Car.blog.br

Pesquisar este blog

Volkswagen Golf: Eixo de Torção x Multilink - comparativo

Categorias: , , 114 Comentários

Tendo em vista que os Golf/Audi A3 de fabricação nacionais passam a adotar uma suspensão traseira baseada em eixo de torção, no lugar do esquema multilink dos modelos vendidos até então, importa sabe quais as diferenças de comportamento entre eles. Um teste da revista alemã Auto Motor und Sport pode ser parcialmente elucidativo a respeito.

VW Golf Multilink (prata) x VW Golf eixo de torção (azul)
VW Golf Multilink (prata) x VW Golf eixo de torção (azul) - Crédito foto: Dino Eisele (Auto Motor und Sport)
Parcialmente por que eles colocaram lado a lado um Golf 1.2 TSI com suspensão com eixo de torção e um Golf 1.4 TSI com suspensão multilink, entretanto, este último estava equipado o opcional de amortecedores adaptativos (que não vem nos Golf/A3 nacionais).

Há vantagem na suspensão traseira Multilink?

O lançamento do Golf 7 em 2013 marcou a primeira vez que a Volkswagen usou dois esquemas diferentes de suspensão traseira no modelo. O teste comparou um Golf com suspensão multilink adaptativa e um outro com o esquema básico por eixo de torção (que será usado no Brasil), para saber se a tecnologia mais elaborada na verdade traz vantagens.

VW Golf com suspensão Multilink
VW Golf multilink - Crédito foto: Dino Eisele (Auto Motor und Sport)
A plataforma modular transversal (MQB) do VW Golf permitiu á Volkswagen oferecer múltiplas variações do mesmo carro. Inúmeros tipos de motores, três tipos de transmissão e dois sistemas diferentes de suspensão traseira.

VW Golf - suspensão traseira por eixo de torção
VW Golf - suspensão traseira por eixo de torção  - Crédito foto: Dino Eisele (Auto Motor und Sport)
O sistema por eixo de torção é chamado no Golf 7 de "eixo modular leve" e é a alternativa mais simples e mais barata que a suspensão traseira multilink introduzida pela primeira vez em 2003 com o Golf V.

VW Golf - suspensão traseira multilink
VW Golf - suspensão traseira multilink  - Crédito foto: Dino Eisele (Auto Motor und Sport)
Na Europa, o eixo de torção é usado para modelos com motor até 122 cv, o que inclui o Golf 1.4 TSI de 122 cavalos, enquanto o Golf 1.4 TSI de 150 cv. e os modelos acima, adotam o esquema multilink.

Golf com eixo de torção é 97 Kg mais leve

Há uma diferença significativa de peso entre os dois modelos testados. O Golf 1.2 TSI, com suspensão com eixo de torção, pesa 1.195 Kg, enquanto o 1.4 TSI, com suspensão multilink, pesa 1.292 Kg, mas esses 97 Kg não são totalmente creditados à suspensão, visto que o modelo 1.4 TSI contava com o sistema de amortecedores adaptativos. A suspensão multilink é 11 Kg mais pesada que o eixo de torção.

VW Golf multilink (prata) x VW Golf eixo de torção (azul)
VW Golf multilink (prata) x VW Golf eixo de torção (azul) -  - Crédito foto: Dino Eisele (Auto Motor und Sport)
O Golf 1.2 TSI com eixo de torção foi bem no teste de slalom, conseguindo contornar os onze pilares com precisão. O ESP - Controle Eletrônico de Estabilidade - entrou tarde e discretamente. O Golf 1.4 TSI com multilink pode ser diferente?

Segundo o teste, há diferenças, pequenas, mas perceptíveis. O Golf multilink apresentou uma direção mais direta, enquanto os amortecedores adaptativos reduziram o mergulho da dianteira nas frenagens. Além disso, há uma menor tendência de perda de aderência nas rodas dianteiras (subesterçante). Finalmente, apesar de uma velocidade média de contorno mais elevada no Golf com multilink, o ESP não entrou em ação.

Menos intervenção do ESP (Controle de Estabilidade) com o Golf multilink

Durante o teste de mudança de faixa dupla, a vantagem do Golf multilink pareceu maior que no teste de slalom. A suspensão traseira multilink permitiu uma velocidade média maior na manobra, e manteve o Golf estável mesmo nos limites de aderência, sendo que apenas na última manobra surgiu uma gentil tendência de saída de traseira.

Segundo a revista, é evidente que o Golf 1.2 TSI (eixo de torção) está muito longe de ser considerado crítico, mas ele não é tão rápido quanto o Golf Multilink, porque seu ESP - Controle Eletrônico de Estabilidade - entra mais cedo e atua mais fortemente durante as manobras. As pequenas diferenças de comportamento permanecem iguais quando os dois carros estão vazios ou carregados.

Suspensão traseira multilink: mais conforto e melhor dinâmica

Tanto o Golf com eixo de torção quanto o Golf multilink oferecem o mesmo volume no porta-malas: 380 litros, não havendo vantagem para o esquema mais simples, mas o multilink oferece um passeio mais confortável, cumprindo a promessa dos projetistas: oferecer melhor comportamento dinâmico e maior conforto.

VW Golf 1.4 TSI Multilink + amortecedores adaptativos
VW Golf 1.4 TSI Multilink + amortecedores adaptativos  - Crédito foto: Dino Eisele (Auto Motor und Sport)
O Golf 1.4 Multilink, usando pneus idênticos aos do Golf com eixo de torção, mostrou-se mais macio ao passar pisos com pequenas irregularidades. A Auto Motor und Sport também colocou os dois carros em uma pisa que simula pisos de baixa qualidade, com grandes irregularidades, e novamente os amortecedores adaptativos do Golf 1.4 Multilink permitiram uma melhor absorção de impactos.

VW Golf 1.2 TSI - eixo de torção
VW Golf 1.2 TSI - eixo de torção  - Crédito foto: Dino Eisele (Auto Motor und Sport)
Já o Golf 1.2 TSI com eixo de torção absorveu menos os impactos e os passageiros sofreram mais. Entretanto, quando se colocou mais peso no interior do Golf eixo de torção, com um passageiro a mais e carga, a diferença para o multilink reduziu-se.

Mudanças de direção em alta velocidade

Outro teste realizado pela revista alemã foi colocar os dois carros para fazer uma sequencia de curvas, começando com uma curva longa à esquerda a 100 Km/h, seguida de duas curvas curtas à direta e à esquerda subsequente - uma espécie de hairpin. O Golf 1.4 TSI executou a manobra de forma precisa e calma, com apenas uma intervenção do ESP.

VW Golf 1.2 TSI - eixo de torção
VW Golf 1.2 TSI - eixo de torção  - Crédito foto: Dino Eisele (Auto Motor und Sport)
Já o Golf 1.2 TSI (eixo de torção) mostrou um pouco mais de oscilação, especialmente nas duas curvas subsequentes, pediu mais o uso de ESP e registrou consideravelmente mais movimento em torno do eixo longitudinal.

