Car.blog.br

Pesquisar este blog

Audi A3 Sedan 1.4 Flex nacional: melhor que o importado

Categorias: , , 95 Comentários

O Audi A3 Sedan 1.4 Flex de fabricação nacional já está chegando às concessionárias da marca no Brasil com preços inalterados em relação ao modelo importado: R$ 100.190 reais para a versão de acesso, Attraction, e R$ 110.190 para o Ambiente. Em 2016 chega a versão Ambition, com motor 2.0 TFSI.

Audi A3 Sedan 1.4 Flex nacional

O Audi A3 Sedan 1.4 TFSI Flex Automático já foi testado pela várias revistas automotivas. Segundo a Car and Driver, o bom padrão de acabamento do modelo importado foi mantido no nacional, até mesmo porque a maior parte das peças continua vindo do exterior. Entretanto, há alterações também, especialmente na parte mecânica.

Audi A3 Sedan 1.4 Flex Ambiente - nacional
Audi A3 Sedan 1.4 Flex Ambiente - nacional

Vídeo - avaliação do Audi A3 Sedan 1.4 Flex nacional



Adaptado ao piso brasileiro

O Audi A3 Sedan 1.4 TFSI Flex fabricado no Paraná sofreu adaptações na transmissão e suspensão traseira, para deixá-lo mais adaptado às condições severas da pavimentação brasileira, e solucionar reclamações dos consumidores - que apontavam as seguintes queixas: excesso de rigidez na suspensão; baixa altura do solo - que provocada raspadas frequentes na dianteira; ruído na transmissão ao passar por vias irregulares.

Audi A3 Sedan 1.4 Flex nacional

A suspensão do Audi A3 Sedan nacional está 1,4 cm mais elevada na dianteira e 1,5 cm mais alta na traseira que o modelo importado, eliminando o risco de raspar a dianteira em lombadas, valetas e entradas de garagens de prédios muito desniveladas - comuns no Brasil.


Além disso, a suspensão ficou mais macia. O A3 Sedan importado tinha um ajuste adequado às vias europeias, que chegava a incomodar pelo excesso de rigidez de molas e amortecedores. Já no modelo nacional adotou-se molas e amortecedores maiores e mais macios.


A suspensão traseira também teve seu esquema alterado, saindo o sistema independente, substituído por um eixo de torção - um eixo direcional conjugado, no qual amortecedores e molas ficam separados do eixo, reduzindo a interferência entre as rodas relativamente a um eixo de torção convencional.

Mais macio

O resultado é que o Audi A3 Sedan ficou mais confortável e robusto que o modelo importado, ao custo de um comportamento dinâmico em curvas de altíssima velocidade não tão exemplar quanto o europeu. Ou seja, a suspensão do A3 importado - mais firme e baixa - é adequada para uso em Autobahns alemãs, onde não existem limites de velocidade.


Já no Brasil, com vias com limitação de velocidade a 120 km/h, pisos de baixa qualidade e cheios de irregularidade, a suspensão adotada pela Audi no modelo nacional é bem mais adequada, pois, além de mais elevada e macia - e mais confortável, é muito mais robusta que a usada no modelo importado.


Dessa forma, o dono de um A3 Sedan nacional só sentirá uma diferença em termos de comportamento dinâmico em relação a um importado se colocar o carro em um autódromo, em um track day. Para todas as demais situações de uso convencional, no Brasil, o Audi nacional é melhor que o importado.


De qualquer forma, para aqueles que querem colocar seus carros em autódromos, haverá, em 2016, a opção do A3 Ambition, com suspensão independente, transmissão DSG6 e o motor 2.0 TFSI de 220 cavalos.

Motor mais potente, câmbio silencioso

O motor do Audi A3 TFSI nacional é mais potente, com 150 cavalos e 25 Kgfm de torque, enquanto a transmissão S-Tronic de 7 marchas seca do importado foi substituída pela Automática de 6 marchas - mesma usada no Audi Q3.

Audi A3 Sedan 1.4 Flex nacional

Com essa alteração, a Audi resolveu o problema de ruídos que surgem nos A3 e A1 importados, do tipo "CLEC CLEC", quando circulam em pisos irregulares. A nova transmissão é absolutamente silenciosa e suave, sendo uma caixa também extremamente robusta, e que vem sendo adotada em diversos modelos da Audi/VW, como Jetta 2.0 e é adotada também no Golf nacional.

Audi A3 Sedan 1.4 Flex Ambiente - nacional
Audi A3 Sedan 1.4 Flex Ambiente - nacional
Ocorre que essa transmissão automática de seis marchas, por adotar conversor de torque, é um pouco menos eficiente que a S-Tronic de dupla embreagem. Entretanto, como o motor, com a adoção da tecnologia flex, ficou mais potente e com mais torque, isso acabou compensando, e no fim das contas o Audi A3 Sedan nacional ficou mais rápido de veloz que o importado.

Audi A3 Sedan 1.4 Flex Ambiente - nacional - interior
Audi A3 Sedan 1.4 Flex Ambiente - nacional - interior
Audi A3 Sedan 1.4 Flex Ambiente - nacional - interior
Audi A3 Sedan 1.4 Flex Ambiente - nacional - interior
Audi A3 Sedan 1.4 Flex Ambiente - nacional - interior
Audi A3 Sedan 1.4 Flex Ambiente - nacional - interior
Audi A3 Sedan 1.4 Flex Ambiente - nacional - interior
Audi A3 Sedan 1.4 Flex Ambiente - nacional - interior
Mais rápido e veloz que o importado

Nos testes da Revista Carro, o Audi A3 Sedan nacional, abastecido com etanol, foi nada menos que 0,7 segundo mais rápido na aceleração de 0 a 100 Km/h que o importado, completando a prova em 8,9 segundos, enquanto o importado fazia em 9,6 segundos.

