Car.blog.br

Pesquisar este blog

Audi Q7 2016 chega ao Brasil: preço parte de R$ 400 mil

Categorias: , , 13 Comentários

A Audi traz para o Brasil a nova geração do Q7 - modelo topo de linha de sua gama de utilitários esportivos. Em versão única Ambition, o modelo tem preço sugerido de R$ 399.990.

2017 Audi Q7

Com tração integral permanente quattro, associada à transmissão automática Tiptronic de oito marchas e ao novo motor V6 3.0 TFSI com compressor e injeção direta de combustível, o maior SUV da Audi acelera até 100 km/h em apenas 6,1 segundos. A velocidade máxima é de 250 km/h.

2017 Audi Q7

O modelo incorpora o Audi Virtual Cockpit, um painel totalmente configurável pelo usuário, que mostra as informações à altura dos olhos do motorista por meio do head-up display. O sistema conecta o usuário ao mundo da Internet e todos os seus recursos.

Estilo exterior

O Q7 tem 5,05 metros de comprimento, distância entre-eixos de 2,99 m, 1,97 m de largura e 1,74 m de altura. O carro é 37 milímetros mais curto e 15 mm mais estreito, enquanto a altura permaneceu aproximadamente a mesma.

2017 Audi Q7

A grade Singleframe ostenta barras transversais com aparência de alumínio, são mais largas e baixas do que no modelo anterior. Seu volume tridimensional é o elemento central da dianteira. A moldura se estende até os faróis.

2017 Audi Q7

Os faróis do Q7 são unidades Xenon plus de série. Com os faróis opcionais de LED, as luzes de condução diurna formam uma dupla flecha condutora luminosa juntamente aos indicadores de direção - uma diferenciada assinatura na família Audi. Com os faróis LED, a Audi oferece lanternas direcionais traseiras dinâmicas, que traz segmentos individuais que se acendem em rápida sucessão, de dentro para fora.

Interior

O modelo oferece bom espaço para joelhos, ombros e cabeça (41 mm a mais na fileira da frente), o Q7 supera as dimensões de seu antecessor, apesar de o carro como um todo ser ligeiramente mais compacto. Todos os passageiros podem entrar confortavelmente no carro por meio de portas amplas e com aberturas altas.

2017 Audi Q7

O painel de instrumentos é esguio. Sua dianteira, caracterizada à frente do passageiro por uma abertura de ventilação em faixa, não é ligada ao console central - uma solução que dá ao interior uma aparência mais leve. O console é inclinado como um painel de controle, com a alavanca do câmbio Tiptronic e o comando do MMI all-in-touch à esquerda e o controle de volume do sistema de som e porta-copos à direita.

Construção leve e conforto: bancos dianteiros


O sistema de bancos do novo Q7 foi totalmente reprojetado. Comparado ao do modelo anterior, é quase 19 kg mais leve, cinco deles eliminados dos bancos dianteiros. Forrados com couro, os assentos oferecem um confortável posicionamento vertical e o melhor apoio lateral.

2017 Audi Q7

 Os apoios de cabeça podem ser ajustados não apenas verticalmente, mas opcionalmente também na horizontal. Os bancos dianteiros têm ajustes elétricos, com memória para o do motorista. Ambos trazem suporte lombar.

Os bancos traseiros

A segunda fileira de bancos também oferece espaço e conforto de alto nível. O encosto - dividido na proporção 35/30/35 - pode ser ajustado na inclinação em 16 posições. Opcionalmente, a Audi fornece a opção de sete lugares para o Q7. Seus encostos, divididos 50/50, podem ser posicionados eletricamente na vertical ao apertar um botão ou rebatidos na horizontal, integrando-se ao assolho do porta-malas. Para garantir uma entrada confortável para a terceira fileira, a Audi também equipa os assentos laterais da segunda fila com um elaborado mecanismo: eles podem ser dobrados em uma forma compacta e posicionados verticalmente.

2017 Audi Q7

Todos os bancos da segunda e terceira filas têm fixação Isofix para cadeirinhas infantis. Até seis cadeirinhas para crianças podem ser instaladas no novo Q7, inclusive no banco do passageiro de frente.

Ar-condicionado automático

O Q7 traz de série o novo ar-condicionado deluxe com quatro zonas, com os mostradores de temperatura incorporados aos controles rotativos. Um display TFT (filme transistorizado) mostra a situação de importantes funções.

2017 Audi Q7

Com um simples toque nos interruptores capacitivos o tamanho dos gráficos aumenta. Os passageiros de trás têm seus próprios controles. O sistema consome pouca energia, graças a inovações no motor do ventilador, na entrada de ar exterior, no eficiente circuito de refrigeração e a um sistema de controle flexível.