VW Golf 1.4 TSI Multilink
VW Golf 1.4 TSI Multilink  - Crédito foto: Dino Eisele (Auto Motor und Sport)
È importante considerar que essas diferenças de comportamento não são apenas decorrentes da diferença de projeto entre "eixo de torção" e multilink, visto que o Golf multilink estava equipado com amortecedores adaptativos.

Comportamento em estrada lisa

Se duas pessoas ocuparem o Golf 1.2 com eixo de torção, ou ele for carregado com um peso adicional de 250 Kg, mesmo assim esse Golf não consegue igualar o comportamento do Golf 1.4 TSI multilink com amortecedores adaptativos.

VW Golf 1.2 TSI + eixo de torção
VW Golf 1.2 TSI + eixo de torção - Crédito foto: Dino Eisele (Auto Motor und Sport)
VW Golf 1.4 TSI Multilink
VW Golf 1.4 TSI Multilink + Amortecedores adaptativos  - Crédito foto: Dino Eisele (Auto Motor und Sport)

A carroceria do Golf com eixo de torção mostrou oscilação significativamente maior durante o teste de mudança de faixa dupla, e o controle de estabilidade entra em ação mais vezes e de forma mais intensa.

Já o Golf multilink mostrou-se mais estável, graças também à ação dos amortecedores adaptativos - não presentes no Golf com eixo de torção. A traseira do Golf multilink começou a desgarrar apenas na última curva do teste com três mudanças de direção.

Comportamento em estradas ruins

É nas estradas de baixa qualidade que as suspensões atingem seus limites. Em estradas com grandes irregularidades, o Golf 1.2 TSI com eixo de torção rodando a 30 Km/h viu o curso de suspensão chegar ao limite. Olhado de fora, a carroceria oscilou mais e teve mais movimentos. Já a solução mais elaborada do VW Golf 1.4 TSI com multilink absorve melhor as pancadas, oferece mais contato dos pneus com a estrada, e o carroceria ficou mais tranquila, permitindo um passeio confortável e seguro.

Curvas sucessivas

Em curvas rápidas e sucessivas contornadas a 100 Km/h, tanto o Golf 1.2 (eixo de torção) quanto o multilik (1.4), observou-se o uso do curso completo da suspensão. Mas também aqui há significativas diferenças: enquanto o golf Multilink com amortecedores adaptativos simplesmente engole as curvas e mantém o carro estável, o Golf com eixo de torção pula duas vezes mais, tornando o passeio instável e forçando o ESP a entrar em ação.

Conclusões

O teste da Revista Auto Motor und Sport mostra que o Golf com suspensão multilink apresenta maior estabilidade em curvas contornadas a alta velocidade, e uma melhor absorção de irregularidades em pisos de baixa qualidade.

VW Golf - Suspensão traseira multilink
VW Golf - Suspensão traseira multilink
Entretanto, é preciso levar em consideração que esse teste não mostra totalmente as diferenças entre o Golf mexicano (com multilink) e o Golf nacional (com eixo de torção). Primeiro porque o Golf mexicano vendido no Brasil (e o alemão também) não conta com os amortecedores adaptativos usados no teste. Segundo que o Golf nacional terá uma suspensão cerca de 1,5 cm mais elevada (veja detalhes aqui) que o importado, oferecendo melhor capacidade de absorção de impactos em pisos de baixa qualidade.

VW Golf - suspensão traseira por eixo de torção
VW Golf - suspensão traseira por eixo de torção
Finalmente, o Golf 1.2 TSI com suspensão com eixo de torção é um carro com suspensão desenhada para andar em pavimentação europeia, de qualidade significativamente melhor que a brasileira. Assim como o Golf 1.4 TSI Multilink, e, para esse tipo de piso, o multilink oferece melhor comportamento dinâmico. Entretanto, isso não é necessariamente verdade em pisos de baixa qualidade como o brasileiro, onde o esquema por eixo de torção tem vantagens.

Enfim, apesar de o teste da Auto Motor und Sport mostrar uma clara vantagem da suspensão multilink, tanto em comportamento dinâmico quando em termos de absorção de impactos, nós, ainda assim, consideramos que a adoção do eixo de torção no Golf nacional é a melhor solução técnica, pois esse tipo de suspensão é mais robusto e confiável, menos susceptível a alterações de geometria - que acarreta custos adicionais de manutenção e também maior consumo de pneus, pois tem uma construção mais simples e com menor número de componentes.

VW Golf 1.6 MSI nacional

Consequentemente, o Golf com eixo de torção nacional, com ajuste de suspensão mais elevada e macia, tende a ser mais confortável que o importado, mais robusto e confiável, o que refletirá em visitas menos frequentes às concessionárias, manutenção mais barata e durabilidade maior de pneus, o que nos leva considerar que o modelo nacionalizado é um carro melhor e mais adequado para rodar no Brasil que os importados.

Fonte e fotos: Auto Motor und Sport

Postagens relacionadas:

114 comentários:

  1. O resultado desse teste é o óbvio ululante:
    Golf Mk7 com Multilink é muito superior ao Golf com eixo de torção em comportamento dinâmico.
    Tenho um Golf Highline alemão com Multilink e a estabilidade do carro é impressionante. Nas viagens costumo fazer curvas a 150 km/h com o carro grudado no chão, uma beleza!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o pior, agora o carro ficou mais alto... Infelizmente só aqui no blog algumas pessoas fanáticas pela VW deixa o bom senso de lado ao defender a adoção de um sistema inferior, mais barato, sem traduzir em um menor preço ao cliente... A VW está fazendo como a Hyundai fez com o i30... Queimando o carro... Simples assim... É uma pena... O GOLF mudou a categoria, forçou o Focus a melhorar muita coisa, mostrou que o Cruze é um dinossauro, e depois disso tudo a VW dando um tiro no próprio pé...

      Excluir
    2. Exceto a conclusão, a matéria mostra claramente a diferença das duas suspensões. Multilink é muito superior e isso foi demonstrado nos testes da citada revista.

      Excluir
    3. A esquema de eixo de torção é muito mais robusto. Tanto é assim que a VW usa suspensão por eixo de torção em todos os Golf Alltrack TDI, tanto os vendidos nos EUA quanto na Europa:

      http://www.caranddriver.com/reviews/2017-vw-golf-sportwagen-alltrack-first-drive-review

      "U.S.-spec Golf and Golf SportWagen TDIs have a torsion-beam rear suspension."

      Ou seja, fica claro que o esquema de eixo de torção é muito mais robusto, pois é usado pela VW em nada menos que o Golf Alltrack!!!

      Excluir
    4. Se o mais importante é ser robusto, talvez um tanque de guerra seja a melhor compra e nunca irá quebrar por causa das estradas brasileiras.
      Talvez usar o eixo de torção na versão mais barata faria sentido, mas não em todas. Quem compra um carro desses procurando performance, fica indignado pensando porque retrocederam a tecnologia.

      Vocês acham que só porque a suspensão será eixo torção quer dizer que agora podemos rodar nas vias esburacadas a 100 Km/h e tudo ficará bem? Ora! Multilink ou não, se a via é ruim iremos andar devagar porra! Mas nas vias boas queremos um carro com a melhor suspensão! Difícil de entender isso VW?

