tem carta branca... Acontece que nos governos anteriores, os analfabetos - que se achavam os exxpertos - acabaram impedindo, inclusive, o Levy de fazer alguma coisa para o país. Achar que currículo não resolve nada é, no mínimo, falta de bom senso.

      Excluir
    9. João: ou vc acha que é facil ser ministro da fazenda num país onde presidentes, senadores e deputados te levam para o Socialismo/Comunismo?

      Excluir
  13. Ah com certeza aumentar impostos e diminuir a produtividade é a melhor opção, aham. Desde 2003 as cotas estão vigentes e nada de nossos carros ficarem no mesmo nível do resto do mundo civilizado, então não me venha com essa. Deixe que acabem com esse protecionismo que não dá certo em nenhum lugar do mundo, façam as montadoras correrem atrás do prejuízo é que também façam o governo ajeitar nossa infra estrutura. Não podemos ter esse tipo de pensamento isolacionista. Nosso mercado consumidor é grande sim, mas passa por crises cíclicas, podendo exportar os empregados não serão mandados embora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossos carros não acompanham o nível dos países civilizados por um único motivo: somos um mais de 2° mundo, subdesenvolvido, emergente, como quiser classificar.
      Vc quer que o povo que tem renda média de 2 mil reais compre carros no nível de países que têm renda média de 10 mil reais? Impossível. A qualidade acompanha a economia interna.
      O dia que a renda média aumentar, o consumo acompanha, simples assim.

      Excluir
  14. 48% do Valor no Carro é Imposto no Brasil, que livre comercio vai ajudar? Um Polo IPVA é quase 3 mil reais.

    ResponderExcluir
  15. desculpe, mas preço só baixa quando tem competitividade, não entendi seu ponto de vista. Se fosse assim o méxico não conseguiria produzir carros bons para enviar aos estados unidos, afinal ,ele é mais pobre que o Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esquece esse raciocínio. No Brasil a competitividade não baixa preço, só faz com que os que chegam depois desfrute do alto lucro que nosso país proporciona. Um frigorífico que chegar com preços melhores vai ganhar mercado até se estabelecer e convidar no mercado, assim pode reajustar seus preços com todos os outros.
      Em todos os setores é assim. Medidas governamentais de fiscalização e imposição de teto nos preços deveria ser feita.
      Se eu produzir algo que me custe 10 reais e o teu produto custar 20 pra produzir, e ambos vendermos a 30 reais tá liberado pq quem manda não é a oferta e sim o consumo. Não existe limite pra margem de lucro, então eu posso oferecer um produto de qualidade inferior ao teu pelo mesmo preço pq o que existe no Brasil é um cartel em todas as áreas.

      Excluir
    2. O mesmo modelo de carro, é vendido no México com a mesma configuração para venda nos EUA? Lembra dos 1º March que chegaram do México? Não era o mesmo que ia para o Canadá. por exemplo...

      Excluir
    3. Diogo, só um adendo: a competitividade tende a baixar preços sim. Peço que procure os preços dos hatches médios no período de lançamento do i30, importado da Coreia do Sul, que chegou ao Brasil custado 54 mil com câmbio manual e 57 mil com câmbio automático. O efeito no mercado foi imediato: todas as montadoras locais baixaram os preços dos seu modelos incluindo Golf, C4 e Focus, os quais custavam, em média, 65 mil reais nas versões de entrada com câmbio AT.

      O mesmo ocorreu com a chegada do Jac 3, que obrigou a diminuição de preços do Fiesta, Gol e semelhantes.

      Não é somente o imposto agregado ao produto, mas a margem de lucro aplicada ao Brasil é exorbitante quando comparada a outros países.

      E isso é fato, considerando que os carros aqui produzidos e exportados já incluem os custos de ordem trabalhista e previdenciária. Sugiro buscar matérias mais antigas no Google, onde se fala sobre modelos específicos, como o Honda City exportado ao México e outros modelos, os quais, lá fora, são vendidos com custo muito menor, devido não somente ao imposto dos países de destino, mas também computada a margem de lucro envolvida naqueles países.

