Car.blog.br

Pesquisar este blog

Monza SL/E 1989 1.8: fotos, consumo e especificações

Categorias: , , , 48 Comentários

O Monza SL/E - sedã médio da Chevrolet vendido no Brasil nos anos 80 e 90 - ocupou o posto de carro mais vendido do Brasil por três anos na década de 80, feito conquistado em resposta à modernidade de seu projeto, tanto no que respeita às linhas quando à mecânica.

Monza SL/E 1989

O modelo das fotos é uma unidade 1.989 que está com 3.000 quilômetros rodados, sendo uma versão equipada com motor 1.8 à álcool. Nessa época esse motor era a versão de "entrada" já que a grande vedete era a unidade 2.0 - lançado em 1987 e que respondia por 80% das vendas, mas o 1.8 permaneceu em produção pois era o motor que a GM equiparia, posteriormente, o Kadett.

Monza SL/E 1989

Esse motor 1.8 tinha 95 cavalos (contra 110 cv da versão 2.0). O motor poderia até render mais, mas como vigia uma lei que estipulada impostos maiores para motores acima de 100 cv, então a GM optou por segurar o 1.8 nessa faixa. De qualquer forma, o desempenho não era ruim, mesmo para os padrões atuais: 160 Km/h de velocidade máxima e acelerava de 0 a 100 Km/h em 12,69 segundos, contra 11,34 do Monza 2.0.

Monza SL/E 1989

O consumo era de 7,28 Km/l de etanol em cidade, enquanto em ciclo rodoviário atingia 10,26 Km/l - como se pode observar, números interessantes até mesmo para os padrões atuais, levando-se em consideração tratar-se de um carro de 1.090 Kg.

Monza SL/E 1989

O interior do Monza SL/E - que nem era o topo de linha - apresentava-se com um acabamento irretocável, com materiais de elevada qualidade, montagem precisa e um design moderno e evolvente do painel de instrumentos.

Monza SL/E 1989

Em termos de itens de série, o Monza SL/E vinha de fábrica pelado, sem ao menos vidros elétricos. Entretanto, a longa lista de opcionais continha vidros - travas - retrovisores elétricos, direção hidráulica, ar-condicionado, sistema de som, entre outros itens bastante valorizados.

Monza SL/E 1989

Em termos dimensionais, o Monza media 4,36 metros de comprimento e dispunha de uma distância entre-eixos de 2,57 metros, o que permitia um bom espaço interno e uma capacidade volumétrica do porta-malas de 400 litros.

Monza SL/E 1989

Classic


Monza Classic 1989

O Monza Classic (foto acima) era a versão topo da linha Monza, e vinha totalmente completo de fábrica com diversos itens que o diferenciavam da versão SLE - inclusive pintura em duas cores (saia e blusa) opcional.

Concorrentes

O Monza foi o líder de vendas incontestável em seu segmento de mercado, batendo, sistematicamente, nas vendas e também nas pistas, seus principais concorrentes:

VW Santana

VW Santana GLS 1989 2.0

O Santana chegou ao mercado em 1984, com motor 1.8. Posteriormente, com o advento do motor 2.0 no Monza, a VW lançou, no final de 1988, o Santana 2000 - o modelo acima é um 1989 GLS 2.0 completo.

Fort Del Rey

Ford Del Rey Ghia 1989

O Ford Del Rey também vendia bem no Brasil, apesar das limitações de sua mecânica. Em 1988, com o advento da Autolatina (joint-venture entre VW e Ford no Brasil), o modelo ganhou o motor VW AP 1.8 em substituição ao CHT 1.6 que sempre o equipou.

Conclusão

Monza SL/E 1989

O Monza é um dos mais importantes modelos vendidos no Brasil, tendo sido um dos únicos modelos de porte médio a liderar as vendas no mercado nacional.

Fotos: Reginaldo de Campinas

Postagens relacionadas:

48 comentários:

  1. Ótimo carro para a sua época.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa monza só pode ser do RS, nunca vi a gauchada gostar tanto dessas naba véia!!!