      Excluir
    5. Realmente é um absurdo querer que o leitor do blog considere a utilização de um sistema inferior de suspenção seja uma "vantagem", é só ler a matéria o Sucesso e ocaso do Golf, feita pela Quatrorodas para ver o desserviço que a VW Brasil está fazendo com um dos melhores carros já feito para o consumidor comum, levando em conta o posicionamento no mercado mundial do Golf.

      Excluir
    6. Segue o link da materia da Quatrorodas

      http://quatrorodas.abril.com.br/noticias/volkswagen-golf-adaptando-se-ao-mercado-brasileiro-ou-perdendo-qualidade-913281.shtml?fullsite

      Excluir
    7. Essa matéria da quatro rodas é ridícula. Não está fundamentada em nada. Só bla bla blá, sem fundamnetação alguma. E pior que tem gente que fica replicando a papagaiada.

      O fato é que no teste do Audi A3 Flex nacional, a própria Quatro Rodas ELOGIOU e muito o ajuste de suspensão do eixo de torção brasileiro feito no Audi, dizendo que que ficou excelente em termos dinâmicos, e mais confortável e macia.

      Então, por favor, vamos compartilhar matérias que sejam fundamnetadas, e não orelhadas. De orelhadas já chegam os comentaristas de blog.

      Excluir
    8. Esta matéria sobre o Golf está muito mais bem fundamentada do que aquela outra que elegeu o Up como veículo mais barato de se manter no Brasil. Absolutamente nada do que se falou a respeito do empobrecimento gradativo do Golf desde 2013 é falso ou incompleto. Resta saber se a VW vai escutar o bom senso ou as figurinhas exóticas na hora de precificar o modelo nacional.

      Excluir
    9. A matéria da Quatro Rodas apenas mostra o que todo mundo que acompanha o Golf já percebeu. A VW, tentando vender mais carros, comentou o engano de usar a fama do Golf para atrair mais compradores, mas esqueceu que quem compra este tipo de carro, gosta e entende de carro e acabou dando o um tiro no pé simplificando, primeiro com o mexicano e agora com o nacional.
      Tenho um alemão 2014, a ideia era trocar no meio do ano que vem por outro Golf, agora já prefiro esperar por outro carro, talvez o novo Civic.

      Excluir
    10. Leia direito, ao que parece vc nao entendeu. Vou desenhar para voce.
      A matéria da Auto Motor und Sport demonstra que, para uso em Autobahn, para andar a 200 Kmh, o multilink é melhor.

      Mas a matéria aqui mostra que para o piso brasileiro, cheio de buracos e crateras, o eixo de torcao é melhor. Tanto é assim, que a VW da EUROPA nao usa o multilink no golf vendido no mercado europeu destinado a uso em terrenos de baixa qualidade, que é o Golf alltrack.

      O Golf Alltrack TDI, um dos mais caros da linha, usa eixo de torcao.,
      O Golf Alltrack TSI, outro muito caro, nao usa multilink, e sim triangulos sobrepostos.

      fatos. apenas fatos.

      Excluir
    11. carlos, o Golf Alltrack usa eixo de torção simplesmente porque NÃO CABE o multilink nele. E esta informação está presente no próprio link que você estava divulgando.
      É muita orelhada viu...

      Excluir
    12. carlos, o Golf Alltrack usa eixo de torção simplesmente porque NÃO CABE o multilink nele. E esta informação está presente no próprio link que você estava divulgando.
      É muita orelhada viu...


      Errado. O Golf Alltrack TSI (Gasolina) vendido na Europa também NÃO usa multilink. E o motivo é bem simples: multilink não é um sistema parrudo o suficiente para enfrentar o piso que o Golf Alltrack vai enfrentar. Entao a VW usa no TDI eixo de torção e no TSI triângulos sobre-postos, mas JAMAIS multilink.

      É por isso que a VW investiu mais para usar um sistema robusto e confiável, que é o mesmo do Corolla, no Golf nacional.

      Parabéns à VW do Brasil: Golf nacionais com suspensão e câmbio robustos, confiáveis e mais confortáveis (macios).

      Será o novo líder de mercado, fácil, pois já é, disparado, o carro 0KM mais pesquisado.

      Excluir
    13. "Errado. O Golf Alltrack TSI (Gasolina) vendido na Europa também NÃO usa multilink. E o motivo é bem simples: multilink não é um sistema parrudo o suficiente para enfrentar o piso que o Golf Alltjrack vai enfrentar."
      Minha nossa, até a Vw deve tá rindo da tua cara Carlos.
      Essa tua descoberta tem que ser passada a Land Rover. A marca que possui os carros mais preparados do mundo para rodar no asfalto e fora de estrada utiliza multilink nas precisa de uma suspensão melhor e mais robusta!
      É cada pérola...

      Excluir
  2. Esse blog é patrocinado pela VW?
    Não acho que o preço da manutenção seja fator relevante para o comprador de um Golf. Pra mim, o perfil de quem se preocupa mais com os preços das manutenções são os compradores de carros de entrada ou segmento popular. Se eu tivesse a oportunidade de comprar um Golf e me perguntassem se entre conforto e menor preço das manutenções, qual que eu escolheria, sem dúvida alguma escolheria o conforto. Agora se eu estivesse comprando um Up, meu perfil seria outro, o que eu estaria procurando num veículo difere totalmente do que eu estaria procurando em um carro premium.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, não existe essa questão de manutenção no sistema multilink. Meu carro, por exemplo, está com 30 mil km e até hoje não foi necessário fazer nenhum intervenção de alinhamento e balanceamento. Os pneus estão meia vida e com desgastes uniformes. Anteriormente, tinha um Golf mk 4.5 e tive que fazer fazer várias vezes esse tipo de serviço. Não tem nem como comparar as duas suspensões.

      Excluir
    2. O fato é que o Golf Alltrack TDI feito para enfrentar off-road, tira o multilink e usa o eixo de torção.

      http://autoweek.com/article/car-reviews/2015-volkswagen-golf-tdi-first-drive

      "The Alltrack TDI uses a torsion beam rear axle

      Tradução: o Golf Alltrack usa suspensão traseira por eixo de torção".

      Em resumo: no modelo europeu do Golf usado para estradas de terra, a VW usa o eixo de torção. E isso que o esse Golf usa um motor 2.0 TDI de 184 cavalos!\!

      Excluir
    3. O @carlos4carros se vc mora numa fazenda e gosta de fazer off-road, blz vai lá e compra o eixo de torção.
      Mas não fala isso aqui pra quem gosta de dirigir carro com performance, baixo e grudado na via que não vai colar, ok? ;-)

      Excluir
    4. MKS,
      concordo plenamente. O Ricardo Almeida ali em cima definiu muito bem " Infelizmente só aqui no blog algumas pessoas fanáticas pela VW deixa o bom senso de lado ao defender a adoção de um sistema inferior, mais barato, sem traduzir em um menor preço ao cliente". Em qualquer outro blog e publicações, a troca foi vista de maneira correta como uma opção mais barata para VW.

