Car.blog.br

Pesquisar este blog

Volkswagen Jetta completa dez anos de Brasil - histórico

Categorias: , 14 Comentários

O Volkswagen Jetta está completando dez anos de comercialização no Brasil. O modelo chegou às lojas em setembro de 2006, e, desde então, já registrou cerca de 90.000 unidades vendidas.


O Jetta que estreou no mercado brasileiro há dez anos foi apresentado em janeiro de 2005 durante o Salão do Automóvel de Los Angeles, nos Estados Unidos. Em sua quinta geração, o modelo era produzido pela Volkswagen em Puebla, no México. Com visual caracterizado pela predominância de elementos ovais, o Jetta media 4.554 mm de comprimento, 1.781 mm de largura, 1.461 mm de altura e 2.578 mm de distância entre eixos. O porta-malas tinha capacidade para 527 litros.

VW Jetta 2006

No Brasil, o modelo era oferecido em versão única de acabamento, equipada com motor 2.5l, de cinco cilindros, com 150 cv e transmissão automática de seis marchas com função Tiptronic. A aceleração de 0 a 100 km/h era feita em 9,6 s e a velocidade máxima era de 205 km/h.

VW Jetta 2006

Em outubro de 2007, o Jetta ganhou mais potência e torque, passando a contar com 170 cv – 20 cv adicionais graças a melhorias no coletor de admissão, que gerou também uma reprogramação da ECU (central eletrônica de gerenciamento do motor). O torque passou de 23,27 kgfm (228 Nm) a 3.750 rpm para 24,5 kgfm (240 Nm) a 4.250 rpm.

VW Jetta 2006

Com esses ganhos, a aceleração de 0 a 100 km/h do Jetta passou a ser feita em 8,9 segundos – a velocidade máxima, controlada eletronicamente, foi mantida. O modelo já oferecia ar-condicionado eletrônico de duas zonas de resfriamento.

Nova geração

No Salão do Automóvel de São Paulo de 2010, a Volkswagen mostrou a nova geração do Jetta, que chegou ao mercado nacional em março de 2011. As vendas do sedã dispararam no País, passando de 4.000 unidades em média para 15 mil unidades anuais.

VW Jetta 2011

A sexta geração do sedã ficou maior: 4,64 metros de comprimento, 1,45 m de altura e 1,78 m de largura. Ou seja: nove centímetros mais longo do que a versão anterior. O porta-malas acomodava 510 litros.

VW Jetta 2011

O aumento da distância entre eixos do novo Jetta possibilitou uma disposição do banco traseiro mais confortável. Em relação ao modelo anterior, o espaço para as pernas aumentou em 6,7 cm, atingindo 96,7 cm.

VW Jetta 2011

Com design mais retilíneo, a novidade era oferecida em duas versões. A Highline, equipada com motor 2.0 TSI com 200 cv e transmissão DSG de dupla embreagem e seis marchas, enquanto a versão Comfortline contava com motor 2.0 Total Flex com até 120 cv e transmissão automática de seis marchas ou manual de cinco.

No quesito segurança, o Jetta conta com até seis airbags, apoios de cabeça e cintos de segurança com três pontos de fixação para todos os ocupantes, farol com luz diurna (no caso de faróis bixenônio), sinais de advertência em caso de acidente e alerta para afivelar o cinto de segurança. Além disso, o modelo vem equipado com freios ABS com EBD (distribuição eletrônica de frenagem) e BAS (sistema de assistência à frenagem), além dos controles eletrônicos de tração (ASR) e de estabilidade (ESC)

Em 2011, o Euro NCAP e o Australian NCAP certificaram o Jetta com a nota máxima em segurança. Além disso, o sedã também foi nomeado como “Top Safety Pick” pela organização americana IIHS (Insurance Institute for Highway Safety). Em 2013, o modelo foi reconhecido com cinco estrelas pelo Latin NCAP, uma organização de defesa do consumidor da América Latina.

Facelift

Em abril de 2014, a Volkswagen promoveu, no Salão Internacional de Nova York, nos Estados Unidos, a apresentação da versão do Jetta para o mercado americano, redesenhada e com a engenharia atualizada.

