Car.blog.br

Pesquisar este blog

Volkswagen Jetta 2017 deixa de ser produzido no Brasil

Categorias: , , 18 Comentários

A Volkswagen do Brasil suspendeu a produção da versão Comfortline do sedã médio Jetta em sua fábrica da Anchieta, em São Bernardo do Campo. Todas as versões do modelo agora são importadas do México.

VW Jetta 2017

O modelo tinha sido nacionalizado em julho de 2015, apenas na versão intermediária - Comfortline.

VW Jetta 2017

Entretanto, a montadora optou por usar o espaço da linha de montagem do Jetta para a produção de bancos para os outros modelos da marca - em um processo de substituição do antigo fornecedor, o grupo Prevente.

VW Jetta 2017 - interior

Além disso, a Volkswagen do Brasil prepara a fábrica da Anchieta para a produção de seus quatro novos lançamentos baseados na plataforma MQB, as novas gerações de Gol, Voyage e Saveiro, e o SUV compacto derivado do Gol, que chegam ao mercado a partir de 2018.

VW Jetta 2017 - espaço traseiro

Esses novos modelos serão mais rentáveis e com maior volume de produção que o Jetta, que, agora tem todas as suas versões vindas do México.

VW Jetta 2017

O modelo continua a ser vendido em versões Trendline 1.4 TSI (MT:R$ 83.876 reais; AT: R$ 89.400 reais); Comfortline 1.4 TSI (R$ 96.152 reais); Highline 2.0 TSI DSG-6 (R$ 111.558 reais).

Postagens relacionadas:

18 comentários:

  1. Volkswagen perfeita nessa estratégia. Precisa alocar seus recursos para oferecer a maior rentabilidade do negócio, e, claro, com o dólar dando um alívio, nada mais adequado que trazer o Jetta do México.

    Interessante que o Jetta, mesmo com 7 anos de mercado, é mais atual que muitos modelos recém chegados. O Cruze, por exemplo, não dá pro cheiro para o Jetta, nem para o 1.4 TSI.

    O Jetta tem painel todo emborrachado (o Cruze plástico duro). O câmbio do Jetta é muito superior.

    E o Civic? O 1.5 Turbo toma um pau feio do Jetta 2.0 TSI.

    Então, Jetta é um carro tão à frente de seu tempo, que os concorrentes nem chegar nele conseguiram ainda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. Perfeita a estratégia de gastar pra nacionalizar o modelo e um ano depois desistir.

      Excluir
    2. Sim. Perfeita a estratégia de gastar pra nacionalizar o modelo e um ano depois desistir.

      ORELHA e suas orelhadas.

      A VW não nacionalizou o Jetta. O carro era montado em CKD. vinha pronto do México. Não teve investimento nenhum.
      Estgratégia apenas para ocupar a mão de obra deslocada do fim de produção do Gol G4/Kombi.

      Mas, enfim, uma vez orelha, sempre orelha.

      Excluir
    3. Dólar dando um alívio? Ele vou a subir. O dólar valorizou quase 25 centavos essa semana.

      Excluir
  2. Que demora pro Jetta passar para a plataforma MQB. Tanto o interior como o exterior estão ficando datados. Passou da hora da VW modernizar este modelo para competir com os demais concorrentes, todos mais atuais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vejo necessidade de atualização. O Jetta ainda é superior à maior parte dos concorrentes em acabamento, motor, suspensão, design e requinte.

      Excluir
    2. Exato. O Jetta é o segundo sedã médio mais vendido do mundo, atrás apenas do Corolla (que inclusive soma hatch mais sedã).

      Excluir
  3. A verdade é que o jetta é infinitamente mais bonito pessoalmente do que em fotos.

    agora o que deve derruba-lo nas vendas é as sobre taxas de importação desse maldito desgoverno.

    palavra de que nem é muito chegado na vw, mas sabe que Jetta e golf é outro nivel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Negativo. Vindo do México não tem imposto de importação. Preço mantém-se o mesmo. E muito competitivo.

      Excluir
  4. Pela teoria de uns aqui se o Jetta tivesse câmbio AISIN seria um carro muito melhor.kkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pela teoria de uns aqui se o Jetta tivesse câmbio AISIN seria um carro muito melhor.kkkkkk

      ^^ Mané!
      O Jetta TEM câmbio AISIN.
      Putz. Que mané.

      Excluir
  5. A VW precisa mesmo se reformular, pra voltar a fazer carros de primeira...competência pra isso ela tem de sobra!!!

    ResponderExcluir
  6. Poderiam melhorar o visual desse carro, pois tem muitas qualidades mecânicas. Parece um voyage para muitas pessoas q não o conhecem. O problema das baixas vendas no brasil é o alto custo de suas peças, que custam de 3 a 4 vezes mais q a do corolla. Fiz o teste drive de arrancada com o carro no SDA2016 e constatei q seu motor/câmbio são muito bons. Por 79.990 q estão vendendo, não vejo opção melhor no momento, principalmente depois q corolla gli teve seu preço "apreciado".

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Concordo em relação a superioridade do modelo. O seu design atemporal me chama muito a atenção e, justamente pelo fato deste ser conservador, isso se torna um dos seus maiores trunfos. Voyage? Me desculpem os néscios, mas ou vcs nunca viram um Jetta pessoalmente ou nunca viram um Voyage. Só pode.

    ResponderExcluir
  9. Poderiam padronizar as rodas 17" nas versões de entrada, daí sim, seria a melhor relação custo beneficio do segmento

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.