Car.blog.br

Pesquisar este blog

Audi 100: o bastardo que salvou a Audi da extinção

Categorias: , , , 10 Comentários

O Audi 100, histórico modelo topo de linha da marca de Ingolstadt, foi desenvolvido secretamente no meio dos anos 60 pelo engenheiro Ludwig Kraus, e salvou a Audi da extinção.

Audi 100 - primeira geração
Audi 100 - primeira geração
Quando a Volkswagen comprou a Auto Union (Audi) na década de 60, ela deu uma diretriz para a nova subsidiária Auto Union GmbH: todos os novos desenvolvimentos deveriam ser cancelados. Ingolstadt não deveria pensar em modelos para suceder seus atuais, indicando que a Volkswagen planejava o fim da Audi.

Audi 100 - primeira geração - interior
Audi 100 - primeira geração - interior
Entretanto, Ludwig Kraus, então diretor técnico da Auto Union, resolveu não seguir exatamente a ordem de seus novos chefes, pois ele sabia que a única forma de a Audi se manter como empresa independente era lançar um outro modelo, acima do que tinha acabado de chegar aos mercado em 1965, mais moderno e de alto nível. Isso era claro para ele.

Audi 100 - segunda geração
Audi 100 - segunda geração
Então, de forma praticamente secreta, sem que os seus chefes da Volkswagen soubessem, e inclusive contrariando suas ordens, os engenheiros da Audi desenvolveram um novo carro. O ponto de partida aconteceu em 1965, quando começou o desenvolvimento do "bastardo", como Kraus o chamava.

Audi 100 - segunda geração - interior
Audi 100 - segunda geração - interior
Partiu-se da versão mais mais potente que a Audi tinha até o momento, o Audi Super 90, e sobre ele que o "bastardo" foi criado. O motor era novo, e totalmente livre dos genes da DKW que ainda estavam presentes nas primeiras gerações dos Audi.

Audi 100 - terceira geração
Audi 100 - terceira geração
Posteriormente, o chefe da Auto Union, Rudolf Leiding, descobriu que o novo carro estava sendo desenvolvido secretamente, a concordou com a continuidade do seu projeto.

Audi 100 - terceira geração - interior
Audi 100 - terceira geração - interior
Finalmente, o futuro Audi 100 foi apresentado ao então CEO do Grupo Volkswagen Heinrich Nordhoff. O executivo ficou visivelmente bravo quando percebeu que o carro foi desenvolvido sem que ele soubesse.

Audi 100 - terceira geração - interior
Audi 100 - terceira geração - interior
Sua braveza, porém, foi rapidamente dissipada. O conceito, o design e a tecnologia do Audi 100 o impressionaram tanto que ele deu a aprovação opara o lançamento do novo Audi. E ainda estabeleceu um prazo curtíssimo para que o carro fosse colocado em produção.

Audi 100 - quarta geração
Audi 100 - quarta geração 
O Audi 100 pode ser considerado o primeiro e genuíno Audi, e representou o começo do fim do VW Beetle (Fusca), ao trazer ao mercado a tecnologia dos motores quatro tempos refrigerados a água, e a tração dianteira.

Audi 100 - quarta geração
Audi 100 - quarta geração 
O modelo garantiu a independência da Audi - companhia que, hoje, sozinha, responde por 40% do lucro do Grupo VW.

Audi 100 - quarta geração  - interior
Audi 100 - quarta geração  - interior
Da primeira geração, que ficou no mercado entre 1970 e 1976, foram produzidas mais de 880.000 unidades. O carro superou todas as expectativas. Até 1994 foram quatro gerações do Audi 100.

Audi A6 - sucessor espiritual do Audi 100 - atualmente na 7ª geração
Audi A6 - sucessor espiritual do Audi 100 - atualmente na 7ª geração
Desde então, ele pode ser encontrado nas concessionárias como Audi A6, atualmente em sua sétima geração.

Postagens relacionadas:

10 comentários:

  1. a 1° e 2° achei feios, do 3° ate hj melhorou muito, ficou lindissimo

    ResponderExcluir
  2. Pois é, lembra o Santana mesmo. Nesse modelo vemos como a audi evoluiu em sofisticação, apesar de ser uma marca Q fabrica carros com concepção normal, como motor transversal sobre o eixo dianteiro, sem a opção de tração traseira, possui design elegante Q consegue competir com Mercedes, apesar de que as novas estrelas estão espetaculares!

    ResponderExcluir
  3. A quarta geração é clássica, mesmo para os dias atuais tem seu charme...

    ResponderExcluir
  4. min identifico muito com vw por que sempre gostei muito de linhas retas, não gosto muito de linhas arredondadas por EX ferrare e um excelente mas prefiro lamborghine por causa de suas linhas retas e só questão de gosto mesmo.

    ResponderExcluir
  5. O painel do up! Parece com o desde A100 segunda geração kkkk!

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.