Audi A3 Sedan 1.4 Flex Ambiente - nacional
Audi A3 Sedan 1.4 Flex Ambiente - nacional
Já na prova de retomada de 80 a 120 Km/h, o Audi A3 1.4 Flex nacional ficou 1 segundo mais rápido que o importado, com o tempo baixando de 6,8 s para 5,8 segundos no flex.


E o consumo de etanol não decepcionou, ficando em 9,8 Km/l em cidade - um número bom em face do nível de performance oferecido pelo motor 1.4 Turbo Flex.

Conclusão

O Audi A3 1.4 Flex nacional manteve o excelente acabamento do modelo importado, mas adota soluções mecânicas adequadas ao mercado brasileiro: motor flex, câmbio automático AISIN TipTronic de 6 marchas, e um conjunto de suspensões mais macio, elevado e robusto.

Audi A3 Sedan 1.4 Flex nacional

O resultado final é um carro melhor, mais confortável, silencioso, com melhor desempenho, bom nível de consumo, e ainda um motor que encara a gasolina nacional batizada com etanol sem problemas, uma suspensão que suporta buracos, lombadas e valetas, e um câmbio automático confiável, suave e que não faz ruídos nos muitos pisos irregulares que se observa no Brasil. Em resumo: o A3 nacional é melhor que o importado, para rodar nas condições brasileiras.

OBS: Fotos ilustrativas

Postagens relacionadas:

95 comentários:

  1. Fico com mercedes cla, um carro alemão genuino.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CLA custa a partir de 130 mil.

      A3 nacional, parte de 100 mil., tem mais equimentos, mais confiável, mais macio. E melhor.

      Excluir
    2. Mais equipamentos? Fale mais sobre isso.

      Excluir
    3. Opá, mais equipamentos? essa eu gostei...tipo o que 2 assentos dianteiros?

      Excluir
    4. Audi A3 é "melhor" e "mais confiável" que um Mercedes-Benz CLA? Céus...

      Na pior das hipóteses, estão no mesmo patamar.

      Excluir
    5. E já que falaram em alemão genuíno, uma observação oportuna ao autor da matéria:

      Autobahn = singular

      Autobahnen = plural

      Excluir
    6. "A3 nacional, parte de 100 mil., tem mais equimentos, mais confiável, mais macio. E melhor."

      Seria melhor não dizer nada...
      Comentário sem base, fundamento ou lógica. Tipico de quem não entende nada de carro e não sabe nem do que está falando...
      Logo o engenheiro da Volks dando "orelhada" desse jeito Carlos? Esperava mais de vc...


      Excluir
  2. Aumenta a potência mas deixa mais alto e "macio"... e ainda dizem que ficou melhor?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. O público brasileiro quer um carro que nao bata embaixo e que seja confortável e macio. E é isso que o A3 nacional é.

      O Corolla, seda mais vendido do Brasil, é macio e nao bate embaixo.

      E ainda o Audi A3 nacional anda mais e bebe menos que o importado.

      Excluir
    2. Tem coisa que chega doi ler, quem quer comprar um Audi A3, um Golf nao quer comprar um Vovorolla, essa pessoa quer tecnologia, avanço, eficiência, quem compra um A3 baixo é porque gosta do carro daquele jeito, é porque um carro que faça curvas bem, assim como em um Golf até o mexicano, pq esses dois nacionais vão ser duas mentiras, que só trazem as coisas antigas e antiquadas de volta pro mercado. Cambio Tip6 e suspensão com barra de torção não obrigado, tenho um Golf TSi Mexicano em casa e dispenso esses modelos nacionais! Se eu quisesse coisa antiquada compraria um Golf Mk4 pelo seu preço e não um Mk7 pelo o que ele custa.

      Excluir
  3. Na minha opinião não ficou melhor. Audi pra min só a partir do S3.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. audi pra mim pode ser qualquer um desde que seja importado e nao brasileiro

      Excluir
  4. Muito mais negócio é a Mercedes c180 de entrada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A C180 de entrada custa 120k e nao tem nem multimidia,
      O Audi A3 de entrada custa 100k e tem muito mais itens.
      E com 120k vc pega um A3 1.4 Flex Ambiente com rodas 17, ACC, bancos em couro, multimidia e etc, muito mais completa que a C180, fora que o A3 anda mais, bebe menos, [e mais confortável e mais seguro,
      Ou seja, o A3 é bem melhor que o C180 de entrada.

      Excluir
    2. Só que o Audi A3 concorre com o Mercedes-Benz Classe A.

      O Mercedes-Benz Classe C é de categoria superior, concorrente do Audi A4.

      Preciso dizer mais alguma coisa?

      Excluir
  5. O Jetta TSI é muito mais negócio. Esse Audi com o downgrade sofrido não é mais premium.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A3 nacioanal é mais economico, tem melhor acabamento, e tem itens que o Jetta nao tem como ACC, Front Assit. Fora que o Audi A3 tem suspensao e cambio muito confiáveis e suave,
      Prefiro o audi,

      Excluir
    2. A3 com esses itens fica com valor de Passat

      Excluir
    3. Jetta top custa 110k, mas bem negociado, 103, por 100k comprar um audi pelado com volante de plastico e banco de tecido, nunca, as argolas ficam para os ostentação, vou de jetta tb sem pensar muito

      Excluir
    4. Se for para ser sedan acho que é melhor o Jetta, o A3 Sedan pode ter uma ótima mecânica, mas o voltante, painel e todo o resto do interior é simples demais para um carro neste valor.

      Excluir
  6. prefiro um bmw serie 3 q apesar de ter virado brasileiro ainda manteve todos os recursos do modelo alemao ao contrario do A3 q retrocedeu a barra de torcao de passat dos anos 70

    ResponderExcluir
  7. A3 nacional anda mais, bebe menos, é mais confortável, mais robusto e tem mais itens de série que o importado. E ainda tem motor flex.

    Enfim, um carro melhor que o importado. O resto é mimimi,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carro flex é igual a pato...não faz nada direito!

      Excluir
    2. Nós é que sabemos das coisas né.
      Brasil, melhor que Alemanha ... é todos sabem a verdade.