      Meu Golf é o alemão. Está com 40.000 km, e nas vezes em que fiz rodízio, alinhamento e balanceamento (a cada 10.000 km), não precisei fazer absolutamente nada na suspensão traseira.

      E mais, o primeiro Focus que tive (multlink na traseira) foi vendido com 190.000 km sem nunca ter dado qualquer tipo de problema com a suspensão traseira.

      O segundo Focus está com mais de 50.000 km e também sem problema algum.

      Meu Omega está com mais de 190.000 km e também nada de problemas na suspensão traseira (também independente).

      Durante os cinco anos que fui dono de oficina mecânica, não tive qualquer reclamação de donos de Civic, Focus, i30 antigo, Vectra A e Vectra B, todos com, multlink na traseira.

      A própria VW substituiu a suspensão por eixo do Jetta pela multlink.

      O que ocorre é que ela precisava conter custos no caso do Golf que é cheio de tecnologia e bem mais caro. E a troca com certeza foi pra não deixá-lo com o preço ainda mais proibitivo do que está hoje.

      Ela pode ter feito um trabalho excepcional nessa eixo de torção para nosso solo lunar, mas com certeza se investisse metade do tempo e dinheiro, teria um resultado ainda melhor na multlink.

      Podem falar o que quiser, mas em termos de comportamento dinâmico, estabilidade, conforto e absorção de impactos, a multlink é superior. E também pode ser muito robusta.

      abraço,
      Marcelo Schwan

      Excluir
    5. Esse Carlota pra puxar o saco da VW arruma desculpa e explicações pra tudo, seja parcial e assuma que a VW deu um baita downgrade no Golf br e ponto final.

      Excluir
    6. Com certeza, Marcelo!
      Quem lê um pouco sobre o assunto consegue definir claramente qual opção é melhor.

      Com efeito, o artigo da revista citada na matéria é bem claro nas conclusões. Veja o que ela diz numa tradução livre para o português:

      “Mais uma vez, há claras diferenças: enquanto a suspensão independente multi-link com DCC as ondas são apenas suaves e a condição de condução permanece estável, ele salta com a suspensão padrão com eixo de torção mais duas vezes depois. A viagem torna-se instável, o ESP é forçado a atuar.”

      “Auch hier zeigen sich deutliche Unterschiede: Während die Multilenkerachse mit DCC die Wellen einfach wegschluckt und der Fahrzustand stabil bleibt, wippt das Standardfahrwerk mit Verbundlenkerachse noch zwei Mal nach.”


      Excluir
    7. Exato MKS.

      O resultado final de ajuste de suspensão com eixo de torção pode até ser muito bom, mas ele nunca será superior a uma multlink bem ajustada também.

      Volto a repetir, não é em alta velocidade somente que vão sentir diferença. Faça uma curva em asfalto ruim com imperfeições, bem comum aqui na República as Bananas, e a grande diferença e comportamento entre as duas aparecerá.

      Na multlink não há comunicação de um lado com o outro. Cada uma trabalha e forma independente. Na eixo e torção há o eixo ligano as duas e transmitindo tudo de um lado pro outro.

      abraço,
      Marcelo Schwan

      Excluir
  3. Agora, em relação ao conforto, li que o Golf e o A3 nacionais com eixo de torção estão bem mais macios que os importados com Multilink.
    Os amortecedores usados e o ajuste deixaram o carro bem mais confortável, além da suspensão ter sido levantada aqui no Brasil.

    Comportamento dinâmico e dirigibilidade: Golf com Multilink

    Conforto: Golf com eixo de torção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O GOLF alemão aqui já era mais macio que o original alemão lá fora, pois eles já tropicalizam a suspensão, diga-se: levantam o carro e mudam a carga dos amortecedores... Ou seja, já não tinha a dinâmica do autêntico alemão... Agora ficou mais alto, suspensão arcaica, e provavelmente amortecedores mais macios... Temos agora um GOLFrolla...

      Excluir
    2. Julio César,
      isso poderia ter sido feito com a multlink também.

      Pra ficar mais confortável, diminui-se a carga das molas e amortecedores e pronto. Em vários modelos "esportivados" nacionais isso foi feito. Aumenta-se a carga de molas e amortecedores e tem-se mais estabilidade a custa de menos conforto.

      Desde que comprei meu Golf, reclamo que a suspensão é dura em pisos irregulares. E já fui duramente criticado aqui neste blog.

      Tanto é dura que a própria VW alterou isso.

      Mas poderia ter feito isso mantendo a multlnk. Tirando nosso piso lunar, em asfalto liso a multlnk é esplêndida.

      Nisso aí prefiro de longe a do Focus (também multlink), que me dá tanta estabilidade quanto o Golf, mas com muito mais conforto.

      abraço,
      Marcelo Schwan

      Excluir
  4. Faltou trocarem o motor 1.4 tsi pelo 1.4 flex da Kombi, Q por ser aspirado é mais adequado para o público brasileiro, RIP Golf, só troco o meu tsi dsg alemão por uma bmw, gostaria de trocá-lo por um outro tsi dsg mais completo, mas o nacional, NUNCA!
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Compartilho da mesma opinião. Não trocaria o alemão nem pelo mexicano, imagina pelo nacional. Nunca! Parabéns VWBR! Perdeu um comprador nato.

      Excluir
    2. Ah é? Vai comprar o que? Focus com troubleshift? Ou Cruze com 15 toneladas de peso e motor raquítico., e com suspensão por eixo também?

      O fato é que a VW gastou mais, investiu, e fez um Golf melhor nacional que o importado. Poderia ter feito como a Ford, que não usou o mesmo projeto europeu.

      Mas não. A VW fez o certo. Adaptou o Golf para o Brasil e colocou nele a suspensão do Golf Alltrack, que é o Golf (não GTI, GTD e R ) mais caro e robusto a venda nos EUA e Europa.

      Excluir
    3. "O fato é que a VW gastou mais, investiu, e fez um Golf melhor nacional que o importado."

      Follow your dreams.

      Excluir
    4. Em razão do Inovar-Auto, em breve o mercado ficará com opções interessantes. Hoje já em o 120i que entrou na faixa de preço do Highline. Se fosse trocar de carro hoje, seria minha escolha seria do 120i.

      Além disso, é bem provável que o novo Civic venha para o Brasil e dê uma balançada no mercado. O carro vem com bastantes itens e tecnologia.

      Falando em Golf Alltrack, estava lendo no site da CarAndDrive que ele está no segmento de entrada. Além disso, o carro com o motor 1.8 turbo e o famoso câmbio AT6 só chega a 125 milhas (201 km/h).

      Excluir
    5. Esse Carlos4Carlos é um fanfarrão, igual o Uba, fanático com Focus no fórum do Bestcars... Se eles forem pagos pela VW/Ford, vou te falar que foi uma péssima contratação, pq eles não conseguem convencer nem a mãe deles com esse papinho frouxo... Tenho um Golf MK7 TSI, e o acerto de suspensão dele é algo estonteante... mas realmente a suspensão é meio barulhenta (aliás, bem barulhenta!). Mas eu jamais trocaria por um eixo de torção "maciinho", pois isso seria a antítese do que é o Golf.
      Ou seja, nem cogito trocar meu Golf por um nacional... Nunca tive que dar nenhuma manutenção diferente nos carros que tive com multilink... pelo contrário...