O porta-malas

O novo Q7 vem com um grande compartimento de carga, altamente variável. Quando todos os sete lugares são ocupados, a capacidade é de 295 litros de bagagem. Com cinco lugares, são 890 litros e 2.075 litros com a segunda fileira de assentos rebatida. Comparada com a do modelo anterior, a soleira do porta-malas é quase cinco centímetros mais baixa.

2017 Audi Q7

A porta do bagageiro tem acionamento elétrico de série e controle por gestos - uma movimentação do pé sob o para-choque traseiro é detectada por um sensor, comandando a abertura ou fechamento sem necessidade do uso das mãos – uma significativa vantagem ao embarcar bagagens ou compras do supermercado. Outra alternativa para o cliente é fechar a tampa do porta-malas apertando um botão nela instalado ou pela chave com controle remoto. Ganchos para bagagem, pontos de amarração, cobertura para o compartimento de bagagem e uma rede divisória são equipamento de série.

O cockpit virtual da Audi

Junto ao sistema MMI navigation plus com MMI all-in-touch, o Q7 traz a bordo o Audi Virtual Cockpit – uma tela de 12,3 polegadas com 1.440 x 540 pixels de resolução, exibindo imagens superdetalhadas e extremamente nítidas. A posição da agulha do conta-giros, por exemplo, é calculada 60 vezes por segundo para garantir uma movimentação absolutamente fluida.

2017 Audi Q7

O motorista pode optar entre duas interfaces diferentes. No modo "Infotainment" uma janela central domina a vista, abrindo um grande espaço para o mapa de navegação ou para as listas de contatos do telefone, estações de rádio ou áudio. O conta-giros e o velocímetro são apresentados como mostradores redondos pequenos à esquerda e à direita. Na configuração clássica, a janela central é menor e os instrumentos aparecem na forma de grandes mostradores analógicos.

2017 Audi Q7

O motorista comanda o Virtual Cockpit como faz com o driver information display no painel de instrumentos analógico, através do volante multifuncional. Utilizando os interruptores no raio esquerdo, o condutor pode examinar os menus do computador de bordo, o sistema de áudio e, dependendo do equipamento, os sistemas de navegação e telefônico. À direita do volante ficam o ajuste de volume rotativo, o botão do comando de voz, os controles expressos do telefone e a função “skip” para trocas rápidas de estação de rádio ou música.

Imagem flutuante: o head-up display

A Audi também equipou o novo Q7 com um head-up display, que projeta informações e números importantes num campo de 200 mm x 80 mm no para-brisa. Um display TFT retroiluminado por um LED branco gera a imagem colorida. Dois espelhos a ampliam e redirecionam.

2017 Audi Q7

A informação parece flutuar numa janela a aproximadamente 2,1 m à frente do para-brisa. O olho humano registra a informação com extrema rapidez – não há necessidade de adaptar o olhar, saindo da visão a longa distância. Pelo MMI, o motorista pode escolher quais informações devem aparecer no display. Também é possível ajustar a altura e o brilho da imagem.

Resposta tátil: MMI all-in-touch

No centro do painel de instrumentos fica o monitor MMI para o motorista e o passageiro da frente, que se estende eletricamente toda vez que o sistema é iniciado. O dispositivo mede 8,3 polegadas na diagonal e mostra gráficos elaborados em alta resolução.

2017 Audi Q7

O terminal MMI no console central serve para controlar as várias funções. Parte do sistema MMI navigation plus, mostra a identificação MMI all-in-touch e inclui um botão de pressão rotativo e dois interruptores oscilantes para os menus básicos.

2017 Audi Q7

A interface principal com o usuário é a o touchpad. Sua superfície de vidro colorida de antracito é extremamente resistente a arranhões e tem excelentes propriedades de deslizamento. O motorista pode dar entrada a caracteres na superfície ou executar gestos com vários dedos para, por exemplo, aumentar a aproximação de um mapa ou percorrer listas. Cada entrada é seguida por uma confirmação acústica e tátil - um clique que também é sentido no dedo.

Sistemas de assistência ao motorista

Audi side assist

O pacote opcional Audi side assist ajuda o motorista a partir de 15 km/h ao trocar de faixa, usando dois sensores de radar traseiros que têm alcance de cerca de 70 metros. Se um veículo for localizado no ponto cego ou se aproximar muito rápido, se acende um LED na carenagem do respectivo espelho retrovisor externo. Caso o motorista ainda assim acione a seta, o LED pisca sucessivas vezes com maior intensidade. O Audi side assist é ligado ao sistema Audi pre sense traseiro, que inicia medidas protetoras em caso de ameaça iminente de uma colisão na traseira do carro.

