Car.blog.br

Pesquisar este blog

Renault Kwid: pontos negativos, positivos, preço e consumo

Categorias: , , 82 Comentários

O Renault Kwid chegou ao mercado brasileiro oficialmente em agosto, e no mês de setembro surpreendeu ao figurar na segunda posição entre os mais vendidos. Mesmo que neste mês de outubro figure apenas na 17ª colocação, o modelo parece ter agradado ao consumidor brasileiro, especialmente nesta versão Zen, intermediária - que é uma das mais vendidas do mix e que avaliamos neste artigo.

Renault Kwid: pontos negativos, positivos, preço e consumo

O Kwid Zen tem preço sugerido de R$ 35.990 reais, mas o modelo detalhamento no vídeo a seguir é mais caro pois está pintado na cor Prata Etoile (R$ 1.400 reais), que leva seu preço a R$ 37.390 reais, incorporando, além da direção com assistência elétrica, 4 airbags, vidros e travas elétricas, o rádio com conexão Bluetoo e USB.



Esse preço "competitivo" para uma versão que já conta com os recursos básicos de conforto, quatro airbags e ISOFIX, além do estilo "mini-SUV", que transmite uma imagem de robustez, são certamente aspectos que explicam o sucesso do modelo.

Renault Kwid 2018

Mas não só isso. O Kwid tem um motor de três cilindros 1.0 SCe de 66 cv com gasolina e 70 cv com etanol, com boa oferta de torque em baixos regimes, e que consegue empurrar os seus magros 780 Kg de 0 a 100 Km/h em 14,9 segundos, com gasolina, nos testes da revista Quatro Rodas. É um motor de concepção recente, mas que usa recursos antiquados, como o sistema auxiliar de partida a frio com etanol que ainda usa o sub-tanque de gasolina no compartimento do motor.

Renault Kwid 2018

O desempenho do Kwid, porém, é equivalente ao dos concorrentes, como mostra a tabela abaixo com dados comparados, com grifo azul no melhor resultado e vermelho no pior.

ProvaKwid 1.0Up! MPIMobi 1.0 Fire
0 a 100 Km/hs14,914,915,7
0 a 1000 metross36,636,337
80 a 120 Km/hs2624,229,8
Frenagem a 120 km/hm16,516,217,2
Ruido @ 120 Km/hdBA73,27071,9
Consumo - cidadeKm/l14,713,514,3
Consumo - estradaKm/l18,517,918
PesoKg786922946
Porta-malasL290285215
3 primeiras revisõesR$R$ 1.164R$ 999R$ 1.288
SeguroR$R$ 2.606R$ 2.528R$ 2.831
PreçoR$R$ 34.990R$ 43.240R$ 39.780

O consumo também é contido. Segundo o INMETRO, em cidade, com gasolina: 14,9 Km/l, e, em estrada ele fica em 15,6 Km/l. O quadro abaixo compara seus números com seus principais concorrentes.


Modelo
Consumo EtanolConsumo Gasolina
Média

Δ Kwid
CidadeEstradaCidadeEstrada
Kwid10,310,814,915,615,2
Up! TSI1011,514,316,315,20,1%
Mobi Drive9,611,313,716,114,82,9%
Up! MPI9,610,614,215,314,73,5%
Chery QQ Flex8,99,912,914,413,612,1%
Mobi Fire8,89,912,714,313,413,4%

Esses números todos mostram que o Kwid é um sub-compacto com altura livre do solo de SUV, com o menor preço entre os concorrentes, maior porta-malas (290 litros), desempenho equivalente e consumo mais baixo. Tudo isso é verdade, mas eles não contam a história toda.

Aspectos Negativos

Ausência de regulagem de altura do banco

A primeira coisa que se nota ao andar no Kwid é a posição fixa de altura de volante e assento - que conferem uma boa posição de dirigir para um biotipo médio brasileiro. Entretanto, o banco posicionado relativamente alto, faz com que sobre pouco espaço para a cabeça para motoristas e passageiros dianteiros com estatura elevada.

Renault Kwid 2018 - interior - painel

Um motorista de 1,7 metros de altura fica com vão livre acima da cabeça de cerca de 6 cm. Isso significa que pessoas com mais de 1,85 metros de altura ficarão com a cabeça perigosamente próxima ao teto - o que eleva muito o risco de lesão na coluna em acidentes com capotamento. Assim, se você for homem ou mulher de estatura acima da média é necessário tomar cuidado com tal questão.