      Excluir
  5. Fábio, hoje de tarde ocorrerá, a partir das 16h, no pontão do lago sul, encontro de clube do up. Vou com o Golf, povo fala Q por ser tsi tá valendo. Passa lá se vc puder!!!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. para que mostrar esta reportagem se a analise final é a mesma, que os importados que ate outro dia eram os melhores Golf, agora viraram lixo que fazem barulho, desconfortáveis, que gastam pneus, tem manutenção todo mes e o nacional é o melhor de todos???

      o carro nem foi lançado e testado e os caras ja falam que é o melhor, imagine quando testarem o carro

      eu sempre tive vw e ainda tenho um, mas esse blog nao consegue ser imparcial nem aqui nem na china

      Excluir
  7. Bem, Agora parece que vai ter uma isenção de IPI para carros híbridos, quem sabe assim tragam o Golf híbrido a um preço interessante...

    Ainda bem que não esperei o nacional para comprar e garanti o meu 1.4 TSI Multilink :D

    ResponderExcluir
  8. Tive um Focus 2008 com suspensão multilink. Só tenho elogios. Alia conforto e excelente estabilidade.
    Sobre o Golf, é um ótimo carro. Mas acho uma pena a Volkswagen ter simplificado o carro. O Golf alemão, com câmbio DSG, suspensão multilink, motores turbo e com freio de estacionamento eletrônico era a referência em hatchs médios. / Será que a Volkswagen vai voltar a usar carburador também? Espero que não.

    ResponderExcluir
  9. Mais robusto e confiável ne, tá bom, acredito.... pra mim é um retrocesso. O New civc tem multlink tb e nunca vi ninguém reclamar.

    Depois ficam chorando querendo injeção direta, motor de alumínio, multlink... Aí quando tem dizem q não é tão confiável

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A VW usa o eixo de torção no Golf Estate Alltrack.,

      http://www.caranddriver.com/reviews/2017-vw-golf-sportwagen-alltrack-first-drive-review

      "U.S.-spec Golf and Golf SportWagen TDIs have a torsion-beam rear suspension."

      Ou seja, no modelo do Golf que vai para o pau, a suspensao traseira é o eixo de torção.

      Excluir
    2. Duster 4x4 tem multlink...

      Ei jênio, fala para mim: onde vai enfiar o eixo cardã com um eixo de torção no lugar?
      Na boa, o povo nao sabe nada aqui.
      Mas tb nao dá para esperar muito de um sujeito que compra um Ka...

      Excluir
    3. Olha o motivo de o Golf alltrack não ter multilink: "TDI models require an emissions-scrubbing urea-injection system that can’t be packaged with the Golf’s all-wheel-drive setup and its multilink rear suspension. (U.S.-spec Golf and Golf SportWagen TDIs have a torsion-beam rear suspension.)"

      Fonte? O próprio link que você estava divulgando aqui! Orelha

      Excluir
    4. Errado. O Golf Alltrack TSI (Gasolina) vendido na Europa também NÃO usa multilink. E o motivo é bem simples: multilink não é um sistema parrudo o suficiente para enfrentar o piso que o Golf Alltrack vai enfrentar. Entao a VW usa no TDI eixo de torção e no TSI triângulos sobre-postos, mas JAMAIS multilink.

      É por isso que a VW investiu mais para usar um sistema robusto e confiável, que é o mesmo do Corolla, no Golf nacional.

      Parabéns à VW do Brasil: Golf nacionais com suspensão e câmbio robustos, confiáveis e mais confortáveis (macios).

      Será o novo líder de mercado, fácil, pois já é, disparado, o carro 0KM mais pesquisado.

      Excluir
    5. carlos, me explique então sobre o carro referência em Rally no WRC (Ford Focus) usar multilink na traseira.

      E não venha desconversar sobre powershift ou desalinhamentos de fábrica ou design, pois não é isso que está na discussão.

      Excluir
    6. Subaru de rally também usa multilink, carlos. Sua desculpinha está caindo por terra. Quem sabe você concluirá o óbvio agora: a adoção do eixo de torção é meramente REDUÇÃO DE CUSTOS. E sua desculpinha de que o custo é maior por causa do projeto também é MENTIRA, visto que a adoção do eixo de torção já existia em Golfs pé-de-boi europeus há anos sob esta mesma plataforma.

      Excluir
    7. Cara, para de falar besteira. Focus não é referência em nada, muito menos no WRC, onde quem domina é a VW.

      A Volkswagen ganhou nada menos que os ultimos 3 WRC, com um Polo, que usa suspensão traseira por eixo de torção.

      http://www.wrc.com/en/wrc/results/spain/overall/page/1296-237---.html

      Excluir
    8. E no WRC2 quem ganhou foi outro carro do Grupo VW com suspensao traseira por eixo de torcao.

      http://www.wrc.com/en/wrc-2/news/2015/october/tidemand-wins-wrc-2/page/2931--51-51-.html

      Ou seja, parabéns à VW que usará no Golf nacional o sistema mais robusto e confiável de suspensão da linha Golf, que é o eixo de torção, usado no Golf Alltrack europeu e americano, e nos carros campeões de Rallye.

      O Golf nacional será mais confiável, mais confortável (suspensão mais macia), mais robusto, com motor flex, e ainda terá mais desempenho e menor consumo, como comprovado pelos testes de todas as revistas.

      Excluir
    9. ERRADO. O Polo do WRC usa McPherson, e não eixo de torção: http://www.volkswagen-motorsport.com/index.php?id=339&L=1

      E é curioso como a própria VW cita o eixo de torção: "The torsion beam rear suspension has proved itself as the most economical layout for non-driven rear axles."

      Qualquer um pode concluir que o Golf nacional sofreu redução de custos.

      Excluir
    10. kkkkkkkkkkkkk
      McPherson é suspensão dianteira, mané. O Golf nacional tb vai usar McPherson na dianteira...
      Veio...na boa, finge que vai fazer número 2 e pede para sair...kkkk
      McPherson na suspensão traseira do Polo foi a orelhada do século!!!!!!!!!

      Excluir
  10. Sim, o esquema de eixo de torção é muito mais robusto. Tanto é assim que a VW usa suspensão por eixo de torção em todos os Golf Alltrack TDI, tanto os vendidos nos EUA quanto na Europa:

    http://www.caranddriver.com/reviews/2017-vw-golf-sportwagen-alltrack-first-drive-review

    Vejam:

    "U.S.-spec Golf and Golf SportWagen TDIs have a torsion-beam rear suspension."

    Ou seja, fica claro que o esquema de eixo de torção é muito mais robusto, pois é usado pela VW em nada menos que o Golf Alltrack!!!





    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos, só então uma pergunta para você.