      Excluir
    3. Essa analogia com o pato é errada, pois ele consegue fazer as três coisas melhor do que muitas outras espécies. Ele consegue voar grandes distâncias durante as migrações, consegue nadar razoavelmente bem e anda mais rápido do que uma tartaruga.

      Excluir
    4. A3 nacional continua sendo um excelente carro,mas é pior que o alemão. Melhorou pouca coisa em desempenho mas perdeu em sofisticação. Quem compra carro premium quer um carro premium.
      Se essa economia da suspensão e câmbio significasse ao menos uns 5 mil de desconto até daria pra dizer que o custo benefício melhorou em virtude das perdas e ganhos,mas como não aconteceu é um fato: A3 nacional é pior que o alemão. E ponto.

      Excluir
    5. Diogo e Andre Candeloro, onde eu assino? Falaram tudo.

      Excluir
    6. Que absurda essa discussão. Dizer que o carro nacionalizado, com itens de menor tecnologia é melhor que o original importado, que é vendido no resto do mundo!!! Chega a ser ridículo.

      Excluir
  8. Só o fato de ser nacional já é suficiente para dizer que é um produto inferior ao importado genuíno. Assim como o Golf, está aí outro carro que foi depenado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc pode pensar assim. É o seu direito.
      mas o seu pensamento ;e errado.
      O consumidor brasileiro prefere carro nacional (porque tem mais pecas), flex, mais macio,

      E todas as revistas falaram que o A3 nacional manteve o nível de acabamento, ficou mais robusto, com mais desempenho, mais confortável e é mais econômico.

      Excluir
    2. Carlos, notei que você está bem mais educado e cortês. Parabéns pela evolução tão necessária!

      Excluir
    3. Eu tambem notei.
      Dave ter levado uma chamada do blog e/ou da VW.

      Excluir
    4. Ele era educado antigamente. Sempre delirou nos comentários mas ao menos com respeito. De uns tempos pra cá que começou a despejar grosseria e ofensas de graça e sem qualquer tipo de moderação.
      Acho que o blog deu muito espaço para esse rapaz.
      Aí é igual criança que não leva umas palmadas, acha que pode fazer oq quer até levar um "apito"...

      Excluir
  9. Prefiro 1000x um A3 2 portas 1.8T ( os primeiros que veio ) , sedan ja acho mais familia , se for com cambio convencional e fabricado no brasil e pra piorar com suspensao a la brasileiro , nao obrigado .

    ResponderExcluir
  10. Inadimissivel as alterações no eixo, poderia muito bem apenas amaciar a suspensão trazeira e não trocar por eixo de torção. Não gostei e espero que encalhe, afinal muitos que compram AUDI sabe o que esta comprando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Temos que elogiar a decisao da Audi de usar no A3 nacional uma suspensao ao gosto do consumidor brasileiro: mais macia, mais elevada e mais robusta.

      Todas as revistas dizem que o carro ficou mais confortável e tão bom quanto o importado em termos de comportamento dinämico,

      E como o A3 nacional usa uma suspensao mais robusta, terá custo de manutençáo menor, e sera mais confortável.

      Parabéns à Audi!

      Excluir
    2. Quer suspensão traseira independente compre um FIAT 147 e seja feliz

      Excluir
    3. Balela, foi corte de custo e ponto final. Se fosse tao caro assim o civic não teria essa suspensão tomara que de problema e obrigue a montadora rever esse problema no carro assim como foi no fusca, que o eixo de torcao saiu de linha

      Excluir
  11. Legal é ler os comentários totalmente discordantes do que diz a matéria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toda unanimidade é burra. Nelson Rodrigues

      Nas áreas de comentários de blogs e sites automotivos vemos uma unanimidade burra de leitores de revistinha e de ficha técnica falando mimimi DSG...mimimi multilink.

      100% desse povo nao sabe diferenciar um carburador de uma junta homocinética. Que dirá saber a diferença entre multilink e eixo. Então não tem nada mais burro que essa unanimidade de mimimi DSG mimimi Multilink.

      A inteligência mesmo está nas áreas de engenharia da VW e a Toyota. AMBAS, que sao apenas as duas maiores empresas do mundo, e que fabricam os dois carros mais vendidos do mundo, Corolla e Golf, equipam seus carros com eixo de torçao na traseira.

      Corolla, com eixo, vende mais que todos os concorrentes somados.

      O Golf vai fazer o mesmo, pois o Golf nacional é MELHOR que o importado.

      mas jamais espere isso da massa igara. Esse povo só repete platitudes sem fundamentação alguma. Eles são a unanimidade BURRA.

      Excluir
    2. Pra ser sincero, se vc perguntar para um comprador de focus (pobre incauto) se ele sabe o que é Multilink, é capaz dele achar que é uma nova central multimídia! Rsrsrsrsr

      Excluir
    3. Essa mudança da suspensão não me incomoda em absoluto, até porque não pretendo comprar Golf ou A3.

      Mas é interessante observar como o Carlos virou fã do eixo de torção. Até recentemente, a suspensão multilink do Golf era a oitava maravilha do universo.

      Excluir
    4. Engraçado que os argumentos do Carlos são de acordo com o que convém.
      O Corolla é bom e referência simplesmente pq vende mais. Não existe um argumento técnico para essa afirmação, simplesmente "Corolla, com eixo, vende mais que todos os concorrentes somados."

      Engraçado que quando utilizam esse argumento com o Up! o rapaz quase surta, dizendo que Brasileiro não entende de carro e por aí vai...
      Se o Corolla é bom simplesmente pq vende mais, pq o Up não vende?
      A psicologia pode explicar seu problema Carlos mas o Google pode te dar uma força!