      Excluir
    2. Sua mãe costuma viajar para lá??

      Excluir
    3. Sim, ela vinha convidar a sua pra fazer programa em SC!

      Excluir
    4. Kkkkkkkkkkk
      Falando sério, é um excelente automóvel, tem um consumo alto de combustível mas corresponde ao seu potencial!

      Excluir
    5. Tenho um S/L 1989 1.8 álcool tá bem bonito tbm moro no Rio Grande Do Sul mais não sou gaúcho e como o cara falou acima aq eles gostam mesmo d carros antigos principalmente GM acho q todos os Chevettes e Kadetts e Monzas
      do Brasil estão aq kkkkkkkk

      Excluir
    6. Meu aqui emas sampa também tá lotado de monza o carro tem uma durabilidade incrível

      Excluir
  2. Santana era bem superior. Motor e câmbio longitudinal deixam bem mais prazeroso de dirigir.
    Santana era mais silencioso, andava mais, e tinha mais espaço interno.
    Monza vendia pois era bonitinho, mas morreu em 1994, enquanto o Santanão viveu até 2006!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Motor e câmbio longitudinal deixam bem mais prazeroso de dirigir." se é tão prazeroso de dirigir porque será que NINGUÉM mais faz carro com esse tipo de disposição de motor? A não ser que você goste de sentir a vibração do motor passando quase que na totalidade para a cabine e corrigindo meu amigo o Monza ficou em linha até 1996 com um fim de linha digno, já o "Santanão" morreu em 2006 como carro de taxista.

      Excluir
    2. Santana racha o túnel eas torres de suspensão,enquanto o monza não tem nada disso!!!!

      Excluir
    3. A única vantagem do santana sobre o monza era espaço interno, no restante não havia comparação.
      O interior do monza era mais caprichado, bancos confortáveis e um tecido de veludo que hoje não encontramos nos nossos carros.
      O motor do santana era mais ruidoso, a suspensão mais dura e batia seco na traseira, quando não eram recado os bancos também eram muito inferiores, o motor do monza trabalhava suave enquanto o do santana passava muita vibração para o interior do carro.
      O santana foi ficar um carro melhor já no final da vida, a partir de 98 ou 99 ele ganho câmbio e direção iguais aos do golf, a suspensão também foi revisada e o carro ficou mais confortável, o ruído interno também diminuiu.
      Posso falar isso com propriedade por ser filho de um fanático por quantum, ninguém faz o meu pai sair da quantum, ele tinha uma 95 e recentemente comprou uma 2001 que estava muito conservada.
      A diferença da 95 para a 01 é enorme, é um carro muito melhor.

      Excluir
    4. Monza era um excelente automóvel... Robusto,bem-acabado e muito confortável. Saudades dessa GM!

      Ah, sobre o Santana... Só ele que rachava? Monza costuma trincar a longarina, bem como o Kadett e o Opala... Escort abre as longarinas e Uno trinca nas torres da suspensão...

      TODO carro monobloco costuma trincar em algum lugar... Ou acham que a carroceria será rígida para sempre?

      E Santana melhor em 99? Discordo. Bancos iguais aos do Gol 1000, forração pobre e plásticos frágeis... A melhor safra do Santana foi o quadrado 88 até 90. Tive um 89 e o carro era excelente. E os bancos do Monza agradavam quem gostava de coisa macia em excesso, porque em viagens longas cansavam por serem fofos demais. O Santana era bem mais esportivo nesse ponto.

      Mas enfim... Ambos eram carros muito bons e tinham seus públicos fiéis.

      Excluir
    5. Carros da voksvagen são carros secos e sem conforto.

      Excluir
    6. Não sei pq os senhores ainda dão idéia pra o Carlos... Não perceberam que o muleque é só um menino de 14 anos que ainda nem sabe dirigir tentando trolar aqui no blog?
      Contra fatos não há argumentos: o Monza foi o melhor sedã da época, provado pelo número de vendas, assim como Corolla/Civic são os melhores sedãs hoje...
      Ignorem o Carlos.

