Car.blog.br

Pesquisar este blog

Os piores e os melhores lançamentos automotivos de 2015

Categorias: , 45 Comentários

Agora que o ano de 2015 é passado, neste artigo vamos relacionar os piores e os melhores lançamentos automotivos de 2015 - e as razões pelas quais assim os consideramos.

Ford Fiesta Sport 2016

Começando pelo que não gostamos.

Ford Fiesta Sport

O Fiesta Sport traz uma decoração exageradamente esportiva, com rodas pretas, um enorme aerofólio na traseira, um spoiler dianteiro que torna a frente ainda mais susceptível a raladas, estribos e uma cor chamativa.

Ford Fiesta Sport 2016

Essa estética ostensiva promete uma esportividade que não é correspondida pela mecânica - que é a mesma da versão SE, o motor Sigma 1.6 com transmissão manual. Ou seja, desempenho é o mesmo da versão mais barata.

Ford Fiesta Sport 2016

E além de bem mais caro - mais de R$ 6.000 reais a mais, essa versão continua com o acabamento interno questionável e de baixa qualidade.

Fox Pepper

Não gostamos do Fox Pepper pelo mesmo motivo do Fiesta Sport: traz visual esportivo, mas a mecânica é a mesma da versão Highline, o motor EA 211 1.6 16V de 120 cavalos.

VW Fox 2016 Pepper

Há, porém, dois aspectos positivos: seu preço é apenas R$ 700 reais acima da versão Highline; mostrar que o CrossFox poderia viver muito bem sem o estepe pendurado na traseira, e só. Se, porém, a Volkswagen tivesse lançado o Fox Pepper com o motor 1.0 TSI, este seria um dos melhores lançamentos do ano.

VW Jetta nacional com motor 2.0 8V

O fato de a Volkswagen passar a montar o Jetta no Brasil é algo a ser comemorado. Entretanto, havia uma expectativa de que o modelo nacional adotaria o novo e eficiente motor 1.4 TFI Flex - o que não ocorreu: ele veio com o mesmo quatro cilindros 2.0 8V de 120 cavalos do importado.

VW Jetta 2.0 Flex nacional

Esse motor quatro cilindros 2.0 8V Flex da Volkswagen é resistente, tem bom torque em baixa, e até casa bem com a transmissão automática tipTronic de 6 marchas. Mas quando comparado com os eficientes motores 1.8 e 2.0 VVT-i do Corolla, por exemplo, o motor do Jetta Comfortline nacional parece pré-histórico: bebe muito mais, e oferece desempenho significativamente menor, além de maior vibração.

VW Jetta 2.0 Flex nacional

O dado positivo é que o esperado Jetta 1.4 Flex deve chegar ao mercado neste primeiro trimestre de 2016, e aí com uma mecânica competente - a mesma do ótimo Audi A3 nacional.

Evoque Conversível

A versão Cabrio do Evoque pode ser considerada como uma das piores idéias automotivas do ano. Tirar o teto de um carro compromete sua rigidez estrutural, o que exige reforços no monobloco, os quais aumentam o seu peso e devolvem apenas parcialmente a solidez perdida. Isso é aceitável em modelos esportivos projetados para andar em asfalto liso, mas em um SUV que enfrentará trilhas off-road, submetendo o veículo à torções e flexões, não tem lógica alguma.

Range Rover Evoque Conversível

É verdade , porém, que idéias não convencionais às vezes se provam inovadoras, mas quem vai querer abrir uma capota em uma trilha off-road?

Novo Toyota Prius

A Toyota se orgulha da aerodinâmica eficiente do novo Prius (CX 0,24), e isso é muito bom, pois mostra que o carro é amigável ao meio-ambiente.

Novo Toyota Prius

A questão estética, porém, complicou: o desenho do novo Prius parece obra de alunos de pré-escola.

Os melhores lançamentos de 2015

Up! TSI

Este é um carro que traz, para o nível de preço que a maior parte dos consumidores pode pagar, o que há de melhor em termos de engenharia automotiva: motor turbo flex de injeção direta, carroceria e interior magnificamente bem construídos, design minimalista bem resolvido - que, inclusive, sugere bem menos do que este carro é capaz (ao contrário de Fox Pepper e Fiesta Sport).

VW Up! TSI 2016

E ele ainda traz muito prazer ao dirigir a um público muito mais amplo.

VW Up! TSI 2016

Por isso, o Up! Tsi é o melhor lançamento automotivo brasileiro em 2015. Mas ficaria melhor - quase perfeito - com um câmbio de operação automática como opcional.