      Excluir
  12. Tenho um Golf TSI 14/14 Highline (Alemão) e vou dizer que depois de 13 mil Km... em relação ao câmbio e suspensão, é um excelente carro. Acho que vale a comparação com o Audi que usa o mesmo sistema/plataforma.
    Em pisos irregulares o cambio enche o saco, segurando a marcha até uns 3000/4000 RPM, mas você acostuma com a característica ou tenta mudar no paddleshift. E outras situações é muito melhor que qualquer cambio automático com conversor de torque. Aliás, por näo usar conversor de torque, rouba-se menos potência do motor e se traduz em maior agilidade e menor consumo de combustível. Quanto à suspensão - não há o que se reclamar - Multilink e foi levantada para o Brasil em 1,5 cm...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aqui temos a palavra de um dono.
      Aposto que o barulho deve ser meio chato, mas o câmbio é sim muito bom, e não tem o que justificar a saída dessa maravilha chamada DSG para a entrada do já cansado TipTronic.
      Agora eu te pergunto, irá trocar seu Golf pelo nacional?

      Excluir
    2. Em pisos irregulares o cambio enche o saco, segurando a marcha até uns 3000/4000 RPM, mas você acostuma com a característica ou tenta mudar no paddleshift.

      E tem o problema do ruído que infesta as concessionárias VW / Audi.

      E, sorria. O Golf nacional não tem mais ruído de DSG e nem mais retençao. E ainda anda mais e bebe menos que o importado.

      E outras situações é muito melhor que qualquer cambio automático com conversor de torque. Aliás, por näo usar conversor de torque, rouba-se menos potência do motor e se traduz em maior agilidade e menor consumo de combustível. Quanto à suspensão - não há o que se reclamar - Multilink e foi levantada para o Brasil em 1,5 cm...

      O Golf nacional tem melhor desempenho e menor consumo que o importado. Isso foi provado por todas as revistas. Entao esse seu argumento de que o DSG é mais eficiente não tem fundamentação na prática.

      Excluir
    3. Nada disso Carlos.

      O Golf DSG alemão anda mais que o Tiptronic brasileiro. Já o A3 brasileiro anda mais que o A3 DSG (pois pulou de 122 pra 150cv).

      O Golf DSG alemão faz 0-100 em 8,4 segundos (Auto Esporte) contra 8,5 segundos do A3 Tiptronic com etanol (Auto Esporte).
      O Golf DSG alemão faz 0-100 em 8,6 segundos (Quatro Rodas) contra 9,5 segundos do A3 Tiptronic com gasolina (Quatro Rodas).
      O Golf DSG alemão faz 0-100 em 8,6 segundos (Revista Carro), contra 8,9 segundos do A3 Tiptronic com etanol (Revista Carro).

      Ou seja, de acordo com os testes de todas as revistas, o Golf 1.4 TSI DSG de 140cv anda mais que o Tiptronic de 150cv, mas o A3 Tiptronic anda mais que o A3 DSG de 122cv.

      Excluir
    4. Em todos os testes, o A3 1.4 Flex com ETANOL andou mais que qualquer A3/Golf 1.4 TSI importado com gasolina.
      Sim, ambos com gasolina, o Golf mexicano tera vantagem.
      Mas com etanol, o brasileiro leva vantagem,
      E o A3 nacional anda mais que o eurupeu em qualquer situacao, tanto etanol quanto gasolina.

      Excluir
    5. O único Golf que vai andar mais que o alemão é o Highline manual de 6 marchas, pois com 150 cavalos e 26 kgfm de torque no álcool vai fazer 0-100 em menos de 8 segundos (chuto em 7,7 segundos).

      Excluir
    6. Júlio, mesmo com 10 cv a mais vai ser difícil ganhar do DSG alemão. Além da troca manual ser bem mais lenta, o câmbio manual possui as relações mais longas. Pesquise no YouTube um vídeo do Leo BH testando dois Golf, um DSG e outro manual. O DSG ganhou em todas as situações com uma diferença grande.

      Excluir
    7. Temos um 1.4 Tsi Highline DSG Mexicano em casa, e te digo, o carro foi escolhido pelas tecnologias que trazia, suspensão independente, dsg, desempenho, eficiencia, estabilidade, certa esportividade. Mesmo sem andar no nacional, digo que não será opção na hora da troca, se quisesse algo antiquado e caro vide essa suspensão com eixo de torção e tiptronic ficaria com o antigo MK4, que também já tivemos em casa e era um puta carro em sua epóca, não nos dias atuais com tecnologias tão defasadas, e quem diz que o carro pega aqui ou ali, é porque não gosta de carro, pois se compra um carro baixo e reclama disso é porque é no mínimo precisa rever o carro pro tipo de uso que faz e obviamente não sabe andar com o carro. Meu carro por exemplo ando no dia a dia com molas esportivas e nunca tive tal problema, por isso que somos obrigados a andar nesses jipes que as marcas trazem para o nosso mercado. Se você gosta de carros macios existe o vovorolla no mercado, compra ele e vai ser feliz, não um Golf ou um A3 pois esssa não é a proposta de tais carros!

      Excluir
  13. Eixo de torção não tem nada de mais robusto que a multi link, é apenas mais barato para a audi BR lucrar mais. Prova disso são os modelos que usam multi link sem relatos de problemas, exemplo: civic, focus, jetta highline e o golf alemão, o golf de verdade. Mudança do câmbio não vou nem comentar. Tendo jetta tsi como opção, fica injustificado comprar um a3.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eixo de torção é muito mais robusto que multilink. O Eixo de torçao tem uma barra de grande diâmetro de aço e poucas peças móveis. Já o multilink é cheio de braços finos conectados.
      Qualquer primeiro anita de engenharia mecanica sabe que eixo é mais robusto e mais macio que o multilink.

      E também pode ser melhor dinamicamente, como prova o Renault Megane RS, que é o carro de traçao dianteira mais rápiodo de Nurburgring, e que usa eixo na traseira.

      Sobre o cambio, o fato é que o A3 nacional é mais rapido e mais economico que o importado. Fatos. Apenas fatos. O resto é orelhada.