      Excluir
    7. Esse tal de Carlos vive falando bobagens, uma pior que outra!

      Excluir
  3. Nunca vi configuração mais inútil motor e câmbio longitudinal com tração dianteira.
    O Monza morreu com mais dignidade que o Santana. Legal o Carlos defender o Santana, mas ele esquece como foi o fim do Santana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Teoricamente, o transversal é melhor. Hoje é melhor.
      Mas na época não era, pois o câmbio ficava uma porcaria nos engates.
      Não conseguiam fazer um trambulador decente para cambio de motor transversal.
      O cambio do Monza era horrível de engates.
      Enquanto o do Santana era uma manteiga.
      Então na época o motor e cambio longitudinal faziam sentido sim.

      Excluir
    2. O Santana foi líder de mercado?
      #choravwboy

      Excluir
    3. Essa disposição que até hoje tem no Gol (G4), é tão ruim que só nós fabricamos, nunca soube de algum VW europeu com este tipo de configuração estranha, mas se alguém souber, por favor me avise.

      Excluir
    4. Opa, vou lá comprar o SantanaTech com o Apzão 0km, já que finalmente corrigiram a posição do câmbio e motor! Kkkkkkkkk

      Excluir
    5. PQP, como esse Carlos fala bobagem.

      Só pela asneira que escreveu, nota-se que nunca dirigiu um Monza na sua vida.

      Os engates eram inferiores aos do Santana sim, mas não eram ruins.

      Só o engate da quinta era meio longe das outras marchas, mas nada de outro mundo...

      Excluir
  4. Bom carro para comparar com o Golf 4,5, até porque a diferença de idade do projeto do Monza para o do Golf é praticamente igual a do Golf para o do Cruze.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. boa.

      Excluir
  5. Acho legal ter post de carros antigos, bem bacana a ideia do blog. Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo. Todos já andaram, e sempre fica a dúvida sobre os dados técnicos do veículo.

      Excluir
  6. Tive 2 Monza, 1984 e 1988, SLE sedan 1.8 a álcool. Compará-los com o Santana demonstra desconhecimento (mesmo incluindo o GLS 2000i.. Seria como comparar meu Civic EXR 2014 com um Astra 2011 (descendente direto do Monza).

    ResponderExcluir
  7. Tive 2 Monza, 1984 e 1988, SLE sedan 1.8 a álcool. Compará-los com o Santana demonstra desconhecimento (mesmo incluindo o GLS 2000i.. Seria como comparar meu Civic EXR 2014 com um Astra 2011 (descendente direto do Monza).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não dê atenção a esse Carlos. Ele é fanático. Todo mundo sabe da qualidade do Monza frente ao Santana.

      Excluir
    2. Depende.

      O Santana agradava quem gosta de um carro com condução mais esportiva. Tanto é que nas retomadas ele era mais rápido, já que o câmbio era curto.

      O Monza era mais sisudo e tinha rodar mais sólido. Agradava quem gostasse de carro mais macio e silencioso.

      Já tive Santana (4) e o carro era muito bom sim, não devia nada para o Monza que, reitero, também era um excelente automóvel.

      Cada um teve seu público fiel...

      Excluir
    3. Sim Man, como carro sim. Pena que o acabamento interno do Santana virava uma batedeira, os botões de ventilação era só puxar que saía na mão, plástico bem vagabundo mesmo. É só olhar nas ruas o estado de conservação dos Monza e dos Santana.

      Excluir
    4. Discordo novamente.

      Carro em mau estado existe de qualquer modelo. Meu antigo GLS 89 nao batia absolutamente nada... Alias, afirmo que ele era mais silencioso de acabamento do que muito carro atual que ja guiei.

      Sobre o painel, eu concordo... Era fragil mesmo. Tinha que ter cuidado. Mas, novamente, reitero... Meu pai teve um CL 89 que tava com 400 mil km e ainda tava perfeito no painel. Uma pena que roubaram o carro.