      Por que o Jetta 2.0 trocou a suspensão de eixo de torção, para multilink no Brasil se a primeira é melhor adaptada ao nosso país?

      Excluir
    2. A troca da suspensão foi feita para o mercado americano e não para o brasileiro.

      O fato é que o Golf vendido nos EUA para ser usado em condições severas, que é o Alltrack TDI, usa suspensão traseira por eixo de torção.

      Não adianta. Qualquer mané sabe que a suspensao por eixo é infinitamente mais robusta que o multilink, tanto é assim que é a suspensão usada no Golf alltrack.

      Excluir
    3. A troca da suspensão também foi feita para o mercado brasileiro. O Jetta vendido no Brasil utiliza suspensão traseira multilink.

      A realidade é que a VW tentou usar o eixo de torção no Jetta para o mercado brasileiro, mas teve problema já que o projeto original não previa a utilização do eixo de torção. A gambiarra não deu certo e a VW teve que fazer recall. Hoje, todas as versões do Jetta possuem suspensão multilink.

      Excluir
  11. E tem mais. Todos os Golf Estate TDI vendidos nos EUA usam eixo de torção na traseira, vejam:

    http://www.autoblog.com/2015/03/25/2015-volkswagen-golf-sportwagen-video-first-drive/

    "wagons use the same strut-type front suspension as the standard Golf, but opt for a torsion beam rear suspension with coil springs and an anti-roll bar."

    Ou seja, Golf Estate nos EUA usa eixo de torção na traseira, e isso com motor de 184 cavalos, mais potente que o 1.4 TSI flex brasileiro.

    Parabéns a VW! Colocou a suspensão mais robusta do Golf no nacional!!!



    ResponderExcluir
  12. Eu não compraria a versão nacional do Golf com exceção do GTI, essa é minha opinião e respeito as pessoas que são contra.

    Se pelo menos o valor do Golf cair uns 10k, porém acredito que isso não vai acontecer...

    ResponderExcluir
  13. Isso só mostra que a aplicação do eixo de torção é apenas para corte de custos. Não interessa que essa suspensão barata é usada no golf alltrack porque essa versão não é vendida aqui e o nosso golf não é um carro para ser usado em terra/neve e terrenos extremamente acidentados, e sim para ter o máximo de conforto e dinâmica nas ruas e estradas, características que foram retiradas do golf nacional.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito pelo contrário. Com fica claro nos testes de todas as revistas, que afirmaram que o A3 nacional é mais macio e confortável, o Golf nacional e o A3 é mais confortável que o importado, pois a suspensão ficou mais macia e com curso mais elevado. Isso é opinião de quem andou e testou o carro, e não orelhada sem fundamentação como a sua.

      E, o fato de a VW usar o eixo de torção no Golf alltrack, mostra que essa suspensão é adequada para pisos acidentados como o nosso. Parabéns à VW, pois fez o que a Ford deveria ter feito no Focus.

      Excluir
  14. Nunca um VW alemao será pior que um VW brasileiro. Ilusao.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Up! brasileiro é melhor que o alemão.
      O Up! brasileiro tem tanque de 50 littros, e do alemão é de 35 litros.
      O Up! brasileiro tem maior porta-malas, com 285 littos, e o up! alemão tem apenas 180 litros.
      O up! brasileiro tem motor 1.0 TSI, enquanto o alemão só 1.0 MPI.

      Por favor, não venha com orelhadas. Faça afirmações fundamentadas.

      Excluir
    2. O up! europeu tem 4 air bags, o up! europeu tem tampa de vidro trazeira, o up! europeu tem versão com vidros eletricos nas quatro portas e teto solar.

      Excluir
    3. E na Europa, tem a versão elétrica do UP! O E-Up!

      http://www.autoblog.com/2013/03/14/new-volkswagen-e-up-debuts-with-93-mile-range-combined-chargin/#slide-98514

      Excluir
    4. Up europeu também tem aerodinâmica superior.

      Excluir
  15. A pajelança tá forte pra ver se cola esse Golf pé-de-boi plus. Fazendo uso das palavras do Carlos, prevejo uma queda ainda maior nas vendas do Golf.

    ResponderExcluir
  16. apôs ler a matéria completa, é fácil entender que eixo de torção não é mais confiável e robusta. Ela é apenas mais barata.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O eixo de torção é bem mais robusto. Basta ver as fotos 3 e 4. A Foto 3 mostra o eixo de torção, com um barra de grande dimensões. Já a foto 4 mostra o mnultilink, com braços fininhos. É só olhar e ver, o eixo de torção é um sistema bem mais parrudo e resistente. Aquele multilink é muito mais fácil de ser empenado.
      Não é atoa que a VW usa o eixo de torção no Golf Alltrack, pois é o mais resistente. No Brasil é a mesma coisa. Com nosso piso lunar, melhor o eixo, muito mais resistente.

      Excluir
  17. Deveriam ter colocado rack de teto e batizado como CrossGolf, seria mais adequado.

    ResponderExcluir
  18. Carlos, daonde vc tirou q a vw usa eixo de torcao no alltrack pq ele é mais robusto? Sugiro vc ler as reportagem ate o final e nao ate onde te interessa.

    Unlike in Europe, our Golf TDI hatchbacks require an exhaust-scrubbing urea-injection system, and we’ve previously learned that the fluid reservoir doesn’t package well—which is to say, at all—with the Mark VII Golf’s multilink rear suspension. It’s for this reason that our Golf TDIs have a torsion-beam rear axle.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele só lê até o ponto que o interessa, e que "fundamenta" suas colocações absurdas hahaha.

      Excluir
    2. Na boa: por que vocês se dão ao trabalho de tentar refutar as opiniões desse carlos4carros, tentando incutir razoabilidade onde ela não cabe? Todo mundo sabe que o problema com a VW não são os carros, que têm qualidades e defeitos. O problema são fãs como esse, tendenciosos ao extremo e com uma disposição infindável para insistir naquilo que ninguém aceita. Eu pulo para o próximo comentário.

      Excluir
  19. O texto mostra claramente a superioridade da suspensão multilink sobre o eixo de torção. É lamentável que a VW esteja capando o Golf e o A3 a esse nível.

    Infelizmente, o consumidor brasileiro é muito pouco informado e vai aceitar isso numa boa sem saber o que está comprando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Negativo. O texto mostra que o Multilink com amortecedores adaptativos é melhor na Alemanha.

      No Brasil não temos Golf com amortecedores adaptativos.

      E no brasil temos pisos esburacados. Então eixo de torção é melhor no Brasil, ainda com suspensão elevada e mais macia.

      Excluir
    2. O eixo de torção só é bom para a VW lucrar mais. A única coisa que justifica o eixo de torção é corte de custos. Nada mais.

      Excluir
    3. Caio, onde eu assino? Essa é a dura realidade.

      Excluir
  20. Vamos trocar o turbo com injeção direta pelo aspirado multiponto, afinal é muito mais adaptado à realidade nacional, e portanto, muito melhor que os importados fabricados na Alemanha ou México.

    ResponderExcluir
  21. todos que faz ou fizeram uso e conhece os dois sistemas de suspensão. e indiscutível que multilink e melhor.