      Excluir
    2. Não enche o saco compre um FIAT 147 com suspensão traseira independente e seja feliz

      Excluir
    3. Você Carlos, deveria se limitar a dizer que a Audi fez escolha suficiente para os nossos pavimentos ao invés de ficar defendendo eixo de torção como melhor solução técnica que a multilink. Foi redução de custo e pronto. Aceita que doi menos.

      E outra: francês não sabia só fazer queijo? Tá defendendo agora? E mais outra: a versão mais cara terá multilink, engraçado não? Audi lançando um carro adaptado e outro não adaptado ao cenário brasileiro. E veja bem, a versão mais cara é onde supostamente quem paga mais quer ter menos dor de cabeça com o carro, e mesmo assim a Audi coloca um conjunto "menos confiável". Para que tá feio já.

      Excluir
    4. Você Carlos, deveria se limitar a dizer que a Audi fez escolha suficiente para os nossos pavimentos ao invés de ficar defendendo eixo de torção como melhor solução técnica que a multilink.

      Muito pelo contrário. A multilink pode ser a melhor solucao tecnica para carro de alta peformance andar em autobahn. E só. Vias de altissima velocidade e com carros de suspensao baixa e firme,
      Para o Brasil o multilink NÃO é a melhor soluçao técnica, pois deixa o carro mais duro (incompatível com a buraqueira) e como tem muito mais peças moveis e peças mais frágeis, é um esquema menos robusto e menos adequado ao piso brasileiro.

      No Brasil, a melhor solucao é a que a Toyota usa no Corolla e a VW no Golf: eixo de torcao, mais robusto, mais macio. A BMW so nao usa isso no Serie 3 pois é impossível, já que ele tem tracao traseira,



      Foi redução de custo e pronto. Aceita que doi menos.

      Muito pelo contrario. Usar multilink que seria reducao de custo.
      Para colocar eixo, VW e Audi tiveram que investir pesado em tropicalizacao, desenvolver uma suspensao para o Brasil. Tudo do zero. Seria muito mais barato usar o projeto europeu, como a Ford fez com o Focus.
      Mas nao. VW/Audi optaram pelo caminho de maior custo, menor custo, mas de maior qualidade para o Brasil, que é eixo de torcao e tiptronic,


      E outra: francês não sabia só fazer queijo? Tá defendendo agora? E mais outra: a versão mais cara terá multilink, engraçado não? Audi lançando um carro adaptado e outro não adaptado ao cenário brasileiro. E veja bem, a versão mais cara é onde supostamente quem paga mais quer ter menos dor de cabeça com o carro, e mesmo assim a Audi coloca um conjunto "menos confiável". Para que tá feio já.

      A versao mais cara é a Ambition no A3 e GTI no Golf. Esse carro é feito para entusiastas. E entusiasta endinheirado, que usa so podium, nao gosta de motor flex, e anda no pau, e toma cuidado com o carro.
      Nao resta duvida que a suspensao do A3 1.4 sera mais robusta que a do Ambituon. E o cambio também.

      Mas isso nao importa para o publico entusiasta. Esse pessoa abre mao de confiabilidade e robustez em troca do top de engenharia,

      mas o grnade publico nao.

      Entao a Audi/VW tem a estratégia perfeita: um carro para a grande massa, e versoes para entusiastas,.

      Excluir
    5. e a suspenção do golf 4,5 geração passada

      Excluir
    6. Ué, Carlos... agora francês sabe fazer carro? Agora o Mégane RS é um carrão?

      Como esse mundo dá voltas! Hahaha!

      Excluir
    7. Carlos, você com 100 mil na mão para comprar um sedã, pegaria jetta highline tsi 2.0 dsg multilink ou a3 basicão 1.4 flex at6 com eixo de torção?

      Excluir
  14. Que coisa boa, até da pra arrumar o dinheiro, mas seguro, revisão e ipva é uma lambada anual ....esse é o ônus desses carros audi, tanto que conheço uma penca de maluco que tem audi e prefere nao fazer seguro.

    ResponderExcluir
  15. Não tem piloto automático e o ar não é digital ou estou errado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem piloto automático, mas é opcional. E é inclusive adaptativo. Coisa que nenhum outro concorrente tem,
      E ao ar é automático, mas nao é digita..

      Excluir
    2. Errado. Nas versões Attraction e Ambiente, o ar-condicionado do A3 é convencional, igual ao de um carro popular.

      Ar-condicionado com controle automático de temperatura, só na versão Ambition.

      Fotos e informações: www.car.blog.br/2015/09/audi-a3-sedan-2016-14-flex-desempenho-e.html

      Excluir
  16. Consigo ver só uma coisa nessa história: a Audi mira compradores do Corolla Altis. Transformou o A3 Sedan de um carro mais emotivo para um mais razoável. Acho que vai dar certo. Se fizesse o preço na casa dos R$ 90 mil daria muito mais certo ainda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nao da para baixar de 100 pois invade a faixa do Jetta.
      mas é obvio que vai dar certo. O A3 já vende muito. Agora vai bombar. O povo ama suspensao macia, nao terá mais reclamacao de barulhinho, nao vai mais bater embaixo nas valetas e sera muito mais confortavel.
      O A3 agora e um Corolla com cara premium. Aré o cambio é da Toyota.
      A Audi está certissima.

      Excluir
    2. Aí o cara escolhe: levar um Jetta completão ou um A3 capado. Enquanto isso, o Corolla vai nadando no top ten e a Toyota sendo a montadora de maior lucratividade.

      Excluir
  17. Concluindo, agora fabricação nacional, redução de custos na suspensão e câmbio e o preço? Não diminuiu! _!_

    ResponderExcluir
  18. Como assim? O ar do Golf nacional não é digital???????? Vocês estão brincando? É UM ABSURDO!