2017 Audi Q7

O Exit Warning Assist – alerta de desembarque – entra em ação quando o SUV para. Caso veículos ou bicicletas se aproximem por trás, o sistema avisa o motorista e os passageiros assim que eles abram uma das portas. O sistema usa as guias luminosas de LEDs do pacote de iluminação localizadas nas portas. Em uma situação perigosa, LEDs especiais de alta potência piscam e se acendem em vermelho. O alerta de desembarque permanece ativo até três minutos depois que a ignição é desligada.

Assistente de visão noturna

Disponível no Pacote Tecnológico opcional, o assistente de visão noturna usa uma câmera infravermelha de longo alcance que reage ao calor irradiado por objetos. A informação, convertida em imagens em preto e branco, é exibida no cockpit virtual. O ambiente mais frio aparece escuro, enquanto animais e pessoas são mostrados com muito brilho. O sistema tem alcance de até 300 metros e pode detectar pessoas e grandes animais a cerca de 100 metros, destacando-os com marcadores amarelos.

2017 Audi Q7

Se uma situação de perigo for detectada, um som de alerta é emitido e um símbolo de advertência também aparece no painel. Nesse caso, o assistente de farol alto ilumina as pessoas, fora de áreas urbanas, com três curtos pulsos de luz.

Motor

O Q7 chega ao Brasil com o motor 3.0 TFSI, 28% mais econômico. O sistema start-stop inteligente é de série: quando o motorista deixa o carro rolar ao chegar a um sinal vermelho, por exemplo, ele desliga o motor antecipadamente, antes que a parada seja completa.


Indução forçada com compressor

O 3.0 TFSI tem 2.995 cm³ de cilindrada (diâmetro x curso de 84,5 mm x 89,0 mm). Sua potência é de 333 cv e o torque máximo, de 440 Nm, disponível entre 1.250 e 5.000 rpm. O compressor é posicionado no V de 90 graus formado pelas bancadas dos cilindros e, quando necessário, movimentado por uma correia pelo virabrequim. O ar de admissão é comprimido a até 0,8 bar. Dois intercoolers integrados no alojamento do compressor resfriam o ar quente para que mais oxigênio entre nas câmaras de combustão.


Respostas relâmpago graças aos curtos condutos de gasolina, impulsão poderosa e um som generoso: o compacto V6 de três litros com cárter de metal leve acelera o novo Audi Q7 de 0 a 100 km/h em 6,1 segundos, atingindo a velocidade máxima de 250 km/h (limitada eletronicamente).

2017 Audi Q7

O 3.0 TFSI tem algumas tecnologias de eficiência muito poderosas. Uma embreagem eletromagnética corta o compressor em cargas até 250 Nm e rotação do motor de até 4.000 rpm. Dependendo da solicitação, uma injeção mista para redução de partículas com tecnologia FSI acontece, diretamente nas câmaras de combustão e indiretamente no coletor de entrada. Os comandos de válvulas de admissão e exaustão podem ser ajustados para 50 ou 40 graus. O atrito é reduzido na corrente de transmissão, anéis de pistões e comandos de válvulas. O radiador de óleo, bomba d'água e virabrequim também foram aperfeiçoados.

Transmissão com conversor de torque tiptronic com oito marchas

2017 Audi Q7

A nova transmissão tiptronic de oito velocidades foi projetada como uma transmissão clássica com conversor de torque, fazendo trocas suaves, rápidas e espontâneas. O alto número de marchas permite manter o motor em um regime de rotações próximo ao ideal, enquanto a alta relação de 7.1:1 cria uma marcha mais alta para diminuir a rotação e o consumo na estrada. Por outro lado, as marchas mais baixas têm relações esportivas e curtas.

Redistribuição de torque instantânea: tração integral permanente quattro

O diferencial central autotravante – coração do sistema de tração integral quattro – é integrado à caixa da transmissão Tiptronic. O design do diferencial central e da tração do eixo dianteiro integrados ao câmbio é bem mais compacto e leve do que a caixa de transferência do modelo anterior, contribuindo assim com a maior parte das reduções de peso do trem de força.

Em condições normais, o diferencial central, com configuração planetária, distribui a força entre os eixos na proporção 40/60. Caso as rodas de um dos eixos percam a aderência, o sistema pode transferir sem demora até 70% da força para a frente e até um máximo de 85% para as rodas traseiras. Um item de software inteligente, o controle seletivo de torque complementa a tração quattro. Se uma das rodas no interior da curva perder carga, o software inicia uma precisa e leve intervenção no freio dessa roda. O comportamento da direção permanece neutro por mais tempo e a dirigibilidade torna-se mais precisa, ágil e estável. A tração fica ainda maior.