Audi A3 1.4 Flex nacional

A Audi surpreendeu muito positivamente com a estratégia de mercado para o A3 nacional. Nas versões Attraction e Ambiente o nacional ganhou motor flex, mais potente, com mais torque, um câmbio mais suave e silencioso e uma suspensão mais macia, confortável e robusta.

Audi A3 1.4 Flex Nacional

E, no topo de gama, o Ambition, o A3 nacional trocou o já ótimo 1.8 FSI pelo estupendo 2.0 TFSI do Golf GTI com transmissão S-Tronic de 6 marchas.

Audi A3 2.0 Ambition

Melhor ainda: ficou mais barato (até barato demais, segundo o presidente da BMW do Brasil) e com mais itens de série.

Honda HR-V

O Honda HR-V combina um surpreendente espaço interno para passageiros, com dimensões externas relativamente reduzidas (é do tamanho de um Golf), um ótimo porta-malas de mais de 400 litros e uma altura livre do solo de SUV, sem comprometer a dirigibilidade de "carro".

Honda HR-V 2016 Branco

O visual externo agrada, com linhas esportivas, e o interior, especialmente na versão EX-L, topo de gama, impressiona por tangenciar as impressões de um modelo premium, além de mostrar ótima qualidade de montagem.

Honda HR-V 2016 Branco

Some-se e isso o motor com potência e torque adequados à proposta, a transmissão de funcionamento suave, e o resultado é um ótimo crossover adequado para enfrentar pisos urbanos de baixa qualidade e até mesmo trilhas menos exigentes.

Chery Celer

O Celer é o primeiro chinês fabricado no Brasil e vem agradando em nosso teste de longa duração, pelo bom nível de equipamentos, interior bem construído, e carroceria alinhada.

Chery Celer 1.5 Flex nacional

O design é bem resolvido, mas o que mais surpreende é a relação custo x benefício: pelo preço de um compacto pelado, leva-se quase um hatch médio completo (ar-condicionado, direção hidráulica, vidros elétricos nas quatro portas com one-touch, retrovisores elétricos, alarme, sistema de som, faróis com projetor e ajuste de facho, ISOFIX, entre outros itens).

Hyundai HB20 1.6 Automático 6 marchas

O Hyundai HB20 1.6 Automático anterior já era um dos melhores compactos para uso em cidades, especialmente as congestionadas, graças a seu câmbio automático convencional de quatro marchas.

Hyundai HB20 1.6 Automático 2016

Mas na linha 2016 a Hyundai deixou ele ainda melhor: o câmbio automático agora é de seis marchas, a suspensão traseira ficou mais robusta e com maior curso - evitando batidas, e ainda recebeu ar-condicionado digital automático.

Hyundai HB20 1.6 Automático 2016

Fica faltando apenas piloto automático, faróis com acendimento automático e controle de estabilidade e de tração.

Postagens relacionadas:

45 comentários:

  1. Concordo com quase tudo!
    Realmente esse Fiesta "sport" é um blefe!
    E o Jetta? Porquê não lançá-lo já com o TSI 1.4?
    Só discordo do HR-V que, prá mim, não passa de um hatch altinho com preço de gente grande e esse HB20 que continua o mesmo carro apertado e com esse painel poluído.
    Esses dois são mais do mesmo!
    De resto, assino embaixo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo. A Honda deve rir da nossa cara. 100k num num hatch empurrado como SUV.

      Excluir
    2. Faltou a Oroch nessa dos bons lançamentos

      Excluir
    3. um tal de jeep renegade num deveria entrar nesta lista ..?

      Excluir
  2. Discordo do título.... houveram muitos outros modelos e marcas piores e melhores. Acho que realização desta matéria não houve imparcialidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Houveram "?
      Quais, por exemplo?

      Excluir
    2. Cobalt., cruze., Linea., focus powertrain,. entre outros...!!!

      Excluir
    3. A Oroch foi um grande lançamento

      Excluir
    4. Assim como foram criticados fiesta sport e fox pepper, deveria ter sido exaltado o lançamento do sandero rs, o último carro nacional com espirito esportivo de verdade foi o gol gti bolinha com aquele 2.0 de 141cv, e mesmo assim era só o motor.
      Ele não teve o conjunto preparado como fez a renault sports, era um carro comum com motor forte.

      Excluir
  3. Discordo do título.... houveram muitos outros modelos e marcas piores e melhores. Acho que realização desta matéria não houve imparcialidade.