VW Jetta 2016

Com novos sistemas de assistência, o Jetta ficou mais seguro. Em setembro daquele ano, o Novo Jetta vendido nos Estados Unidos, na versão equipada com o sistema de Alerta de Colisão Dianteira (Forward Collision Warning), foi classificado como “Top Safety Pick+” pela organização americana IIHS (Insurance Institute for Highway Safety – Instituto das Seguradoras para Segurança Viária).

VW Jetta 2016

O Novo Jetta foi mostrado no Brasil no Salão do Automóvel de São Paulo, em 2014, com visual renovado na dianteira e na traseira, aprimorando seu desempenho aerodinâmico. A nova grade, atravessada por três frisos, passa a ser alinhada com os novos para-choques e faróis opcionais bixenônio com luzes diurna de LED.

VW Jetta 2016

O Novo Jetta Highline é equipado com motor 2.0 TSI de 211 cv (11 cv a mais em relação ao modelo anterior) e manteve a transmissão automática DSG com dupla embreagem e seis marchas. Graças a esse conjunto, o sedã tem números de desempenho dignos de modelos esportivos: 0 a 100 km/h em 7,2 segundos e velocidade máxima de 241 km/h.

A novidade começou a chegar às concessionárias da marca no Brasil em fevereiro de 2015. Além do novo visual e de mais itens de tecnologia, o Novo Jetta marcou a estreia da versão Trendline, de entrada, no País.

Motores TSI

Em janeiro de 2016, a Volkswagen anunciou a chegada do Jetta equipado com motor 1.4 TSI de 150 cv, combinado à transmissão automática de seis marchas com função Tiptronic. O motor 1.4L TSI, da família EA211 chegou para substituir o 2.0 aspirado (da família EA113), que equipava as versões Trendline e Comfortline. Com isso, todo o portfólio da linha Jetta passou a contar com motores com a tecnologia TSI.

VW Jetta 2016

Além do motor, o Novo Jetta 2016 passa a contar de série em todas as versões com itens como direção elétrica, controle de estabilidade, bloqueio eletrônico de diferencial. Outra novidade é a oferta da transmissão manual de seis marchas para a versão Trendline.

VW Jetta 2016

O Novo Jetta com o motor 1.4L TSI tem 150 cv na faixa de 5.000 rpm. O torque máximo é de 25,5 kgfm já disponíveis a 1.500 rpm. Ou seja: um motor 30% menor em cilindrada, porém com 25% a mais de potência e 38% a mais de torque em comparação ao 2.0 aspirado utilizado anteriormente.

VW Jetta 2016

O motor 1.4L TSI pode ser combinado à transmissão manual de seis marchas ou à transmissão automática de seis velocidades com função Tiptronic (que permite ao motorista efetuar as mudanças manualmente, por meio da alavanca de câmbio ou por aletas no volante). Independentemente da transmissão, o Novo Jetta equipado com o motor 1.4 TSI acelera de 0 a 100 km/h em 8,6 segundos e alcança 203 km/h de velocidade máxima.



Todas as versões do Novo Jetta passam a contar, de série, com o sistema de infotainment App-Connect, disponível para as versões Comfortline e Highline, permite espelhamento do smartphone com as plataformas MirrorLink (sistemas Android), Carplay (compatível com aparelhos com sistema Apple) e também com o sistema Android Auto. Esses sistemas proporcionam a reprodução e operação da tela do telefone celular, diretamente na tela do infotainment, como se fosse um espelho e sem comprometer a segurança na condução do veículo.

Postagens relacionadas:

14 comentários:

  1. Já pude dirigir todas as versões do Jetta e o anterior bora, são os mesmos carros apenas nomes diferem.

    Ótimo carro. Evoluções pontuais. Segurança e qualidade sem arroubos de Design, que pra mim são desnecessários.

    TSI é o melhor sedã médio/compacto do mercado desde o lançamento. Pergunte a quem tem.

    Breve devemos ver a nova geração.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jetta, grande carro, não dá oficina, sólido, longevo e anda muito. Pena que a VW AG perdeu o timing pra este carro, deveria ter adotado imediatamente a plataforma MQB do Golf, faria um novo carro pra matar de vez com a concorrência.

      Em tempo, muito rapidamente, vi hoje num estacionamento o New Civic, é de virar o pescoço e deixar a boca aberta, na foto não parece legal, mas ao vivo é show. Pena a sacanagem da versão turbo fora do alcance de muitos. Hoje, eu NÂO colocaria 90-100k num carro motor 2 litros e aspirado.