Excesso de ruído e vibrações

Depois de se ajustar ao volante, liga-se o motor e a segunda surpresa negativa aparece: o Kwid é barulhento, especialmente em acelerações, quando o ruído do motor invade a cabine com vigor, impedindo até mesmo a fruição de uma conversa em tom normal.

Renault Kwid 2018 - interior - painel

E junto com o ruído vem as vibrações excessivas do motor transmitas para volante, pedais e painel, causando, inclusive, incômodos ruídos de ressonâncias com peças plásticas por toda a parte.

Pedaleiras imprecisas, pouco firmes e de funcionamento rançoso

Ao se conduzir o Kwid, outro aspectos estranho imediatamente notado são os pedais, que padecem com folgas excessivas, e não tem precisão de funcionamento. Pior de tudo: eles parecem frágeis, e dão a impressão que vão entrar em colapso caso se piso com mais vigor, especialmente o de freio - algo que causa uma insegurança no motorista.

Renault Kwid 2018 - interior - painel

O câmbio, por sua vez, se não tem a precisão de uma transmissão manual do Up!, está no nível de Fiat Mobi ou Ford Ka. Não é um exemplo de precisão, seus engates são longos, mas é possível se adaptar e conviver.

Suspensão dura

O Kwid brasileiro teve sua altura em relação ao solo elevada, e para compensar isso, a Renault parece ter enrijecido o ajuste para manter um nível aceitável de estabilidade direcional e em curvas. Não resolveu muito, pois os limites de aderência do Kiwd são baixos - em decorrência também dos pneus estreitos (165/70 R14).

Renault Kwid 2018 - interior - espaço traseiro

Esse curso mais longo de suspensão, porém, ajuda o modelo enfrentar uma vias de terra, pisos esburacados, valetas e lombadas com competência.

Motor com pouco torque em regimes elevados

O motor do Kwid tem um cabeçote de quatro válvulas por cilindro, mas ele não conta com variador de fase nos comandos de admissão e escapamento. O resultado é que o Kwid mostra-se relativamente ágil em baixos regimes, mas a curva de torque parece cair de forma acelerada depois dos 4.000 RPM, fazendo com que o motor se comportar com um de cabeçote de 2V, como o do Fiat Mobi. De qualquer forma, isso não é tão problemático para um carro talhado para uso urbano.

Renault Kwid 2018

Aliás, melhor não tentar ir com o Kwid para a estrada, pois sua reduzida largura e o baixo peso fazem com o sub-compacto seja excessivamente sensível aos ventos laterais. A carroceria oscila muito em altas velocidades, causando uma desagradável sensação de insegurança.

Carroceria com baixa rigidez torcional

O Kwid também não é um exemplo de rigidez estrutural. Assim como os pedais parecem frágeis, a carroceria como um todo sofre flexões em lombadas e valetas, provocando rangidos claramente audíveis no interior. Esse comportamento denota um baixo nível resistência à torção da carroceria.

Renault Kwid 2018

Essa característica acaba provocando ruídos precoces de peças soltas no interior do carro. O modelo que testamos, com menos de 400 km rodados, já apresentavam irritantes ruídos de peças batendo ao se transitar por vias irregulares.

Renault Kwid 2018

Ademais, uma carroceria "flexível" compromete o comportamento dinâmico do carro, já que como a estrutura flexiona com facilidade, as suspensões passam a trabalhar fora das especificações de projeto, tornado o carro menos estável.

Ausência de aferição de segurança

O nível de segurança do Kwid é uma incógnita. O Kwid fabricado na Índia foi reprovado em três testes consecutivos do Global NCAP, mesmo tendo sua estrutura submetida a seguidos processos de reforços.

Renault Kwid 2018

O modelo brasileiro é mais pesado, 120 Kg, e a Renault do Brasil disse que a estrutura foi reforçada. O nível de eficácia dessas medidas, porém, só ficará claro quando o modelo for submetido a uma aferição do Latin NCAP, algo que até agora não aconteceu.

Renault Kwid 2018

Teria sido interessante que a Renault usasse o mesmo procedimento de testes patrocinados aplicado pela Volkswagen com o Up! e o Novo Polo, os quais foram submetidos à avaliação de segurança antes mesmo de chegar ao mercado. No caso do Kwid, sobre o qual pairam dúvidas acerca do nível de segurança que oferece aos passageiros, esse tipo de ação seria até mais importante.

