Car.blog.br

Pesquisar este blog

Audi mostra a evolução do Virtual Cockpit na CES2016

Categorias: , 7 Comentários

A Audi mostra na CES2016 - feira de tecnologia que acontece em Las Vegas (EUA) - os novos sistemas de infotainment que estarão presentes em seus próximos lançamentos, incluindo o modelo de produção derivado do Audi e-Tron Quattro Concept.

Audi e-Tron Quattro Concept - interior

O interior dos próximos Audi trará sistemas ainda mais avançados que o Cockpit Virtual apresentado no Audi TT e incorporado posteriormente no Novo A4.

Audi e-Tron Quattro Concept

Vídeo - Audi e-tron Quattro Concept



O novo sistema da Audi se chama HMI - Human-Machine-Interface (Interface Homem - Máquina).

Audi HMI com telas OLED curvas

Assim como nos atuais TT e A4, a principal tela de infotainment fica diretamente na frente do motorista e atrás do volante, substituindo o que um dia foi o cluster de instrumentos. Entretanto, o sistema mostrado na CES traz uma qualidade de display ainda mais aperfeiçoada, com resolução de 2.240 x 720 pixels em uma tela de 14.1 polegadas.

Audi HMI - Telas OLED curvas

Fato interessante: hoje o virtual cockpit permite alterar entre instrumentos analógicos e digitais, mas na nova versão do Audi HMI não haverá mais instrumentos circulares, e nem mesmo imitação. Todas as informações serão reproduzidas em formato puramente digital.

Audi HMI - o novo Cockpit Virtual

O sistema é totalmente controlado por gestos e comando em um touch-pad localizado no volante, e não há mais botões giratórios visíveis. Pressionando a tela sensível ao toque, e ela retorna com uma vibração como feedback.

Audi HMI - o novo sistema de navegação

Já à direita do volante a Audi propõe uma tela trapezoidal, que é responsável pela operação do sistema de navegação e do sistema de mídia.

Audi HMI - o novo sistema de navegação

Os comandos são feitos por meio de um sensor na parte inferior, e se o motorista está guinando, ele detecta sua assinatura.



O vídeo acima mostra a operação do Audi HMI implementado no Audi Q7.

Audi HMI - Confort Center

Outra inovação é o chamado "comfort center". É uma tela de 8,4 polegadas com resolução de 2.560 por 1.600 pixels, que o motorista do Audi controla o ar-condicionado e quatro adicionais funções, programadas individualmente. Como resultado, os comandos tradicionais com botões são eliminados, e a Audi espera que a operação fique até mais simples.

Audi e-Tron Quattro Concept - interior

O sistema HMI da Audi pode se conectar a smartphones e a relógios inteligentes de qualquer marca. Telefones celulares podem ser carregados por indução enquanto o motorista dirige. Conectores e cabos foram deletados.

Auto monitoramento e ajuda psicológica com o sistema "Audi Fit Driver"

A Audi também considera que um motorista saudável e relaxado está mais apto a conduzir um carro. Dessa forma, o sistema "Audi Fit Driver", em combinação com sensores de Fitness, como "Fitbit" ou um Apple Watch faz a leitura de vários parâmetros como batimento cardíaco e até mesmo a temperatura da pela é scaneada. Dependendo do estado do motorista, os sistemas do carro adotam funções de relaxamento ou de revitalização.

Audi e-Tron Quattro Concept - interior

Caso o sistema identifique elevados níveis de stress, o carro pode sugerir técnicas específicas de respiração para aliviar o stress, ou mesmo lhe sugerir que descanse em uma próxima parada. Atletas que já viagem com a app "Runtastic" sabem bem como funciona.

Audi e-Tron Quattro Concept - interior

O sistema dos Audi poderá inclusive assumir o comando do carro caso seja detectado um ataque cardíaco. Nessas situações, o sistema identifica que o motorista não está mais conduzindo o carro, assume o comando do carro em condução autônoma, e faz uma chamada de emergência.

Vídeo - apresentação da Audi na CES 2016



Vídeo - Audi RS7 em condução autônoma

Postagens relacionadas:

7 comentários:

  1. Cara, na boa, a Audi tá em outro planeta.
    Não tem mais concorrência. BMW e Mercedes não chegaram nem no Cockpit Virtual, e a Audi já tá com a evolução e mostra isso na CES.
    Que é isso. No Way.
    E a Mercedes com aquele caxotão quadrado no Classe E...piada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gosto da central da BMW. Mas, de fato a Audi está na frente. A Mercedes tinha que aposentar o ipad de primeira geração. Parece uma central multimedia da Foston em um carro de luxo.

      Excluir
    2. A minha experiência com BMW não foi boa. Vendi o meu X1 20i com 17 mil Km porquê apresentou problema na bomba de gasolina duas vezes.Mas em tecnologia a marca é boa.A promessa que a Audi faz para 2017 de um carro capaz de substituir o motorista que apresentar problema de saúde a BMW já promete desde 2009 para ambulâncias (http://info.abril.com.br/noticias/blogs/bitnocarro/acessorios/um-bmw-para-cardiacos/) e desde 2011 para carros de passeio (reportagem do site Tecmundo). Só sonho, até agora. Eu estou esperando a chegada do novo Audi A4, mas só me interessa se vier com toda a tecnologia embarcada e quero testar para ver como o carro anda sozinho em trânsito congestionado, dividindo a faixa com motocicletas que andam no corredor entre os carros.

      Excluir
    3. O grande problema é que esses sistemas dependem de regulamentação na Anatel, processo caro, burocrático e demorado. Espero que a Audi não cometa o mesmo erro da Subaru, que não trouxe o excelente EyeSight para o Brasil.

      Excluir
    4. Fico curioso para saber se nego ganha alguma coisa pra lamber bola montadora ou se é só babaquice mesmo.

      Excluir
  2. A Audi realmente se destaca em alguns quesitos. Mas no "conjunto da obra", ainda prefiro Mercedes e BMW. Jamais compraria um A8 ao invés de um Classe S, por exemplo.

    ResponderExcluir
  3. O sentimento que resulta da compra de carros ditos premium depende muito da boa ou má qualidade da manutenção prestada pelas concessionários na cidade em que a gente vive. Dos que eu tive (e considerando as concessionárias na minha cidade) a única marca que só me deu satisfação foi a Mercedes e eu tive mais de um carro. BMW eu não compro mais. Jaguar/Land Rover nunca deu mancada séria (o carro nunca apresentou problema algum), mas já voltou de revisão com óleo acima da marca máxima e já retornou com o indicador de próxima revisão setado errado. Resumindo: os carros são premium, mas os mecânicos não são. Daí, a melhor experiência inclui o carro e a manutenção dele. Cada carro, cada marca, tem seus pontos fortes. Considerando o "conjunto da obra" eu prefiro Mercedes, mas pretendo checar o novo Audi A4.

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.