Car.blog.br

Pesquisar este blog

Os novos SUV´s da VW e Audi baseados na plataforma MQB

Categorias: , , , , , , , 11 Comentários

Desde 2012, a Volkswagen vem utilizando a plataforma modular transversal MQB, e agora mais e mais derivados vem surgindo em um boom de SUV´s com as marcas VW, Audi, Skoda e Sear. Neste artigo mostramos esses novos modelos e as variações da plataforma MQB A0, MQB A1 e MQB A2.

Volkswagen T-Roc - SUV do Golf

A plataforma MQB suporta modelos de motor transversal, permitindo múltiplas variações, incluindo de distância entre-eixos - a única medida fixa é a distância entre o pedal do acelerador e o da roda dianteira.

Seat Ibiza - plataforma MQB A0 - VW Polo

No segmento de modelos compactos, como o Novo Polo 2018, Novo Virtus, Seat Ibiza, assim como o SUV T-Cross, adota-se a plataforma MQB A0, enquanto no Golf e derivados temos a MQB A1. Há ainda um número maior, chamada MQB A2, que suporta o Tiguan, Tiguan AllSpace, Atlas e Terramont.

MQB A0 - modelos SUV Audi, Seat, Skoda e VW

O primeiro carro a usar a plataforma MQB A0 foi o Seat Ibiza, e o seu SUV é o Arona, que chega ao mercado no final de 2017. Assim como o Ibiza é irmão do Polo, o Seat Arona é irmão do VW T-Cross, que será lançado no Brasil em 2018.

Seat Arona - plataforma MQB A0

O Seat Arona e o VW T-Cross adotam tração dianteira de série, sendo possível a tração integral em versões mais potentes. As caixas de câmbio oferecidas são de cinco e seis velocidades manual, e uma DSG-7.



Na Volkswagen, o VW T-Cross será o primeiro SUV da plataforma MQB A0, e terá o visual de um Tiguan de menores dimensões. Seu comprimento será de 4,133 metros. Em termos de motor, ele será oferecido em 1.0 TSI podendo chegar até um 2.0 TSI em versões mais potentes.

VW T-Cross - SUV do Polo para concorrer com o Honda HR-V

O VW T-Cross, que é Arona na Seat, terá também uma versão Skoda, - "Polar", e deve chegar ao mercado em 2019, para substituir a versão SW do Fábia.

MQB A1 - VW T-Roc, Seat Ateca e Skoda Karoq

A plataforma MQB A1 terá modelos VW, Seat e Skoda, mas não da Audi, já que o Audi Q5 é baseado na plataforma MLB (motor de construção longitudinal), usado no Audi A4 e Q7 também. O modelo VW da plataforma A1 é o VW T-Roc, conhecido como SUV do Golf.

Volkswagen T-Roc

O VW T-Roc vem com 4,30 metros de comprimento e porta-malas de 412 litros. Sua distância ao solo é 1,5 maior que a do Golf, e contará com versões com suspensão com amortecedores ajustáveis, e rodas de maiores dimensões.


O VW T-Roc será vendido com motores 1.0 TSI, 1.5 TSI e 2.0 TSI, abrangendo um arco de potências entre 115 cv e 400 cv. As transmissões serão manual de seis marchas ou DSG de 7 velocidades.

Skoda Karoq

No caso da Skoda, o SUV baseado na MQB A1 é o Skoda Karoq, que chega ao final de 2017, com 4,382 metros de comprimento, e motores 1.4 TSI com 125 e 150 cv, e diesel entre 115 cv e 150 cv.

MQB A2 Skoda Kodiaq, VW Tiguan, Audi Q3 e Seat "Vigo"

Finalmente temos a derivação MQB A2, que já conta com o VW Tiguan. A Audi terá a nova geração do Q3 em 2017, para enfrentar o Mercedes-Benz GLA e o BMW X1.

Skoda Kodiaq

O novo Q3 terá comprimento de 4,45 metros e a distância entre eixos subirá dos atuais 2,60 metros para 2,65 metros. Isso significa mais espaço no interior, também porque a largura aumenta em 5 centímetros. Como a altura permanece constante, o Q3 terá um visual mais esportivo.

Skoda Kodiaq

A Skoda tem o Kodiaq, enquanto a Seat terá o Vigo.

Postagens relacionadas:

11 comentários:

  1. O up ta beirando os 60k, imagina um SUV.
    89.990 micou.

    ResponderExcluir
  2. Por que toda essa demora ?
    Mesmo se fizer sucesso, ainda vai ser muito difícil recuperar todo este tempo perdido.

    ResponderExcluir
  3. Uma coisa que vocês tem que por na cabeça e que, 100 mil reais hoje não é igual a 100 mil reais em 2013. Em 2013 se comprava muito mais que hoje, o nosso dinheiro vem desvalorizando. Como comprador vc fica puto, mas va vender!! Tudo aumentou e nosso salário ficou, isso sim tem que ser reclamado, e não as empresas. Tem gente que abre o bocão aqui e diz, "comprei um golf em 2013 por 70 mil e hoje vendo pelos mesmos 70 mil". 70 mil hoje não tem o mesmo valor de 4 anos atras, então não adianta reclamar!! O que tem que aumentar são os nosso salários pra acompanhar a inflação. Parem de reclamar das empresas e reclame dos políticos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thiago,
      Infelizmente é assim mesmo.
      Não adianta abrir a boca aqui não.
      Estão reclamando mo lugar errado.

      Excluir
    2. Thiago, infelizmente, não é assim não...

      Ou as empresas equacionam a inflação sobre o preço final dos produtos (até por que a composição desse custo não sofre o mesmo impacto proporcional à inflação brasileira) ou elas simplesmente vão perdendo o seu público...

      Foi com esse desligamento da realidade que o mercado brasileiro enxugou à metade nos últimos anos... Fato é que o mercado brasileiro obviamente não tem a mesma importância do que mercados sérios e as soluções são sempre tardias, simplificadas, remendadas ou até inexistentes... Como câmbio automatizado de 1 embreagem ou câmbio AT4, plataforma antiga, retirada de barra de proteção das portas, materiais de baixa qualidade, enfim, toda empresa depende do lucro, mas aqui eles abusam...

      No entanto, esse abuso, tão acostumado pelas gringas, nesses anos as feriu mais do que imaginavam... Se por um lado a produção ainda continua se esbaldando no lucro, as concessionárias, que são a linha de frente, sofreram porradas significativas pela queda nas vendas. Muitos vendedores na rua, empresas fechando, a vaca indo pro brejo... Na Fiat da minha cidade, 70% do pátio já é de seminovos... Nem parece uma Fiat... O vendedor que me atendeu na VW vende nem metade do que conseguia quando me atendeu em 2014... Um amigo meu, gerente da Ford, passou março sem vender nenhuma unidade do Focus. Vendeu 4 Eco, quando em 2014 saiam 20 por mês...

      Enfim, a inflação não justifica tudo... Vamos ver até quando essa equação deles aguenta...

      Excluir
    3. Claro Thiago. Mas se o cara ficaba com 70.000 reais na conta do banco, hoje tinha 70.000 reais. Pelo menos assim comprou um carro, disfrutou, foi para o litoral varias vezes, montanhas, nao seu molhou os días de chuva e até com certeza pegou gatinhas, etc, etc, etc e ainda tem os 70.000 reais. Num contexto inflacionario o pior que vocé pode fazer é ficar com o dinheiro na mao.

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.