Conclusão: como a mulher de César

O Renault Kwid é um modelo sub-compacto que apresenta boa relação custo x equipamentos, tem uma suspensão elevada que lhe permite encarar vias de baixa qualidade com competência, e o visual "mini-SUV" ajuda a fazer sucesso.

Renault Kwid 2018

Entretanto, é carro que transmite à todo momento uma incômoda sensação de fragilidade: muito ruído interno, comandos e pedais com folgas e uma carroceria que não transmite sensação de solidez.

Renault Kwid 2018

Dessa forma, um carro que tem no currículo três reprovações em testes de impacto tem sobre si um dilema similar ao de Pompeia Sula - a segunda e bela mulher de Júlio César foi a uma festa só para mulheres na qual o jovem e rico Publius Clodius, apaixonado por Pompéia, entrou disfarçado de tocadora de lira. Isso determinou seu divórcio do líder e político romano mesmo sem que qualquer adultério tenha sido provado: "À mulher de César não basta ser honesta, tem de parecer honesta”. "Ao Renault Kwid não basta ser seguro, tem de parecer seguro". O Kwid brasileiro pode até ser seguro, mas não parece.

82 comentários:

  1. SUV dos compactos ! Não existe milagre ! Aguardemos o Crash test !

    ResponderExcluir
  2. Zero no crash, projeto indiano só poderia dar nisso. Já tive um carro made in India e a descrição do Kwid lembrou precisamente meu Atos. Rapaz...quem comprou deve estar arrependido assim como eu fiquei. Tudo passa na vida...meu Atos Prime também. Rss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. diga-se de passagem o unico carro importado q vc teve né! kkkkk

      Excluir
    2. Não entendi abençoado. Já tive um Atos, não tenho mais.

      Excluir
  3. O carro é o mais barato do Brasil. Quem tem 10 mil e nao pode financiar 30, mas pode financiar 20 vai comprar ele... realidade de uma grande quantidade de pessoas no Brasil. Conclusão: tem vários pontos negativos em relação aos concorresntes, mas vai vender bem por causa do preço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai não, já está vendendo bem.
      Vende bem porque é um carro adequado à maioria da realidade do brasileiro, como bem descreveu.
      Passado esse mês deverá se manter no pódio pelos meses a frente...

      Excluir
    2. Vai nada, tá vendendo de 200 a 250 por dia útil, não passa disso. E não em venha com a desculpa dos freios pois isso já foi corrigido e liberado.

      Excluir
    3. Kkkkkkkkkk melhor um palio economy q essa merda ai pagar 30k nisso? Kkkkk

      Excluir
    4. Compra-se o que pode-se. Não se discute. O problema é comparar com outros carros de qualidade superior e defender que seja melhor. O carro tem suas qualidades, mas é de um projeto bastante limitado. Talvez, não seja tanto inseguro quanto o indiano, mas ainda é um projeto inseguro. Só air bags não o torna seguro.

      Excluir
    5. vale mais que o azera 2011.. kkkkkkkkk

      Excluir
  4. Tá todo mundo cansado de saber que o Kwid brasileiro teve milhões de alterações estruturais em relação ao indiano, mas a galera insiste em desmerecer o carro e argumentar com as falhas do indiano.
    Aguardemos o crash test do Kwid brasileiro e do Up! à partir das novas regras do Latim Ncap. Nos demais quesitos, onde temos números de fato, o Renault consegue bater de frente ou superar o concorrente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Renault não tem coragem de testar o Kwid sabe que vai ZERAR novamente mas logo o Lncap compra um. Rapaz isso esse carro é muito ruim.

      Excluir
    2. Na vwrdade o crash test exige 3 unidades. Nem quero ver o teste do poste do Kwid pobre dummie vao precisar substituir integralmente e custa muito caro um.

      Excluir
    3. Projeto ruim, não se conserta, não é questão de gostar ou não da marca, é questão de engenharia. Se não tem medo de acidentes, taça-lhe pau e seja feliz. Segurança equivalente a um lifan(aquele cópia do mini). A Toyota lançou etios para mercados emergentes, mas se preocupou com a imagem da companhia e integridade de quem transita em seus carros. A vw, com o up, a mesma coisa, projeto mundial.

      Excluir
    4. Tá cansado de saber o que? O que a Renault falou? Você acredita? Larga de ser ingênuo manezão.

      Excluir
    5. E vocês julgam aí a toa tbm. Não sabem nada, e ainda querem causar.