    ResponderExcluir
  19. Assim como o golf, caparam o carro, daqui a pouco deixa de ser da linha premium, pois carro com suspensão e cambio jurássico uma vez que já teve o melhor conjunto é downgrade.
    Estranho assim como o golf é manter uma versão (pé de boi) e outra inalterada (220 cv), multilink e DSG/S-tronic não combinam com carros 1.4?
    Está mais que na cara que não foi uma decisão visando melhora no carro e sim mais lucro, e quem sai perdendo é o consumidor do modelo importado no qual vai levar uma canseira caso precise de peças de reposição pois o volume vendido destes modelo vai estagnar e a mão de obra e peças vai nas alturas.
    Parabéns VAG as outras marcas agradecem sua incompetência em não ajustar o conjunto mecânico superior e sim trocar por um inferior e de quebra continuar subindo os preços.

    ResponderExcluir
  20. Oque conta pra mim tbm é a beleza pra mim é muito mais bonito que concorrentes(preço)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Veloster também é muito bonito, design futurista e tal, mas em compensação....

      Excluir
  21. Melhor Q o importado, só faltou o motor 1.4 flex da Kombi. Carlos, o uno, quando foi lançado no Brasil nos anos 80, teve sua apresentação no nosso país atrasada devido à adaptação do projeto da suspensão traseira para o Brasil; detalhe, trocaram de eixo de torção para independente, alegando ser um sistema mais robusto para o piso brasileiro. O carro ficou em produção aqui durante 29 anos, e nunca ouvi falar de problemas na suspensão do uno. Outra coisa, o Golf mk7 europeu, nas suas versões 1.2 e, provavelmente na 1.0 tsi também, adotam eixo de torção, ou seja, a suspensão do Golf não foi feita do zero, o investimento foi mínimo, e a economia de custo de produção, gigantesca. Sobre o dsg: tenho um Golf mk7 tsi dsg 14/15 alemão, demorei 10 meses para notar o barulho do dsg, muuuuuuuiiiiito sutil, pelo menos na minha unidade. O Q me encomoda um pouco é a retenção das marchas em pisos irregulares, mas basta dar um toque na borboleta para subir uma marcha e, quando tudo voltar ao normal, segurar a aleta + durante 3 segundos para voltar pro modo drive, simples assim, sem esquentar a cabeça. O meu carro sai da imobilidade, na maioria das vezes, de 2ª marcha, e quando entra a 7ª marcha, se prepare para deixar donos de posto enfurecidos, faço 17 km/l fácil em perímetro urbano, com ar ligado. Não dirijo como louco, gosto de adequar minha condução a economia, sem perder as qualidades técnicas do carro, por isso, em determinadas curvas, freio menos e faço-as um pouco mais forte, para não perder a marcha mais alta, e ando procurando manter as marchas mais altas para consumir menos. Portanto, o Golf nacional, para mim, que ando prezando a economia, perdeu 2 grandes qualidades técnicas para meu estilo de condução, e imagino que seja o de muitos consumidores normais, que só querem chegar no destino com tranquilidade. Gosto de carros, e sei como o projeto do Golf é voltado para a eficiência. Fazer essas alterações foi uma deturpação do projeto original, corte de custos escancarado, não tem outra justificativa! É o pior Q fizeram isso com um carro que se diz premium, o A3! Para mim, não é mais, agora a diferença para o Golf se restringe à porta traseira com soft touch e porta malas maior. É só! Não troco meu alemão por tsi ou msi tiptronic nem por decreto papal! O corolla não é um modelo referencia pela dinâmica, então se tiver independente ou eixo, tanto faz. Se fizessem a mudando do Golf nacional no nissan sentra, e dai? Agora, pegam um projeto moderníssimo e de grandes qualidades dinâmicas, e põe o mesmo conjunto do Golf de 3 gerações anteriores, é A piada!
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A suspensão do Uno não tinha problemas? A suspensão do Uno precisava de reparos periódicos para evitar os rangidos da molas, de fato ela era bem robusta, mas tinha problemas de geometria que eram causa de desgaste prematuro dos pneus. Muito melhor para as condições atuais é a suspensão do Palio.

      Excluir
    2. Esse Vitor aí só falou besteira.
      O Golf VII é previsto desde o projeto a ter ou suspensão por eixo ou multilink, dependendo das condições do país. E o projeto também prevê o TipTronic,
      Tanto é assim, que o Golf vendido nos EUA tem TipTronic, e hoje é o Golf mais vendido da história da VW nos EUA, de tanto que o povo da gordolândia gostou do carro.

      E, na Europa e na Alemanha, metade das versões do Golf VII vendidos atualmente são vendidos com suspensão por eixo de torção.

      Então, antes desse mané sair falando besteira do que ele não sabe, deveria se informar melhor.

      Golf VII e a plataforma MQB admite, por projeto, suspensão por eixo de torção.

      E fato: o Golf nacional é melhor que o alemão, e é melhor que o mexicano.

      E fato II: Golf alemão ou mexicano tem grande chance de virar mico no mercado de usados, já que TODO mundo vai preferir o nacional, que é mais macio, mais confortável, tem suspensão mais robusta e câmbio que não faz barulho.

      Excluir
    3. Tenho um Golf Highline alemão, manual de 6 marchas com rodas Geneva e a suspensão é simplesmente SENSACIONAL, gruda o carro no chão em curvas e dá altíssima estabilidade, além de ser firme (sem ser desconfortável). Uma delicia.

      Tenho o carro há quase 2 anos e 0 de dor de cabeça, um tesão dirigir esse carro. Não teve absolutamente problema nenhum, a suspensão está perfeita.
      Espero passar uns 5 anos com o carro e quem sabe trocar por um A3 sportback.

      Excluir
    4. Não estou dizendo que o Golf nacional será ruim, continuará excelente, o melhor do segmento.

      Mas o Golf alemão é superior, o Auto-Hold combina com o freio de mão eletrônico de forma perfeita (uma mão na roda), o acabamento é superior inclusive ao do mexicano (só dar uma olhada no console central e comparar os materiais).

      E outra...passo constantemente de 200km/h em viagens com total sensação de segurança, coisa que o Corolla Xei aqui de casa não tem (carro fica "flutuando".

