Car.blog.br

Pesquisar este blog

Lobby automotivo quer mercado livre entre EUA e Europa

Categorias: , , , 1 Comentário

O Presidente dos EUA, Barack Obama, disse que que as negociações para o estabelecimento de um tratado de livre comércio entre Estados Unidos e a União Europeia estão avançando. As montadoras de automóveis estão fazendo um lobby pesado para que as tarifas de importação de carros entre os dois lados do Atlântico Norte sejam eliminadas, e se estabeleçam normas de segurança e ambientais padronizadas.

Novo Audi S3 Sedan 2015

O mercado de automóveis responde por cerca de 10 por cento do total do comércio entre as duas regiões. A principal prioridade das montadoras em ambos os lados do Atlântico é alcançar a convergência regulamentar e das normas dos EUA e da União Européia em termos de segurança veicular. O objetivo é assegurar que os veículos e seus componentes podem ser importados e exportados sem impostos, encargos e custos desnecessários.


novo Mercedes-Benz Classe S 2015

Os Estados Unidos aplicam uma tarifa de importação de 2,5% sobre os veículos importados da Europa. A Europa, por sua vez, aplica uma tarifa de importação de 10% sobre os veículos norte-americanos que chegam importados a seus portos. Além disso, diferenças regulatórias entre os mercados são equivalentes a uma tarifa adicional de 26%, segundo as montadoras.

Novo Ford Mustang 2015

Segundo estimativas do lobby automotivo, a eliminação de algumas barreiras não tarifárias e dos impostos de importação aumentaria as exportações de automóveis da União Européia para os EUA entre 71% e 149%, e de 207% a 347% as exportações dos EUA para União Européia.

Audi A3 e-tron 2015

As tarifas de importação de automóveis e veículos comerciais existentes entre Estados Unidos e União Europeia, além de legislações diferentes sobre qualidade e emissões, são encargos pesados que impedem o desenvolvimento de modelos globais mais uniformes, dizem as montadoras.

BMW Sèrie 2 2015

Além disso, argumenta-se que, com a eliminação dessas diferenças, as fabricantes poderão dispender menos esforços na adaptação de modelos para mercados específicos, e, assim, ampliar sua capacidade criativa e de inovação.

Fonte: Automotive News

Postagens relacionadas:

1 comentários:

  1. Essa é uma das explicações para a VW não ir tão bem nos EUA, que é o fato de seus modelos importados da Europa ter um imposto de 2.5% e ainda essas outras restrições. Se o mercado for liberado nos EUA, a VW terá um impulso grande por lá.

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.