      Excluir
    6. Rafael, aproveita e aprenda com quem sabe...só pelo relato do blogueiro vc vê que esse Kwid não presta, nem precisa andar no carro...quem compra isso tá queimando dinheiro. A Renault sabe construir carros, ela já fez o Scenic aqui no Brasil e parece-me que não quer mais construir carro bom e seguro por aqui como foi o Scenic. A contrario da VWB e Honda que vem evoluindo a cada lançamento.

      Excluir
    7. e o chevrolet onix? o mais inseguro do país e o mais vendido

      Excluir
    8. E tem quem defenda o ônix

      Excluir
  5. Só mostra como o Mobi é realmente um lixo.

    ResponderExcluir
  6. Ainda prefiro o Onix
    Basta bater a porta de um Onix e ouvir o ronco abafado que esse ato provoca, lembrando carros de alta rigidez torcional

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo menos no ZEROnix você morre olhando para uma telinha né?! hahaha

      Excluir
    2. Alessandro kkkkkkkkkkkkkk morri de rir pqp kkkkkk

      Excluir
  7. Achei que o Up! era um subcompacto premium, então não concorre com o Kwid.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Correto. Em questão de qualidade, são incomparáveis. Tamanho, são.

      Excluir
    2. Mesmo a VW vendendo o up como "premium", ele é concorrente do Kwid, QQ, 500, Picanto...
      São sub-compactos, isso não tem como mudar.
      Se quiserem chamar qualquer um de "premium", podem chamar. Não vai mudar a essência e qualidade que já detém.

      Excluir
    3. VW up, "premium" não é. VW up! é um produto excelente para um segmento de mercado que deseja essencialmente produtos de entrada, baixo custo e preço baixo (Pobi e Kwixe). Para muitos, o primeiro carro 0km.

      Excluir
  8. Ótimo a Renault agradece! Se o ônix e tem motor ruim. Rigidez ruim, segurança péssima. Mas tem telinha e está vendendo que nem agia no Brasil... A Renault seguiu o exemplo! Longa vida e muitas vendas!
    Brasileiro não sabe nem fazer compras em mercado imagina que vai saber comprar um carro bom ou ruim. Brasileiro é assim... carro bom é carro 0km. Então pro brasileiro o kwid é BBB. Agora pra quem sabe comprar carro que bom que temos opção de ter um up que sim é mais caro mas é muito mais. E se o cara não consegue financiar é novamente pq não sabe comprar carro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carro hoje vc, não interessa a categoria o dindim, vc tem que comprar um carro bom durável e seguro, que vc goste, curta. Invista nisso...e não o troque por um bom tempo, fique 4 até 7 anos com este carro, aproveita, faça as manutenções. E peraí, esse Kwid não carro pra isso.

      Excluir
  9. O carrinho até que não é feio, mas é muitíssimo ordinário, dessa vez eu fico do lado daqueles que gostam de carros usados... Um bom usado é melhor negócio que esse Kwid Zero.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem se comprara só quem é doente ou obcecado por 0km,Não troco um bom usado por isso nem a pal !

      Excluir
    2. Concordo com você Diego, tem ótimos usados com preços atrativos devido a desvalorização...

      Excluir
    3. Sim fabio ! Se quer economia e manutenção barata hj pegaria um up 2016 semi novo com baixissima km q é só alegria. Tirou da css n é mais novo. Acho baboseira essa história q carro usado n vale a pena.

      Excluir
    4. kkkkk que bonito o ego e alterego conversando juntos... kkkkk
      patético!

      Excluir
  10. Como veículo urbano está perfeito !. Baixo consumo de combustível, baixo custo de manutenção, espaço adequado, não raspa nos quebra-molas e ondulações das pistas, boa oferta de equipamentos, motor moderno, bom torque, é ágil, pequeno para estacionar, e é o mais bonito da categoria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais bonito e um dos mais inseguros, aproveita e faz um seguro de vida que a hora que vc bater teus familiares vão precisar e muito

      Excluir
    2. Se vcs estiver de Up e bater de frente a 80 km/h com um caminhão Mercedes dos anos 80, aquele velho mesmo, vai morrer do mesmo jeito.

      Excluir
  11. O melhor carro urbano, não Premium, do Brasil.
    Quem não pode outro melhor vai de Kwid é vai feliz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Melhor? Acho que perde para o Mobi Drive fácil...

      Excluir
    2. Compra um usado conservado que vai ser feliz, 35K pega um usado bem bacana com pouca KM e um pouco de dignidade em segurança

      Excluir
    3. Com 30 mil existem varios melhores q o kwid no meecado de semi novos kkkk quem comprar isso n manja nada de carro ou gosta de mostrar a carroça 0km pro vizinho !