      Excluir
    5. Carlos4carros, Já que isso tudo que vc falou que é melhor...Então pq o Golf GTI que é um carro superior não usa câmbio Tiptronic e Eixo de torção? Ou o Golf TSI nacional seria superior ao Golf GTI?

      Excluir
    6. Carlos4carros, Já que isso tudo que vc falou que é melhor...Então pq o Golf GTI que é um carro superior não usa câmbio Tiptronic e Eixo de torção? Ou o Golf TSI nacional seria superior ao Golf GTI?

      É uma questão de posicionamento de produto. O Golf/Ae 1.4 TSI são melhores com Eixo / TipTronic. Já A3 2.0 Ambition/Golf GTI são melhores com Multilink / DSG6.

      É simples. O Golf/A3 1.4 TSI é um carro generalista, para um amplo público, que roda no Brasil inteiro, e, em muitos casos (diria que na maioria dos casos) em pisos de baixa qualidade, paralelepípedo, ruas de terra e etc.

      Então Golf 1.6/1.4 e A3 1.4 precisam estar adequados a tais condições severas de piso. Náo podem ter um cambio que faz barulho clec-clec em baixo, pois nesses pisos eles vao fazer barulho direto, e os donos vao achar que é defeito e vao reclamar nas concessionarias (como fazem hoje).
      Esse carros precisam aguentar trancos, buracos, valetas e a suspensao nao pode alterar a geometria.
      E acima de tudo, esses carros precisam ser robustos, resistentes, e confiaveis, e terem manutencoes baratas e rapidas.
      E isso tudo vc consegue com as solucoes que a VW Brasil adotou no Golf TSI/MSI e A3: cambio tiptronic e suspensao por eixo.,
      Esses carros serao vendidos para o grande publico, que nao é entusiasta, nao vai em track day, nao faz curvas a 150 Km/h, nao vai se importar se o TipTronic troca de marcha em 10 milésimos de segundo mais lento que o DSG.
      Mas o barulhinho do DSG7 eles acham que é defeito. E eles querem um motor flex, e querem suspensao macial e confiortável.
      Entao esses Golf e A3 estáo sendo feito para eles. Para o grande publico consumidor, que nao entende nada de carro e nem quer entender. So quer um carro confortavel, confiavel, robusto e de manutencao e seguro barato.
      Observe que o Golf / A3 nacionais tendem a ficar com seguro ainda mais baixo, pois não serão mais carros de "entusiastas"

      Já o público que compra A3 2.0 Ambition e Golf GTI é outro público. Esse é o entusiasta. E esse público abre mão de confiabilidade em troca de performance e na última palavra em termos de engenharia,

      Esss publico vai colocar o carro em estradas sinuosas e vai fazer curvas a 180 Km/h...200 Km/h...230 Km/h e etc. E vai colocar o carro no autódromo para ver quanto o carro anda.

      Mas ele sabe que esses carros nao sao para serem colocados em qualquer piso. Eles sabem que um piso de terra onde anda um Golf / A3 com suspensao 2,5 m cm mais alta e nao rala, o Golf/A3 Ambition dele vai ralar, vai bater, e corre o risco até de parar e nao sair do lugar.

      Mas o publico desse carro nao se importa com isso, pois ele quer um carro para andar na Bandeirantes, na Ayrton Senna, na Carvalho Pinto, na Estrada dos Romeiros, na Imigrantes ou na Tamoios.

      E ele quer se divertir nas curvas, fazer as curvas na máxima velocidade possíve.l. Entáo ele conscientemente compra um GTI ou um A3 Ambition, pois sabe que o carrro vai entregar isso, mas sabe tb que seu carrro sera menos robusto, e menos adequado a andar na maior parte dos pisos dvagabundos no Brasil.

      Enfim. A VW oferece os dois mundos: o A3/Golf robusto, confiável e ainda o melhor hatch do mercado, com motor 1.4 TSI Flex, melhor transmissao autom[atica do mercado, suspensao robusta, inquebravel, macia e confortavel. Esse vai vender como agua,

      E oferece para o publiuco entusiasta, o GTI/A3 ambition, menos robustos, menos adequados, mais mais rapidos, velozes, mais duros, firmes e desconfotáveis. Mas quem compra sabe que o carro ;e assim e quer ele exatamente assim.

      Entao: Golf 1.4 TSI + Eixo + Tip é melnor que o GTI/A3 Ambition na maior parte das situacoes de uso comum,

      E GTI/A3 Ambition é melhor em pistas de corrida.



      Excluir
  22. Nesse preço R$ 100.000 não compensa, tem opções melhores, no preço de R$ 89.900 é boa opção, aliás ainda tem unidades por esse preço nas multi marcas.

    ResponderExcluir
  23. Esse farol com esse pisca alerta em amarelo no canto é muito mais charmoso né!

    ResponderExcluir
  24. Câmbio Tiptronic 6Gang eu aceito, mas essa suspensão detonou com o carro que pra mim era um misto de esportivo com um pouco de requinte. Virou um Corolla mesmo.

    ResponderExcluir
  25. E porque a VW realmente não quis colocar a suspensão multilink nem o DSG. Ate pq o golf 1.4 poderia muito bem ter absorvido o cambio DSG do jetta, no lugar do barulhento (nem e tanto assim) de 7 marchas. Mas a suspensão não consigo digerir, se era pra mais conforto era so fazer um novo ajuste e pronto. Não precisava substituir por eixo de torção. Tou doido pra ver como vai ficar o TSi brasileiro, tomara que pra compensar essas mudanças, tragam um preco melhor e mais ítens de serie, o que eu duvido

    ResponderExcluir
  26. "melhor que o importado"
    Não me faça rir!