      Excluir
  3. Excelente carro. Inclusive o Trendline 1.4 TSI AT ($77990) me parece melhor opção que o Golf 1.0 TSI. Mais espaço, maior porta-malas, mais motor, suspensão traseira multilink e câmbio automático.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A primeira vista sim parece ser melhor opção, mas depois que vc anda no Golf o Jetta fica pequeno, aquém da tua imaginação. Andei no Golf 7, depois não consegui mais sentar num Jetta quanto mais dirigir. Daí a necessidade urgente do Jetta mudar de plataforma, usar a MQB.

      Excluir
    2. Testei um Jetta 1.4 e um Golf mk7 1.6 no mesmo dia e, ao contrário do Eddie, gostei mais do Jetta. Os bancos, painéis e central multimídia seguem o mesmo padrão, mas o Golf tem alguns detalhes que o deixa mais bonitinho. A diferença de performance, porém, é grande em favor do motor 1.4.

      Eu preferiria que tivessem lançado o Golf brasileiro baseado na plataforma do mk6, desde que o preço também refletisse isto.

      Excluir
    3. Sim Unk, se vc avaliar powertrain, sempre o TSI 1.4 litros; contudo, chassis, espaço interno, dinâmica, eu gosto do Golf 7. Não dá pra entender porque a VWB limitou o TSI 1,4 l ao Golf Highline, menos mal o Comfort agora é TSI 1 litro (tem o MSI). O MSI vale pelo cambio auto apenas, apesar de ainda estar caro.

      Quem não for "manicaca" por Golf, aos preços de hoje vai pro Jetta com razão. Porém eu sou viciado em Golf, não tem jeito. Entro num Css VW só vejo Golf e Variant (ela era DSG e Multilink!) na minha frente, gosto do Up TSI também.

      Hoje avaliei a compra dum Golf MSI Auto completo 0km na troca do meu TSI DSG Elegance com quase 3 anos de uso, mas não dá, o 1.4 turbo/DSG é insubstituível, vai ficar velho junto comigo até o dia que eu puder ter GTI 0km (com DSG e Multilink e sem freio eletrônico poxa!). Rrss

      A VWB errou demais com a linha Golf nos últimos 12 meses, é como encontrar a mulher da sua vida e não saber cuidar dela, entende-la, vc vai acabar perdendo-a pra outro. A VWB perdeu o Golf Highline e o Comfort pra concorrência (antes da chegada do TSI 1 litro). Talvez com o TSI 1 litro ela recupere o passivo. Sorte da VWB que a Honda está indo na mesma direção, lançou um carrão (vi hoje na rua, show) com potencial enorme, mas com um motor 2 litros aspirado (ultrapassado) e caro.

      Excluir
    4. Golf melhor hatch, Jetta melhor sedan. Honda vai protagonizar o mico do mercado: motor velho em carro novo, no princípio vai seduzir alguns incautos que se impressionam com o exterior e nada de powertrain, o objetivo maior parece desviar a clientela do Corolla.

      Excluir
  4. Não estou consegui visualizar o Jetta no configurador do site da vw de vários países europeus. Alguém sabe se o modelo não é mais vendido por lá?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não duvido. Talvez lancem em breve (na Europa) o New Jetta sobre a MQB. Acredito que hoje ele é somente montado no México e Brasil.

      Excluir
  5. O design da primeira geração é muito mais bonito que a atual...na minha opinião.

    ResponderExcluir
  6. Sempre gostei do Jetta sempre achei elegante,sóbrio, e com isso muito bonito, o que matava o carro era as versões mais básicas saírem com o motor 2.0 de 120 cv, e ainda por cima ser caro, mas a Volks já corrigiu o erro e colocou o excelente 1.4 TSi nas versões mais básicas que da outro desempenho pro carro, o 2.0 TSI nem vale a pena comentar, pois ele deve ser um monstro de se dirigir e ainda quero ter essa oportunidade, mas no meu ver Jetta e Cruze são hoje as opções mais racionais do mercado, por tudo que ambos oferecem!!!

    ResponderExcluir
  7. Esse Jetta já deu, passou da hora de mudar. Bom mesmo era o modelo importado motor 2.5, muito mais bonito e robusto.

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.