      Excluir
    4. Rapaz...pense melhor no que vc publica....tem Ka, Take Up, HB20...até Gol...tudo menos esse Kwid.

      Excluir
    5. Carro usado não tem garantia. O zero km tem no mínimo 3 anos de garantia se alguma peça quebrar tem a garantia o usado precisa desembolsar $$. O custo de um zero é bem melhor que um usado.

      Excluir
    6. Leonardo garantia é baboseira, só comprar um carro de procedência!. E outra 0km tbm te dar despesas e manutenção, mas cada um com sua loucura prefiro um carro mais refinado semi novo q um novo de papelão,cheio de plastico 0km

      Excluir
    7. Compra um Take Up financiado que vai durar na tua mão meia década, do que isso aí da Renault a vista, que no primeiro ano já não funciona mais nada. O relato do Blog é bem claro, e os caras não estão inventando. O carro já tem recall de freios dentro do pátio da fábrica, lançado as pressas, dá nisso.

      Excluir
    8. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    9. Alessandro, só para lembrar o Mobi obteve 01 estrela no Crash test !!!

      Excluir
  12. Tudo bem, apesar de tudo vende bem mais que o UP. O Brasileiro é burro? Não creio, mas o fator preço, itens ofertados e aspecto robusto contam muito, se o UP ficasse na mesma faixa poderia vender mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Up não vai ficar na mesma faixa nuca, pois é muitíssimo superior.

      Excluir
    2. Ta comparando preço com segurança ? pode isso Arnaldo ?
      Cada um que aparece. Para e pesquisa uma coisa Freio dianteiro SÓLIDO se você não considera o brasileiro burro no minimo não seja e pesquise o que isso quer dizer e o que pode influenciar em um carro.

      Excluir
  13. Enfim, o conjunto de quatro airbags vem se tornando menos raros.

    Um exemplo é este SUV sub-compactos, mais parece mais uma resposta antecipada às críticas à sua deficiente segurança que uma medida eficaz.

    Quanto mais, se assim o fosse, o teste patrocinado no Latin NCAP já teria sido realizado. Como não, suscita-se muitos questionamentos e sobrancelhas se elevam, como as minhas.

    O mercado de sub-compactos não é o maior do Brasil, mas este Kwid, tido por "SUV", parece ter agradado às primeiras impressões.

    Destarte seu preço aparentemente atrativo, suspeito que alguns trocados a mais no mais seguro e bem executado Up! se mostra uma opção mais inteligente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nesse caso é o famoso engana trouxa, pois na hora que bater não vai adiantar nada já que se a estrutura cede, de pouca adianta air bag lateral.

      Excluir
  14. SUV dos compactos... piada pronta! Essa maravilha tecnológica não possui nada que o diferencie de um Uno Way, Mobi Way, Cross up!, e outros tantos lixos compactos travestidos de aventureiros!

    ResponderExcluir
  15. Up não é concorrente do Kwid. Ele está muito acima em qualidade, segurança, e preço. Kwid concorre com QQ e Mobi no máximo, e se ainda vendesse, o Celta que não tinha muita segurança, mas vendia que nem água no mercado de novos e usados. Quem teve um sabe que anunciou, vendeu. Esse parece ser o caminho desse Kwid, mas, como mencionado na excelente matéria, sua estrutura e pedaleiras imprecisas mostram q é um carro de BAIXÍSSIMO CUSTO, com qualidades MECÂNICAS e ESTRUTURAIS muito duvidosas especialmente para a época em que vivemos. Na concessionária já havia reparado que o pedal da Embreagem é BAIXÍSSIMO e sua lataria e estrutura muito frágil. Enfim, é um carro para cidade para aqueles que não tem condições de gastar mais de 40k num carro, o que é a grande maioria do povo brasileiro, mas que tem boa aparência e altura em relação ao solo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Up, Kwid, 500, QQ, Mobi e Picanto são da mesma categoria, quer goste ou não.
      Não é porque você sente tal qualidade é que vai definir quem compete com quem.
      Isso não muda a performance ou mérito de veículo nenhum.

      Excluir
    2. São da mesma categoria, sub-compactos. Tamanho, preço, qualidade e performance podem ser comparáveis. Alguns produtos são simplesmente sofríveis em termos de qualidade e performance. Defender produtos de baixa qualidade é desejar manter nosso mercado com produtos ruins. Em países desenvolvidos, os consumidores reclamam.