    ResponderExcluir
  22. Aos pouquinho está virando pé de boi made in Brasil, se fosse o ford focus estariam todo mundo metendo o pau, ai o Carlos diz que a suspensão com barra de torção o carro fica mais robusto, kkkkkkkkkkk.

    ResponderExcluir
  23. Não há dúvidas que a suspensão independente é superior à barra de torção modificada ou não. Como todos sabemos a intenção da volks é baratear a fabricação do carro no Brasil, comercializando produto inferior ao vendido no exterior retirando propriedades que fizeram o nome do carro. Se é pra comprar pela reputação, que venha com todas as características. Mesmo sem motor turbo e de outra categoria, prefiro o meu civic 2015 lxr ao "golzao" brazuca sem pensar duas vezes...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Engenharia não é uma ciência exata. O que é melhor em um lugar, pode não ser em outro.
      O Multilink é melhor na Europa. Mas mesmo na Europa, se for usar em pisos esburacados, é melhor usar o eixo de torção, tanto que a VW usa eixo de torção no Golf alltrack.
      Então é assim:

      Na Europa e EUA, com estradas boas, melhor multilink,
      No Brasil, com pisos esburacados, melhor eixo de torção, mais parrudo e resistente, como o Corolla usa.

      Excluir
    2. Engenharia não é uma ciência exata?! Pelo amor de Deus carlos, se existe alguma coisa exada é a Engenharia.

      P.s. I'm an engineer.

      Excluir
    3. Nao. Engenharia não é ciencia exata. Se vc nao sabe isso, volte para a faculdade, pois nao aprendeu nada.
      Ciencia exata é fisica, matemática. Engenharia não, exatamente porque os problemas de engenharia admitem múltiplas soluções.
      Engenharia é arte + ciência.

      Excluir
  24. Já escrevi aqui, tive Golf com os dois tipos de suspensão e o Golf 7 Multilink é superior em desempenho ao eixo rígido; os desenhos das suspensões mostram o quanto a multilink é mais elaborado (e caro). Para a Rodovia Belém-Brasilia o eixo rígido é mais que suficiente, mas na serra com pista molhada pelo amor dos meus filhinhos, sempre multilink. Já fiz o alerta aqui, quem pensa em comprar um Goff 0km vá agora e reserve seu mexicano antes que acabe para não se arrepender depois, o mesmo vale pro Audi A3 alemão ainda disponível nos Css.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É impossível o multilink atingir o mesmo nível de resistencia e robustez do eixo. Basta ver as fotos 3 e 4.

      A Foto 3 mostra o eixo de torção, com um barra de grande dimensões.

      Já a foto 4 mostra o multilink, com braços fininhos. É só olhar e ver, o eixo de torção é um sistema bem mais parrudo e resistente.

      Aquele multilink é muito mais fácil de ser empenado.

      Não é atoa que a VW usa o eixo de torção no Golf Alltrack, pois é o mais resistente. No Brasil é a mesma coisa. Com nosso piso lunar, melhor o eixo, muito mais resistente.

      Excluir
    2. Duster 4x4 tem.multlink

      Aqui é complicado. O Povo não sabe o básico.
      Meu querido, aprende uma coisa: nenhum carro com suspensao traseira ou 4x4 pode usar o eixo de torcao, pois o espaço usado pelo eixo de torção está o eixo cardã.....

      Dããããããããããããããããããããããããããã!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

      Excluir
    3. Pois é Carlos, minha visão é justamente oposta; os braços da Multilink e a suspensão como um todo, ficam bastante menos expostos a pedras e camaleôes de asfalto (comum na Belém-Baasilia), tudo fica escondido, enquanto no eixo rigido fica tudo muito exposto, principalmente os suportes dos amortecedores, muito vulneravel. Já tive carro com eixo de torção empenado. Entre embaixo de um Golf 7 e veja voce mesmo. Em pisos ruins prediro rodar com Multilink por todos os motivos já expostos.

      Voce pode ser um expert no assunto, mas não insista quando vc está errado (e o Car Blog também), eixo rigido foi pura redução de custos, sem beneficio algum ao fiel cliente Audi/VWB, uma sacanagem. Não preciso nem citar o cambiozinho japones com conversor de torque versus um DSG de ultima geração.

      Repito pra quem ler este comentario, e pretende comprar um Golf 7, vá agora reservar o seu mexicano antes que se esgote, ou pague depois bem mais caro para ter uma Variant ou GTI para poder usufruir de suspensão e cambio maravilhosos, e ter o real prazer em dirigir uma automovel. O preço está bom para ambos High e Comfort mexicanos, e o carro é melhor ainda. Sds

      Excluir
  25. é piada esse blog é igual ao PT, não baixa a arrogancia:
    Cara veja a questão do Jetta, o santana 2000 usa sim barra de torção mas o turbo usa o que:
    Multi-link
    e ademais o Golf e o A3 foram elevados, segundo a fisica quando se eleva um veículo vc aumenta o seu centro de gravidade e ai...................
    Piora a sua estabilidade
    é gozação, lendo o exposto da para ter uma idéia do fascínio pelo PT, burrice

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Jetta veio com suspensão por eixo de torção até a linha 2013. A partir da linha 2014 todas as versões passaram a vir com a suspensão traseira multilink.

      Excluir
    2. O jetta mudou para o mercado americano. Sò por isso. para o Brasil, é mais indicado o eixo de torção, pois é piso esburacado.
      Tanto é assim, que no Golf mais solicitado que tem, que é o Alltrack, a VW usa eixo de torção.

      Excluir
  26. O que aconteceu e bem claro. Corte de custos. Isso não faz o golf um carro ruim pelo contrário, ainda é o melhor da categoria. So que fica aquela ma sensação no ar que o carro foi perdendo tudo o que o diferenciava dos demais. Eu ainda espero eixo multilink no highline, espero que eixo de torção fique apenas pro 1.6

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na realidade ficaria mais barato para a VW não alterar o projeto. Mas ela fez o certo, fez a tropicalização adequada, colocando no Golf nacional a suspensão mais robusta do Golf, a que é usada no Golf Alltrack, que é o Golf Estate mais caro que tem.

      Excluir
  27. Ainda acho que deveriam manter os braços múltiplos. Mas se querem fazer esse tipo de contenção de gastos, o que sou para tentar mudar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O esquema com braços múltiplos não tem a mesma robustez do eixo de torção. Basta ver as fotos 3 e 4. A Foto 3 mostra o eixo de torção, com um barra de grande dimensões. Já a foto 4 mostra o mnultilink, com braços fininhos. É só olhar e ver, o eixo de torção é um sistema bem mais parrudo e resistente. Aquele multilink é muito mais fácil de ser empenado.
      Não é atoa que a VW usa o eixo de torção no Golf Alltrack, pois é o mais resistente. No Brasil é a mesma coisa. Com nosso piso lunar, melhor o eixo, muito mais resistente.