    ResponderExcluir
  27. Olá pessoal, me chamo Antonio e sou engenheiro mecânico. Eu entro no blog pra saber sobre os lançamentos do mercado e também me divertir com os comentários feitos.
    Sou atualmente proprietário de um Golf Highline 1.4 TSI DSG com 16 mil km rodados e estou satisfeitíssimo com o carro, não tenho do que reclamar, pois até o momento não tive problemas com o ruído na suspensão e câmbio e pela qualidade construtiva do carro acho que não terei. Meu primeiro carro com multilink foi o Focus 1ª geração que por sinal um marco para o seu tempo, tanto que ganhou inúmeros prêmios mundo afora, assim como o golf mk 7 também ganhou. Também fui o feliz proprietário do Focus 2ª geração.
    Bem relação a discursão sobre eixo de torção e sistema multilink, a escolha da VW/AUDI é simplesmente redução de custo de produção que no final se resume a maior LUCRO.
    A principal diferença entre os dois sistema está simplesmente na dirigibilidade e dinâmica do carro principalmente em curvas. O multilink tende a garantir que na curva, todas as rodas fiquem em contato com o chão sempre, o que garante maior aderência e controle do carro, coisa que não ocorre com o eixo de torção que em curvas acentuadas, tem como tendência fazer com que a roda interna a curva perca contato com o solo.
    Quem define o conforto do suspensão não é o multilink ou eixo de torção, mas sim a rigidez das molas e a carga nos amortecedores. E relação a altura ao solo, quem também define isso são as molas e amortecedores, simples assim.
    A vantagem do eixo de torção é que existem menos peças no sistema, e isso reduz a probabilidade de falhas e garante que qualquer mecânico de esquina consiga mexer no sistema sem problemas.
    Com relação a durabilidade, eu fiquei 20 mil e 32 mil km com os focus e não fiz um serviço na suspensão traseira. Um amigo meu teve um focus 1 geração por 5 anos e 53 mil km rodados e também não fez um serviço na suspensão. Meu irmão rodou 100 mil km com um honda civic e também não teve nenhum problema, só fez as intervenções preventivas conforme manual.
    É uma pena que ela tenha feita esta escolha, pois digo por experiência própria que dirigir um carro multilink é sim muito mais prazeroso e gostoso, principalmente em pistas com trechos bastante sinuoso, alias é uma delícia.
    Meu próximo carro tente a ser um carro com porta-malas maior, então terei que partir pra um sedã (talvez Jetta ou nova geração Civic) ou então a perua Golf.
    Sem mais comentários.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótimo comentário neto, participe mais das discrições! A Vw pegou um mero detalhe, Q sim, eu percebo o ruído mas não me importo diante das vantagens do dsg, e usou como motivo para depenar o carro. É claramente uma redução de custo de produção visando maiores lucros, mas para aqueles Q defendem ser escolha certa, só lembramos de uma coisa: quem recorre ao passado tem medo do futuro.
      Boa noite!

      Excluir
    2. O fato é que a VW resolveu todos os problemas do Golf 7.
      Reclamavam do barulho do DSG. Foi resolvido com o ótimo TipTronic6.
      Reclamavam do barulho na suspensao traseira: resolveram com a otima eixo e mais macia,
      Reclamavam da ausencia de motor flex: agora o Golf tem motor flex.

      Em resumo: Golf nacional ficou melhor, mais completo, mais robusto, anda mais e bebe menos, mais confortavel e de manutencao mais barata.

      Fatos. O resto é mimimi.

      Excluir
    3. Minha experiência é a mesma. Tenho um Civic, mexi na suspensão traseira com 140 mil km, e o mecânico da própria Honda disse que aguentaria mais eu que insisti pra trocar. Eu estava certo em trocar pra esse Audi mas desisti vou continuar no Civic que vai vir bem repaginado no próximo ano, ou olhar outros "premiuns" por aí que não venham com esse retrocesso todo.

      Excluir
  28. Em relação ao câmbio, DSG sempre será melhor, não tem nem o que comentar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apenas dizer que "será melhor", sem argumentar, apenas demonstra sua falta de capacidade de argumentacao. Não passa de orelhada,

      O Cambio TipTronic é melhor para o Brasil que o DSG7. O TipTronic nao faz ruído clec clec em vias de baixa qualidade, nao exige trocas de oleo.

      E o Golf nacional ficou mais rapido e economico com o motor flex e cambio tiptronic 6, cambio esse feito pela Toyota no japao.

      Excluir
    2. Engraçado que a Toyota era uma grande porcaria, só fazia carros pra "gordolândia". Aí de repente, o Carlos virou o maior fã dos japas... hahaha!

      Excluir
    3. Agora o DSG deixou ser o The Very best. O fato é que foi corte de custo sim pra conseguir manter o preço no mesmo patamar atual.
      A VW pode trazer na próxima geração do Golf uma charrete puxada por 2 pangarés que o Carlos irá dizer que é o melhor, que é o mais adaptado à nossa realidade.
      Retrocesso e ponto.

      Excluir
  29. Infelizmente pra mim o carro perdeu... Saiu da lista de opções, curtia a esportividade do carro. Acho que quem compra um carro desses deve tomar cuidado pra não raspar etc. Corolizaram o carro

    ResponderExcluir
  30. . Ainda bem q comprei o a3 importado, carro excelente, econômico com desempenho melhor qualquer 2.0 aspirado, suspensão com ajuste muito bom, e na minha opinião mais bonito q golf e corola. Se tem alguém pensando em comprar um A3, corra nas consecionarias e compre os últimos importados q devem estar à venda. Ou busque um 1.8 q já foi anunciado à 122k.
    É triste q no Brasil essas modificações (flex, câmbio e susnsao) sejam consideradas positivas, assim como é triste comparar golf e A3 com corolla. São carros diferentes e pronto.
    O mais triste disso é q 'corollar' o A3, é pior q talvez venda mais, só no Brasil.

    ResponderExcluir
  31. * o triste disso é q 'corollar' o A3 talvez venda mais.

    ResponderExcluir
  32. De onde alguem tira que um carro 2.0 turbo de 220cv faz 10Km/l na cidade, com etanol? Kkkkkkkkkkk
    Nenhum faz! Nem um fiat 500 vom etanol faz isso. Onde esse povo faz as medicoes? Na descida?

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.