Chassi

Comparado ao modelo anterior, o centro de massa do grande SUV foi rebaixado 50 mm, em parte devido à instalação mais baixa do motor. A suspensão também foi totalmente reprojetada. Em relação ao modelo anterior, é mais de 100 kg mais leve – um importante fator para a agilidade. O design com cinco braços substituiu os braços em V do modelo anterior nos eixos dianteiro e traseiro. Dessa forma os componentes podem processar separadamente as forças transversais e longitudinais. Na direção transversal, suas juntas têm uma rigidez esportiva, enquanto na longitudinal são flexíveis e macias.



Menos 27 kg no eixo dianteiro

Dois braços transversais acima e abaixo, além do braço de arrasto formam a suspensão dianteira, com uma bitola de 1,679 mm. Comparada à do modelo anterior, são 27 kg a menos. Os braços de controle das rodas e os pivôs são forjados em alumínio, os eixos de propulsão são ocos e a espessura da parede do estabilizador varia conforme o necessário.

2017 Audi Q7

Outra grande inovação do Q7 é a direção eletromecânica com pinhão e cremalheira. Diferentemente da unidade hidráulica anterior, ela só precisa de energia durante as curvas, reduzindo assim o consumo. A redução é de 15,8:1, deixando-a esportiva e direta, e a assistência muda conforme a velocidade. O conjunto de direção trabalha juntamente aos principais sistemas de assistência.

Sistema de controle eficiente: o Audi drive select

O sistema de condução dinâmica Audi drive select, que inclui até doze módulos tecnológicos, complementa a versátil personalidade do modelo. Entre os modos de condução do sistema estão eficiência, conforto, auto, dynamic, individual e off-road.

Eixo traseiro dinâmico: quatro rodas direcionais

Outro sistema opcional do Q7 é o eixo traseiro dinâmico, ou seja, a direção nas quatro rodas – uma tecnologia não encontrada em outros produtos no segmento de SUVs e oferecida no Pacote Tecnológico opcional. No eixo traseiro é instalado um sistema de direção com comando elétrico e duas barras de direção, que vira as rodas traseiras em até 5 graus na mesma direção ou em oposição às dianteiras, dependendo da situação.

2017 Audi Q7

Em baixa velocidade, elas viram na direção oposta. Assim, o SUV fica muito mais ágil e o raio de curva um metro menor, o que é claramente percebido pelo motorista ao manobrar e estacionar. Entre 5 e 15 km/h, o direcionamento inverso atinge até 5 graus. Em velocidade maiores, as rodas traseiras seguem o movimento das dianteiras num ângulo de até 3,5 graus. Virando na mesma direção, elas melhoram a reposta do volante e aumentam assim a estabilidade em manobras evasivas. O novo Q7 vem de série com rodas de 20 polegadas.

Postagens relacionadas:

13 comentários:

  1. se eu ganhar na mega sena eu compro kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. Na atual conjuntura socioeconômica e ambiental, e também pelo seu alto valor deveria incorporar tecnologias voltadas a eletricidade, como power train híbrido de alta eficiência.

    ResponderExcluir
  3. Isso sim é Premium. Vi um desse da geração anterior e já achei lindo, essa então está de matar.

    ResponderExcluir
  4. Que bela máquina. Tecnologias de deixar qualquer um maluco. Só não entendi esse pneu de step no porta-malas.

    ResponderExcluir
  5. SISTEMA QUATTRO HUMILHADO PELO XDRIVE BMW:
    https://www.youtube.com/watch?v=HvqQuC_8VrM

    SISTEMA QUATTRO HUMILHADO PELO XDRIVE E 4MATIC:
    https://www.youtube.com/watch?v=Z_t2uDRpswo

    ResponderExcluir
  6. Acho que vi errado: na foto do porta malas, eu vi um pneu estepe??

    ResponderExcluir
  7. O que é esse trambolho no portamalas? Estepe?

    ResponderExcluir
  8. Sempre tem uns ze ruelas reclamando de alguma coisa

    ResponderExcluir
  9. painel da audi sempre se atualizando e melhorando!
    já a bmw parada no tempo

    ResponderExcluir
  10. Acho esquisito carros com "mídia flutuante" como essa. Parece um tablet colado no painel com fita dupla.

    ResponderExcluir
  11. Carro feio por fora mas com um belo interior.

    ResponderExcluir
  12. Feio demais mega vovozão belo interior.

    ResponderExcluir
  13. Carro lindo de mais!!!
    O peneu do estepe fica por baixo. Aquilo na foto e apenas um objeto para mostrar como fica o porta malas e suas barras de apoio!!

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.