    ResponderExcluir
  4. Eu gosto da evoque conversível, adoro propostas que saiam do convencional, do mesmo jeito que eu adoro a Nissan murano cabrio. Eu não acho essa proposta descabida, quantos jeepinhos compactos já tiveram pelo menos opção de teto removível, em lona ou rígido? Suzuki teve, Toyota, jeep e até de outras marcas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas off-road CONVERSÍVEL?
      Imagina vc passando numa trilha lamacenta com o carro sem proteção!
      Bye-bye estofamento.....
      Eu nunca vi!

      Excluir
    2. Jeep rubicon é um exemplo muito bom, e cá entre nós o público do evoque não fica fazendo trilha com o carro, até porque a landrover tem outras opções para este público.

      Excluir
    3. Aí vc falou tudo!
      Mas que é meio estranho vc pagar os tubos num off-road premium prá rodar na cidade, isso é.

      Excluir
    4. mas existe esse mercado, pequeno por enquanto mas cada vez crescendo mais....aqueles filhinhos de papai vão adorar exibir um conversivel encostado no posto de gasolina...Trilha? papai não deixa....

      Excluir
  5. O Renegade foi tão bom ou até melhor que o HR-V. Os dois deveriam estar na lista.

    ResponderExcluir
  6. Tudo muito bom, tudo muito bem, mas realmente alguém pode traduzir o que significa "na versão EX-L, topo de gama, impressiona por tangenciar as impressões de um modelo premium"?

    A única coisa "premium" (sic, palavra escrota) no HR-V é o preço!

    ResponderExcluir
  7. Tudo muito bom, tudo muito bem, mas realmente alguém pode traduzir o que significa "na versão EX-L, topo de gama, impressiona por tangenciar as impressões de um modelo premium"?

    A única coisa "premium" (sic, palavra escrota) no HR-V é o preço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, não sei o que faróis monoparabola, acabamento todo em plástico rígido de qualidade mediana, míseros 4 airbags, e falta de diversos equipamentos básicos tem de premium. Aliás nem no visual esse carro se parece premium.

      Excluir
    2. Realmente, não sei o que faróis monoparabola, acabamento todo em plástico rígido de qualidade mediana, míseros 4 airbags, e falta de diversos equipamentos básicos tem de premium. Aliás nem no visual esse carro se parece premium.

      Excluir
    3. Status, talvez?
      Não se esqueça que estamos no Brasil, onde um trivial Corolla que, no mundo todo é um simplório sedan comum, aqui tem status e preço de carro premium.

      Excluir
    4. Concordo que o Fiesta tem motorização que não condiz com o modelo, já o Pepper achei ótimo, motor de ultima geração, apliques que deixam o já sem graça e cansado Fox mais interessante por apenas 700 reais. O Jetta 2.0 aspirado foi um tiro no pé, não vende. Um carro que em 60 dias estará tecnologicamente defasado.

      Excluir
  8. Para o up! ficar perfeito, faltam ESP e câmbio de 6 marchas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O motor é elástico suficiente para não precisar de 6 marchas.

      Excluir
  9. Além da ausência do Renegade disel é estranho não citar o belo Volvo xc90.
    Tomara concorrência se inspire no Up Tsi e coloque bons motores à preços acessíveis, e quem sabe o Golf nacional tenha um preço coerente e o I30 mantenha preço na faixa dos 75k... Enfim sonhar não custa nada.

    ResponderExcluir
  10. fox pepper eh apenas 700 reais mais caro do q a versao highline q vem o 1.6 16v,se colocasse o 1.0tsi ia continuar sem esportividade nenhuma o fox eh 150kg mais pesado q o up!n vi tanto problema nisso conforme o blog comentou!o new fiesta sim tem uma grande diferenca de valor entre a primeira versao 1.6 e a sport

    ResponderExcluir
  11. Off road conversivel é de matar!!! Ou será q escancararam o q todo mundo já sabe: quem compra Evoque mal mal pega rodovia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. https://www.rolo4x4.com.br/upload/anuncios/58790_19022014100207_rolo4x4_1.jpg

      Excluir
  12. Hrv 25 mil a mais sendo padrão Fit é dose

    ResponderExcluir
  13. O Sandero RS foi um excelente lançamento, um "esportivo" por menos de 60k.

    ResponderExcluir
  14. Verdade verdadeira o grande destaque do ano foi o Renegade. Design fora do comum, marca desconhecida do povao e fábrica nova em região sem tradição, mas nada disso impediu seu deslanche. Já é o quinto carro mais vendido do Brasil conforme as vendas de dezembro. Em 2016 vai ser um dos líderes.