      Excluir
    3. O Take Up concorre com o Kwid, os demais, não, os preços são muito discrepantes, é que nem colocar um Focus para concorrer com um A3 Sportback ou Classe A (todos são hatches médios, mas outro nível de preço).

      Não entendo alguém preferir comprar um Kwid zero a um outro carro bem melhor semi-novo. Um Gol ou Fox 1.0 2015 custa menos que o Kwid.

      Excluir
    4. Kwid concorre com QQ, Mobi e Take Up.

      500, Picanto, Uno e versões superiores do Up concorrem na parte de cima do segmento de subcompactos.

      Excluir
  16. Título da matéria se fosse um VW:

    "VW Kwid: pontos positivos, preço e consumo"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é. Alemão 7 vs. 0 Indiano.

      Excluir
    2. Jairo, comentário tosco e burro.

      Excluir
    3. Concordo contigo, Jairo.
      Mas os fãs anencéfalos, não.

      Excluir
  17. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  18. É ate leviano,dizer e desmerecer o projeto,desde o inicio,a própria montadora,frisou,projeto de baixo,custo,fiz um teste drive no carro,me senti um ogro dentro do carro,já que tenho 1,85,e sensação de dirigi-lo,para quem é alto,parece que você vai quebrar o carro,andar em reta,é uma situação,mas quando leia-se aclives,ai vem o desespero de todo carro,1.0 comum,com quatro pessoas dentro e ar ligado,parece que vai e explodir tudo,para uma pessoa solteira e casal tudo bem,rende bem,mas quem tem filhos,com altura com 1,70,para mais,vão pedir para ir de ônibus

    ResponderExcluir
  19. Gostaria de ver alguém fazendo a troca da roda desse carro com apenas 03 furos, deve ser um ótimo exercício de quebra cabeças !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou quebrando a cabeça para entender o motivo de tanta dificuldade em trocar uma roda com um parafuso a menos.

      Excluir
    2. Quantos Freitas são necessários para trocar a roda de um Kwid?

      Excluir
    3. Para quem tem 1 parafuso a menos na cabeça deve ser difícil mesmo.

      Excluir
    4. Amigo Freitas quis dizer a roda e não o pneu.Nao temos opções de rodas com 3 furos no mercado...rsrsrs

      Excluir
  20. se comparativo for motivo de qualidade parabéns kwid! e ainda não acabou o mês e já vendeu mais de 1.000 unidades e por um modelo que só fez 3 meses de lançamento .

    ResponderExcluir
  21. Em viagem de férias passei do lado desse carrinho e pense num carrinho horrível....parece carrinho de brinquedo essa porcaria..imagina se houver uma colisão..talvez pra rodar exclusivamente dentro da cidade pra ir ao mercado a escola ao salão talvez sirva...mas pra pegar a estrada é igual piloto kamikaze...kkkkk

    ResponderExcluir
  22. Em termos de economia é melhor do que os UPs, e de desempenho melhor que o UP MPI.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A melhor piada do dia! Agora, conta outra. Pode ser que alguém acreditará nela.

      Excluir
  23. Rapaz, por coincidência acabei cruzando com um na rua hoje, a impressão que tive é que se der um chute o carro desmancha!

    ResponderExcluir
  24. REPORTAGEM: KWID,UP! MOBI...CONCORRENTES !!!

    ResponderExcluir
  25. Geral reclamando que o carro é pobre de acabamento e etc.... Gente, se a Renault deu um acabamento porco pro Captur de quase 100k pq que iria caprichar no Kwid de 30k?

    ResponderExcluir
  26. Comprei um Kwid Intense a três meses, moro em local de estrada de chão que está sempre mal conservada e tem um ladeirão, já rodeis mais de 5.000km e até agora estou adorando o carro, bom de dirigir, motorzinho forte, alto, não fica batendo no chão, multimidia muito bom, direção levinha e com ótimo design, bom espaço para dirigir e o melhor, muita economia, o meu está marcando 25,3 km por litro no computador de bordo, coisa de louco, parece até mentira! Comparado com a Strada 1.8 que tinha antes, estou pagando as prestações com a redução de consumo. Como sou corretora de imóveis, levo sempre clientes na traseira e o espeço é legal, sem falar que o porta malas é bem grande. Quanto a segurança, graças a Deus nunca bati e não posso afirmar sobre este item, e espero continuar não sabendo, hehe. O carro é show, e ate agora estou muito satisfeita,

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.