      Excluir
    4. Complementando o post anterior, vamos ver como as montadoras vão atuar em relação aos veículos importados do México. Têm uma oportunidade de ouro para rever os preços aqui praticados sem as limitações das cotas e, principalmente, sem a incidência da tributação absurda aqui praticada.

      Para quem tanto reclama de prejuízo no Brasil, em especial, GM, Ford, VW e Fiat, abre-se uma janela de oportunidade de vendas de produtos superiores a preços menores, se assim for o interesse no volume de vendas em detrimento da alta margem de lucro.

      A Caoa soube aproveitar muito bem dessa disparidade do mercado, quando ainda não havia o protecionismo do inovar auto. Espero que esse fenômeno ocorra novamente.

      Excluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. mas o que "estabelece" o salário de um funcionário da VW ( por exemplo ) aqui no Brasil é o sindicato e imposto..

      O problema do carro ser carro aqui no Brasil é o imposto...

      O trabalhador simples paga muito imposto, pois o mesmo é no produto e não na renda...

      Nós ficamos culpando a falta de competitividade, pode até existir um pouco disso, mas o vilão maior é a carga tributária.
      Cara, quase metade do carro é pro bolso de políticos, a vilã não é a fiat, a VW, a Ford etc...são empresas e não ONGs, se não der lucro vão embora mesmo.
      E é difícil lucrar no Brasil cobrando pouco..

      Aí entra outra questão ( vou ilustrar de forma hipotética )..
      Eu faço balas, o custo para fabricar essas balas é de R$ 1,00.
      O Governo me cobra de imposto R$ 2,00. ( sendo que eu que tive o maior trabalho )

      Se eu vendo a bala por R$ 4,00 o consumidor vai me chamar de ladrão porque lá fora a bala custa R$ 2,00...

      Excluir
  17. Para mim o que vai mudar é que as montadoras vão aumentar a margem de lucro vindo carro mais barato que o produzido aqui e vai gerar menos empregos aqui. ANFAVEA e Fenabrave são bilionários, tem um poder de lobby muito grande, com certeza não sairam perdendoe nessa jogada

    ResponderExcluir
  18. Nessa negociação o Brasil vai levar a pior, infelizmente. As montadoras investem pesado no México pensando no mercado americano que é extremamente exigente. A médio e longo prazo o déficit da balança comercial brasileira em relação ao México sera gigantesco.

    Quando olhamos ao redor e não vemos nenhum trouxa, é porque o trouxa somos nós.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. quando o mexico exportar 10bi para o brasil e o brasil exportar 5bi para o méxico , tomara que eles revejam este livre comércio

      Excluir
  19. Mazda favor trazer seus carros via México aqui p brasa em especial o mx5!

    ResponderExcluir
  20. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  21. pra quem era "Brasil acima de tudo" esse daí tá entregando de bandeja tudo que pode pro lucro estrangeiro...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pagando bem , que mal tem? ahahahahah

      Excluir
    2. Guedes falo que AMA Coca Cola sendo que nem existe guaraná nos Estados Unidos, Americanos não querem guaraná lá e odiariam isso

      Excluir
  22. Acorda pessoal, protecionismo é retração da economia. Tem que abrir o mercado e forçar a competição.

    ResponderExcluir
  23. Teremos produtos de melhor qualidade, isso é um fato, em conjunto com esta medida o governo tem que auxiliar o empresário desburocratizando, tornando nossos produtos .aos competitivos.

    ResponderExcluir
  24. Quem deve se dar bem é a Tracker... Jetta e Tiguan devem continuar na mesma... Nesse FDS fui em uma CSS e tinha um Jetta 0km com teto solar por 98 mil. Freio de estacionamento eletrônico, motor 1.4 turbo, painel emborrachado, interior de outra galáxia perante o TCross... Como um Virtus Crossover pode custar o mesmo, com motor 1.0?