    ResponderExcluir
  15. TB acho! O renwgade matou a pai!

    Pra ser chato e dizer que tem defeito só faltou umas rodas mãos bonitas e trocar omotor a gasolina por um.mais eficiente

    ResponderExcluir
  16. os melhores lançamentos foram o renegade, hr-v, cobalt e familia hb20

    ResponderExcluir
  17. O fox pepper eu discordo. Fox pepper e pra quem quer um fox mais incrementado sem ser o crossfox, esse sim e ridiculo

    ResponderExcluir
  18. Boa matéria, mas poderia incluir mais carros nas duas listas. Pessoalmente, discordo da inclusão do Prius e do A3 nacional no rol dos piores e dos melhores, respectivamente.

    ResponderExcluir
  19. Discordo do Fox Pepper entre os piores. O nome dele não é "GT" ou Sport. É Pepper, então é uma conotação visual bem interessante. E por 700 reais, dá de 1000 a zero nesse Fiesta Sport.

    O Jetta também é injusto estar na lista dos piores. Motor 2.0 da VW tem ótimo torque e quem tem não reclama.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Motor 2.0 da VW tem ótimo torque e quem tem não reclama."
      Só não deveria ainda estar sendo comercializado em 2015, igual aos motores da GM.
      Nesse caso, acho que a decepção principal nem foi essa com a força do motor, foi mesmo o fato que todos esperavam que o Jetta nacional já chegasse com o 1.4 TSI, ai veio a VW com o 2.0 8V, que foi bem brochante.

      Excluir
  20. Cadê o Renegade?
    Foi sem dúvida o melhor lançamento

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com motor 1.8 l manco? Pode jogar fora. Tenho acompanhado nas ruas e estradas, quem pode e conhece compra a versão diesel, este sim foi um bom lançamento.

      Excluir
    2. Quando falamos Renegade, São Todas as Versões, é ainda teve a Oroch que foi esquecida...

      Excluir
  21. Concordo com o Perivaldo, a Oroch criou um novo segmento, tudo bem que foi lançada no final do ano e ainda não foi possível avaliar bem, mas foi um grande lançamento.

    ResponderExcluir
  22. conheco 6 pessoas q tem uma evoke
    0 delas usam como off road
    Um disperdicio de tecnologia ao preço q pagam se for só pra andar no asfalto com uma suv bonita e o status de uma land rover
    Ainda acho q mesmo estranho o povo q compra evoke pra anda na cidade ainda sim compraria uma versão conversível
    Deperdicio
    Faze o que
    Só pode quem tem

    ResponderExcluir
  23. É ponto de vista do blog e devemos respeitar. Da mesma forma como o blog respeita a nossa opinião.
    Eu discordo do método de escolha. Para os melhores eu creio que um não deveria faltar, inovação. E para os piores além da falta de inovação, defeitos congênitos.
    Entre os nacionais inovaram o UP Tsi e Renegade. O Up por oferecer um motor de ponta, alto rendimento e eficiência num carro de entrada. O renegade nas versões diesel por motor e câmbio.
    Ambos são condizentes com suas propostas. O UP é um urbano eficiente que não faz feio na estrada. E o Renegade é o único que manda bem no asfalto e fora dele. Ambos são show em segurança.
    Discordo da inclusão do HRV, a única coisa que inovou foi ser o primeiro SUV da marca feito no Brasil. No mais é um carro comum.
    Quanto aos "esportivados" ou "suvesados" eu concordo, são feitos para um público que pensa só no visual, todas as marcas tem. Teem cara de esportivos ou suvs e não andam e também pouco encaram uma trilha.
    Discordo da inclusão do HB20, não inovou, atualizou-se apenas isso, sem contar que ficou devendo em segurança, passiva e ativa.
    Quanto ao jetta concordo, um ótimo carro, merecia um motor melhor, e não há desculpa, a vw tem no seu portfólio. No mesmo seguimento faltou citar o corolla, chegou e arrasou. Este tambem ficou devendo em segurança ativa. Só não tenho certeza se foi lançado em 2015.
    E o a3 sedã merece estar na lista pelo custo benefício da versão de entrada. Se fosse a completona não.
    O bmw série 1 deveria estar na lista não fosse o aumento extorsivo do final do ano. O preço de lançamento e o conteúdo eram fantásticos.
    Nos importados realmente o xc90 foi uma ausência.

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.