      Excluir
  8. Esse Monza e aqui de Caxias do Sul, eu tenho um 1990 sle 1.8 2 portas cinza com 90 mil km, so uso fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. amigo eric eu tenho um monza SLE89,1.8 e nao deixa a desejar esta inteirao desde que eu peguei,fiz alguns acerto que o ex dono nao fazia era moleque e muito relachado.
      da p/disputar com o santana ou qq.outro .o importante e' a conservaçao e o cuidado.

      Excluir
  9. Vão voltar a fabricá-lo e vender ao preço de 100 mil reais, tb?

    ResponderExcluir
  10. Gostava do santana executivo na época era um carrão,carro para poucos,ganhava no preço até do Diplomata 6c,mas de todos os sedans existentes no periodo dos anos 80 e 90,o unico que era top msm era o diplomata 6c carro que nasceu e morreu como merecia com o titulo de carro mais caro do Brasil em sua época,e carro de executivo,já o Del Rey só melhorou msm com o motor 1.8 nas ultimas series mas o reloginho no teto e o lindo painel de instrumentos ainda fazem inveja a muitos carros novos hoje.

    ResponderExcluir
  11. Eu tbem de todos os sedans da época prefiro os opalões 6c,que tinham tudo de bom para a época,e colocava todos os outros no bolso em materia de motor e acabamento e conforto,para mim é o unico que deixou saudade.

    ResponderExcluir
  12. Os monza e santana travavam uma briga boa nos anos 80 e 90,os dois carros eram bons e seus consumidores eram diferentes,e igual o que acontece hoje com o corolla e civic,os dois são muito bons o que os diferencia é o tipo de consumidor.Já eu na época não gostava muito de sedans e sim babava por um GTI azul dos primeiros que sairam.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Santana GTi ? Não seria o EX amigo ?

      Excluir
    2. Ele disse que não gostava dos sedãs. E babava por um GTI, só esqueceu de escrever gol antes.

      Excluir
  13. Este é um dos poucos modelos da época que é possível ainda encontrar em bom estado, o que mostra a qualidade com que ele foi construído. O mesmo não ocorre com o monza hatch, mas imagino que seja por forma de utilização (perfil de motorista). Os demais, santana, del rey, opala, só encontramos sucata.

    ResponderExcluir
  14. Saudades de uma época que o carro éra um brinquedao que todos cuidavam, passavam o fim de semana lavando, encerando e etc Hoje em dia ninguem mais cuida de seus carros , apenas usam. Os tempos mudaram . Prefiro a década de 80 e início dos anos 90 que foi muito mais legal que os dias de hoje.Nao haviam tantas mudanças nos carros e mesmo assim éramos apaixonados por eles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente...

      Excluir
    2. Nao vi nenhuma mulher comentando, entao vou representar a classe, rs. Concordo que nos anos 80 e 90 os carros realmente eram melhores, fino acabamento e os donos cuidavam bem mais. Amo carro antigo, tenho um monza SL/E 89. Cuido com muito carinho, pois nao se fazem mais carros com tanto conforto e motor assim. E se fabricam, o preço é de infartar.

      Excluir
    3. @RO Ctba, de fato, os carros dos anos 80 e 90 no Brasil eram melhor acabados, mas os preços eram muito mais elevados que os pedidos pelos modelos atuais.

      Um Monza EF 500, por exemplo, em valores atualizados, custaria mais de R$ 170 mil reais, valor que hoje dá para comprar um Audi A4.

      Fizemos uma matéria sobre isso:

      http://www.car.blog.br/2015/09/precos-de-carros-dos-anos-80-e-90-em.html

      Então, sim, os carros acessíveis hoje são menos equipados, mas também são muito mais baratos.

      Excluir
  15. Gente,me fala sobre o Monza classic,quero comprar 1!

    ResponderExcluir
  16. Tenho um que guardo com muito carinho. Saudade da época áurea da GM ...

    ResponderExcluir

Comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões),conteúdo ofensivo, racista ou homofóbico serão apagados sem prévio aviso.