    ResponderExcluir
  25. pelo menos com esse acordo, agora o jetta tem uma melhor margem para concorrer com o corolla em breve, tomara q venha a versão com 8 marchas no 1.4tsi !!!

    ResponderExcluir
  26. E a chance dos carros brasileiros conquistarem o México. Quando os mexicanos conhecerem o Onix e argo não vão querer outros carros.

    ResponderExcluir
  27. Mercado mexicano sempre teve carros decentes,Mas não duvido que vendam esses lixos lá

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mercado Mexicano é Superior ao resto da América latina Porque o México faz parte da América do norte

      Excluir
    2. Já imaginaram o onix o carro mais vendido do mexico. Será?

      Excluir
    3. Pra quê especulação?ele é o pior carro do segmento dele na América Latina

      Excluir
    4. Se fosdf tão ruim assim não venderia tanto. E os novos Onix e prisma já estão chegando.

      Excluir
  28. Infelizmente as pessoas não sabem o bem que isso nos faz, nossas montadoras ainda não evoluiu graças ao apoio que leva do governo impedindo os consumidores de comprar melhor por mais barato, o nosso país só vai mudar quando abrir TOTALMENTE o comércio dele e fazer os grandes empresários (lobby de corrupção) a agir.

    ResponderExcluir
  29. País que tem livre comércio vai pra frente. Se a gente não sabe fazer produtos industrializados em qualidade ou preço condizentes, melhor mesmo sermos eternos exportadores de minérios/alimentos.

    ResponderExcluir
  30. Calma gente, o governo vai baixar os impostos para contrabalancear a coisa... Sera?

    ResponderExcluir
  31. Livre comérico só existe na retórica! Vamos ver o que vai resultar, só o tempo dirá. O resto é opinião dos "entendidos" nos comentários.

    ResponderExcluir
  32. O pessoal esqueceu que no mexico nunca ira eexistir carros "populares" e se, caso os endinheirados quuzerem comprar seus suv's do mexico , que sejam felizes,mas esquecemos que a MAIORIA esmagadora dos consumidores nunca deixarao de comprar seus carros populares... E no mexico nmexico nao sao pproduzidos populares e entao entao campram do brasil.... Se fosse o contrario o brasil quebrava ,porem como sabemos , populares sao gagarantia das montadores vide onix,hb20,ka, gol,argo!!

    ResponderExcluir
  33. As montadoras tem apenas duas variáveis. 1. Como aumentar o lucro geral; 2. Como manter o lucro dos activos que tem no Brasil;

    Sendo assim, vejo dois pontos.

    Para o que já é produzido no Brasil, acho que deve ficar tudo na mesma. Gol, ônix, etc. Vão continuar fabricando e vendendo igual para manter o mesmo lucro.

    Para o que não e fabricado no Brasil, aí as montadoras poderiam ser mais agressivas e reduzir um pouco o preço para vender mais. E o caso de Tiguan, CRV, Equinox. Antes as montadoras não podiam ser agressivas porque iriam estourar a cota e o preço teria de ser alterado. Agora, não mais.

    Não sei se haverá alguma montadora nova querendo entrar no Brasil. Mesmo para os veículos fabricados aqui, a maioria das montadoras são parte de conglomerados e por isso não vão atirar no próprio pé... por exemplo a Seat trazer algum carro pra cá pra competir com a própria Volks.

    No longo prazo, acho que pode ser ruim pra indústria brasileira, pois nessas condições não justifica investir mais aqui. O caminho da Ford pode ser o de outros tb.

    Mas isso não é de todo ruim. Empregos fabris podem ser perdidos, mas haverão outros para importação e exportação, e até mesmo mais serviços se as vendas aumentarem. No final, para o país, com certeza e positivo!

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.