      Excluir
    2. Unlike in Europe, our Golf TDI hatchbacks require an exhaust-scrubbing urea-injection system, and we’ve previously learned that the fluid reservoir doesn’t package well—which is to say, at all—with the Mark VII Golf’s multilink rear suspension. It’s for this reason that our Golf TDIs have a torsion-beam rear axle.

      Excluir
    3. Pita matou a charada. Sem mais.

      Excluir
    4. It’s for this reason that our Golf TDIs have a torsion-beam rear axle.

      Errado. Erradíssimo por sinal. O Golf Alltrack TDI não usa multilink, e o Golf Alltrack TSI também não usa multilink.

      O Golf Alltrack 1.8 TSI NÃO USA MULTILINK. A VW da Alemanha usa no Golf Alltrack TSI 180 cv um esquema de suspensão traseira do tipo triângulos sobre-postos.

      É evidente que não usa o eixo de torção no TSI pois tem a tração integral Quattro, então não dá o Eixo.

      E, aliás, o multilink é usado em carros com tração traseira exatamente para abrir espaço para o eixo cardã. Só que, no Golf Alltrack TSI GASOLINA (que não tem reservatório de fluido para injetar no escapamento), a VW também não usa multilink.

      Porque isso? Porque o Golf Alltrack precisa enfrentar pisos de baixa qualidade, e, para esse tipo de piso o MULTILINK Não presta. E isso fica claro ao ver as fotos 3 e 4.

      Entao, no Golf Alltrack GASOLINA, a VW tb não usa multilink, e no lugar entra o sistema de triangulos sobrepostos, mais robusto.

      Em resumo: o Golf nacional precisa enfrentar pisos de baixa qualidade brasileiros, e, então, como ele não tem tração integral, a VW usa o mesmo esquema de suspensão do Golf Alltrack TDI vendido na Europa e nos EUA.

      Excluir
    5. E para quem tem dúvida, segue a ficha técnica do Golf Alltrack 1.8 TSI:

      http://www.arpem.com/volkswagen/golf-alltrack-2013/coches/golf-alltrack-18-tsi-180-cv-4motion-bmt-dsg-6-vel.html

      Excluir
  28. enquando lia a matéria , fiquei muito curioso para ler a opinião desse carlos4carros... Muito engraçado! Kkkkkkk

    ResponderExcluir
  29. Tudo dependerá do preço. É nítido e óbvio que a versão mexicana será melhor que a futura brasileira e a alemã é melhor que a mexicana.
    Isso só será justificado se o preço for menor do que o praticado agora (duvido muito),

    ResponderExcluir
  30. Quem reside no interior do Brasil onde a pavimentação é precária ou em centros urbanos com terreno lunar a preferência é por caminhonetes, não carro hatch com eixo de torção. Com tantas alterações daqui a pouco dá pra brincar jogo dos 7 erros entre o gol, fox e golf... Rs..

    ResponderExcluir
  31. Interessante falarem em modernidade porque a plataforma permite o uso de 2 esquemas de suspensão, sendo que a do 147 que virou Uno que virou Palio teve cerca de 4 ajustes indo do eixo de torção ao independente por braço arrastado...

    Cabe lembrar que mais peso = mais conforto, então esses 11kg estão sendo muito bem utilizados, obrigado.

    ResponderExcluir
  32. Está mais que claro para a maioria do público que lê o blog a tendenciosidade com a qual a VWBR é tratada. Estou no meu terceiro VW, adoro a marca, meu carro utiliza a suspensão multilink associada ao motor turbo e câmbio dsg. A matéria é muito concisa e demonstra por A + B que a suspensão multilink é superior ao eixo. São vários argumentos e testes comparativos onde a única conclusão impossível é que o eixo rígido é superior.
    Lamentável porque o Golf nacional continuará superior aos concorrentes, mas é evidentemente pior que os importados.
    A razão de tudo isso é apenas o custo, que só consegue evitar subida de preços ainda mais proibitivos.

    Eita crise!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Golf nacional não será superior ao Focus 2.0, ou seja, se alguém quer um Golf, corre pra comprar o mexicano.

      Excluir
    2. A matéria é muito concisa e demonstra por A + B que a suspensão multilink é superior ao eixo. São vários argumentos e testes comparativos onde a única conclusão impossível é que o eixo rígido é superior.
      Lamentável porque o Golf nacional continuará superior aos concorrentes, mas é evidentemente pior que os importados.
      A razão de tudo isso é apenas o custo, que só consegue evitar subida de preços ainda mais proibitivos.


      Errado. A matéria da Auto Motor und Sport demonstra que, para uso em Autobahn, para andar a 200 Kmh, o multilink é melhor.

      Mas a matéria aqui mostra que para o piso brasileiro, cheio de buracos e crateras, o eixo de torcao é melhor. Tanto é assim, que a VW da EUROPA nao usa o multilink no golf vendido no mercado europeu destinado a uso em terrenos de baixa qualidade, que é o Golf alltrack.

      O Golf Alltrack TDI, um dos mais caros da linha, usa eixo de torcao.,
      O Golf Alltrack TSI, outro muito caro, nao usa multilink, e sim triangulos sobrepostos.

      fatos. apenas fatos.

      Excluir
  33. único do blog a defender a vw nesse quesito é apenas vc, Carlos. Pq será?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque eu entendo de carros. Eu sei pensar, sei raciocinar. Entendo dos sistemas de suspensão. Entendo de aplicações dos sistemas de suspensão. E sei argumentar com base nesses conhecimentos e com fatos. E, portanto, não preciso repetir argumentos de outros leigos no assunto

      Basicamente é essa a diferença: entre quem conhece e sabe argumentar, no caso, eu mesmo, e os que só repetem o que leem em outro lugar, sem fundamentar.

      Excluir
    2. Sim, Carlos... já sabemos: você sabe tudo e os outros não sabem nada. Como sempre.

      Excluir
  34. Alguém sabe conhece algum link onde tenha informações do conteúdo dos pacotes do Golf ? Não encontrei essa informação online.

    ResponderExcluir
  35. Incrível como as algumas pessoas defendem o uso de tecnologias inferiores em detrimento do que é mais moderno e usual em países de 1º mundo. É muito conformismo...Sob a ótica de alguns míopes aqui deveríamos ter veículo com câmbio Tiptronic ao invés de DSG e eixo de torção ao invés de multilink. É quase a mesma coisa de preferir-se os antigos celulares tijolão da Motorola aos de última geração, afinal eles eram tão robustos e resistentes...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa correlação Dino,

      Não consigo entender também, o conformismo de alguns e outros quererem me fazer de idiota.

      Se, o Mercado brasileiro fosse algo normal, típico, e as vendas do Golf por aqui justificassem, poderíamos ter duas linhas de montagem como na Europa, Golfs premium com toda tecnologia a mais moderna disponível, Highline TSI e GTI numa ponta com DSG e Multilink, e uma versão Trend depenada, MSI, eixo rígido com opção Tiptronic visando Locadoras e publico de entrada. Para isso precisariam vender 4 mil unidades.mês. Sds

      Excluir
  36. Resumindo por 100k compro um gti ou um jetta tai, VW por favor traga o jetta gli

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.